The Incredible Hulk (Série da TV 1960): - NoSet
Review

The Incredible Hulk (Série da TV 1960):

Salve Nosetmaníaco, eu sou o Marcelo Moura e hoje falamos de mais uma série clássica da tv.

The Hulk nas HQs (1960):

O Hulk, por vezes referido como O Incrível Hulk é um personagem das HQs da Marvel Comics, criando em 1960 pelo roteirista Stan Lee e pelo desenhista Jack Kirby (1917-1994), teve sua primeira aparição na HQ The Incredible Hulk n°1, lançada no mercado americano pela Marvel Comics em maio de 1962, um título solo do personagem, garantindo-lhe o acesso ao que mais tarde seria popularmente conhecido como Universo Marvel nas HQs. A partir de então, o Hulk tem aparecido, protagonizando ou não, diversas histórias da editora, se tornando um dos mais visualmente reconhecíveis da mesma, tendo o universo entorno do personagem se expandido continuadamente ao longo das últimas décadas. Apesar de fugir de diversos padrões pré estabelecidos para super-heróis enquanto personagem da cultura pop mundial, Hulk é considerado um super-herói, mais pelas características sobre-humanas por ele apresentadas do que por conceitos bases de inserção no gênero.

Origem: Na HQ original, o Hulk é um selvagem e poderoso alter ego do Dr. Robert Bruce Banner, um cientista que foi atingido por raios gama enquanto salvava um adolescente durante o teste militar de uma bomba por ele desenvolvida. Este adolescente, Rick Jones, tornou-se companheiro de Banner, ajudando-o a manter o Hulk sob controle e mantê-lo longe dos ataques dos militares, que viam a criatura como uma ameaça. Ao invés de padecer pela radiação, o cientista foi condenado a uma vida compartilhada com o seu lado mais obscuro, o também chamado golias verde. Originalmente, a cor do personagem era cinza, mas, por problemas na hora da impressão das HQs, pois a gráfica não conseguia acertar a tonalidade, ele apareceu num tom esverdeado, fazendo com que o Hulk passasse a ser o “Gigante Esmeralda” que conhecemos desde o início. Outro fato interessante é que, nas primeiras histórias, a transformação de Banner em Hulk ocorria apenas à noite, como se isso fosse alguma maldição similar à dos lobisomens. Porém, em pouco tempo, Kirby e Lee chegaram a um acordo e o Hulk passou a surgir toda vez que o Dr. Banner ficava irritado e despertava em si seu lado mais selvagem. Em uma entrevista, Stan Lee disse que ambos criadores se inspiraram fortemente no clássico livro de Robert Louis Stevenson, The Strange Case of Dr. Jekyll and Mr. Hyde, também conhecido como O Médico e o Monstro, e no personagem Frankenstein, criado pelo escritora britânica Mary Shelley. O nome Hulk havia sido usado em um outro personagem criado por Lee e Kirby, publicado pela primeira vez em Journey into Mystery número 62 em Novembro de 1960, após o lançamento do novo Hulk, passou a ser conhecido como Xemnu the Titan e se tornou o oponente do mesmo.

O Incrível Hulk – A Série de televisão (1978 – 1982):

Criador Kenneth Johnson, produtor James D. Parriott, narrador Ted Cassidy, elenco Bill Bixby, Lou Ferrigno e Jack Colvin. Com cinco temporadas e oitenta de dois episódios, The Incredible Hulk foi uma série norte-americana exibida de 1978 a 1982, baseada nas HQs da Marvel Comics.

Sinopse: Depois da morte da esposa, o Dr. David Bruce Banner procura um modo de liberar uma força desconhecida, que supostamente todos os humanos teriam, para protegerem seus entes queridos. Ele descobre que a radiação gama poderia lhe dar essa força e, para não ferir ninguém, ele a testa em si mesmo. David não sentiu nada diferente logo após o teste mas depois descobriu que ao se sentir raivoso ou pressionado, transformava-se num homem monstruoso, de pele verde, grande e musculoso. O repórter Jack McGee descobre esse segredo e tenta culpar o gigante verde pela morte de uma pessoa em um acidente e passa a perseguir o Dr. Banner, que tenta fugir, ao mesmo tempo em que busca uma maneira de se curar das transformações.

