The Todd “Spawn” McFarlane: A História da Image Comics. - NoSet
Livros & HQs

The Todd “Spawn” McFarlane: A História da Image Comics.

Salve Nosetmaníacos, eu sou o Marcelo Moura e hoje falamos de mais um personagem famoso das HQs da Image Comics que já virou animação e teve uma versão em Live Action. 

Image Comics: É uma editora de HQs norte-americana fundada em 1992 por sete ilustradores e roteiristas saídos da Marvel Comics. Inicialmente a “Image Comics” era um selo da Malibu Comics. A editora passou a ser um local onde os criadores pudessem publicar o seu material sem ter que ceder os direitos autorais dos seus personagens. O sucesso da Image mudou significativamente a posição dos criadores na indústria das HQs nos anos 90, mas alguns conflitos entre seus sócios e a falta de experiência dos envolvidos contribuíram problemas futuros para a companhia. Nos primeiros anos de sua criação, a Image chegou a alcançar a posição de “segunda maior editora”, tendo ultrapassado a DC Comics na média de revistas vendidas mensalmente nos EUA, ficando atrás somente da Marvel. Atualmente, se posiciona regularmente como a terceira maior do mercado, atrás da Marvel e da DC, respectivamente, em primeiro e segundo lugar, competindo dessa forma, desde 2010, também com a IDW Publishing, e com a Dark Horse Comics. As suas séries mais conhecidas incluem Gen¹³, Savage Dragon, Spawn, WildC.A.T.s, Witchblade, Youngblood, ShadowHawk e mais recentemente Invincible, The Walking Dead, Saga e Haunt.

Todd McFarlane: Nascido em Calgary (Canadá) em 16 de Março de 1961, é um quadrinista, editor, desenhista, arte-finalista, roteirista, designer, artista plástico e empresário, fundador da Image Comics e de diversos outros empresas no ramo do entretenimento e da cultura pop. McFarlane começou nas HQs desenhando uma história de Scorpio Rose, na Revista da Marvel “Coyote”. Depois ele migrou para a DC comics, aonde desenhou Corporação Infinito e começou a ser conhecido pelos leitores. Depois, fez o belíssimo “Batman ano 2” para a DC, com uma de suas marcas registradas: capas imensas e esvoaçantes. A presença de McFarlane em Batman foi um dos fatores não creditados no processo de retorno do personagem à popularidade, sendo que apenas Frank Miller e Alan Moore recebem esta fama. Depois migrou novamente para a Marvel na série do “Hulk”, começando na edição 330. A partir de então ele passou a se tornar o favorito dos fãs. O estrondoso sucesso veio quando assumiu o título “Homem Aranha” no número 298. Reaproximou o personagem do estilo inicial, desenhando-o todo encurvado como uma aranha e imbuindo-lhe seus traços detalhados, levando seus leitores à um delírio visual. A contribuição mais marcante foi a sua versão “suja” da teia do Aranha, que de uma linha fabricada assumiu o aspecto de um fluido viscoso e meio gosmento, mais próximo de uma teia natural. Com a repercussão positiva desse trabalho, a Marvel lançou uma nova série do “Homem Aranha”, começando com uma nova edição número 1, fato que alavancou a popularidade do personagem gerando toda uma gama de produtos como desenhos animados, games bonecos, mochilas, e a especulação de um filme no início da década de 90. Recentemente, de fato foram produzidos filmes milionários do Homem-Aranha. Neles, muito dos movimentos do personagem e principalmente o formato da teia foram inspirados na fase desenhada por Todd McFarlane. Insatisfeito com as restrições da indústria, Todd McFarlane reuniu outros desenhistas e roteiristas para criarem sua própria editora, a Image Comics. Ilustradores de peso no mundo das HQs como Jim Lee, Jim Valentino, Rob Liefeld, Sam Kieth entre outros, que receberam total controle sobre suas criações e se associaram a MacFarlane. Outros desenhistas e roteiristas da Marvel e DC, seguindo o exemplo da “Image”, anos depois, e fundaram outra editora, a “Dark Horse” comics. Sua principal criação é o personagem “Spawn, o Soldado do Inferno”, que juntamente com o personagem Savage Dragon, de Erik Larsen, se tornou o “carro-chefe” da Image, sendo que até hoje as revistas de ambos os personagens são publicados pelo editora nos EUA e no Canadá.

Neil Gaiman: Gaiman entrou com um processo contra Todd McFarlane envolvendo três coadjuvantes da revista Spawn, Cogliostro, Spawn Medieval, Angela e Marvelman. 50% dos direitos de Marvelman era do Mcfarlane, 25% do Alan Moore e os outros 25% de Neil Gaiman. Moore cedeu seus 25% para Gaiman. Todd McFarlane fez um contrato verbal prometendo a Gaiman os outros 50% se ele criasse um personagem para a revista mensal do Spawn. Gaiman criou Ângela, Cogliostro e Spawn Medieval, Mas McFarlane não deu os 50% de Marvelman. Em 2002, Gaiman entrou com o processo contra McFarlane e ganhou. Gaiman, após ter os direitos de Ângela,  vendeu a toda poderosa Marvel. Ângela agora é uma meia irmã assassina de Thor e filha de Odin com uma Valkiria.

A Cria: “Spawn” conta a história de Al Simmons, soldado traído por seus superiores, que é assassinado.Faz um pacto com o demônio Malebolgia e retorna do túmulo 5 anos depois, com um corpo cadavérico feito de necroplasma e poderes mágicos. Sua esposa Wanda se casou com seu melhor amigo, Terry, e se torna principal fonte de angústia para o herói. Ele passa a viver nos becos de New York, se tornando amigo e protetor dos mendigos locais e sendo investigado por dois policiais que se tornam seus aliados, Sam e Twitch.

Spawn, o soldado do inferno (1997):

Direção Mark A.Z. Dippé, Roteiro Alan B. McElroy, Mark A.Z. Dippé e Todd McFarlane, Elenco John Leguizamo, Michael Jai White, Martin Sheen e Theresa Randle, Spawn, o soldado do inferno é um filme americano do gênero filme de terror, aptação para o cinema do personagem Spawn que é um personagem dos quadrinhos criado por Todd McFarlane em 1992.

Sinopse: Al Simmons, o mais profissional agente de uma organização americana, é traído e morto por Jason Wynn, seu maquiavélico chefe, e Jessica Priest, uma ambiciosa agente. Cinco anos mais tarde, ele faz um acordo com um dos demônios que comanda o inferno, Malebolgia, para voltar à Terra para ver Wanda, sua esposa, que agora está casada com Terry Fitzgerald, um antigo colega de Al. Em troca ele é transformado em Spawn, herói das trevas que busca vingar sua própria morte e serve às ordens do inferno.

Crítica: A Adaptação de Spawn para as telonas tem seus fãs e tem seus críticos. Os maiores problemas do filme dos anos 90 em geral são principalmente causados pelos efeitos especiais, que para época não ajudam muito, o falso clima de terror gótico juvenil que tenta agradar varias gerações, mas não funciona bem e do roteiro que está mais para um Batman do Tim Burton do que um Batman de Nolan. Spawn, He Man, Aço, Demolidor, Batman e Robin, são vários os filmes dessa geração que por tentar agardar a todos acaba por pecar e não agradar a ninguém. Isso só mudou com a geração Robert Downie Jr e seu Homem de Ferro, mas isso é outra história. Spawn acaba sendo mais uma Sessão da Tarde do que de um personagem violente, como o da série do Demolidor da Netflix. O filme foi uma das primeiras tentativas de uma adaptação para o cinema de um herói negro, mas infelizmente o resultado agradou a poucos. O roteiro apesar de seguir a linha o arco de criação do personagem, na telona não teve o mesmo efeito, principalmente pelo estilo de tomadas optadas pelo diretor Mark A.Z. Dippé, um diretor de filmes infantis e desenhos que optou por um estilo bem parecido ao seu nível e sem pretensões de algo grandioso. Com a expectativa de um sucesso estrondoso, o filme de orçamento baixo, US$ 40 milhões, alcançou apenas a bilheteria de US$ 90 milhões mundial e deixou MacFarlene bastante irritado ao ponto de dizer que filmes são um gasto de energia excessiva para resultados tão abaixo do esperado.

Spawn: O Soldado do Inferno (A Série Animada 1997/1999):

Sinopse: Al Simmons, o mais profissional agente de uma organização americana, é traído e morto por Jason Wynn, seu maquiavélico chefe, e Jessica Priest, uma ambiciosa agente. Cinco anos mais tarde, ele faz um acordo com um dos demônios que comanda o inferno, Malebolgia, para voltar à Terra para ver Wanda, sua esposa, que agora está casada com Terry Fitzgerald, um antigo colega de Al. Em troca ele é transformado em Spawn, herói das trevas que busca vingar sua própria morte e serve às ordens do inferno.

Crítica: As três minisséries de animação “Spawn” produzidas pelo canal HBO pelo contrário, demonstraram ter uma qualidade incontestável, tornando-se um sucesso de crítica. Sendo exibidas à meia noite, todo o roteiro adulto intrincado que não pode ser exibido no filme, foi imbuído na terrorífica e angustiante animação, sendo uma perfeita cópia de qualidade do original em quadrinhos.

Games: Spawn também pode ser encontrado em um série de Jogos como Spawn (Super NES), Spawn – The Eternal (PlayStation), Spawn – In the Demon’s Hand (Sega Dreamcast), Spawn – Armageddon (PlayStation 2, Nintendo GameCube, Xbox) e Spawn também aparece na versão de Xbox de Soul Calibur II.

 

Gostou da matéria, é só seguir o meu instagram para acompanhar lançamentos e opinar: https://www.instagram.com/marcelo.moura.1253/

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo