Ozark: Primeira temporada na Netflix - NoSet
Review

Ozark: Primeira temporada na Netflix

Salve Nosetmaníacos, eu sou o Marcelo Moura e hoje vamos falar da primeira temporada de mais uma série dramática interessante da Netflix, que posso assegurar que você vai gostar.

Ozark

Autores Bill Dubuque e Mark Williams, produtores executivos Jason Bateman, Chris Mundy, Bill Dubuque e Mark Williams, distribuída pela Netflix. Elenco Jason Bateman, Laura Linney, Sofia Hublitz, Skylar Gaertner, Julia Garner, Jordana Spiro, Jason Butler Harner, Esai Morales, Peter Mullan e Lisa Emery, produção Media Rights Capital, Aggerate Films, Zero Gravity Management, Headhunter Films e Man, Woman & Child Productions, emissora de televisão original   Netflix. Ozark é uma série de televisão norte-americana de drama e suspense estrelada por Jason Bateman, que também dirigiu os dois primeiros e os dois últimos episódios da primeira temporada. A primeira temporada é composta por dez episódios de uma hora de duração e um episódio final de 80 minutos. A série foi lançada no dia 21 de julho de 2017 na Netflix.

Sinopse: Bateman retrata o planejador de finanças Marty Byrde e Laura Linney retrata sua esposa, uma dona de casa que transforma-se na agente imobiliária Wendy Byrde. Repentinamente, Marty desloca sua família de um subúrbio de Chicago até uma comunidade de resort de verão situada nos montes Ozarks, Missouri. Após um esquema de lavagem de dinheiro ter fracassado ele acaba ficando em dívida com um traficante de drogas mexicano. A série foi renovada para uma segunda temporada de 10 episódios em 15 de agosto de 2017 que foram lançados em 31 de agosto de 2018. Em 10 de outubro de 2018, a série foi renovada para uma terceira temporada que contará com 10 episódios.

Crítica: Ozark é uma daquelas séries policiais inteligentes que envolvem a policia local de uma cidade do interior, a máfia e agentes do FBI, juntamente com uma família que você não da nada, mas que é o centro de um belo golpe financeiro de lavagem de dinheiro.  A série e tão envolvente que quando acaba um capítulo, você fica louco para assistir o que vem após para entender o que aconteceu e quais as consequências, já que cada final é uma alucinante virada de história. Tudo bem que na metade isso cansa um pouco, mas como a série só possui dez episódios, a ansiedade vence o cansaço e mantém você interessando assistindo um capítulo atrás do outro.

Ozark não tem uma preocupação em explicar a origem dos personagens logo de cara, o envolvimento da família com a máfia ou FBI, mas tudo vai se explicando com pequenos flashbacks no meio da história, para situar de forma quase didática certas decisões ou contextos do roteiro. O que é inteligente por um lado dos roteiristas, pois a história não deixa furos ou dúvidas sobre a decisão dos personagens, mantendo o público fixo na trama central, por outro lado tira a possibilidade de você entender por conta própria as situações que envolvem a trama.

Do elenco Jason Bateman (Martin “Marty” Byrde) domina a série tanto na direção quanto atuando como Pai e dá o tom da Ordem no meio do Caos que é sua vida profissional e familiar. Bateman dá uma aula de talento e carisma com seu personagem e acaba fazendo todos torcerem para ele, mesmo que voc~e saiba que ele é um “ladrão e procurado da polícia”. Bateman é mais conhecido do grande público pelos filmes de humor dramático como em Quero Matar meu Chefe, Uma Ladra sem Limites e Hancock. Seu contra ponto é a atriz Laura Linney (Wendy Byrde), que fica um pouco apagada no início da série pelas decisões que seu personagem toma, o que poderia ser um problema, mas o carisma e amor do personagem de Bateman e o cuidado com não queimar a personagem e atriz, que oscila no início,faz uma bela escada para Linney brilhar. Linney é conhecida por filmes como Congo, The Truman Show, Simplesmente Amor, Sobre Meninos e Lobo e Animais Noturno, e talvez consiga mostrar mais seu talento na segunda temporada. Esai Morales (Camino Del Rio) está ótimo como um pseudo vilão da história e o causador do efeito Ozark na primeira temporada. Morales é figurinha fácil em vários filmes B como La Bamba e dá um show com uma interpretação meio que canastrona, mas acertada para o personagem mafioso. Outro personagem que adorei na série foi o de Peter Mullan (Jacob Snell), o contra ponto de Morales, Mullan, que já vimos em filmes como Coração Valente, Mogli, Hércules e Harry Potter, faz um fazendeiro traficante da região, inteligente e manipulador, gosta de ter seu território respeitado.

Curiosidades: A série se passa em um modesto resort à beira-mar no Lago de Ozarks, inspirado no Alhonna Resort & Marina, lugar onde Dubuque, o criador da série, trabalhou como mão das docas enquanto freqüentava a escola no Missouri durante a década de 1980. A maioria das locações de filmagem estão situadas na área da cidade de Atlanta no Lago Allatoona e Lago Lanier, ao invés do verdadeiro Lago dos Ozarks, devido as isenções fiscais oferecidas pelo Estado da Geórgia. A equipe de filmagens construiu um set na Geórgia depois de estudar extensivamente a propriedade do Alhonna Resort. Algumas cenas foram filmadas em alguns locais de Chicago. Somente algumas cenas do piloto foram filmadas na cidade de Lake Ozark, Missouri, quais incluíram tiros do famoso sinal “Bem-vindo ao Lago de Ozarks” e a estátua “Injun Joe Muffler Man”.

Ozark recebeu críticas positivas, particularmente pela atuação de Bateman. No Metacritic, a série possui uma avaliação de 67 por 100 baseada em 28 avaliações, indicando “análises geralmente favoráveis”. No Rotten Tomatoes, a série possui uma taxa de aprovação de 64% com uma pontuação média de 6.81 por 10 baseada em 53 avaliações. O consenso crítico do site diz: “Ozark ainda não alcançou o mesmo nível que os clássicos dramas do crime, que inevitavelmente serão comparados, porém sua trama satisfatoriamente complexa – e uma performance emocionante de Jason Bateman – sugerem um potencial elevado”. Brian Lowry, do CNN, escreveu: “Enquanto o conceito de peixe fora d’água é um dos mais antigos da TV, Ozark descobre seu próprio caminho com torções inteligentes – incluindo um flashback tardio explicando como o cartel entrou em sua vida – e a força das performances”. A crítica televisa Sonia Saraiya, da Variety, escreveu que Ozark é “inteligente, bem elaborado e diz algo”, e também que a série “se reúne sob o desempenho desarmante e enganosamente complexo da Bateman como Marty.” Os críticos fizeram uma comparação positiva de Ozark com Breaking Bad, uma vez que ambas as séries envolvem um protagonista aparentemente normal que subitamente acaba imerso no mundo do crime. De acordo com o Film Daily, “Uma vez que você supera as semelhanças da superfície, Ozark brilha como algo especial e inventivo, uma ópera de crime intensa, onde o cenário é tanto a estrela como qualquer um no elenco”.

 

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo