Thirteen Reasons Why de Jay Asher e Brian Yorkey: Você Realmente Precisa Assistir. - NoSet
Review

Thirteen Reasons Why de Jay Asher e Brian Yorkey: Você Realmente Precisa Assistir.

Salve Nosetmaníacos, eu sou o Marcelo Moura e hoje falamos de mais uma série polêmica da Netflix.

13 Reasons Why

Baseado em Thirteen Reasons Why de Jay Asher, desenvolvedor Brian Yorkey, Produtor Joseph Incaprera, produtores executivos Diana Son, Tom McCarthy, Joy Gorman Wettels, Steve Golin, Michael Sugar, Selena Gomez, Mandy Teefey e Kristel Laiblin, narrador Katherine Langford, elenco Dylan Minnette, Katherine Langford, Christian Navarro, Alisha Boe, Brandon Flynn, Justin Prentice, Miles Heizer, Ross Butler, Devin Druid, Amy Hargreaves, Derek Luke e Kate Walsh, empresas de produção July Moon Productions, Kicked to the Curb Productions, Anonymous Content e Paramount Television, emissora de televisão original Netflix.

Com uma temporada e treze capítulos 13 Reasons Why é uma série de televisão americana baseada no livro Thirteen Reasons Why de 2007, do esritor Jay Asher e adaptado por Brian Yorkey para a Netflix. Diana Son e Brian Yorkey são os co-showrunners da série. A primeira temporada tem treze episódios e um especial chamado 13 Reasons Why: Beyond the Reasons. Foram lançados na Netflix em 31 de março de 2017. A série gira em torno de uma estudante que se mata após uma série de falhas culminantes, provocadas por indivíduos selecionados dentro de sua escola.

Originalmente planejada como um filme que seria lançado pela Universal Pictures, com Selena Gomez no papel principal, a adaptação foi transformada em uma série de televisão pela Netflix no final de 2015. Selena Gomez serviu como produtora executiva. A série recebeu críticas positivas dos críticos e do público, que elogiaram seu assunto e seu elenco.

Sinopse: A série gira em torno de Clay Jensen, um estudante tímido do ensino médio, que encontra uma caixa na porta de sua casa. Ao abri-la, ele descobre que a caixa contém sete fitas cassete gravadas pela falecida Hannah Baker, sua colega que cometeu suicídio recentemente. Inicialmente, as fitas foram enviadas para um colega, com instruções para passá-las de um estudante para outro. Nas fitas, Hannah explica para treze pessoas como eles desempenharam um papel na sua morte, apresentando treze motivos que explicam porque ela se matou. Hannah deu uma cópia das fitas para Tony, um de seus colegas da escola, que avisa para as pessoas que, se elas não passarem as fitas, as cópias vazarão para todo mundo, o que poderia levar ao constrangimento público e vergonha de algumas pessoas, enquanto outros poderiam ser ridicularizados ou presos.

Crítica: Uma das séries mais polêmicas, 13 Reasons não é inovadora no assunto ou mesmo no estilo de filmagem, mas tem um dos melhores roteiros e química do elenco juvenil que impressiona demais do início ao fim, abordando assuntos como liberdade, sexo, drogas, álcool e festas de maneira complexa para menores de idade. Você pode questionar em vários momentos as decisões erradas da chata e complexa personagem principal, Hanna Baker, e o porque todos a obedecem cegamente ao invés de queimar as fitas ou não obedecer as regras, mas você não pode deixar de se impressionar com o efeito Borboleta do causa e consequência que a série apresenta. Poderia ser você ou um filho seu.

A série segue o estilo já consagrado de falar do passado e do presente ao mesmo tempo, com mesmo elenco, trabalhando em flashes simultâneos, apenas fazendo mudanças de cor da imagem ou roupas para se demonstrar a transição do tempo, que funciona tranquilamente para o espectador sem grande problemas de se entender se é pré ou pós morte da Hanna.

O ator Dylan Minnette (Clay Jensen) tem a função principal de levar a história nas costas e contar a história da adolescente problemática interpretada por Katherine Langford (Hannah Baker). Novamente a descida de Hanna ao buraco é questionável, mas assim como qualquer adolescente, é sempre bom lembrar que a falta de maturidade ou experiência fazem com que tudo de errado para Hanna, que deveria tomar um banho de sal grosso, assim como Clay, o introspectivo garoto nerd e intelectual do colégio que todo mundo conhece, mas não respeita.

Christian Navarro (Tony Padilla) é outro personagem que cresce com a série, sendo longe de um estereótipo, funciona como um Grilo Falante de Clay e o Guardião da História de Hanna. Navarro faz um personagem complexo e bem explorado, daqueles que você não dá nada no início, mas que no final é um dos centros da trama. Acho que o maior furo da série está no menino rico e mimado interpretado por Justin Prentice (Bryce Walker). Walker é um dos personagem centrais da trama, sem que o mesmo saiba disso ou que qualquer um tenha esta consciência e só no final, a importância dele é revelada, mesmo que ele não saiba disso e seus amigos ignorem a importância que o mesmo tem nas fitas ou na vida de vários outros personagens.

A série tenta nos colocar em um mundo visto por adolescentes e quanto deixamos, nós hoje os adultos, de enxergar os problemas, crueldade e sinais que eles passam, seja você um pai, mãe, tio ou um professor do colégio. É um preocupante universo a parte onde o Bullying é solto o tempo todo, mas quem já não passou por brigas, times de basquete e alunos mais fortes que nos obrigavam a passar vergonha, como o famoso: “Já acabou Jéssica?”. Talvez a exposição hoje com a internet tornou tudo muito mais explosivo que em nossa época.

O ritmo é lento, principalmente no início onde o Clay demora a ouvir as fitas, e até seus amigos que já ouviram que não precisa de 13 dias (capítulos) para ouvir tudo, mas Clay é um personagem complexo, assim como a Netflix, que precisa encher linguiça para ter 13 capítulos. Mas isso não desmerece o belíssimo trabalho que voc~e precisa assistir, sem tem filhos.

Curiosidades:  Em 8 de fevereiro de 2011, a Universal Studios comprou os direitos autorais do livro, com Selena Gomez escalada para interpretar o papel principal de Hannah Baker. Em 29 de outubro de 2015, foi anunciado que a Netflix faria uma adaptação do livro para a televisão, com Selena Gomez servindo como produtora executiva. Tom McCarthy foi contratado para dirigir os dois primeiros episódios. A série é produzida pela Anonymous Content e pela Paramount Television, com Selena Gomez, Tom McCarthy, Joy Gorman, Michael Sugar, Steve Golin, Mandy Teefey e Kristel Laiblin como produtores executivos.

As filmagens da série aconteceram nas cidades do norte da Califórnia, Vallejo, Benicia, San Rafael, Crockett e Sebastopol durante o verão de 2016. Todos os 13 episódios e o especial foram lançados na Netflix em 31 de março de 2017. Para quebrar o clima pesado da séries, cães estavam presentes nas filmagens para a diversão dos atores, devido ao conteúdo intenso e emocional da série. A série trouxe consciência sobre suicídio para adolescentes e também foi creditada em um aumento de quase 100% no número de ligações para linhas diretas de suicídio no Brasil após a liberação da mesma pela Netflix.

Gostou da matéria, é só seguir o meu instagram para acompanhar lançamentos e opinar: https://www.instagram.com/marcelo.moura.1253/

 

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo