Raio Negro: Primeira Temporada (DC Comics, Warner e The CW) - NoSet
Review

Raio Negro: Primeira Temporada (DC Comics, Warner e The CW)

Salve Nosetmaníacos, eu sou o Moura e você pode me seguir também no instagram como Marcelo.moura.1253. Hoje falaremos de mais uma investida do Universo DC e The CW que promete. Uma série mais madura e real de super-heróis, com família e algo a perder.

Raio Negro: The Black Lightning

Também conhecido por Jefferson Pierce e participado de grupos como Liga da Justiça e Renegados, Raio Negro foi criado por Tony Isabella e Trevor Von Eden, tendo sua primeira aparição em Black Lightning número 1 em Abril de 1977, pela editora DC Comics. Tem como principais habilidades Eletrocinese, Geração de campos de força eletromagnético, voo limitado, mestre em artes marciais e atleta qualificado. Jeff Pierce cresceu no Beco do Suicídio. Seu pai foi morto acidentalmente durante uma ação da máfia local, fazendo Jeff e a mãe passarem por maus momentos. Crescendo, ele se pos nos estudos e no atletismo, com uma aptidão para o inglês e poesia. Aos 18 anos, Jeff conseguiu ir às Olimpíadas, ganhando fama na mídia que ressaltava sua origem humilde no Beco. Durante o período em que ficou longe do cortiço, o jovem se casou com Lynn Stewart, vindo, mais tarde a se divorciar. Lynn se desapontou com o marido por não ser o líder comunitário que ela imaginava. Ele parecia só se preocupar em sair do gueto. Voltando para o Beco para o funeral de sua mãe, o rapaz ficou triste ao ver que nada tinha mudado. Decidiu arrumar um emprego na sua antiga escola secundária. Durante uma visita ao prédio, junto com o diretor, Jeff topou com uma trocador de substâncias ilícitas, num dos corredores da escola. Furioso, ele bateu no rapaz e ordenou-o que se apresentasse na enfermeira da escola. Tobias Whale, líder dos 100, ordenou que os seus rapazes socassem o estudante, Earl Clifford. Eles pretendiam só assustar o rapaz, mas, acidentalmente foi morto pelo carro deles. Eles penduraram o corpo no aro de basquete da escola. Local onde Jeff poderia ver o que acontecia com quem se metia com os 100. O irmão de Pete Gambi, Paul, também estava no negócio de costura… isto é, no negócio de criar uniformes e acessórios para o super vilões de Central City. Pete obteve um cinto com um dispositivo que dava poderes elétricos à seu uniforme. Ele então criou um uniforme azul com raios. Uma combinação de capacete, simulando cabelo, e máscara ajudou proteger a identidade de Jeff. Nascia então o Raio Negro, que começou a aterrorizar os valentões do Beco. Whale contrata diversos especialistas para se livrar do novo herói. Merlyn, o arqueiro, o Cyclotronico e Syonide tentam, mas foi Syonide quem finalmente capturou o justiceiro com um dardo paralisante.

Syonide destrói o cinto gerador de Jeff antes dos 100 e o pendurarem em uma parede ao lado do Peter Gambi, que havia sido sequestrado. Whale chama todos os líderes das 100 filiais diferentes e ordena a Syonide que matasse Raio na frente de todos eles. Tobias irritou-se com a recusa de Syonide e se retirou do local. Raio conseguiu livrar os dois, e em seguida, procurou dois os agentes contratados de Whale que o conduziram até uma arena. Circulando pelo local, o herói foi avistado por Syonide, que atirou contra ele. Pete saltou na sua frente e recebeu a bala que seria sua. O corpo de Raio Negro começou a crepitar com eletricidade apesar de estar sem o cinto energético. Seu poder havia sido incorporado, talvez devido à ativação de seu metagênese durante este momento de alta tensão. Raio Negro, furioso, saltou em direção aos gângsteres e começou a lutar com dúzias deles. Ele passou pelos 100 e capturou Whale. Os 100 estavam quebrados. Mais tarde, alguns membros da Liga da Justiça, que estavam observando Jeff, ficaram impressionados com o seu poder, habilidade e determinação e acharam que deveriam convidá-lo para ingressar na equipe. Flash insistiu que Raio Negro deveria provar ser qualificado para entrar na equipe, e assim eles decidiram submetê-lo a um teste de iniciação. Os membros da LJA o atacaram disfarçando-se de vilões. O calouro passou por todos os testes, inclusive um que avaliou se ele tiraria a vida de um inimigo. Mas quando a LJA revelou suas verdadeiras intenções e lhe convidou para entrar na Liga, ele pegou de surpresa, recusando.

Curiosidades:

Por causa de uma disputa por direitos autorais entre a DC Comics e Tony Isabella, a Hanna-Barbera criou Vulcão Negro para fazer parte dos Superamigos. Raio Negro foi homenageado na série de desenho animado Super Choque, onde Virgil luta ao lado de “Soul Power”, um herói aposentado com visual black power inspirado em Raio Negro. Em Liga da Justiça Sem Limites, foi apresentado “Juice” na equipe “Ultimen”, inspirado em Vulcão Negro. Estava previsto para o Raio Negro aparecer em Liga da Justiça Sem Limites, porém sua participação se limitou à revista oficial do desenho animado nos números 15 e 27. Raio Negro aparece no episódio “Enter the Outsiders!” de Batman: The Brave and the Bold, dublado por Bumper Robinson. Ele parece ser o líder do trio composto por ele, Katana e Metamorpho. Raio Negro teve uma participação especial em “The Siege of Starro! Part One” como um dos heróis sob o controle da mente de Starro. Ele reapareceu no teaser de “Requiem for a Scarlet Speedster!”. Raio Negro aparece no curta “Thunder and Lightning” de DC Nation, dublado por Blair Underwood. Raio Negro aparece em Young Justice, dublado por Khary Payton. Em “Happy New Year”, ele é mostrado como um membro da Liga da Justiça, cinco anos depois da primeira temporada. Em “Cornered” ele tenta remover o campo de força que Despero deixou no Salão da Justiça. Raio Negro e Super Choque lutam lado a lado. LeVar Burton dublou de Raio Negro em sua única fala no filme de animação Superman/Batman: Public Enemies. Ele é um dos heróis que aceita trabalhar para Lex Luthor depois o vilão estar supostamente reformado e ser eleito presidente. Uma versão do Raio Negro conhecido como Black Power aparece como membro do Sindicato do Crime da América no filme de animação Justice League: Crisis on Two Earths. Um heroico Raio Negro também faz uma aparição, junto com Aquaman, Canário Negro, Nuclear e Tornado Vermelho, membros presumivelmente reservas da Liga da Justiça, embora o seu estatuto de membro real nunca é explicitamente indicado. Raio Negro, e os outros reservas, aparecem novamente após a batalha final como Batman sugere iniciar uma unidade de adesão. Enquanto Raio Negro não tem nenhuma fala, seus grunhidos são fornecidos por Cedric Yarbrough, que foi creditado apenas em seu papel como o Nuclear.

Black Lightning: Primeira temporada na The CW.

Baseado no personagem Raio Negro, criado por Tony Isabella, desenvolvedor Salim Akil, produtor Robert West, produtores executivos Sarah Schechter, Greg Berlanti, Mara Brock Akil, Salim Akil, Oz Scott e Pascal Verschooris e distribuída por Warner Bros. Television Distribution. No elenco Cress Williams, China Anne McClain, Nafessa Williams, Christine Adams, Marvin “Krondon” Jones III, Damon Gupton e James Remar. Tema de abertura “Black Lightning” de Godholly, compositor da música tema  Kurt Farquhar, empresas de produção Berlanti Productions, Akil Productions, DC Entertainment, Warner Bros. Television e emissora de televisão original The CW. A série é estrelada por Cress Williams como Raio Negro e Christine Adams como sua ex-esposa, e explora o mundo de ser um super-herói misturado com a vida familiar. O episódio piloto foi encomendado em 10 de maio de 2017. A primeira temporada da série estreou no 16 de janeiro de 2018 e contará com 13 episódios. Em 2 de abril de 2018, a série foi renovada para sua segunda temporada.

Sinopse:

Jefferson Pierce, que se aposentou de sua personalidade de super-herói, Raio Negro, há nove anos, depois de ver os efeitos que isso teve em sua família, é obrigado a se tornar um vigilante novamente quando o surgimento de uma gangue local chamada “Os 100” leva ao aumento do crime e da corrupção em sua comunidade.

Crítica:

Depois de Arrow, The Flash, DC Legends of Tomorrow e Supergirl, mais um super heróis migra das HQs para a TV, e desta vez com algumas diferenças que são realmente bem interessantes e que difere bastante do universo The CW.  A série Raio Negro não conta a vida de um super herói, em sua primeira temporada, mas de um pai de família, com duas filhas e uma ex esposa, que largou o mundo do heroísmo, para ser um exemplo na vida social como atleta e diretor de uma escola em uma comunidade onde o tráfico domina a região. Apesar do peso que isso poderia ter, com citações claras a Martin Luther King, cenas fortes de tiroteios e agressões, Cress Williams (Prison Break) como Jefferson Pierce e Raio Negro traz uma consciência política e social para o personagem com uma profundidade que eu não esperava, mesmo na The CW. Este Raio Negro da DC Comics The CW lembra mais o estilo de personagens da Netflix Marvel, com poderes são bem limitados e muita atitude social. O personagem tem várias dúvidas de como usar melhor suas habilidades ou se deve usá-las e qual o resultado que isso traz para o ambiente que vive. Não há como não compará-la ao seu similar Marvel Luke Cage da Netflix. Mas a principal força da série está no personagem Jefferson Pierce, um pai, diretor de escola e o “Jesus Negro” de uma comunidade sofrida onde seu intelecto e relacionamento socail são sua principal força e reconhecimento. Pierce salvou mais gente como diretor de escola, tirando da miséria e dando oportunidades que o Raio negro salvando pessoas, simplesmente sensacional. Outro personagem forte está em Damon Gupton (Croiminal Minds) como Henderson, amigo de Pierce, é o policial que tenta resolver da maneira correta os crimes e denúncias que cercam o bairro.  Não posso deixar de citar James Remar (Dexter, Os Selvagens da Noite, Mortal Kombat e Django Vive) como Peter Gambi, um tipo de Alfred Pennyworth do Batman para o Raio Negro. Remar é um mega ator, envolvido em vários projetos e aqui se dá muito bem no personagem de apoio, que na verdade é o gênio por detrás da roupa e utensílios do herói.  Para terminar a bela Christine Adams (Batman Begins e Millenium) como Lynn Stewart, a ex esposa de Pierce. Infelizmente, conforme informado pelo presidente da The CW, Raio Negro não fará parte do Universo DC CW nesta primeira temporada. Algo justo para uma série menos, com apenas poucos capítulos, mas não necessariamente uma regra para as próximas temporadas.

Curiosidades:

Em setembro de 2016, depois de estar em vários estágios de desenvolvimento, a Warner Bros. Television começou a procurar uma emissora para Black Lightning. O projeto foi orientado por Mara Brock Akil e seu marido, Salim Akil. Eles estavam em parceria com Greg Berlanti, que estava por trás de várias séries da DC Comics para o estúdio. O projeto desembarcou na Fox com um compromisso de produção do episódio piloto, com Salim Akil previsto para dirigir. No entanto, a Fox optou por não avançar com o projeto, decidindo que não era “um bom ajuste em seu espaço já lotado do gênero drama”. A Warner Bros. Television ofereceu o projeto para outras redes, com a The CW emergindo como sua nova casa. A The CW encomendou oficialmente um episódio piloto para Black Lightning em fevereiro de 2017. A The CW também optou por descartar o roteiro original do episódio piloto, já que ele tinha sido escrito para a Fox e encomendou uma temporada completa de Black Lightning em 10 de maio de 2017. As filmagens do episódio piloto ocorreram em Atlanta, Geórgia, Estados Unidos, enquanto o traje do Raio Negro foi projetado por Laura Jean Shannon. A série estreou em 16 de janeiro de 2018. Há uma referência ao grupo Outsideres em uma cena na biblioteca onde uma aluna puxa a revista do bolso.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

NoSet é um lugar para se divertir e descobrir curiosidades sobre cinema, séries, HQ’s, games, músicas, livros e muito mais. Além de notícias você também pode ouvir nossas opiniões pelo podcast, sempre de um jeito inteligente e descontraído. Sejam bem-vindos e sintam-se na poltrona do seu cinema favorito.

Assinar NoSet por Email

Digite seu endereço de email para receber notificações de novas publicações por email.

Junte-se a 115.061 outros assinantes

Facebook

Copyright © 2016

Topo