The Flash: 6ª Temporada - NoSet
Review

The Flash: 6ª Temporada

Salve Nosetmaníacos, eu sou o Marcelo Moura e hoje vamos falar da sexta temporada de The Flash.

The Flash: Sexta Temporada e Crise nas Infinitas Terras: Baseado nos Personagens da DC Comics, desenvolvedores Greg Berlanti, Andrew Kreisberg e Geoff Johns, produtores J. P. Finn e Glen Winter, produtores executivos David Nutter, Gabrielle Stanton, Sarah Schechter, Aaron Helbing, Todd Helbing, Andrew Kreisberg e Greg Berlanti, distribuída pela Warner Bros. Television Distribution. Elenco Grant Gustin, Candice Patton, Danielle Panabaker, Rick Cosnett, Carlos Valdes, Tom Cavanagh, Jesse L. Martin, Keiynan Lonsdale, Neil Sandilands, Hartley Sawyer, Danielle Nicolet, Jessica Parker Kennedy e Chris Klein. Empresas de produção Bonanza Productions, Berlanti Productions, Warner Bros. Television e DC Entertainment, emissora de televisão original The CW.

The Flash é uma série de TV americana transmitida pela emissora The CW desde 7 de outubro de 2014 e estrelada por Grant Gustin. A série é baseada no personagem Barry Allen/Flash da DC Comics, um super-herói que combate o crime com o seu poder de se mover em velocidades inacreditáveis. É uma série spin-off de Arrow e se passa no mesmo universo fictício. A série foi oficializada no primeiro semestre de 2014, com 23 episódios para a primeira temporada, que estreou em 7 de outubro de 2014. A segunda temporada foi lançada em 6 de outubro de 2015 e a terceira temporada foi lançada no dia 4 de outubro de 2016. A série estreou nos Estados Unidos em 7 de outubro de 2014 e o episódio piloto se tornou a segunda maior audiência da emissora The CW, sendo superado apenas por The Vampire Diaries, em 2009. No Brasil, a série é exibida pela Warner Channel, pela Netflix e pela Rede Globo. Em 7 de janeiro de 2020, a emissora The CW renovou a série para uma sétima temporada.

Sinopse: Após testemunhar o estranho assassinato de sua mãe e a injusta acusação de seu pai pelo crime, Barry Allen fica sob os cuidados do detetive Joe West e sua filha Iris West. Barry se torna brilhante, mas socialmente, um cientista forense desconhecido trabalhando para o Departamento de Polícia de Central City. Sua obsessão por seu trágico passado faz com que ele fique separado das demais pessoas ao seu redor; ele investiga casos frios, ocorrências paranormais, e vazamentos de ponta de avanços científicos que podem dar uma luz no caso do assassinato de sua mãe. Ninguém acredita em sua descrição do crime — que uma bola de raio com o rosto de um homem invadiu sua casa naquela noite e matou sua mãe — e Barry é forçado a procurar por si mesmo pistas que limpem o nome de seu pai. Quatorze anos depois da morte de sua mãe, uma explosão de um avançado Acelerador de Partículas, durante sua apresentação ao público, banha a cidade com uma forma de radiação previamente desconhecida durante uma tempestade. Barry é atingido por um raio da tempestade e banhado nos produtos químicos de seu laboratório. Acordando depois de um coma de nove meses, ele descobre que tem a habilidade de se mover mais rápido do que qualquer ser humano. Harrison Wells, criador e responsável pela falha do Acelerador de Partículas, descreve a natureza especial de Barry como um “meta-humano”; Barry, mais tarde, descobre que ele não é o único que mudou com a radiação. Ele promete usar seus poderes para proteger Central City dos riscos criminais dos meta-humanos. E então, associado por alguns amigos próximos que guardam seu segredo, Barry adquire uma nova personalidade conhecida como Flash.

1ª temporada (2014–2015) – Central City: Barry Allen, um cientista forense do Departamento de Polícia de Central City, tem um especial apreço por casos inexplicáveis, pois, no passado, sua mãe foi assassinada sob tais circunstâncias — na qual nem ele mesmo consegue explicar —, o que resultou na injusta prisão de seu pai pelo crime. Enquanto Barry lida com os problemas do dia-a-dia, uma explosão de um Acelerador de Partículas banha a cidade com uma forma de radiação previamente desconhecida durante uma tempestade. No processo, Barry é atingido por um raio da tempestade. Nove meses depois, quando acorda de um coma, ele descobre que tem a habilidade de se mover mais rápido do que qualquer ser humano. Barry, mais tarde, percebe que ele não é o único que mudou com a radiação. Ele promete usar seus poderes para proteger Central City dos riscos criminais dos outros que foram atingidos pela radiação (meta-humanos). E então, guiado por alguns amigos próximos que guardam seu segredo, Barry adquire uma nova personalidade conhecida como “Flash”. No processo, ele acumula uma série de inimigos, como o Flash Reverso, que é o verdadeiro assassino de sua mãe. Que aparenta ser o Harrisom Wells.

2ª temporada (2015–2016) – O Multiverso: Meses depois dos acontecimentos de um evento que quase destruiu o mundo, o Flash é reconhecido como o herói de Central City. No entanto, o evento traz um mal de um universo paralelo na forma de um velocista chamado Zoom, que deseja matar todas as pessoas ligadas à super velocidade ao longo do multiverso. No entanto, Harrison Wells da terra-2 do multiverso e sua filha, Jesse, trabalham para ajudar Barry e seus amigos a parar Zoom. Joe e Iris lutam com o seu passado doloroso relacionado a sua família, especialmente após a chegada do irmão de Iris, Wally West, a quem Francine West deu à luz logo após abandonar sua família. Após um evento que atinge Barry de uma forma estrondosa, ele desiste de tudo e viaja de volta no tempo para salvar a vida de sua mãe das mãos do Flash-Reverso.

3ª temporada (2016–2017) – Ponto de Ignição: Ao mudar seu passado, Barry altera a linha do tempo, resultando na criação do “Ponto de Ignição”. Embora ele consiga restaurar a linha do tempo, isso cria novas ameaças, que incluem Savitar. Depois que Harry e Jesse voltam para a Terra-2, outro cópia de Harrison Wells da terra-19 é recrutado: o escritor “H.R.”. Wally e Caitlin começam a manifestar habilidades meta-humanas; Wally se torna o velocista Kid Flash, enquanto Caitlin é forçada a suprimir seus poderes de gelo para evitar se tornar a Nevasca. Quando Barry viaja acidentalmente para o futuro e vê Iris ser morta por Savitar, ele fica desesperado para mudar o futuro e evitar que isso aconteça.

4ª temporada (2017–2018) – O Pensador: Iris esteve auxiliando o Time Flash em Central City durante seis meses, mas se recusando a sofrer por Barry. Um Samurai voador com superpoderes aparece em Central City, ameaçando a cidade se o verdadeiro Flash não o enfrentar. Cisco revela que elaborou uma maneira de trazer Barry de volta sem desestabilizar a Força de Aceleração e rastreia Caitlin para conseguir sua ajuda. Contra a aprovação de Iris, o Time Flash retorna Barry com sucesso, que aparece dizendo coisas aleatórias e escrevendo símbolos nas paredes continuamente. Wally tenta parar o Samurai, mas é derrotado. Cisco decifra as escrituras de Barry e encontra uma frase aparentemente sem sentido. Na tentativa de recuperar as memórias de Barry, Iris se entrega ao Samurai. O plano funciona e Barry adquire sua velocidade, resgata Iris e derrota o Samurai, que é revelado ser um robô. Caitlin se junta novamente ao Time Flash, mas é revelado que ela está trabalhando para uma criminosa chamada Amunet em um bar, revelando também que ela continua tendo que lutar contra a personalidade de Nevasca aparecendo. É revelado que o “Samuroid” estava sendo controlado pelo Pensador, cujo plano era atrair o Flash para seus próximos planos.

5ª temporada (2018–2019) – Tecnologia Meta: O Time Flash encontra a filha de Barry e Iris do futuro, Nora. Enquanto Iris expressa excitação, Barry está preocupado que ela poderia alterar a linha do tempo com base em seus próprios erros com a viagem no tempo. A equipe encontra um novo metahumano, Gridlock, que é capaz de absorver energia cinética, e Barry se veste em um traje anterior desde que seu último foi destruído. Quando Barry tenta mandar Nora para casa, Wally revela que o sangue de Nora está saturado com taquions negativos, o que a impede de usar a Força da Velocidade ou o Waverider das Lendas para viajar no tempo. Barry pergunta a Nora o que acontece com ele no futuro, com Nora revelando que ele nunca volta depois de desaparecer em 2024 e que ela viajou de volta no tempo para encontrá-lo. O engarrafamento faz com que um avião caia, então Barry, Nora, Wally e Cisco se unem para pará-lo, com Nora fornecendo a Barry um traje de anel do Flash. Eles conseguem impedir a queda do avião e o pousam com segurança em um rio. Enquanto Gridlock está sendo transportado para a prisão, o veículo é atacado por um indivíduo mascarado, que diz a Gridlock que ele planeja acabar com todos os metahumanos antes de se aproximar dele com um punhal em forma de raio.[13][14]

6ª temporada (2019-2020) – Vermelho Implacável: Barry Allen e o Time Flash começam a se preparar para chegada iminente da Crise nas Infinitas Terras, que foi antecipada de 2024 para 2019, eles também precisam lidar com a previsão do Monitor, que avisa que Barry terá que se sacrificar na Crise para salvar o universo. O Time Flash tem dificuldades de aceitar que o Flash terá que morrer e Barry passa a refletir e conversar com seus companheiros sobre seu possível sacrifício. No meio do processo, Barry precisa encarar a chegada do novo vilão Bloodwork (Dr. Ramsey Rosso), um metahumano que necessita matar os outros para curar seu câncer e poder sobreviver.

Crítica: O Arrowverse da The CW é, em minha opinião, a melhor adaptação do universo DC Comics para as telonas, desde as animações da Liga da Justiça da Hanna Barbera (Supermaigos), passando por Smallville (também da The CW) que tinha seu Arqueiro Verde, Superman, Cyborg, O Caçador Marciano e Impulso (Flash), até o trágico filme da Liga da Justiça de Whedon nos cinemas, simplesmente porque inova, entrega um ótimo fã service, se preocupa com seus erros  e consegue nos apresentar Cross Over de seu universo  como Invasão e Crise das Infinitas terras de uma boa qualidade.

The Flash na sua sexta temporada continua um bom entretenimento e mantém a expectativa em seus primeiros capítulos, assim como em suas últimas temporadas, quando estamos a caminho de um mega cross over entre suas séries co-irmãs que envolve todo o Arrowverse, mas logo após sofre para completar sua jornada de 22 capítulos, porque não consegue manter o nível de suas primeiras apresentações. É fato que o carisma de Grant Gistin (Barry Allen / The Flash) segure todos os fãs ao ponto de pedir sua inclusão no universo cinematográfico da Dc Comics, e junto ao bom elenco de apoio com o versátil Tom Cavanagh (Wells) e o adorável Carlos Valdes (vibro), tirem boas risadas do público e mantenham a audiência, mas é na falta de um vilão menos que caricato e sem profundidade que derruba a vontade de nos manter fiel a série.

The Flash já teve em suas primeiras temporadas grandes vilões do Universo DC Comics e ótimos atores os representando, o próprio Cavanagh (Zoom), o fantástico Wenthworth Miller (Capitão Frio), Rick Cosnett (Eddie Twane, esse não tão vilão, mas importante na trama), Dominic Purcell (Onda térmica), Teddy Sears (Zoom Original) e Liam Mclntery (Mago do tempo), mas nas últimas temporadas sofre na escolha de vilões sem profundidade, em situações mornas, repetitivas e completamente sem criatividade. Não que isso faça a série ser ruim, ainda é uma das melhores da The CW, mas a repetição das mesmas  situações de vida e morte, ligadas principalmente ao casal West,  transformaram as temporadas  em algo previsível em cada capítulo,  sem nenhum charme ou surpresa.  Barry sempre duvidando dos seus podres, alguém mais poderoso que ele surge, ameaça sua esposa e ele se sacrifica para salvar a temporada.

Mas a pontos muito positivos, gostei muito da participação na quarta temporada da atriz Jessica Parker Kennedy (Nora West) e sua atuação como discípula de Cavanagh, este revivendo o Zoom, o melhor vilão de todas as temporadas, assim como a entrada no elenco Hartley Sawyer (Homem Elástico) substituindo Kelynan Lonsdale (Kid Flash), que se afastou por problemas pessoais. Ambos deram a vilania, humor e ritmo que a série precisa, mas a dificuldade de se conseguir um vilão central a altura para as temporadas como a sem sal “Mestra dos Espelhos” como vilã da sexta temporada, junto com mais uma vez um problemas na Força de Aceleração, torne The Flash dependente de grandes Cross Overs e Fãs Services para animar os fãs na futura sétima temporada.

Gostou da matéria, é só seguir o meu instagram para acompanhar lançamentos e opinar: https://www.instagram.com/marcelo.moura.1253/

 

Topo