Raised by Wolves: Primeiras observações a Primeira Temporada (2020) - NoSet
Review

Raised by Wolves: Primeiras observações a Primeira Temporada (2020)

Salve Nosetmaníacos, eu sou o Marcelo Moura e hoje falamos de mais uma série de Sci Fi que traz de volta a tv o ator Travis Fimmel (Ragnar de Vikings) e a produção de Ridley Scott (Alien, Blade Runner e Gladiador).

Raised by Wolves é uma série dramática de ficção científica americana criada por Aaron Guzikowski que estreou na HBO Max em 3 de setembro de 2020. Os dois primeiros episódios foram dirigidos por Ridley Scott, que também atua como produtor executivo do programa.  Em 17 de setembro de 2020, a série foi renovada para uma segunda temporada.

Raised by Wolves: Primeira Temporada

Criado por Aaron Guzikowski, estrelando Amanda Collin, Abubakar Salim, Winta McGrath, Travis Fimmel, Niamh Algar, Jordan Loughran, Felix Jamieson, Ethan Hazzard, Aasiya Shah, Ivy Wong e Matias Varela. Música por Ben Frost e Marc Streitenfeld. Produtores executivos Aaron Guzikowski, Mark Huffam, David W. Zucker, Ridley Scott, Adam Kolbrenner e Jordan Sheehan, produtor Jon Kuyper. Empresas produtoras Film Afrika, Entretenimento Lit, Shadycat Productions e Scott Free Productions, distribuidor Warner Media Direct, lançamento original HBO Max.

Sinopse: Raised by Wolves gira em torno de “dois androides – pai e mãe – encarregados de criar filhos humanos no Kepler-22b depois que a Terra foi destruída por uma grande guerra. Enquanto a colônia crescente de humanos ameaça ser dilacerada por diferenças religiosas, os androides aprendem que controlar as crenças dos humanos é uma tarefa difícil e traiçoeira. ”

Elenco e personagens: Amanda Collin como mãe, um androide reprogramado para criar filhos humanos no planeta virgem, Kepler-22b, a fim de estabelecer uma civilização ateísta. Abubakar Salim como pai, um andróide e parceiro da mãe na criação de filhos humanos. Mais tarde, ele foi reprogramado por sobreviventes de Ark contra a mãe e outras crianças. Winta McGrath como Campion, a mais nova e a sexta criança nascida de embriões humanos. Ele é o único que sobreviveu nas difíceis condições do Kepler-22b. Travis Fimmel como Marcus / Caleb, um soldado ateu que matou o verdadeiro Marcus e tomou seu lugar para subir à Arca. Niamh Algar como Sue / Mary, parceira de Caleb que matou e tomou o lugar de Sue, esposa de Marcus. Jordan Loughran como Tempestade. Felix Jamieson como Paul, filho de Marcus e Sue. Ethan Hazzard como Hunter, um dos sobreviventes de Ark que possui grande inteligência. Aasiya Shah como Holly. Ivy Wong como Vita e Matias Varela como Lucius. Cosmo Jarvis como Campion Sturges, um ex-cientista mitraico que mais tarde mudou sua fé e lutou por uma causa ateísta e criadora da Mãe. Campion foi nomeado após ele.

Crítica: Riddley Scott é um dos maiores mestres de Sci Fi e terror psicológico, tem obras como Alien, Prometheus, Blade Runner e Perdido em Marte, além de vários filmes de época como Gladiador, Cruzada, Robin Hood e Êxodos, e se tem algo que é comum nestes filmes é a mão de Scott nos roteiros e direção, onde o peso de sua opinião e sua vontade de contar algo que mistura medo, fé e história, deixem sua marca da mistura de ciência vs a fé, e em Raised by Woves isto se repete claramente.

Como toda obra de Riddley Scoot, Raised by Wolfves tem um roteiro complexo e difícil de se digerir, cheio de mistérios e enigmas como sociedades secretas, subtramas longas que se conectam só na metade para frente da série, não é difícil você se perder em meio a tantas ambientações, contextos e histórias que se convergem em uma trama muito semelhante ao universo científico de Alien. O conflito entre tecnologia e religião tem vários pontos interessantes, mas mesmo assim, deixam provavelmente a maioria das repostas para a segunda temporada do que em um roteiro cheio de entregas no início. O que sabemos até o sétimo capítulo de dez é que existiu uma guerra que dizimou quase toda a humanidade, entre ciência e religião, mas como ela começa e quem começa ainda não foi revelado.

Aaron Guzikowski, cria uma trama que parece positivamente misturar o melhor dos sci fi de várias franquias cinematográfica e literáriasvdo Sci Fi. Sua religião é quase uma mistura do universo mistico de Duna com doses da violência do universo de Riddick (Vin Diesel) e a contra parte tecnológica e sua guerra são intrigantes, e o resultado dessa guerra lembrando até o mundo pós apocalíptico do O Exterminador do Futuro (James Cameron). Neste primeira apresentação, você é inserido no fim da guerra e não como tudo começou, a sensação é que pegamos tudo pela metade e isso, pelo menos para mim, fez falta para me prender a história. Resumindo, tudo começa na metade e você vai pescando o que aconteceu anteriormente através de Flash Backs e comentários dos personagens.

Do elenco Travis Fimmel (Marcus / Caleb) rouba vagarosamente a cena com aquele charme que é inerente ao ator, que impressiona e diverte com seu estilo nada diferente do seu Ragna, mas é na atriz Amanda Collin (mãe) que tudo é centrado e gira em uma crescente que impressiona. Collin atua de maneira soberba é de se aplaudir de pé. Fazer uma personagem super androide sem memórias anteriores que simula sentimentos, evolui assustadoramente sem seu próprio conhecimento, parceira do androide pai que é inferior a ela, tutora de crianças e salvadora de um estilo de vida, tudo isso é simplesmente destrinchada de maneira soberba pela atriz.

Raised by Wolves é cheio de referências bíblicas do Velho Testamento, como Adão e Eva (Pai e Mãe), o Paraíso e a Serpente, a Santa Trindade e a Arca de Noé, tudo isso envolto a bons efeitos especiais, a série é um prato cheio para os fã de Scott e um bom sci fi.

Curiosidades: Em 8 de outubro de 2018, foi anunciado que a TNT havia dado um pedido em série para a produção. Esperava-se que os produtores executivos incluíssem Ridley Scott, Aaron Guzikowski, David W. Zucker, Jordan Sheehan, Adam Kolbrenner e Robyn Meisinger. Scott também foi escalado para dirigir os dois primeiros episódios e Guzikowski para escrevê-los. As produtoras envolvidas com a série foram programadas para consistir na Scott Free Productions, Studio T e Madhouse Entertainment. A série foi filmada na Cidade do Cabo, África do Sul, que substituiu o exoplaneta Kepler-22b. Em 17 de setembro de 2020, a HBO Max renovou a série para uma segunda temporada.

Em 29 de outubro de 2019, anunciou-se a série iria se mudar para Warner Media da HBO Max serviço de streaming. A série estreou em 3 de setembro de 2020. No Canadá, a série estreou em 3 de setembro de 2020, na CraveTV e CTV Sci-Fi Channel. Na Austrália, a série estreou em 3 de setembro de 2020 na Foxtel.

O agregador de resenhas Rotten Tomatoes relatou que 75% das 44 resenhas críticas foram positivas, com uma classificação média de 7/10. O consenso dos críticos do site diz: “Cheio de imaginação e imagens sobrenaturais, Raised by Wolves é uma exploração sangrenta da inteligência artificial e da crença religiosa que estimulará os olhos e a mente – senão o coração.” O Metacritic deu à série uma pontuação média ponderada de 65 de 100 com base em 17 avaliações, indicando “avaliações geralmente favoráveis”.

Darren Franich, da Entertainment Weekly, deu um B- à série e escreveu uma resenha dizendo: “Eu vi seis episódios e me preocupo que o ímpeto se esgote. Este é o tipo de show em que dois lados lutam e passam meia temporada se preparando lutar novamente. As performances excêntricas são intrigantes, no entanto. ” John Anderson, do The Wall Street Journal , disse: “A história está envolvida, mas mantém o espectador desequilibrado de uma maneira boa. Parece ótimo. E a Mãe … é a entidade espacial feminina / feminina mais memorável desde Sigourney Weaver ‘s Ripley no estrangeiro “.

Gostou da matéria, é só seguir o meu instagram para acompanhar lançamentos e opinar: https://www.instagram.com/marcelo.moura.1253/

Topo