Diablero: Crítica 1ª e 2ª temporada (2018 e 2019) - NoSet
Review

Diablero: Crítica 1ª e 2ª temporada (2018 e 2019)

Salve Nosetmaníacos, eu sou o Marcelo Moura e hoje falamos de mais uma divertida série da Netflix sobre o sobrenatural, mas com muito humor ácido. Diablero é uma web series de terror mexicano da Netflix, baseado no romance ” O diabo me forçou” do escritor mexicano Francisco Haghenbeck.

Diablero (Série da Netflix):

Criado por Pablo Tebar e José Manuel Cravioto, roteiro de Pablo Tebar, Veronica Marza, Bernardo Esquinca e Jose Rodriguez, dirigido por José Manuel Cravioto e Rigoberto Castañeda. Elenco Christopher von Uckermann, Horacio Garcia Rojas, Giselle Kuri e Fatima Molina. Produtores executivos Pedro Uriol e Juan Gordon, meio de transmissão Netflix, lançado em 21 de dezembro de 2018 com duas temporadas e 14 capítulos.

Sinopse: A luta eterna entre anjos e demônios nas ruas agitadas do México abrirá as portas para um mundo de fantasia nunca antes visto, onde tudo pode acontecer. Este thriller sobrenatural e de terror, também com um toque de comédia, centra-se nas aventuras do Padre Ramiro Ventura, um padre que procura a ajuda do lendário “diablero” ou caçador de demónios Elvis Infante. Com a ajuda de Nancy, uma super-heroína moderna, este trio extravagante desencadeia uma série de eventos que marcarão o destino da humanidade. Ao longo do caminho, eles vão caçar e vender demônios, anjos caídos e criaturas de outro mundo no mercado negro, conectados a um circuito de luta clandestino.

Crítica: Com duas temporadas Diablero é uma grata surpresa na Netflix em meio a tantas séries internacionais enfadonhas e sem sentido de terror, suspense e comédia, a série mexicana foi um achado divertido, com um roteiro interessante que mistura na dosagem certa a fórmula tão explorada pela suas coirmãs Supernatural, Exorcista, Constantine e Monstro do Pântano.

Não que a série não tenha erros no roteiro ou buracos, tem até demais, mas isso não a deixa menos envolvente com personagens para lá de carismáticos e mesmo que não explore tanto assim seus passados, os enche de tanta personalidade e postura que não tem como não se apaixonar por cada um deles, tão diferentes, mas que no final se unem por amizade e uma motivação fora do comum.

Horacio García Rojas como Heliodoro “Elvis” Infante faz um personagem que lembra muito o estilo cavaleiro solitário do Arrow, muito preocupado em não envolver sua família nos seus “trabalhos de demonólogo”, mas tentando sobreviver financeiramente em sua profissão, procura resolver o mistério do desaparecimento do seu sobrinho, da filha do padre e o abandono dos Anjos em nossa realidade. Junto com Christopher von Uckermann, como o padre Ramiro Ventura, que se envolve na história na procura de sua filha bastarda raptada por um demônio, descobre que suas crenças na força divina não estão tão corretos e que precisa descobrir em quem deve confiar. O time feminino é muito bem representado por Giselle Kuri como Nancy Gama, Fátima Molina como Enriqueta «Keta» Infante, que formam a equipe que luta contra a Igreja, demônios e até anjos.

A história tem como base na primeira temporada contando que desde que os anjos deixaram a Terra, deixando a humanidade à mercê dos demônios, os autodenominados “Diableros” têm se encarregado de manter o equilíbrio entre as forças do bem e do mal. Um deles, Heliodoro “Elvis” Infante (Horacio García Rojas) é recrutado por sua irmã, Enriqueta “Keta” Infante (Fátima Molina), uma “santera”, para investigar o estranho desaparecimento de uma menina na Cidade do México. O pai ilegítimo da referida menina, Ramiro Ventura (Christopher Von Uckermann) trabalha como padre em uma igreja sob a tutela do Cardeal Morelo (Flavio Medina), que o resgatou de um passado tempestuoso. Ao saber da existência de sua filha após a morte da mãe, Lúcia, Ventura concorda em colaborar com Elvis quando as autoridades se recusam a prosseguir com o caso, inconsciente do mundo escuro em que está entrando.

Já na segunda temporada, um ano após o desaparecimento de Ventura, o grupo começa a se separar para seguir seus próprios caminhos. Nancy tenta tentar a sorte no amor na esperança de ser normal. Keta busca pistas sobre seu filho Mayaken sem sucesso, um Neflin desaparecido na primeira temporada. E Elvis recebe uma oferta de emprego da misteriosa dona do clube, Lupe Reina. À medida que cada um começa a receber mensagens estranhas do além, o grupo consegue abrir um portal para o limbo de Mitlán para resgatar Ramiro.

Gostou da matéria, é só seguir o meu instagram para acompanhar lançamentos e opinar: https://www.instagram.com/marcelo.moura.1253/

Topo