The Magicians: Terceira Temporada - NoSet
Review

The Magicians: Terceira Temporada

Salve Nosetmaníacos, eu sou o Marcelo Moura e baseado no best-seller de Lev Grossman, The Magicians conta a história de Quentin Coldwater, um brilhante estudante que se matricula na Brakebills College for Magical Pedagogy, uma universidade secreta no norte de New York especializada em magia, onde descobre que o mundo mágico o qual lia nos seus livros preferidos na infância não só é real como coloca a humanidade em grande perigo. Enquanto isso, sua amiga de infância, Julia, não é aceita em Brakebills e procura então aprender magia em outros lugares.

The Magicians: Criadores John McNamara e Sera Gamblev, Diretor Mike Cahill, produtor MitchEngel. Elenco Jason Ralph, Stella Maeve, Olivia Taylor Dudley, Hale Appleman, Arjun Gupta e Summer Bishil. Com duas temporadas, The Magicians é uma série norte-americana de Drama e Fantasia que vai ao ar no canal Syfy nos Estados Unidos.

Sinopse: Quentin e Julia são convidados a realizar um teste de suas habilidades mágicas. Quentin passa e é aceito pela BrakebillsUniversity. Julia falha no teste e eles tentam limpar sua memória sobre Brakebills e o teste, mas ela consegue deixar uma pista para se lembrar. Recusando-se a aceitar que ela não pode aprender magia, ela é contatada mais tarde por Pete, que se oferece para ensiná-la. Em seus sonhos, Quentin conhece Jane Chatwin dos romances “Fillory”, que o adverte sobre a Besta e o deixa com um símbolo queimado em sua mão. Alice reconhece o símbolo e o vê como uma oportunidade de saber como seu irmão morreu. Ela e Quentin, juntamente com Penny e Kady tentam contatar seu irmão morto, Charlie. Em vez disso, acidentalmente convocam a Besta que aparece na escola no dia seguinte, atacando um professor e o reitor.

Nárnia

Crítica das três temporadas: Com sua quarta temporada renovada, The Magicians é aquele tipo de série intrigante, forte e interessante de magia e fantasia,fazendo várias referências a livros como Narnia e filmes como Harry Potter em suas três temporadas, mas com uma conotação adulta ligando os personagens a dependências, problemas familiares, sexuais e vícios, o que torna a série mais inteligentes do que franquias adolescentes em que a ação prevalece. Novamente,não é difícil ao assistir a série a fazermos comparações aos universos de magia que já convivemos neste século, como HQs (Livros da magia), Livros (Narnia), Franquias (Harry Potter) e séries (Grimm e Buffy), no andamento da série, o próprio elenco fala muito sobre estas referências e as utiliza contra todos os tipos de seres mágicos. O andamento da série e a atuação do elenco em certos momentos torna tudo bem divertido mas em outros, carece de ritmo ou profundidade. Talvez isto venha pelo próprio tom do roteiro, que tem muitas viradas e até uma certa dificuldade de achar saídas simples apara as tramas que o envolve. Muitos personagens tem características que os fazem mudar de lado, dependendo da situação que estão envolvidos, as vezes estão do lado do bem, outros se voltam contra os amigos por motivos pessoais e egoístas. O que diferente esta das séries adolescentes, como a fraquíssima Shadowhunters que já foi filme e virou série, é a profundidade e os problemas pessoais e reais de cada personagem passa durante os episódios, como depressões e vícios, dando densidade de trabalho ao elenco. É claro que não estou falando de um elenco ou um roteiro maravilhoso ao ponto de uma Viola Davis em seu How to Get Away with a Murder, mas dá para se divertir dá pro gasto e todos nós estamos atrás de uma boa diversão. Gosto muito do que o roteiro dá ao tom da magia e suas consequências, como prazer, luxúria,dependência, vício ou apenas diversão, isso diferente para cada personagem que pode se tornar um deus ou o mais medíocre dos magos como consequência do uso. Os reinos que aparecem na série, como das fadas, da Fonte ou da Biblioteca, tem em todos sua beleza e seu perigo, tudo na série tem seu risco. Podemos comparar a série facilmente a outras de sucesso comoBuffy, Grimm e The Librarians, por agradar aos fãs da mesma categoria, sendo que The Magiacians é muito divertida e polêmica nas tiradas e postura do colégio Brakebills, com festas, orgias e controle excessivo de seus alunos.Um ar de que ninguém se importa com qual o lado o mago vai escolher, bom ou mau, contanto que não se mate enquanto estiver na escola,não há problemas. Como já falei, por pegar pesado em seu meios, a série teve algumas críticas fortes quanto a cena do estupro da personagem principal por um deus, o que não foi bem visto pela crítica, principalmente por causa da postura da mesma após esta situação, se tornando por um tempo uma vilã incompreendida e traindo seus amigos. Na terceira temporada, ouve um tipo de desculpa sobre o assunto, mas o problema já tinha sido criado.

Outro bom ponto foi o vilão da primeira temporada e suas referênciaspara a série como um todo. Pena que na segunda isso se perca bastante. E novamente, comparando ao Valdemore, Aquele Que Não Pode ser Mencionado, A Besta tem todos os traços de um bom tirano da Disney, como Malévola, ou como citei Valdemore de Harry Potter, com um passado corrompido na inocência de Fillory, sem nenhum princípio ou escrúpulo, a não ser a total conquista e o controle do universo mágico, sobre onde toda a história se desenrola.A criação do vilão, novamente lembrando muito o livro de Narnia, principalmente quanto a brincadeira com o espaço \ tempo que a série se propõe, é sensacional em sua primeira temporada, mas como já falei, se perde na segunda temporada principalmente por que ela trabalha muito mais a condição pessoal do que o enredo da história e sem um vilão poderoso, tudo fica um pouco morno, mas ainda assim, o vício dos personagens e a procura do poder, principalmente pela Alice Quinn e Julia Wicker é interessante. Na terceira temporada até a metade tudo é fraco, o enredo da perda da magia em todos os universos não rende o esperado e a morte de Penny (Arjun Gupta) não ajuda, mas do meio para o final, quando começa a caçada das chaves, realmente se pega gosto, a série cresce bastante e volta a ser eletrizante. Gostei do final seasonda terceira temporada e aparentemente, teremos uma interessante quarta temporada com um novo e poderoso vilão. Do elenco principal Jason Ralph como Quentin Coldwater é um nerd depressivo, onde a fantasia de Fillory salvou sua infância e somente quando descobriu a magia, sua vida fez sentido e largou os remédios. Ele é convocado para se matricular na faculdade de Brakebills para ser treinado como um mago.Stella Maeve como Julia Wicker, amiga de infância de Quentin, mas diferente do mesmo, é bem sucedida na vida romântica e estudantil até descobrir a magia e se tornar uma viciada, logo após não ser admitido em Brakebills. Olivia Taylor Dudley como Alice Quinn, é uma “Hermione” de série e o interesse amoroso de Quentin, cujos pais são mágicos e que vem de uma vida negligenciada em casa.HaleAppleman é o melhor ator da série como Eliot Waugh, um estudante de Brakebills e sênior de Quentin que ama festas e bebidas. Arjun Gupta como William ‘Penny’ Adiyodi, companheiro rebelde adolescente de quarto de Quentin, deliberadamente intimidante e nervoso.

Curiosidades: Michael London foi primeira escolha para adaptar os livros em 2011, com a intenção de desenvolver a série na Fox. Co-roteiristas de X-Men: Primeira Classe, Ashley Miller e ZackStentz escrevera o piloto, mas não conseguiram sinal verde. London, em seguida, desenvolvia o piloto com McNamara e Gamble assumindo funções de escrita, e levou o script para Syfy, que encomendou um piloto. O piloto, dirigido por Mike Cahill, foi filmado em Nova Orleans no final de 2014 e avaliado em dezembro. Syfy encomendou a série para uma primeira temporada de 13 episódios, que foi ao ar em 2016. McNamara e Gamble tornaram-se produtores executivos.A segunda temporada estreou em 25 de janeiro de 2017.Olivia Taylor Dudley substituiu Sosie Bacon como Alice Quinn. Também foi anunciado que Rick Worthy tinha sido escalado como Dean Fogg, Anne Dudek como Professor Sunderland, Esmé Bianco também juntou-se ao elenco.A primeira temporada de The Magicians foi lançado em DVD e Blu-Ray em 19 de julho de 2016 na Região 1. A introdução incluiu todos os treze episódios, bem como vários recursos especiais, incluindo cenas excluídas, Gag Reel, O mundo dos magos, E UltraViolet Cópias Digitais.A série teve resposta positiva da críticqa. No Metacritic, possui uma classificação de 60/100, com base em 24 avaliações. No RottenTomatoes, tem um índice de aprovação de 70% com base em 37 comentários, com uma classificação média de 6,8 / 10. Os sites de críticas entram em consenso que: “The Magicians” possui impressionantes efeitos especiais e histórias criativas, que ajudam a compensar uma premissa derivada e ritmo ocasionalmente lento.”Alguns críticos e fãs criticaram a série por sua brutal representação de Julia sendo estuprada e que a violação lhe deu poderes mágicos extras.O incidente também foi criticado porque, depois de Julia lembrou da agressão, ela traiu seus amigos através da formação de uma aliança com, e, literalmente, abraçando, um assassino que também é um sobrevivente de estupro. Como disse Lisa Weidenfeld, da AV Club: “o show agora sugeriu que as duas vítimas de agressão sexual são seus vilões”.

Gostou da matéria, é só seguir o meu instagram para acompanhar lançamentos e opinar: https://www.instagram.com/marcelo.moura.1253/

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo