O Doutor Estranho de Benedict Cumberbatch (2016): - NoSet
Cinema

O Doutor Estranho de Benedict Cumberbatch (2016):

Salve Nosetmaníacos. Noset assistiu ao filme e indica com louvor.

strange-1

Doutor Estranho (2016):

Direção Scott Derrickson, produção Kevin Feige, produção executiva Louis D’Esposito, Victoria Alonso, Alan Fine, Stephen Broussard, Stan Lee e Charles Newrith, roteiro C. Robert Cargill e Scott Derrickson, história Jon Spaihts, Scott Derrickson e C. Robert Cargill, baseado em       Doutor Estranho de Stan Lee e Steve Ditko. Elenco Benedict Cumberbatch, Chiwetel Ejiofor, Rachel McAdams, Benedict Wong, Michael Stuhlbarg, Benjamin Bratt, Mads Mikkelsen e Tilda Swinton. Produção Marvel Studios, distribuição Walt Disney Studios Motion Pictures, cronologia Capitão América: Guerra Civil (2016), Thor Ragnarock (2017) e Guardiões da Galáxia Vol. 2 (2017).

Sinopse: Em Catmandu, Nepal o feiticeiro Kaecilius e seus seguidores entram no composto secreto Kamar-Taj e assassinam seu bibliotecário, guardião de textos antigos e místicos. Eles roubam o ritual de um livro proibido pela Anciã, uma feiticeira que vive vários séculos e que ensinou a todos em Kamar-Taj, incluindo Kaecilius, nos modos das artes místicas. A Anciã persegue os traidores, mas Kaecilius e alguns de seus seguidores escapam com as páginas. Stephen Strange, um aclamado neurocirurgião, perde o uso de suas mãos em um acidente de carro. Sua ex-amante e colega de trabalho Christine Palmer tenta ajudá-lo a seguir em frente, mas o arrogante Strange quer desesperadamente curar seus ferimentos. Depois de meses tentando cirurgias experimentais em suas mãos, e usando todos os seus recursos, Strange ouve falar de Jonathan Pangborn, um paraplégico que misteriosamente foi capaz de andar novamente. Pangborn fala a Strange sobre o Kamar-Taj, no Nepal. Lá, outro feiticeiro, Karl Mordo, apresenta Strange à Anciã. A Anciã mostra à Strange o seu poder, revelando o plano astral e outras dimensões, como a Dimensão Espelhada. Strange implora para ela ensiná-lo, e ela finalmente concorda quando Mordo a lembra das forças da Dimensão Negra. Apesar da arrogância de Strange, ela finalmente aceita, o que a faz lembrar de Kaecilius. Em uma cena no meio dos créditos, Thor encontra-se no Sanctum de Nova York pedindo ajuda de Strange para encontrar, junto com seu irmão Loki, Odin, que está desaparecido. E Strange aceita ajudá-lo com tanto que nunca mais volte á terra. Na cena pós-créditos, Mordo, após alguns meses viajando, vai a procura de Pangborn e ele absorve os poderes dele que tinha para permanecer andando e, Mordo fala que o mal do mundo é que existem feiticeiros de mais.

strange-3

Crítica: Existe dois tipos de Cinéfilos e Críticos para adaptações de HQs para o Cinema que eu considero, mas apenas um eu respeito e que me incluo, juntamente  com meu amigo Vitalle. Estes são aqueles que gostam de um bom filme, um bom roteiro, efeitos de primeira e elenco que encanta, e suas críticas são baseadas nisso, independente do estilo do filme ou produção. Você pode até gostar de sombra ou luz, mas tem que respeitar um trabalho bem feito.  Você pode até não gostar de HQs ou n]ao conhecer nada, mas não tem como criticar o belíssimo filme feito pelo diretor Scott Derrickson, diretor  de filmes como Poltergeist (2015) e O Dia que a Terra Parou (2008). Derrickson foi genial ao fazer com Strange o que a DC não conseguiu fazer com a personagem Magia no filme O Esquadrão Suicida, introduzir o universo mágico ao UMC, com lindos Easter Eggs e piadas atuais, que dão um toque mais leve ao filme. Melhor ainda, Derrickson cria quase uma referência cinematográfica para Marvel ao “plagiar” da melhor maneira possível filmes como A Origem (2010) ou conceitos da franquia Matrix, transformando a Magia em algo simples de se entender. Voltando ao inicio da matéria, o outro grupo de críticos cinematográficos que não respeito são aqueles que só enxergam o que querem, como Marvetes e DChipócritas, críticos que só aceitam ser bom o Universo Pesado da DC ou do Universo Leve da Marvel para o cinema e ambos podem e devem existir para bem do público que assiste, principalmente porque essa diferença é que faz bem ao cinema.  O filme tem ótimos Easter Eggs e piadas que não se limitam a HQs, mas é no elenco que mais amei o filme. Benedict Cumberbatch está se tronando uma lenda no cinema com filmes como a trilogia O Hobbit e Star Trek, mostram a qualidade e diversidade do ator, mas como Strange parece que o ator nasceu para o papel de Mago Supremo. E o que falar de Tilda Swinton, ganhadora do Oscar e uma das minhas atrizes preferidas em filmes como Constantine e franquia  Narnia, a camaleônica atriz impressiona como em seu papel. Chiwetel Ejiofor se apresenta como um personagem profundo e deixa claro o que esperar do Barão Mordo para uma continuação. Mads Mikkelsen é aquele ator que faz vilões que aprendemos a amar, de tão profunda suas atuações como no caso de Cassino Royale e na série Hannibal.  Este é o primeiro filme que eu posso dizer claramente que deve ser visto em 3D no melhor cinema de sua cidade, porque vale muito a pena. Para quem não viu Stan Lee faz uma aparição como um motorista de ônibus lendo As Portas da Percepção de Aldous Huxley.  Bem vindos a Nova Fase do Universo Marvel. Fora tudo isso, um daqueles roteiros fantásticos, com diferenças entre as origens da HQ e no Cinema, e fácil de se acompanhar, para entender que o filme se passa logo após Guerra Civil, principalmente pelos comentários sobre o acidente do sofrido pelo Máquina de Guerra e a cena Pós Crédito entre Thor e Strange, para Thor 3 – Ragnarok.

strange-5

Att.

Marcelo The Moura.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo