Canal Nerdice e as Sereias de Gotham Brasileiras - NoSet
Geek

Canal Nerdice e as Sereias de Gotham Brasileiras

Salve Nosetmaníacos, eu sou o Marcelo Moura e hoje vamos falar de uma interessante web série nacional do canal Nerdice (Youtube) sobre o Universo DC Comics e suas Girls Powers, as Sereias de Gotham e a personagem do momento, Arlequina.

Gotham Sirens (2020)

Produção Renata Grega, Vinni Rodrigues e Jonatham Ferreira, distribuição canal Nerdice (Youtube), Gotham Sirens é uma Web Série brasileira de drama e ficção sobre o universo DC Comics que estreou em Janeiro de 2020. Direção e roteiro Octavio Lello e elenco principal Rotten Queen (Arlequeina), Bianca Contursi (Hera) e Renata Grega (Mulher Gato).

Sinopse: Gotham Sirens conta sobre a emancipação e aventuras da principal personagem feminina de nosso século, Arlequina, trazendo suas aventuras no universo DC Comics ao lado de clássicos personagens como Hera venenosa, Batman, Mulher Gato e Charada.

Crítica: Quem me acompanha nas redes sociais sabe que sou fã de HQs e suas adaptações cinematográficas. Escrevi matérias aqui sobre o universo das Web Séries, as já conhecidas do grande público nerd como Grayson Earth One, Nightwing, Word´s Finest e a clássica Batman Dead End, e hoje não poderia deixar de citar a brasileiríssima Gotham Sirens.

Em seu segundo capítulo disponível no Youtube, Gotham Sirens segue um roteiro semelhante a nova animação da Arlequina e provavelmente o novo filme solo da heroína, onde finalmente a mais louca e sensual personagem da DC Comics se liberta do esteriótipo de “Personagem Ajudante”. Gotham Sirens desfila os personagens mais consagrados de DC Comics contando a nova  história do universo feminino e sombrio de DC Comics, sem perder o bom humor e a loucura que transformou Harley Quiin nesse século como uma das suas principais referencias a liberdade e irreverencia. Gotham Series é uma interessante produção nacional que não pode passar em branco por fãs de HQs, entregando o que mais gostamos, um fã service e easter eggs de qualidade, com uma produção de primeira.

Sobre a direção e roteiro de Lello, em seu segundo trabalho, só tenho elogios ao desenvolvimento da série. O diretor sabe contar uma boa história no pouco tempo que tem e orçamento, sem criar os incômodos buracos ou saltos de tempo, muito comum nas Web Series, e criar dúvidas sobre como os personagens mudaram tão rápido de opinião e cena, ou ter uma desculpa fácil para que a história evolua. As pitadas sensuais são muito bem inseridas exploradas, como no beijo sensual da Arlequina com a Hera, Lello demonstra uma maturidade como diretor explorando bem o que tem, sem cair nos “chavões piegas”, para agradar forçando situações comuns. O diretor faz um trabalho real e não fantasioso, a medida do possível, já que falamos de uma adaptação de HQs, demonstrando uma boa veia dramática onde poderia ser facilmente galhofeira. Talvez uma pequena crítica no enquadramento das cenas, em um dialogo entre a Hera e a Arlequina na cama, o rosto da Arlequina fica cortada no meio. Não sei se foi por causa do modo de visualização, mas este tipo de  trabalho tem que se pensar em tudo que pode acontecer na divulgação dos vídeos.

Da atuação das meninas, posso dizer que Rotten Queen faz uma ótima Arlequina, com  traços que Margot Robbie tornou tão popular, e com uma maquiagem impressionante. Esse outro detalhe é importante citar, as meninas estão muito bem produzidas, mantendo o padrão original dos personagens, mas evoluindo como algo mais urbano e menos fantasioso, novamente ponto para Lello que parece se inspirar em Batman de Nolan. Queen é a mais a vontade de todas e, por motivo óbvios, a que tem maior destaque.  Bianca Contursi atuando como Hera agrada demais. A Youtuber está a vontade criando um padrão para uma personagem mal explorada nos cinemas e esse é sua maior carta na manga, evitando cair nas loucuras e pieguices da Arlequina, sua Hera não tem uma comparação e é o ponto sério e pensante da série. Renata Grega como Mulher Gato convence com uma atuação novamente moderna, sem miar o tempo todo como as séries dos anos 60, me lembrando a ótima atuação de Anne Hathaway na trilogia de Nolan em Batman. Espero que nos próximos capítulos, Lello consiga criar uma liga forte entre as personagens, para que possamos ver o mais importante, uma série com Girl Power convincente, e não cair nos erros de sua irmã mais velha, a série televisiva Sereias de Gotham, que só teve uma temporada e foi um fracasso de audiência.

 

Gostou da matéria, é só me seguir no meu instagram para acompanhar lançamentos e opinar: https://www.instagram.com/marcelo.moura.1253/

Topo