American Gods: Segunda Temporada - NoSet
Review

American Gods: Segunda Temporada

Salve Nosetmaníacos, eu sou Marcelo Moura e hoje voltamos a falar dos Deuses Americanos e de Wotan e Neil Gaiman, o Deus Nórdico e seu autor, em uma jornada com Shadow pela América.

Deuses Americanos: Segunda Temporada

Baseado em American Gods por Neil Gaiman, desenvolvedores Bryan Fuller e Michael Green, produtores executivos Bryan Fuller, Michael Green, Neil Gaiman, Craig Cegielski, Stefanie Berk, Thom Beers. Elenco Ricky Whittle, Ian McShane, Emily Browning, Crispin Glover, Bruce Langley, Yetide Badaki, Pablo Schreiber, Ian McShane e Kristin Chenoweth, empresas de produção Living Dead Guy Productions, J.A. Green Construction Corp., The Blank Corporation, FremantleMedia e Starz Originals, emissora de televisão original Starz.

American Gods é uma série de televisão americana criada por Bryan Fuller e Michael Green, e transmitida pelo canal Starz, baseada no romance homônimo de 2001 do autor Neil Gaiman. Fuller e Green escreveram o episódio piloto e serviram como showrunners. Gaiman serviu como produtor executivo do show juntamente com Fuller, Green, Craig Cegielski, Stefanie Berk e Thom Beers. A primeira temporada consiste em oito episódios que tiveram sua estréia no dia 30 de abril de 2017, nos Estados Unidos, e a transmissão mundial aconteceu no dia 1 de maio pelo serviço de streaming, Amazon Prime Video. A série recebeu aclamação da crítica, com duas indicações ao Primetime Emmy Awards.

Sinopse:A série é focada em Shadow Moon, um homem que cumpre três anos de prisão. Faltando poucos dias até o fim de sua sentença, Shadow acaba sendo liberado inesperadamente depois que sua amada esposa, Laura, é morta. Posteriormente, Shadow encontra-se ao lado de um homem chamado Wednesday, que lhe oferece um emprego. Em primeira instância, Wednesday parece ser nada mais que um trapaceiro que precisa de Shadow como guarda-costas. Wednesday está trilhando seu caminho pelos EUA, reunindo todos os velhos deuses, que agora se incorporaram na vida americana, para enfrentar os novos deuses, incluindo os relacionados a mídia e tecnologia, que estão se fortalecendo.

Crítica: Se você nunca viu ou leu nada de Gaiman nas HQs, como o clássico Sandman, American Gods é aquele tipo de série que transita bem visualmente entre outras como os ousados capítulos de Legião (Marvel), no roteiro o deboche de Lúcifer (DC Comics) e na magia e truques de Constantine, mas sem seu bom humor, ritmo e leveza.  American Gods é propositalmente pesada, com ritmo lento, cenas fortes, física ou intelectual, como as várias adaptações de vários “Jesus”, dependendo da crença que ele representa  em sua primeira temporada. Gaiman gosta de ser polêmico no seu trabalho, talvez por isso a série demorou tantos para sair do papel e é isso realmente que a série nos traz, várias referências e contemplações sócias, políticas, religiosas e econômicas, demonstrando  que uma não vive sem a outra, na visão de Shadow, um homem descrente e que parece se mover apenas para viver cada dia e um deus poderoso e charlatão que não aceita ser deixado para trás.

No elenco Ricky Whittle (Shadow Moon) não é um ator que me chamaria muita atenção se é que já o vi em alguma outra produção, mais conhecido por atuar em várias séries caseiras americanas, tem uma ótima química com os excessos de McShane, justamente por fazer um personagem mais centrado e sem exageros. Ian McShane (Mr. Wednesday) é um ótimo ator britânico que me surpreendeu como um Odin / Wotan carismático, manipulador e sem vergonha. A série é de McDhane e ele é quem dita o ritmo de cada seqüência. A carismática atriz Emily Browning (Laura Moon) infelizmente parece muito apagada e nada a vontade em seu papel que deveria ser a consciência das loucuras de Gaiman. Não posso deixar de citar o ator Crispin Glover (Mr. World). Glover, que para quem não lembra, era o pai de McFly na franquia De Volta para o Futuro e ficou vários anos no esquecimento após brigar com o diretor Zemeckes por um salários maior que MJ Fox.Aqui faz uma vilão que deveria ser bem sombrio, mas ainda não convenceu, e já estamos na segunda temporada.

Curiosidades: Em 2011, o autor de Deuses Americanos, Neil Gaiman, declarou durante o Festival Internacional do Livro Edimburgo que a HBO havia expressado interesse em adaptar seu romance para uma série da televisão. Em março de 2013, Gaiman falou sobre o progresso do projeto no Festival Internacional de Cinema de Estudantes de Cambridge e confirmou que o episódio de abertura da série “teria novos elementos e detalhes” enquanto permaneceria “muito parecido com os capítulos iniciais do livro”. Ele também comentou que o livro só estaria concentrado nas primeiras temporadas do show e que ainda estava trabalhando no script do piloto, já que seu primeiro roteiro não estava próximo o suficiente de seu livro para que a satistafação da HBO. Em novembro de 2013, Gaiman anunciou em seu perfil no Reddit que a série de televisão ainda estava em desenvolvimento, porém não mais em cargo da HBO.

Em 2014, o presidente da programação da HBO, Michael Lombardo, revelou que o projeto havia sido abandonado porque não conseguiram obter o certificado certo: “Tentamos com três roteiristas diferentes, colocamos muito esforço nisso. Algumas coisas simplesmente não acontecem.” Em fevereiro de 2014, a Fremantle Media adquiriu os direitos para adaptar o romance como uma série de drama e fantasia. Em julho de 2014, foi anunciado que o canal Starz estaria desenvolvendo a série com Bryan Fuller e Michael Green. Fuller afirmou que a série estaria situada ” após os eventos dos livros, mas expandindo esses eventos, e expandindo o ponto de vista para ir além de Shadow e Wednesday.” A permissão para incorporar elementos do livro companheiro, Os Filhos de Anansi, foi dada para a série. Fuller também confirmou que Gaiman está “muito envolvido” com a produção e expressou sua esperança de que Gaiman poderia escrever seu próprio episódio.

Em 16 de junho de 2015, a Starz deu sinal vede para série. Em maio de 2015, o showrunner Bryan Fuller estimou que o programa provavelmente iria ao ar no “final de 2016”, entretanto, sua estréia ficou definida para abril de 2017, com a primeira temporada sendo composta por oito episódios. As filmagens estavam programadas para começar no dia 1 de março de 2016 em Toronto e seguirem até setembro. Durante uma entrevista com Neil Gaiman em 24 de junho de 2016, ele comentou planos para temporadas futuras do show além da primeira, que deverá ser continuada, e observou que a primeira temporada só abrange o primeiro terço do romance. A segunda temporada destina-se a cobrir a seção Lakeside do romance, e “uma coisa grande e fundamental que acontece com o Sr. Wednesday” será provavelmente um final de temporada para a segunda ou terceira temporada.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo