Crítica: Meu Malvado Favorito 4

Em 2010, um roteiro de Cinco Paul e Ken Daurio, apresentou para o mundo da animação talvez um dos personagens mais importantes da cultura popular dos últimos anos. Falo dos minions, um serzinhos atrapalhados que há milhares de anos habitam a Terra com o intuito de servir, no caso aqui, ao “maior” vilão da história, Gru. Desde lá, as atrapalhadas e grunhidos dos minions, e a total devoção deles virou uma febre mundial, desde brinquedos de lancherias, álbuns, mochilas escolares, e é claro, uma franquia de filmes, que já contam com spin off e diversos filmes do universo deles. E para manter acesa a minionmania, estreia essa semana Meu Malvado Favorito 4 (Despicable 4, 2024), em mais um capítulo da saga de Gru e seus asseclas, com direção de Chris Renaud.

Os tempos mudaram, hoje Gru é bem casado com Lucy, tem três filhas adotivas e um bebê que tem pouca simpatia com ele. Eles vivem uma vida pacata junto com os minions, até que numa reunião de ex -alunos da escola de vilões, Gru acaba se encrencando com Maxime Le Mal, antigo colega e desafeto. Encrenca que faz Gru ter que mudar de identidade e cidade com a família para fugir da vingança do vilão. Lá, tentando se adaptar, tem como missão se dar bem com o filho, ajudar uma jovem vizinha que tem fetiche por ser vilã e ainda enfrentar Maxine com seu poder de virar barata. Enquanto isso, alguns minions ganham super poderes e podem ser essenciais, ou não, para combater a ameaça.

Meu Malvado Favorito 4 de longe é o pior filme da franquia de sucesso. O êxito do spin off do jovem Gru, Minions – A Origem de Gru, de 2022, fez que a Illumination achasse que ainda os minions tinham lenha para queimar. Acredito que ainda têm, mas confesso que faltou criatividade, roteiro, vilão e principalmente, bom humor nesse quarto filme. Tudo é contado de forma apressada, e o outrora atrapalhado, malvado e divertido Gru, hoje não tem mais graça alguma. O roteiro também peca demais pelo simplismo. Lógico que é um filme para crianças, mas Divertida Mente 2 está aí para provar que cérebro e histórias de animação são coisas que combinam, e Meu Malvado Favorito 4, pode até divertir os pequenos, mas não acrescenta em nada à consagrada série. Além de fracionar o filme em quatro subtramas, todas muito mal desenvolvidas.

Entre elas, a colaboração de Gru à nova vizinha, que pretende roubar um artefato, a família do malvado e suas dificuldade de adaptação à nova identidade e cidade, e ao vilão Maxine, que com todo respeito, não tem sal nenhum, histriônico e pouco ameaçador. Mas é claro que quem salva o filme ainda são os adoráveis minions. Transformados em mega minions, graças à tecnologia da liga anti-vilão, cinco deles viram heróis, que atrapalham mais que ajudam, mas proporcionam os momentos de mais comicidade da trama, com referências a filmes de heróis e piadas que provocam boas risadas.

Mas o grande problema é a condução e ligação dessas histórias, que são muito mal amarradas e que em nenhum momento levam para um desfecho razoável. Em suma, é um monte de histórias fraquinhas que descambam para um final apressado e longe dos melhores momentos da franquia. Não que o Malvado Favorito 3 seja uma grande maravilha, mas ainda a história tinha um certo sentido e era melhor conduzida.

O que fica como conclusão é que parece que a fórmula realmente se esgotou. Ficou difícil tirar mais leite de pedra das histórias de Gru. A adição de uma família aos moldes clássicos das animações, do tipo que os filhos e ele não envelhecem, acaba provocando poucas novidades na já desgastada trama. Mas, é claro, estou falando de Meu Malvado Favorito 4, um filme feito pra vender e agradar os pequenos, que mesmo em menor frequência ainda vão se divertir, principalmente com os minions e suas passagens cômicas hilárias. Pena que da história pouco irão lembrar, e talvez terão como recordação apenas que esse foi o filme que os minions viraram super heróis e que o vilão, de tão inexpressivo, vale menos que uma barata. Mas se o filme e a série já andam perdidos na questão entretenimento e trama, esse quarto filme ainda pode lucrar muito aquecendo a memória da molecada para  vender ainda muitos produtos e brinquedos com a estampa dos bonequinhos amarelos…

 

Mais do NoSet