Curiosidades: O seriado fugia um pouco do conceito original da HQ, mas conseguiu fazer bastante sucesso nos EUA e no Brasil. Nele, o Dr. Banner, aqui chamado de David Bruce Banner e não como nas HQs como Robert Bruce, era interpretado com maestria por Bill Bixby, o mesmo ator das séries Meu Marciano Favorito e O Mágico. Para o papel do alter-ego verde de Banner, havia os músculos e os grunhidos do atleta fisiculturista, personal trainer e Mr. Universo Lou Ferrigno. Apesar do orçamento limitado, o produtor Kenneth Johnson, da série V – A Batalha Final, tinha o apoio do genial Stan Lee, que não escondeu, em entrevistas posteriores, que os produtores queriam mudar o nome de Bruce para David, porque não achavam Bruce um nome muito “másculo”. Com medo da não aceitação do público ao formato que seria diferente do Hulk das HQs, foi inicialmente produzido apenas um longa metragem contando a origem do Hulk, que estreou no início de 1977, Com o sucesso foi encomendada uma sequência chamada “Morte em Família” que estreou na segunda metade do mesmo ano e que serviria para confirmar a aceitação do formato e avaliar custos de produção para um possível seriado. O primeiro episódio chamado “Último Round” estreou um ano após a exibição do piloto, tendo como pano de fundo luta de boxe e tráfico de drogas, posteriormente tanto o filme piloto como sua sequência foram divididos em duas partes e exibidos como episódios da chamada primeira temporada que contou com 10 episódios. O Sucesso do seriado foi tanto, que em 1979 o Hulk da TV ganhou um filme para o cinema chamado ” O Casamento do Incrível Hulk”. Posteriormente o filme foi dividido em duas partes e exibido na TV como episódio duplo de abertura da segunda temporada, que ainda teria outro episódio duplo chamado “O Homem Misterioso”, no final o repórter McGee descobre que um “homem” se transforma na criatura. A terceira temporada iniciou com o episódio “Metamorfoses” em que o Hulk aparece num show de Rock , tendo ainda os episódios “Volta Ao Lar” que mostra a família do Dr.Banner “Imagem Quebrada” onde o ator Bill Bixby mostrando sua versatilidade interpreta dois personagens e “Pesadelo” único episódio em que Bill Bixby não participou apesar de seu nome aparecer nos créditos de abertura. O mesmo se passa na vida do repórter McGee que tem que provar a existência da criatura para a nova editora do jornal. A quarta temporada começa com o episódio duplo “O Meteoro” tendo como titulo original “Prometheu” uma base secreta americana , para onde o Hulk é levado após ser confundido com um ET, devido a radiação do tal meteoro o Dr. Banner não consegue voltar ao normal e fica meio Hulk meio Banner. A quarta temporada ainda teria o episódio duplo ” O Primeiro”, onde Dr.Banner descobre no interior dos Estados Unidos, que trinta anos antes, havia aparecido um outro Hulk. O cientista local conseguiu uma cura para seu jardineiro, o primeiro Hulk. Este oferecendo a tal cura, usa o Dr. Banner para voltar a se transformar, para um grande confronto dos dois Hulks no final do episódio. O seriado ainda teria uma quinta temporada de sete episódios, a ultima historia da serie foi ” A Ameaça das Bactérias” , Dr. Banner é chamado para trabalhar num laboratório, mas descobre a cidade do mesmo vazia e uma trama de uso ilegal de conteúdo biológico.

A Origem para TV: A origem do Hulk sofreu várias adaptações para o público aceitar toda a ficção. Uma das mudanças mais significativas é que o Hulk da TV não falava nada, mas fazia muitos ruídos com a boca quando nervoso e o nome completo verdadeiro foi modificado de Robert Bruce Banner para David Bruce Banner. Os roteiros eram sempre os mesmos: fugindo de Jack McGee, o cientista David Banner mudava de nome, cidade e encontrava alguém passando por problemas. Acontecia um fato que o deixava nervoso e ele se transformava no Hulk. Sem querer, o monstro verde acabava solucionando o problema na força. No final de cada episódio, uma memorável e melancólica música instrumental (“The Lonely Man”) contribuía na dramatização do sofrimento de Banner, que vagava solitário e sem rumo nas estradas americanas, procurando por uma carona. Vários atores conceituados participaram coom uma ponta na série na televisão, como Pat Morita (The Karate Kid); Morgan Woodward (Star Trek) e Gary Graham (Missão Alien). A fórmula se esgotou e mesmo com o protesto dos fãs, Hulk foi cancelado. Os filmes que lhe deram sequência, alguns dos quais dirigidos pelo próprio Bixby, não foram bem sucedidos. Neles, aparecem outros heróis da Marvel, como O Demolidor e Thor, ambos quase irreconhecíveis em relação as HQs, para irritação dos fãs.

Os Filmes de TV: No ano de 1988, foi feito um especial chamado The Incredible Hulk Returns, com direção de Nicholas Corea e o elenco original da série. Nesse filme, o Hulk enfrenta um Thor bem diferente de sua versão das HQs, com um ar beberrão, inconsequente, com seu alter-ego Don Blakese transformando em Thor muito semelhante a Shazam, com um grito de guerra segurando o Mjolnir. O segundo filme para TV foi no ano seguinte e se chamava The Trial of the Incredible Hulk. O roteiro era de Gerald Di Pego e direção do próprio Bill Bixby. Dessa vez, o Hulk encontrou o herói cego Demolidor, que diferente das HQs, se vestia todo de preto e mais parecia um ninja, sem contar o nome dado na versão de então, “Audacioso”, que pouco ou nada tem a ver com o homem-sem-medo. Na história, David Banner era acusado por um crime que não cometeu. Durante um pesadelo sobre o julgamento, no momento mais marcante, ele fica tão nervoso que se transforma no Hulk, destruindo todo o tribunal. O vilão nesse filme é Wilson Fisk, o Rei do Crime. Em 1990, foi gravado The Death of the Incredible Hulk, no qual o personagem da Marvel para evitar a fuga dos bandidos destrói um avião em pleno voo, cai e acaba falecendo. O grande sonho de Bill Bixby era fazer uma continuação que se chamaria Rebirth of Incredible Hulk, todavia o ator não conseguiu interessados em patrocinar a ideia. Não bastasse isso, ele não era convidado para papéis importantes na televisão e nem no cinema, porque ficou marcado pelo fato de ter interpretado o personagem. Bixby teve, inclusive, diversos problemas familiares, como a morte de seu filho, que estava doente e, anos depois, sua esposa cometeu suicídio. Deprimido e sem motivação, ele acabou falecendo no ano de 1993, vítima de câncer na próstata. Seu último trabalho foi como diretor de episódios do seriado juvenil Blossom.

Wilfred Bailey Bixby: Nascido em San Francisco, 22 de Janeiro de 1934 e falecido em Century City, 21 de Novembro de 1993, Bill Bixby foi um ator, diretor, produtor executivo e apresentador de televisão americana. Entre muitos outros trabalhos que fez em seus mais de trinta anos de carreira, ficou mais conhecido de todo o público na série de televisão O Incrível Hulk, exibida originalmente entre 1978 e 1982, onde atuou e produziu. Com o término da série, participaria ainda de filmes de televisão, que dariam continuidade a história do Hulk até a sua morte, contada no filme de 1990: A Morte do Incrível Hulk. Apareceu também em forma de desenho em um episódio de Os Padrinhos Mágicos. Bixby foi casado três vezes. Seu primeiro casamento foi com a atriz Brenda Benet e se casaram em 4 de julho de 1971. Ela deu à luz seu filho Christopher em 25 de setembro de 1974. Para além da sua aparição anterior juntos em cortejo, Benet recém-estrelou com ele na sua série O Mágico em 1973, fez um episódio de The Love Boat com ele em 1977, e em sua participação na série The Incredible Hulk em 1980 pouco antes de eles se divorciaram. Em 1 de março de 1981, o filho de Bixby de seis anos de idade, Christopher, morreu repentinamente de uma rara infecção da garganta. Suas cinzas foram espalhadas no Oceano Pacífico, perto de Malibu, como o seu avô. Benet cometeu suicídio em Abril de 1982 após uma quebra de compromisso com o seu assistente, Tammy Bruce. Em 1989, ele conheceu Laura Michaels, que tinha trabalhado sobre o conjunto de um dos seus filmes Hulk. Se casaram um ano mais tarde, no Havaí. No início de 1991, Bixby foi diagnosticado com câncer de próstata e submetido a tratamento. Ele havia se divorciado no mesmo ano. Em finais de 1992, amigos apresentaram-lhe a artista Kliban Judith, viúva de B. Kliban, um caricaturista que tinha morrido de uma embolia pulmonar. Bixby e Judith se casaram no final de 1992, apenas seis semanas antes de encerrar sua direção na série Blossom. No início de 1993, após começar a circular rumores sobre sua saúde, Bixby revelou ao público sua doença, discutindo sobre ela e da energia necessária para mantê-lo vivo. Como resultado, ele fez várias aparições em hóspede mostra como o Entertainment Tonight, The Today Show e Good Morning America, entre muitos outros. O câncer de Bixby progrediu e foi diagnosticado como terminal. Em 21 de novembro de 1993, seis dias após a sua atribuição definitiva sobre a série Blossom, ele morreu de complicações em Century City, Califórnia. Sua esposa e um outro amigo de longa data do ator, Dick Martin, estavam a seu lado. As cinzas de Bixby encontram-se na propriedade Kliban Maui. Uma semana após sua morte, a família de Judith construiu um memorial privativo para Bixby.

Louis Jude Ferrigno: Nascido em Nova York, 9 de novembro de 1951, é um fisiculturista e ator americano. Ficou mundialmente famoso por participar da série de TV The Incredible Hulk. Nascido no Brooklyn, logo após seu nascimento,sofreu uma infecção no ouvido, perdendo 80% de sua audição, mas os seus pais só descobriram quando ele tinha 3 anos de idade. Começou a levantar peso aos 13 anos de idade e após se formar na Brooklyn Technical High School em 1969, venceu seus primeiros títulos, de Mr. America. Em 1974, ficou em segundo lugar em sua primeira participação no Mr. Olympia. No ano seguinte chegou em terceiro, e sua tentativa de vencer Arnold Schwarzenegger foi tema do documentário Pumping Iron (1975). Após a competição, Ferrigno abandonou o circuito. Apesar de não vencer Schwarzenegger na Masters Olympia em 1974, Ferrigno voltou a competir em 1975, 1992, 1993 e 1994, ficando em terceiro, décimo segundo, décimo e segundo lugar em sua última competição. Participou das duas versões cinematograficas de Hulk, em 2003 e 2008, ambas no papel de um guarda. Também dublou o personagem no segundo filme, após uma proposta do diretor Louis Leterrier na New York Comic Con de 2008. Com o fim da série O Incrível Hulk, Lou conseguiu ainda estrelar outra série, chamada Trauma Center, que se originou de um episódio da série Duro na Queda, de 1981. Mostra uma equipe médica especializada em emergências traumáticas. A série teve curta duração e não ajudou em nada a sua carreira. Lou partiu então para uma série de produções classe “Z” para os cinemas, que exploravam mais seu porte físico do que suas habilidades como ator, como Hércules, Sinbad e outros. Também emprestou sua voz para uma série de desenhos Marvel com o personagem Hulk. Quando a idade impossibilitou o retorno as competições de fisiculturismo e os papéis ficaram escassos na tevê e cinema, Lou precisou partir para outra profissão e tornou-se Xerife-Assistente do Condado de Los Angeles, em 2006. Seu novo trabalho rendeu uma participação na série cômica Reno 911, interpretando ele mesmo. Nas duas produções do Incrível Hulk para o cinema, Ferrigno fez aparições especiais, além de emprestar sua voz ao gigante esmeraldo. Em Junho de 2009 Lou Ferrigno foi contratado pelo cantor Michael Jackson como seu treinador pessoal. O objetivo era preparar o cantor para a maratona de 50 apresentações que seriam realizadas no Reino Unido. Ele inclusive participou do filme/documentário Michael Jackson’s This Is It, falando sobre o convívio com o cantor antes de sua morte.

Gostou da matéria, é só seguir o meu instagram para acompanhar lançamentos e opinar: https://www.instagram.com/marcelo.moura.1253/

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo