Pipoca & Nanquim: uma editora para todos conquistar... - NoSet
Livros & HQs

Pipoca & Nanquim: uma editora para todos conquistar…

O subtítulo deste post não existe à toa. A citação à obra máxima de J.R.R. Tolkien, O Senhor dos Anéis, mais especificamente o Poema do Anel, o qual diz:

Três Anéis para os Reis-Elfos sob este céu;
Sete para os Senhores-Anões em seus rochosos corredores;
Nove para os Homens Mortais fadados a morrer;
Um para o Senhor do Escuro em seu Escuro Trono,
Na terra de Mordor, onde as Sombras se deitam.
Um Anel para a todos governar, Um Anel para encontrá-los,
Um Anel para a todos trazer e na Escuridão aprisioná-los,
Na terra de Mordor, onde as Sombras se deitam.

E por que usar o trecho em negrito como referência à editora Pipoca & Nanquim? Simples. Ao contrário do que possa parecer, esta alusão é apenas para destacar a impressionante ascensão, fruto da qualidade das obras publicadas pela editora. Mas o que está por trás desse crescimento além da óbvia qualidade? Continuem comigo e eu explicarei cada detalhe…

De youtubers a empresários.

O trio que transformou um canal do Youtube em uma das mais prolíferas e respeitadas editoras de quadrinhos e livros do país, que completará três anos de existência em maio de 2020, tem um diferencial que outros editores não possuem: o conhecimento sobre aquilo que seus leitores realmente amam. Desde o ano de 2009 os amigos Alexandre Callari, Bruno Zago e Daniel Lopes discutem, analisam e influenciam compradores de quadrinhos e livros no Brasil. Entretanto, esse sucesso não veio à toa. A Trindade do Pipoca & Nanquim é dotada de um conhecimento incomum sobre HQ – já que não se restringem ao mainstream – e outras mídias relacionadas ao universo nerd. São, em resumo, apreciadores daquilo que seus compradores também apreciam.

Mas não podemos resumi-los a meros conhecedores do assunto. Eles têm noção também da escassez de boas obras em nosso mercado editorial. Nomes de peso da literatura e dos quadrinhos ficaram por décadas esquecidos em nosso país ou sequer foram publicados. Há, também, os que foram publicados parcialmente e vendidos como obras completas por editoras que lucravam com o desconhecimento da época, a ausência de informações e a ânsia por novos materiais por parte de leitores órfãos de boas leituras.

Como esses homens conseguiram sair do nicho do Youtube e se afirmaram como alguns dos mais respeitados editores do Brasil?

Bem, essa é uma questão relativamente simples, porém cheia de entrelinhas.

Alexandre, Bruno e Daniel sempre quiseram ter obras com ótimo acabamento e publicadas com o máximo de zelo em suas mãos. Isso, sejamos honestos, era algo muito difícil, principalmente se levarmos em conta que durante muitos anos os publicadores de quadrinhos não respeitavam muito os fãs desta arte. De qualquer forma, eles não se restringiram aos maus exemplos do passado e, indo na maré de novas editoras que apostam na excelência, criaram a editora Pipoca & Nanquim.

Mas nem só de capa dura e papel couché vive uma editora.

A Trindade do Pipoca tem um grande conhecimento sobre a Nona Arte. Mais do que simples leitores, eles se destacaram por conhecer tramas publicadas pela Marvel, DC, Image, Dark Horse e, sobretudo, por terem o conhecimento de histórias em quadrinhos que não faziam parte do mainstream, porém tinham uma qualidade indiscutível. Sendo assim, muitas vezes de posse dessas obras importadas, eles perceberam que havia um público consumidor para este material “high quality”, só faltava uma editora com coragem suficiente para ingressar nesse mercado promissor… mas pouco explorado, o que aumentaria o perigo de falha e até da falência do empreendimento.

Eles tinham grandes planos, um capital razoável e a disposição de arriscar tudo para trazer a outros leitores aquilo que eles gostariam: qualidade, obras não publicadas no Brasil (ou publicadas de forma desleixada) de autores e desenhistas renomados, mas infelizmente desconhecidos do grande público brazuca.

Outro diferencial: eles estabeleceram uma parceria que transformou seus produtos em exclusivos do site de vendas Amazon. Essa “exclusividade” (eles podem também vender pelo site do Pipoca) fez com que muitos custos fossem resumidos e trouxe clientes da Amazon para seus produtos. Jogada de mestre!

Já com uma plataforma gigante de vendas, contratos iniciais com autores de peso e o uso do próprio site e do canal do Youtube foram primordiais para o início do sucesso nas vendas. Claro que a qualidade, o próprio marketing deles (feito em seus vídeos) e a credibilidade deles como conhecedores de HQ foram motivos suficientes para que, ano a ano, a empresa ganhasse vulto e pertinência no mercado dos quadrinhos. Hoje, ouso dizer, o Pipoca & Nanquim é a melhor editora de publicações de quadrinhos de luxo da América Latina.

Topo