Crítica: Captive State – A Rebelião

Salve Nosetmaníacos, eu sou o Marcelo Moura e hoje falamos de mais um filme de ficção, disponível na Netflix, que provavelmente passou batido por todo mundo, mas que é bem interessante sobre aliens, a humanidade, e no fundo uma crítica social. Captive State é um filme americano de ação de ficção científica americano de 2019, dirigido por Rupert Wyatt, co-escrito por Wyatt e Erica Beeney.

O filme é estrelado por John Goodman, Ashton Sanders, Jonathan Majors, Colson Baker e Vera Farmiga, e segue um jovem que participa de uma conspiração para se rebelar contra uma raça alienígena que invadiu a Terra e impôs uma lei marcial rígida a todos os humanos. Foi lançado nos Estados Unidos em 15 de março de 2019, pela Focus Features . Recebeu críticas mistas dos críticos e foi um fracasso de bilheteria, arrecadando apenas US $ 8 milhões contra seu orçamento de US $ 25 milhões.

Sinopse: Em 2019, Chicago está sob lei marcial após uma invasão extraterrestre global. Enquanto a família Drummond tenta fugir da cidade, eles rompem uma barricada, mas são confrontados pelos alienígenas, que vaporizam os pais, mas deixam seus filhos Gabriel e Rafe vivos. Em 2027, o mundo capitulou aos estrangeiros “Legisladores”, submetendo-se ao seu governo. Humanos são recrutados para construir “Zonas Fechadas”, habitats subterrâneos para os alienígenas com acesso apenas concedido a e por altos funcionários do governo.

Crítica: Eu amo filmes de baixo custo com crítica social utilizando aliens de pano de fundo, é tão real e ao mesmo tempo tão simples que não tem como você não comparar com certas sociedades no nosso planeta onde o rico se isola em locais específicos e os pobres e menos favorecidos sofrem na miséria. No meio disso aqueles que aceitam essa condição e a perpetuam para serrem favorecidos com um pouco de luxo. Há um momento na delegacia em que o personagem principal pede um advogado e seu algoz responde com a maior naturalidade: “Esses dias já se foram”.

É claro que o filme me lembrou V: A Batalha Final (1984), Distrito 9 (2009), entre outros que contam a vida na terra dividida com aliens com mais poder e tecnologia, que dominam nossa sociedade nos transformando em meros servos. O diretor Rupert Wyatt (Planeta dos Macacos: A Origem) não conta uma história de ação, mas um suspense em que todos os personagens constroem uma narrativa para que a conclusão final chega de maneira épica, então é necessário paciência e atenção em certos momentos, pois todas as situações tem como objetivo o grande final.

Do elenco de primeira o sempre competente John Goodman (Kong: A Ilha da Caveira), o brilhante Ashton Sanders (Moonlight), a nova estrela de Hollywood Jonathan Majors (Destaque Blood), Colson Baker (Bird Box) mais conhecido como Machine Gun Kelly e a maravilhosa Vera Farmiga (A Órfã, Invocação do Mal, Motel Bates, Os Infiltrados, O Passageiro e Anjos Rebeldes) fazem deste filme uma importante experiência de reflexão cinematográfica.

Gostou da matéria, é só seguir o meu instagram para acompanhar lançamentos e opinar: https://www.instagram.com/marcelo.moura.thor/

 

Marcelo Moura

Marcelo Moura

http://www.noset.com.br

Moura gosta de Cinema, Tv, Livros, Games, Shows e HQ´s, do moderno ao Cult. Se diverte com o Trash, Clássico e Capitalista. e um pouco de tudo isso você vai encontrar aqui. Muitos dizem que quem escreve é a sua esposa ou mesmo seus três filhos. É ler para crer....