Obrigado Stan Lee - NoSet
Livros & HQs

Obrigado Stan Lee

Salve Nosetmaníaco. Eu sou o Moura (Instagram Marcelo.moura.1253) e nós, Geeks, Nerds e Fanboys, estamos de luto. A morte do nosso mestre Stan Lee, conhecido, junto a Jack Kirby e Steve Dtko,  como co-criado dos maiores heróis da Terra, Homem-Aranha, Quarteto Fantástico, X-Men, Hulk, Homem de Ferro, Thor, Demolidor, Doutor Estranho, Os Vingadores, Pantera Negra, Viúva Negra, Gavião Arqueiro, entre outros, nos deixou no dia 11 de Novembro de 2018 aos 95 anos. Nascido como Stanley Martin Lieber, em Nova Iorque, 28 de dezembro de 1922, foi um escritor, editor, publicitário, produtor, diretor, empresário e ator norte-americano.

Foi editor-chefe e presidente da Marvel Comics antes de deixar a empresa para se tornar presidente emérito da editora, bem como um membro do conselho editorial. Além disso, desafiou a censura da indústria de HQs americanas, o Comics Code Authority (matéria do assunto no site), indiretamente levando-a a atualizar suas políticas. Lee liderou a expansão da Marvel Comics de uma pequena divisão de uma editora para uma grande corporação de multimídia. Lee foi introduzido no Will Eisner Award Hall of Fame em 1994 e no Jack Kirby Hall of Fame em 1995. Lee recebeu uma National Medal of Arts em 2008.

Stanley Martin Lieber:  nascido em Manhattan, Nova Iorque, Estados Unidos, filho do casal Jack e Celia Lieber, ambos judeus imigrantes da Romênia. Seu pai, um alfaiate, e sua mãe, dona-de-casa, tiveram ainda mais um filho, Larry, nascido em 1931 (e que assim como o irmão mais velho também fez carreira no mundo das HQs).

A família de Lee era relativamente pobre, tendo ele morado boa parte da infância e da adolescência em um “quarto-e-sala” na região do Bronx, na periferia de Nova Iorque, em que ele e o irmão dividiam o diminuto e único quarto do apartamento e os pais dormiam em um sofá-cama na sala. Durante a adolescência, Lee estudou na DeWitt Clinton High School, também localizado no Bronx. Desde pequeno, Lee gostava de escrever e seu sonho durante a adolescência era escrever um dia um grande romance. Inteligente, Lee se formou na escola relativamente cedo, aos 15 anos, tendo trabalhado escrevendo obituários em jornais; entregando sanduíches para escritórios no Rockefeller Center; trabalhando de office boy para um fábrica manufatureira e como “lanterninha” do Teatro Rivoli na Broadway.

O primeiro texto publicado por Stan Lee na Timely foi uma história onde mostrou o escudo do Capitão América como uma arma de arremesso. Com a ajuda de seu tio Robbie Solomon, Lee tornou-se assistente em 1939 na editora Timely Comics, divisão de revistas pulps e revistas em quadrinhos de Martin Goodman, que na década de 1960, evoluiria para a Marvel Comics. Lee, cuja prima Jean, era a esposa de Goodman, foi formalmente contratado pelo editor da Timely, Joe Simon. Seu primeiro trabalho publicado foi uma conto ilustrado por Jack Kirby intitulado” “Captain America Foils the Traitor’s Revenge” , publicado em em Captain America Comics número 3 em maio de 1941, usando o pseudônimo Stan Lee.

Lee explicou mais tarde em sua autobiografia e várias outras fontes que ele pretendia salvar seu nome dado para mais trabalho literário. Esta história inicial também introduziu o uso do escudo do Capitão América como uma arma de arremesso.  Ele se formou a partir de escrever com HQs para preencher a revista na revista como Headline’ Hunter, Foreign Correspondent, publicada dois números depois. A primeira cocriação de super-heróis de Lee foi o Destroyer, em Mystic Comics número 6 em agosto de 1941. Outros personagens que ele cocriou durante este período, os fãs e historiadores chamam de Era de ouro das HQs americanas incluem Jack Frost, estreando em USA Comics número 1 em agosto de 1941 e Father Time, estreando em Captain America Comics número 6 em agosto de 1941. Quando Joe Simon e seu parceiro criativo, Jack Kirby, saíram no final de 1941, após uma disputa com Goodman, o editor de 30 anos nomeou Lee, com menos de 19 anos, como editor interino. Com um talento para o negócio que o levou a permanecer como editor-chefe da divisão de HQs, bem como diretor de arte durante boa parte desse tempo, até 1972, quando sucederia Goodman como publisher.

Lee ingressou no Exército dos Estados Unidos no início de 1942 e serviu nos como membro do Signal Corps, consertando postes telegráficos e outros equipamentos de comunicação. Mais tarde, foi transferido para a Divisão de Filmes de Treinamento, onde trabalhou escrevendo manuais, filmes de treinando, slogans e, ocasionalmente, fazendo cartoons. Sua classificação militar, ele diz, era “dramaturgo”; Ele acrescenta que apenas nove homens no exército dos Estados Unidos receberam esse título.

Vincent Fago, editor da seção “animation comics” do Timely, que publica quadrinhos de animais engraçados, preenchida até que Lee retornou de seu serviço militar na Segunda Guerra Mundial em 1945. Em meados da década de 1950, quando a empresa passou a ser conhecida como Atlas Comics, Lee escreveu histórias em vários gêneros, incluindo romance, faroeste, humor, ficção científica, aventura medieval, horror e suspense. Na década de 1950, Lee uniu-se ao seu colega de HQs Dan DeCarlo para produzir a tira de jornal, My Friend Irma, baseada na comédia de rádio estrelada por Marie Wilson. No final da década, Lee ficou insatisfeito com sua carreira e pensou em abandonar o ramo.

Stan Lee das HQs da Marvel: No fim da década de 1950, a DC Comics deu uma reanimada no gênero dos super-heróis com um sucesso imenso com o super time da Liga da Justiça da América. Em resposta, Martin Goodman, o publisher (chefe editorial) da Marvel, deu a Lee a tarefa de criar um time de super-heróis novo. Lee estava chegando aos 40 anos e se considerava velho para aquele tipo de trabalho, somente escrever HQs de super-heróis estereotipados. Foi então, no início dos anos 60, que sua mulher, Joan, sugeriu que ele deveria realmente criar seus próprios personagens, a seu modo. Não teria nada a perder, pois estava mesmo pensando em abandonar a carreira. Ele seguiu o conselho da esposa e, de repente, sua carreira mudou completamente. Com a ajuda de Jack Kirby, Lee deu a seus novos super-heróis sentimentos mais humanos, uma mudança de seus outros heróis que eram tipicamente escritos para pré-adolescentes. Seus heróis tinham um temperamento ruim, ficavam melancólicos, cometiam erros humanos normais. Preocupavam-se em pagar suas contas e impressionar suas namoradas, e às vezes ficavam até doentes fisicamente.

Os super-heróis de Lee capturaram a imaginação dos adolescentes e jovens adultos, e as vendas aumentaram drasticamente. O primeiro trabalho conjunto entre Lee e Jack Kirby foi o grupo de super-heróis conhecido como O Quarteto Fantástico. Sua popularidade imediata fez com que Lee e os ilustradores da Marvel produzissem vários novos títulos. Lee criou o Incrível Hulk, o Homem de Ferro, Thor e os X-Men com Kirby; Demolidor (Daredevil) com Bill Everett; Doutor Estranho e o personagem de maior sucesso da Marvel: o Homem-Aranha, criado com Steve Ditko. E também criou o Capitão Marvel (Marvel Comics), pois existiam em outras editoras como a Fawcett Comics que possuíam heróis com o nome de Capitão Marvel, então para não usar o nome ‘Marvel’ em um personagem que não fosse da Marvel Comics. foi feito para Marvel seu próprio Capitão Marvel. Pela década de 1960, Lee escreveu, coordenou a arte e editou a maior parte das séries da Marvel, moderou as páginas de cartas e escreveu uma coluna mensal chamada “Stan’s Soapbox”, escreveu muito material promocional, sempre assinando com a frase que é sua marca registrada: “Excelsior!”.

Nos últimos anos, Lee tornou-se um ícone e a cara pública da Marvel Comics. Ele faz aparições em convenções de HQs pelos EUA, palestrando e participando em discussões. Também mudou-se para a Califórnia em 1981 para desenvolver as propriedades de televisão e filme da Marvel. Lee também apareceu em Os Simpsons e fez a voz de um personagem na série animada produzida pela MTV do Homem-Aranha. Durante a revolução ponto com da Internet, ele criou o StanLee.net, que pertencia a uma companhia separada e administrada por outros que tinha como conceito misturar animação online com tiras de quadrinhos tradicionais, mas infelizmente a companhia ficou conhecida pela sua administração mal-feita e irresponsabilidade financeira. Na década de 2000, Stan Lee fez seu primeiro trabalho para a DC Comics, lançando a série Just Imagine… (“Apenas Imagine…”), na qual Lee reimaginava vários super-heróis incluindo Superman, Batman, Mulher Maravilha, Lanterna Verde e Flash.

Lee também criou a série animada para adultos Stripperella para a Spike TV e em 2004 anunciou planos para colaborar junto com Hugh Hefner em uma série animada das coelhinhas da Playboy. Em agosto de 2004, Lee anunciou o lançamento da “Stan Lee’s Sunday Comics”, para serem hospedadas pelo Komikwerks.com, onde assinantes mensais poderão ler uma nova e atualizada história todo domingo. Em 2006 Stan criou e participou do reality show Who Wants to Be a Superhero?. Em Abril de 2008, na New York Comic Con, a Viz Media anunciou que Lee e Hiroyuki Takei estava colaborando no mangá Karakuri Dôji Ultimo, da empresa-mãe Shueisha. Em 2009 roteirizou o mangá Heroman, ilustrado por Tamon Ohta, em 2011 roteirizou o musical The Yin and Yang Battle of Tao.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo