Hard: Primeira Temporada na HBO - NoSet
Review

Hard: Primeira Temporada na HBO

Salve Nosetmaníacos, eu sou o Marcelo Moura e hoje vamos falar de uma deliciosa série nacional em sua primeira temporada na HBOx. Hard é baseada em uma outra adaptação francesa criada e produzida por Cathy Verney que estreou em 9 de maio de 2008 no Canal+ na França. A série se concentra na indústria de filmes pornográficos. Faz parte da coleção “New Trilogy” no Canal+.

Hard: Primeira Temporada 2020: Direção: Rodrigo Meirelles, Canal original HBO Latin America, elenco Natália Lage, Martha Nowill, Denise Del Vecchio, Fernando Alves Pinto, Nathália Falcão, Pedro Konop, Brunna Martins, Natalia Dal Molin, Sérgio Menezes, Julio Oliveira, Julio Machado, Fabrizio Gorziza, Maitê Schneider, Samira Carvalho, Sato do Brasil, Rodrigo Bolzan e Marjorie Bresler.

Sinopse: Hard acompanha a história de Sofia (Natália Lage), uma dona de casa que descobre como seu marido mentiu a vida toda sobre sua profissão. Após se tornar tragicamente viúva, ela descobre a mentira ao se tornar a herdeira da produtora de filmes pornô dele. No entanto, com o empreendimento quase falido, a ex-advogada precisa se adaptar à nova realidade, e quem sabe pensar em alguma forma de reerguer o negócio de seu falecido esposo.

Crítica: Com um hilário piloto e uma história muito bem desenvolvida, surpreendendo, apresentando e desenvolvendo de maneira incomum seus personagens, Hard é uma daquelas séries que tentam quebrar tabus sociais, demonstrando de maneira sutil e inusitada o mundo da pornografia brasileira, sem cair na pieguice tão comum destas obras mostrando o submundo das drogas e doenças, tão comum no meio, mas como a série mesmo diz, é pornografia cinematográfica e não serviço de prostituição.

O diretor Rodrigo Meirelles faz uma trabalho interessante confrontando dois universos tão distintos, conseguindo contar uma história que tinha tudo para cair no brega, na chanchada brasileira dos anos 60, ou em algo bem incomodo, mas de maneira sutil, tocando em todos os pontos que a industria pornográfica trabalha em seus filmes, Meirelles consegue manter firme uma veia dramática familiar em dois pólos, não deixando cair o ritmo da trama quando esses dois mundos colidem de maneira até cruel, ao colocar as necessidades financeiras e a verdades familiares em conflito. Meirelles novamente mostra talento ao repetir por todo o elenco, mais de uma vez, a palavra família, não importa como ou a onde você esteja.

Do elenco a divertida e dramática química estão perfeitas, enquanto a ótima  Natália Lage tem uma excelente atuação,  parecendo um trem desgovernado tentando se manter-se no trilho e salvar sua família do caos, Julio Machado se torna sua própria antítese, tudo que mais deseja e repudia em um homem se torna claro no conflito diário entre manter seus status ou se entregar a paixão . Essa química começa com um simples acidente e se torna maior e melhor a cada capítulo, fazendo com que ambos vivenciem cenas desde tórridas ao dramático desejo de ser feliz.

Fernando Alves Pinto é a alma da série, o Grilo Falante do Pinóquio, e aquele que junto a ótima Denise Del Vecchio, parecem ser os únicos a enxergar a vida como ela deve ser, sem cair em pré conceitos ou mesmo excentricidades, mas mantendo o respeito as pessoas e ao  trabalho. Adoro o jargão repetido dezenas de vezes pelo personagem do Fernando na hora da filmagem, é sensacional, prático e ao mesmo tempo funcional.

Não posso deixar de citar que todo o elenco de apoio que foi primordial na série, as duas equipes, tanto a  familiar quanto a do trabalho, estão simplesmente divinas, com todas as esquisitices dos filhos e os novos colegas de trabalho, naturais, controversos e irritantes, é tudo que acontece na vida real.

Hard é um trabalho nacional de primeira qualidade e imperdível para quem gosta de uma bela comédia dramática.

– Gostou da matéria, é só seguir o meu instagram para acompanhar lançamentos e opinar: https://www.instagram.com/marcelo.moura.1253/

Topo