Doom Patrol: A Patrulha Destino na Segunda Temporada - NoSet
Review

Doom Patrol: A Patrulha Destino na Segunda Temporada

Salve Nosetmaníacos, eu sou o Marcelo Moura e hoje falamos de mais uma adaptação em Live Action de uma HQ clássica da DC Comics para a HBO e DC Universe.

Patrulha do Destino (2020): Criador Jeremy Carver, baseado na Patrulha do Destino, de Arnold Drake, Bob Haney e Bruno Premian, produtores executivos Jeremy Carver, Geoff Johns, Greg Berlanti e Sarah Schechter, elenco Diane Guerrero, April Bowlby, Joivan Wade, Alan Tudyk, Matt Bomer, Brendan Fraser e Timothy Dalton. Empresas produtoras Berlanti Productions, Jeremy Carver Productions, DC Entertainment e Warner Bros. Television, emissora original nos Estados Unidos DC Universe, Brasil Cinemax e Portugal HBO.

Doom Patrol é uma série de TV americana baseada na equipe homônima de super-heróis da DC Comics com Crazy Jane (Diane Guerrero), Mulher-Elástica (April Bowlby), Homem-Negativo (Matt Bomer/Matthew Zuk) e Homem-Robô (Brendan Fraser/Riley Shanahan). Aa série também introduz Cyborg (Joivan Wade) como membro da equipe e estreou em 15 de fevereiro de 2019 no DC Universe. Anteriormente, o quarto episódio de Titans já havia apresentado uma versão da Doom Patrol no DC Universe, com April Bowlby (Orange is the New Black), Brendan Fraser(A Múmia) e Matt Bomer (Magic Mike) nos mesmos papéis, mas com Bruno Bichir (Sicário) como o Chefe, que após a confirmação da série foi substituído por Timothy Dalton (007). Titans e Doom Patrol ocorrem no mesmo universo, porém tem continuidades separadas.

Sinopse: Os membros da equipe Patrulha do Destino sofreram acidentes terríveis que geraram habilidades sobre-humanas, mas também os deixaram marcados e desfigurados. A equipe é formada por Crazy Jane, Mulher-Elástica, Homem-Negativo, Homem-Robô e o novo recruta Cyborg. Traumatizados e oprimidos, eles encontraram um propósito através do Chefe, que os reuniu para investigar os fenômenos mais estranhos existentes e proteger a Terra dos vilões que os rodeiam.

Personagens e Elenco Principal: Diane Guerrero como Kay Challis / Crazy Jane: Uma membro da Patrulha do Destino que desenvolveu 64 personalidades diferentes que produzem um super poder nada comum.

April Bowlby como Rita Farr / Mulher-Elástica: Uma membro da Patrulha do Destino e ex-atriz, que desenvolveu a habilidade de alterar o tamanho de seu corpo, depois que foi exposta a uma gás tóxico, tornando-se a Mulher-Elástica.

Joivan Wade como Victor Stone / Cyborg: Um super-herói meio-humano e meio-máquina, lutando contra essa dualidade, que chama a Patrulha do Destino para a ação.

Alan Tudyk como Eric Morden / Sr. Ninguém: Uma sombra viva capaz de drenar a sanidade dos outros, capacidade essa que ele conseguiu após ser submetido a experimentos de ex-nazistas no pós-guerra do Paraguai.

Matt Bomer e Matthew Zuk como Larry Trainor / Homem-Negativo: Um membro da Patrulha do Destino e ex-piloto de avião, que foi atingido pela energia negativa e agora usa bandagens para conter a radiação. Bomer dubla o personagem e aparece como Trainor em flashbacks, enquanto que Zuk interpreta o Homem-Negativo.

Brendan Fraser e Riley Shanahan como Cliff Steele / Homem-Robô: Um membro da Patrulha do Destino e ex-piloto de corrida, Steele teve seu cérebro, ainda vivo, transplantado para um corpo cibernético depois que sofreu um acidente que destruiu seu corpo. Como Homem-Robô, ele usa agora seu novo corpo contra o mal, como membro da Patrulha do Destino. Fraser dubla o personagem e aparece como Steele em flashbacks, enquanto Shanahan interpreta o Homem-Robô.

Timothy Dalton como Niles Caulder / Chefe: O líder da Patrulha do Destino, dono de um intelecto genial, ele é especializado em encontrar pessoas necessitadas que estão “à beira da morte e precisam de um milagre”.

Crítica: Doom Patrol é um interessante Live Action da DC Comics e Dc Universe que, diferente de Titãs e Liga da Justiça pelo tom utilizado do heroísmo. Se em um os maiores heróis e ajudantes (Side Kickers) se unem para lutar contra um mal maior, aqui nosso personagens se unem por serem párias de uma sociedade que não os aceita. Na melhor explicação e semelhança, os X-Men da concorrente Marvel Comics. E não fica só nisso as semelhanças, a equipe é liderada pelo Chefe, que anda de cadeiras de rodas, assim como o Professor Xavier.

As adaptações dos heróis estão precisas e muito humanizadas, é impressionante a qualidade dado aos personagens principais, principalmente ao Homem Robô e Ao Homem Negativo, onde o nível de cuidado e interpretação é altíssimo. De todos os personagens a que mais gostei foi a da Crazy Jane, interpretada magistralmente pela Diane Guerreiro. Foi uma das personagem com mais profundidade  e sintonia com sua humanidade, na verdade um monte delas. Outro que ri muito foi o Homem Robô. Brendan Fraser e Riley Shanahan estão hilários e me tiraram boas gargalhadas com suas sacadas e palavrões.

Aproveitando o ensejo, na primeira temporada a adaptação em Live Action do Cyborg, aqui atuada por Joivan Wade (A primeira Noite de Crime) me incomodou bastante, principalmente pelo estilo visual plástico do personagem. A abordagem mais real e menos CGI , como em Liga da Justiça nos cinemas, me lembrou mais um cosplay de evento  do que um personagem tecnológico. Cyborg, mesmo adolescente, nas HQs era um atleta gigantesco e usava seus poderes armamentistas o tempo todo, mas na série, apesar da boa atuação de Wade, nem de longe parece um atleta ou com armas no seu corpo, apenas um menino bombadinho de academia usando uma roupa de plástico na cabeça e corpo. A série poderia até tentar fazer algo mais parecido com as roupas de guerra do exército. Na segunda temporada até há uma evolução neste conceito armamentista e a atuação de Wade da mais carisma ao personagem, mas ainda muito longe do que era o Cyborg, que até já teve uma versão menos dramática em Smallville que agradou aos fãs.

Do roteiro gosto muito do estilo apresentado na série, uma mistura do moderno Guilermo Del Toro e seu O Labirinto do Fauno ao clássico O Magico de Oz de L. Frank Baum, entrando com tudo no mundo mágico e na psique humana. este tipo de trabalho já foi explorado em outras adaptações live action como em Legion, um spin off dos X-Men, onde todo o universo externo e interno ligado ao ser humano é explorado, junto a um humor sarcástico na interpretação do mesmo, ligado a cores e seres disformes de universos paralelos, adaptado aos anos alucinógenos 70 e 80 onde as drogas e o álcool nos levavam a jornadas fora de nossa realidade, uma viagem na mente de Freud.

Em sua segunda temporada, Doom patrol se aprofunda muito mais nos medos, segredos e anseios de seus personagens, exemplo disso está na novata e excelente atriz Abigail Shapiro, que sse juntou ao elenco de ‘Patrulha do Destino’ como a perigosa personagem Dorothy Spinner. Em entrevista ao CBR, Shapiro revelou que ao longo da temporada, Dorothy terá medo de crescer.

“Você definitivamente está vendo Dorothy crescer um pouco porque todo o tema desta temporada está em torno do crescimento.”, disse Shapiro. “Dorothy está realmente com medo de crescer de certa forma porque, à medida que ela cresce, se torna mais poderosa e não quer machucar ninguém.”

Dorothy tem o poder de manifestar suas emoções e pensamentos subconscientes na forma de entidades físicas. Durante a run de Grant Morrison nos quadrinhos da Patrulha do Destino, os poderes de Dorothy dão origem ao Candlemaker, uma entidade com potencial de provocar o apocalipse. Na verdade, na série de TV, é o medo dos poderes de Dorothy que levam seu pai Niles Caulder a perseguir obsessivamente meios para que ela possa sobreviva.

Shapiro discutiu como esse medo de sua própria habilidade está ligado ao seu desejo de não crescer. Ela explicou: “Então você verá uma espécie de luta dela com isso ao longo da temporada, mantendo seus poderes afastados e não querendo crescer, mas depois percebendo que crescer é inevitável e todos nós temos que crescer em algum momento.”

Outro ator que se juntou ao elenco de Patrulha Destino foi Mark Sheppard. Sheppard ficou famoso por interpretar Crowley em Supernatural, principalmente por seu sarcasmo como rei do inferno, aqui tem a chance com um personagem bem semelhante de continuar seu ótimo trabalho.

Curiosidades: Em 10 de fevereiro de 2018, o co-criador e produtor executivo de Titans, Geoff Johns, revelou que o quarto episódio da série, intitulado “Doom Patrol” e escrito por ele mesmo, introduziria a Patrulha do Destino. Em 14 de maio de 2018, foi anunciado que o serviço de streaming da DC havia confirmado um spin-off de Titans, protagonizado pelos personagens da Patrulha do Destino e com uma primeira temporada de treze episódios com previsão de estréia em 2019. Apesar da ordem inicial e do compartilhamento de universo, personagens e atores, a série acabou sendo uma continuidade separada da versão apresentada em Titans.

Em fevereiro de 2018, foi anunciado que vários atores já haviam sido escalados como membros da Patrulha do Destino para a aparição tanto como convidados em Titans, assim como os recorrentes, entre eles, Bruno Bichir como Niles Caulder / Chefe, April Bowlby como Rita Farr / Muher-Elástica, Brendan Fraser e Jake Michaels como Cliff Steele / Homem-Robô, também, Matt Bomer e Dwain Murphy as Larry Trainor / Homem-Negativo.

Em julho de 2018, foi anunciado que Bowlby, Fraser e Bomer iriam estrelar Doom Patrol, reprisando seus papéis de Titans, e que Diane Guerrero havia sido escalada para o papel de Crazy Jane. Em agosto de 2018, Joivan Wade foi escalado como Victor Stone / Cyborg, Alan Tudyk como Eric Morden / Sr. Ninguém, e Riley Shanahan foi escalado para substituir Michaels como Cliff Steele / Homem-Robô, com Fraser dublando nos dias atuais o personagem e aparecendo como Steele em flashbacks, enquanto que Shanahan interpreta o Homem-Robô fisicamente. No mês seguinte, Timothy Dalton foi escalado como Niles Caulder / Chefe, substituindo Bichir, e em outubro de 2018, Matthew Zuk foi escalado para substituir Murphy como Larry Trainor / Homem-Negativo. Do mesmo modo que o Homem-Robô, Trainor é dublado por Bomer que o interpreta em flashbacks, e Zuk interpretando fisicamente o Homem-Negativo.

As filmagens da série começaram em 30 de agosto de 2018 em Olde Town Conyers, no estado americano da Geórgia. As filmagens continuaram no estado da Geórgia durante todo o mês de setembro de 2018, agora em Lawrenceville e na Mansão Briarcliff.

Doom Patrol estreou no DC Universe em 15 de fevereiro de 2019, com episódios sendo lançados até 24 de maio de 2019. A série está definida para conter 15 episódios. A segunda temporada será lançada dia 25 de junho de 2020 no DC Universe, que faz parte da plataforma de streaming HBO Max. A série também será parte do catálogo da HBO Max a partir de 27 de maio de 2020. A primeira temporada começou a ser exibida no Brasil a partir de 19 março de 2020 no canal Cinemax.

No Rotten Tomatoes, possui uma taxa de aprovação de 96% com base em 50 comentários, com uma classificação média de 8.23/10. O consenso crítico do site diz: “O Universo DC encontra material de destaque nesta iteração de Patrulha do Destino graças a um elenco totalmente comprometido e à fé da escrita na esquisitice”. O Metacritic, que usa uma média ponderada, atribuiu à série uma pontuação de 70 em 100 com base em 13 críticos, indicando “revisões geralmente favoráveis”. IGN classificou a série com 8.5 de 10, declarando que “Doom Patrol é a melhor razão, até agora, para assinar o serviço de streaming da DC. Doom Patrol] oferece um senso de humor perverso com coração, inteligência e tragédia de sobra. O elenco trabalha incrivelmente bem para formar uma divertida família disfuncional.”

As encarnações de Jane, Rita Farr, Vic Stone, Larry Trainor e Cliff Steele de Doom Patrol fazem aparições no evento crossover do Universo Arrow, “Crise nas Infinitas Terras”, onde a série é ambientada na Terra-21. Diane Guerrero, April Bowlby, Joivan Wade, Matthew Zuk e Riley Shanahan aparecem em seus respectivos papéis de Doom Patrol.

Gostou da matéria, é só seguir o meu instagram para acompanhar lançamentos e opinar: https://www.instagram.com/marcelo.moura.1253/

Topo