Supergirl contra Xenofobia: 4a Temporada - NoSet
Review

Supergirl contra Xenofobia: 4a Temporada

Salve Nosetmaníacos, eu sou o Moura (Marcelo.moura.1253) e Supergirl é uma série de TV transmitida pela CBS em 2015 e logo após migrada para The CW em 2016. A série se centra na prima do Super-Homem, Kara Zor-El, que escapou do planeta Krypton logo antes de ser destruído. Kara Zor-El foi acolhida pela família Danvers quando ela tinha 12 anos. Com 24 anos de idade, depois de ter ocultado seus poderes durante anos, ela deve aprender a usar seus poderes e se tornar a heroína que está destinada a ser. Sua carreira começará quando ela se verá obrigada a salvar as pessoas de um desastre inesperado.

Supergirl: A Série

Criadores Greg Berlanti, Ali Adler e Andrew Kreisberg, Distribuída pela Warner Bros. Television Distribution, elenco Melissa Benoist, Jeremy Jordan, Mehcad Brooks, Calista Flockhart, Helen Slater, David Harewood e Chyler Leigh. Supergirl é uma série de TV americana,  originalmente pela CBS e mais tarde pela The CW. É baseada na personagem da DC Comics, Supergirl, criada por Otto Binder e Al Plastino. Supergirl é uma heroína biologicamente prima do Superman, e uma entre os últimos sobreviventes de Krypton.

Sinopse: Momentos antes da destruição de Krypton, a pequena Kara Zor-El é enviada à Terra por seus pais na missão de cuidar de Kal-El, seu primo ainda bebê. A nave da menina, entretanto, é atingida por uma onda de choque e lançada para dentro da sombria Zona Fantasma, uma prisão intergaláctica atemporal. Após um período adormecido, a cápsula de Kara deixa a Zona e alcança a Terra, onde a menina encontra Kal-El adulto e super-poderoso, agindo heroicamente como o defensor do planeta chamado Superman. Entregue por ele a uma família de cientistas, Kara é adotada como Kara Danvers, e doze anos se passam até que ela decida revelar ao mundo compartilhar dos poderes e da natureza heroica do primo, impedindo um acidente aéreo e salvando a vida de centenas de pessoas, incluindo a irmã adotiva Alex. Ao lado dos amigos James, Winn e do Departamento de Operações Extra-Normais, do qual Alex é parte, Kara se divide entre o trabalho árduo de assistente pessoal da personalidade da mídia Cat Grant, e a missão árdua de defender a humanidade de ameaças hostis, sob o manto de Supergirl.

Xenofobia: É o medo, aversão ou a profunda antipatia em relação aos estrangeiros, a desconfiança em relação a pessoas estranhas ao meio daquele que as julga ou que vêm de fora do seu país com uma cultura, hábito, raça ou religião diferente. A xenofobia compartilha diversas características com o racismo e pode manifestar-se de várias formas, envolvendo as relações e percepções do endogrupo em relação ao exogrupo, incluindo o medo de perda de identidade, suspeição acerca de suas atividades, agressão e desejo de eliminar a sua presença para assegurar uma suposta pureza. A xenofobia pode ter como alvo não apenas pessoas de outros países, mas de outras culturas, subculturas, sistemas de crenças ou características físicas. O medo do desconhecido pode ser mascarado no indivíduo como aversão ou ódio, gerando preconceitos. Note-se, porém, que nem todo preconceito é causado por xenofobia.

Crítica Quarta Temporada: Com um dos enredos mais maduros das temporadas anteriores, principalmente pelo momento político que vive os EUA de Trump, Supergirl em sua quarta temporada se iguala a outras interessantes séries que misturam de forma crítica a ficção e a realidade, como a temporada passada de American Horror Story. Em Supergirl, o centro do roteiro está diretamente envolvido com as decisões contra a imigração de estrangeiros em solo americano. Na série na verdade são os Aliens, no melhor estilo MIB (Homens de Preto), exilados procurando abrigo ou um mundo mais próspero, tudo isso levando ao medo social e econômico dos humanos, no país que é conhecido pela imigração secular, no melhor exemplo da francesa Estátua da Liberdade, assim como os próprios kriptonianos Superman e Supergirl, exemplos de estrangeiros mais amados do país.

A saída de Jeremy Jordan (Winn Schott) do elenco regular é muito sentida no início, já que era um dos pilares cômicos da série. A entrada de Jesse Rath (Brainiac) no elenco regular traz esta pegada, mesmo que em alguns capítulos iniciais Brainiac deixa claro que não é nem nunca será Winn, uma clara brincadeira com os fãs que reclamaram do afastamento do personagem carismático. Gostei muito do novo vilão Agente da Liberdade e do ator Sam Witwer (Stalker), um vilão com uma excelente construção feita em um capitulo todo para se ter um personagem interessante e com motivos reais na série. Por incrível que pareça, este capítulo EME special me lembrou o filme Superman VS Batman. A introdução do anti herói violento Manchester Black, do ator David Ajala (O Destino de Júpiter), foi outros dos achados da série. Finalmente a enigmática secretária transgênica Nia Nal, interpretada por Nicole Maines, completa este novo capítulo de uma série que parece que se encontrou finalmente e tem algo para se concentrar e apresentar.

Pouco a pouco a série vai revelando o enredo de Supergirl Red Sun, baseada na HQ do Superman, e outras evoluções e implicações que a história vai nos apresentar através do Cross Over com outras séries da The CW.

 

 

 

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo