Batman: Death in the Family: Uma Morte em Família – O que nós vimos (Trailer 2020) - NoSet
Review

Batman: Death in the Family: Uma Morte em Família – O que nós vimos (Trailer 2020)

Salve Nosetmaníacos, eu sou o Marcelo Moura e hoje falamos da terceira animação da nova fase da DC Comics, agora focada no Universo do Batman, e uma das principais sagas da morte de um polêmico personagem nas mãos do Coringa, o segundo Robin, Jason Todd.

Batman: Death in the Family é um próximo curta-metragem animado americano da DC Comics baseado no enredo de mesmo nome. É uma prequela de Batman: Under The Red Hood e está programado para lançamento em Blu-ray e DVD em 13 de outubro de 2020.

Batman: Death in the Family (2020)

Direção e roteiro e produção: Brandon Vietti, música composta por Christopher Drake, baseado no arco da DC Comics Batman: A Death in the Family por Jim Starlin e Jim Aparo. Elenco Bruce Greenwood (Batman), Vincent Martella (Jason Todd/ Robin), Gary Cole (Commissioner James Gordon/ Two-Face), John DiMaggio (Coringa), Zehra Fazal (Miranda Tate). Produção Warner Bros. Animation e DC Entertainment, distribuição Warner Bros. Home Entertainment.

O que vimos e o que sabemos:

“A Death in the Family” (Uma morte na família) é uma clássica HQ do Batman publicada entre as anos de 1988 e 1989, notabilizada por ter seu final decidido pelos fãs em uma votação por telefone promovida pela editora DC Comics, o qual era nada menos do que a morte ou não do segundo Robin (Jason Todd). Publicada nas revistas Batman número 426 a 429, o enredo foi escrita por Jim Starlin e com arte de Jim Aparo (lápis), Mike DeCarlo (arte-finalista), Adrienne Roy (colorista) e John Costanza (letrista). As capas foram realizadas por Mike Mignola. A história foi publicada também em formato de livro (trade paperback) com o título de Batman: A Death in the Family. No Brasil, a Editora Abril publicou as quatro partes da história na revista DC Especial # 1, novembro de 1989.

Jason Todd, o segundo Robin, encontra-se em um momento de dificuldade em sua relação com Batman e suas lutas contra os criminosos estão cada vez mais descuidadas e suicidas. Batman acha que deixou Jason assumir o lugar de Robin antes que o garoto tivesse superado a morte dos pais e quer que ele pare de agir como seu parceiro. Tenta conversar com Jason sobre os pais dele mas o garoto se recusa a discutir o assunto. Depois, ao caminhar pela sua antiga vizinhança, Jason encontra a Senhora Walker, uma amiga de sua família desaparecida e que lhe dá fotos e documentos que foram de seus pais. Ao ler sua “Certidão de Nascimento”, Jason percebe que o nome de sua mãe está borrado mas a inicial é uma letra “S” e não o “C” de Catherine Todd, a mulher que ele pensava ser sua mãe.

Jason conclui que Catherine era na verdade sua madrasta e resolve investigar a identidade de sua mãe biológica. Na agenda de seu pai ele encontra os nomes de três mulheres iniciados com “S” e usa o Batcomputador para descobrir o paradeiro atual delas. Todas estão fora dos Estados Unidos, vivendo no Oriente Médio e na África. Jason foge de casa e tentar encontrar o paradeiro delas. Nisso, o Coringa havia escapado do Asilo Arkham, deixando um rastro de morte atrás de si. Batman descobre que o bandido conseguiu um dispositivo nuclear e que vai vendê-lo a terroristas. O Coringa negocia com rebeldes do Líbano, país onde Jason se encontra. Sharmin Rosen, uma agente do Mossad, é procurada por Jason mas ela nega que algum dia estivera em Gotham City. Jason então vai atrás da segunda possível mãe, por coincidência uma inimiga de Batman chamada Lady Shiva e que está num acampamento de terroristas. Batman ajuda Jason na luta contra os capangas da vilã e o rapaz dá a mulher uma dose do soro da verdade, descobrindo que ela também não é a sua mãe.

Finalmente Jason vai até a Etiópia e se encontra com Sheila Haywood, uma assistente social. Ela prova ser a mãe e o encontro com Jason é emocionante. Mas, desconhecido por Batman e Robin, o Coringa tinha chantageado Sheila pois descobrira que ela praticara medicina ilegal (abortos) em adolescentes de Gotham e uma delas morrera. Com essa informação, o Coringa forçou Sheila a lhe fornecer medicamentos contrabandeados. O vilão pretendia substituir o conteúdo dos remédios pelo seu mortífero gás hilariante e matar milhares de pessoas. Ao descobrir que Jason é Robin, Sheila o entrega ao Coringa. O vilão desacorda o garoto com um pé-de-cabra e o prende juntamente com Sheila num armazém com uma bomba-relógio. Batman chega tarde e os dois são mortos pela explosão e incêndio que se seguiu.

Os corpos são enviados para serem enterrados em Gotham. Apenas Bruce Wayne e três amigos, o mordomo Alfred Pennyworth, o Comissário Gordon e sua filha em cadeira-de-rodas Barbara comparecem a cerimônia.

Nos primeiros 45 segundos temos um Jason na cama todo enfeixado e a “Bat Family” a sua volta, com o Batcão, Alfred, Bruce, Bárbara e Dick em volta da cama, todos sorrindo. Ao mesmo tempo algumas cenas são reveladas mostrando seu corpo com ossos quebrados (crânio), pele costurada (costas ou perna) e queimada (rosto), provavelmente causada pelo Coringa quando espanca Jason com o pé de cabra e logo após a explosão do local onde estava preso, já diferente da HQ, Jason e sua mãe não sobrevivem a esta explosão.

Não há um movimento dos personagens, todos que estão a volta da cama estão sorrindo enquanto ouvimos os pensamentos de Jason, de como odeia o Bruce Wayne e que todos a sua volta são vítimas de sua vingança pessoal, além do notório fato que Bruce se recusa a matar o Coringa, não importa o que o mesmo faça.

Na metade é revelado o Coringa, a bomba que quase matou Jason e em sua visão, todos são reflexos do Coringa (com o mesmo sorriso), provavelmente causado pelo trauma psicológico da situação que passou.

Quase no final, no alto de um prédio, após a fuga da mansão, é revelado um Jason diferente das HQs, uma mistura de Robin e Hush (Thomas Elliot nas HQs e o Charada na animação).

Houve muitas críticas a esse trailer nas redes socias devido a qualidade gráfica e as cenas paradas, como se fosse apenas um lançamento sem um projeto acabado. Quando a qualidade visual realmente temos quase um minuto com as mesmas cenas paradas e assim é difícil termos alguma posição sobre a qualidade da animação, mas ainda assim, o terror psicológico passada é fantástico. A possibilidade de Jason se tornar um vilão ao invés de apenas um bad boy é interessantíssima.

Novamente teremos uma votação sobre a vida e a morte do Jason Todd. A primeira em 1988 votada por telefone e esta em 2020 pela internet promete novamente tornar interessante esta interconectividade entre fãs e a DC Comics.

Batman: Death in the Family (2020) não é a primeira adaptação para uma animação do mesmo arco. Em 2010 foi lançado a animação Batman: Under the Red Hood (Batmna Contra o Capuz Vermelho) com um arco bem semelhante ao que será feito agora.

O desenhista Francesco Mattina está sendo processado pelo colega de trabalho Zeen Chin por plágio no seu trabalho na capa do DVD. Não é a primeira vez que Mattina tem essa acusação de copiar o trabalho de um colega. Neste caso, repare no fundo do desenho e tire suas conclusões (desenho abaixo).

Gostou da matéria, é só seguir o meu instagram para acompanhar lançamentos e opinar: https://www.instagram.com/marcelo.moura.1253/

 

 

Topo