Lucifer: 4ª Temporada na Netflix. - NoSet
Review

Lucifer: 4ª Temporada na Netflix.

Lucifer: 4ª Temporada na Netflix.

Com um cheiro de marketing, a recém cancelada e bem sucedida série Lucifer migra para sua quarta temporada para a Netflix. Lúcifer é uma série de TV da Fox, livre adaptação do personagem das HQs de Neil Gaiman, The Sandman, e das HQ´s de nome Lúcifer escritas por Mike Carey, do selo Vertigo. A série foi anunciada oficialmente em 09 de Maio de 2015, para temporada 2015 e 2016, cancelada em 2018 e revivida pela Netflix em 2019.

 

Lucífer: A Adaptação

Salve Nosetmaníacos, eu sou o Moura, seu crítico de séries, de volta ao Noset para falarmos do final season de Lucífer na 3ª temporada da Fox e sua 4ª temporada na Netflix. Lúcifer não faz o bem nem o mal, apenas é ele mesmo e faz um jogo que somente ele entende.  A série evolve crimes, polícia, máfia e casos religiosos, mas muito romantizada na relação de Lucifer com seu Pai e com sua parceira policial. Apesar de tudo, Lúcifer tem um interesse na raça humana e após arrancar suas asas, prefere viver entre os homens e planejar do que no inferno. Até onde percebi, a série não se baseia nas HQ´s da Vertigo, mas apenas usa a base do personagem, tendo sua própria identidade televisiva da onde acabamos de explicar para frente. Então não espere um ser cruel, mas muito mais um garoto mimado aprendendo a dividir.  Lúcifer continua em seu piano-bar chamado Lux, onde é mostrado como um personagem Niilista, a série se foca em discussões filosóficas sobre o livre arbítrio e com ele segue os personagens como Lilim Mazikeen uma serva apaixonada por ele, os personagens recorrentes são deuses pagãs como Izanami, Tsukoyomi, Susano, Loki e Fenrir, anjos como Duma, Ramiel e Miguel, demônios e até alguns dos Perpétuos como a Morte, Destino e Sonho, além de várias outras entidades místicas e outros personagens importantes.

Lucifer 3rd Season.

Lúcifer é uma série de americana de Tv em sua terceira, criada por Tom Kapinos que estreou sua primeira temporada em 2016. Protagonizada por Tom Ellis, é uma livre adaptação do personagem das HQs criadas por Neil Gaiman, um spin off de The Sandman, ambos publicados pelo selo Vertigo, uma marca da DC Comics.  Criado por Tom Kapinos, elenco Tom Ellis, Lauren German, Lesley-Ann Brandt, Kevin Alejandro, Rachael Harris, D. B. Woodside e Scarlett Estevez. Produzido por Jerry Bruckheimer Television, Vertigo (DC Entertainment) e Warner Bros. Television.

Sinopse:

Entediado e infeliz como o Senhor do inferno, Lúcifer abdica de seu trono e abandona seu reinado para ir para Los Angeles. Lá, dá início à boate Lux. Após presenciar um homicídio, Lúcifer conhece a linda e corajosa detetive Chloe que o fascina por sua coragem mas principalmente por parecer não cair em seus encantos um tanto naturais quanto sobrenaturais. Além de seu envolvimento com a polícia local, o Lúcifer faz um pacto com Deus para que sua mãe volte ao inferno, após resolver a questão, Lúcifer misteriosamente acorda no deserto com suas asa de volta.

Crítica:

Uma terceira temporada de altos e baixos, é assim que Lúcifer chega ao espantoso anuncio do final de sua trilogia na Fox, mantendo o charme da primeira, mas com uma história de vingança e ciúmes a um Pai Eterno desgastada, uma Mãe Eterna que foi para outra dimensão e seu irmão, agora sem poderes, que procura a redenção com seu Pai por pecados que não acreditam serem seus. A entrada de Tom Welling como o personagem bíblico Cain, Welling nosso eterno Superboy de Smallville, para o elenco principal como um triangulo amoroso entre Lucífer e Cloe, pouco mudou no contexto e não trouxe nenhuma surpresa para uma das melhores e mais divertidas séries baseadas nas HQs em suas duas primeiras temporadas. Como já disse, amo o elenco principal, Tom Ellis (Lucifer) nasceu para o papel, mesmo que faça um Lucífer infantilizado e não demoníaco, Lesley Ann Brandt (Mazikeen) também é ótima como a demônia punidora e sedutora, apesar de um pouco apagada nesta terceira temporada, assim como D.B. Woodside (Amenadiel), um charmosissimo anjo que busca sua redenção pelos poderes perdidos, outro assunto que parece ser esquecido no contexto da temporada, mas com uma solução prática no final. Não poderia deixar de falar da atriz mirim Scarlett Estevez (Trixie), que tem as melhores tiradas com o Rei do Inferno. Só que para surpresa geral, Lúcifer foi cancelado ao final da temporada. Com um tremendo cheiro de golpe de marketing, a Fox misteriosamente cancelou a quarta temporada de Lúcifer, fato confirmado pelo seu protagonista Tom Ellis em sua rede social, mesmo com uma boa audiência. Após uns quinze dias, a mesma Fox que cancelou a série, liberou para os histéricos fãs os dois primeiros capítulos de sua possível 4ª temporada, que já tinham sido filmados, e nós, fãs e saudosistas do personagem mais controverso da Vertigo\DC Comics, ficamos curiosos quanto ao incrível final da terceira temporada, onde finalmente Chloe Decker (Lauren German), descobre a verdadeira face de Lúcifer no episódio final. Ter a oportunidade de um fechamento para a série seria sensacional, mas… Então esqueça toda a esperança, porque em mais de uma hora em cada capítulo, nada disso é mencionado, ou melhor, apenas em um momento no capítulo 24, quando Chloe conversa com Ella Lopez (Aimee Garcia), a mesma menciona saber do fato. Fora isso, parece que nem Cloe ou Lucifer estão cientes ou se importam com o que ocorreu a revelação bombástica bíblica ou que os dois são perdidamente apaixonados um pelo outro, uma verdadeira decepção e perda de continuidade. Posso mencionar apenas que gostei do capítulo 25, uma verdadeira despedida dos atores, ao próprio Neil Gaiman (Criador do personagem) narrar com a voz de Deus uma história de contexto Efeito Borboleta onde o pai de Chloe nunca morreu e a mesma permaneceu atriz em Hollywood, uma verdadeira despedida onde quase todo o elenco, incluindo Amenadiel (D.B. Woodside), que tinha aparentemente se despedido da série junto com a Charlotte (Tricia Helfer), fazem uma participação especial.

Finalmente a verdade veio a tona. Em 15 de Junho de 2018 foi anunciado que a série Lúcifer, assim como seus direitos autorais, foram transferidos para a Netflix e terá sua 4ª temporada, seguindo o modelo do novo canal, com apenas 10 capítulos. Isso preocupa? Até que não, já que o mesmo efeito já tinha ocorrido com a série Supergirl, que saiu da NBC e veio para a The CW e também o personagem Constantine, do ator Matt Ryan, após o cancelamento da série em outro canal, o personagem migrou para um cross em Arrow e DC Legends of Tomorrow, e neste ano, será personagem principal da última mencionada. O que esperamos? Que a série explique a reação insossa de Cloe ao saber que Lucífer é o Pai de Todo Mal e o principal Demônio bíblico e não apenas o cara da porta ao lado, após sua revelação.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

NoSet é um lugar para se divertir e descobrir curiosidades sobre cinema, séries, HQ’s, games, músicas, livros e muito mais. Além de notícias você também pode ouvir nossas opiniões pelo podcast, sempre de um jeito inteligente e descontraído. Sejam bem-vindos e sintam-se na poltrona do seu cinema favorito.

Siga nosso Twitter

Assinar NoSet por Email

Digite seu endereço de email para receber notificações de novas publicações por email.

Junte-se a 115.755 outros assinantes

Facebook

Copyright © 2016

Topo