The Amazing Spider-Man: O Homem Aranha na TV (1977): - NoSet
Review

The Amazing Spider-Man: O Homem Aranha na TV (1977):

Salve Nosetmaníaco, eu sou o nostálgico Marcelo Moura e hoje falamos de uma série do escalador de paredes da Marvel Comics do século passado.

The Amazing Spider-Man (Série de TV – 1977):

Criado por Alvin Boretz, elenco Nicholas Hammond, Michael Pataki, Robert F. Simon, Ellen Bry, Chip Fields e Irene Tedrow, produção Charles Fries Productions e Dan Goodman Productions, emissora de televisão original americana CBS, com duas temporadas e apenas onze episódios, The Amazing Spider-Man foi uma série de tv baseada no personagem homônimo da Marvel Comics. Embora tenha sido um sucesso considerável, a série foi cancelada depois de apenas onze episódios, incluindo um filme piloto no ar no outono de 1977. Nenhum dos episódios foram lançados em DVD, mas quase todos foram lançados em VHS. Apesar de suas histórias serem definidas em Nova York, cidade natal do personagem, a série foi filmada principalmente em Los Angeles. Nicholas Hammond, nascido em Washington, 15 de maio de 1950 é ator e roteirista americano que interpretou Friedrich em The Sound of Music (A Noviça rebelde), posteriormente dedicando-se a diversos trabalhos na televisão, como Homem-Aranha, 20 Mil Léguas Submarinas, Missão Impossível e Flipper.

A Série: The Amazing Spider-Man é o primeiro live-action de uma série de tv do Escalador de Paredes da Marvel Comics, embora não seja a primeira aparição ao vivo do personagem na TV. O Homem-Aranha foi destaque em uma série de esquetes de comédia chamados Spidey Super Stories, que teve inicio em 1974 pela PBS em um programa educativo para crianças chamado ” The Electric Company”. The Amazing Spider-Man foi mostrado nos Estados Unidos de 19 de setembro de 1977 a 6 de julho de 1979 e apesar de ter sido um considerável sucesso, a série da CBS foi cancelada. Durante meados dos anos 70, a Marvel Comics e seu co-criador do Homem-Aranha, Stan Lee, venderam para CBS os direitos para produzir um live-action da série Homem-Aranha em horário nobre, a ser dirigido pelo produtor Daniel R. Goodman. O veterano ator Nicholas Hammond foi escalado para o papel principal, embora todas as acrobacias do Homem-Aranha foram realizadas pelo coordenador de dublês da série, Fred Waugh. Embora fosse a primeira vez que uma produção dessa fosse ao ar, houve muitos conflitos da produção sobre o formato da série e seu foco etário. A série começou como um piloto de 90 minutos conhecido simplesmente como Homem-Aranha, que foi lançado nos cinemas na Europa, América do Sul, Nova Zelândia e várias outras regiões, mas seu lançamento americano ocorreu como um filme para TV em setembro 1977. Nele, Peter Parker, como um estudante universitário intrépido, ganhou poderes depois de ser mordido por uma aranha radioativa. Ele usa esses poderes para conseguir um emprego no Daily Bugle ao parar um traficante que está secretamente usando o controle mental para ganho pessoal. O piloto obteve a melhor classificação da CBS em todo o ano, no entanto, as classificações foram relativamente fracas para um público mais adulto. A CBS então patrocinou apenas uma temporada com cinco capítulos que foram ao ar em Abril e Maio de 1978. Estes episódios estrearam muito bem, com a primeira obtendo uma classificação de 22,8 com 16,6 milhões de espectadores, tornando-o o melhor programa para a semana na CBS, e o oitavo melhor classificado programa para a semana. A série acabou sendo o show de maior audiência de toda a temporada. No entanto, a CBS estava relutante em comprometer-se com um show regulares e fixo tempo para a temporada 1978-1979, com uma série cara e sem alcance com o público mais velho. A CBS tomou uma abordagem mais cautelosa para produzir episódios, de forma esporádica, estrategicamente colocando-o em horários específicos para medir os resultados contra programas concorrentes específicos. O ex “Six Million Dollar Man”, o produtor Lionel Siegel, assumiu as funções de produção para a segunda temporada, visivelmente mudando o show em uma tentativa de aumentar a sua audiência adulta. A segunda temporada, de apenas sete episódios, foi ao ar de 1978-1979. A nova temporada foi bem nas avaliações, no entanto, a CBS cancelou oficialmente a série logo após o término da segunda temporada. A principal razão para o cancelamento foi que a CBS temia ser rotulada como uma “rede de super-heróis”, já que mantinha também no ar outras séries de super-heróis como o The Incredible Hulk, Mulher Maravilha, Capitão América e Doutor Estranho, além de Shazam e a Poderosa Isis. Outro problema foi que, apesar da popularidade do show, seus fãs mais fervorosos também eram os mais críticos, principalmente pela falta dos supervilões das HQs do Homem-Aranha na série.

Curiosidades: Em uma entrevista em 2002 à revista SFX, Nicholas Hammond revelou que havia planos para fazer um filme com uma reunião dos atores da série Amazing Spider-Man juntamente com O Incrível Hulk. A proposta seria reunir o original elenco das séries com Hammond aparecendo no traje preto do Venon. De acordo com Hammond, um acordo foi arranjado para ter Columbia e a Universal Studios co-produzindo o projeto. Bill Bixby iria dirigir o filme para TV, além de reprisando o papel de David Banner. No entanto, a Universal cancelou o projeto. Hammond disse que foi informado de que Lou Ferrigno não estava disponível para reprisar seu papel como o Hulk porque ele estava na Itália filmando Hercules. No entanto, em sua autobiografia 2003 My Incredible Life como o Hulk, Ferrigno afirmou que nunca foi contatado sobre o projeto, acrescentando que ele tinha acabado de filmar Hercules II e que sua disponibilidade não era um problema. Os únicos personagens que aparecem regularmente em na série e nas HQs foram Peter Parker / Homem-Aranha, J. Jonah Jameson (este não tão nervoso quanto seu alter ego das HQs) e Tia May. Joe “Robbie” Robertson (Hilly Hicks ) apareceu apenas no piloto. No formato de VHS, oito dos nove episódios de uma hora da série foram emendados junto aos pares. Por exemplo, “Photo Finish” e “A Matter of State” foram combinados em uma fita VHS e apresentados como um único episódio. A fim de suavizar o salto entre as duas histórias não relacionadas em cada lançamento, a equipe de produção filmou novas cenas no Daily Bugle e inseriu-os entre o conteúdo dos dois episódios. Estas cenas não foram utilizadas em qualquer reprises para a tv.

Gostou da matéria, é só seguir o meu instagram para acompanhar lançamentos e opinar: https://www.instagram.com/marcelo.moura.1253/

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo