Coleção "A lenda do Batman" pela Eaglemoss/Planeta DeAgostini. Vale o investimento? - NoSet
Lançamentos

Coleção “A lenda do Batman” pela Eaglemoss/Planeta DeAgostini. Vale o investimento?

Caso você seja um fã dos quadrinhos, provavelmente ouviu algo sobre o encerramento de coleções por parte da Salvat (Tex, Homem-Aranha, Marvel Graphic Novels). Algumas dessas formam lombadas especiais, ampliando o número de colecionadores e a responsabilidade da própria editora. Por motivos abaixo listados, a editora encerrou algumas coleções, mesmo sob o protesto de vários leitores, e está investindo em outros produtos. Em suma, o prometido ao leitor não foi cumprido.

Eis a nota oficial da editora Salvat:

Caros colecionadores,

Como vocês têm acompanhado, passamos por dificuldades no processo de distribuição ao longo de 2018, que culminaram em pausas nas entregas por alguns meses.

Esse cenário trouxe um impacto direto em nosso planejamento editorial e logístico, e por isso será necessário realizar algumas mudanças:

Em bancas:

– A extensão da coleção Marvel Black irá até a edição #135, e não #150, como prevista inicialmente. As entregas para as bancas serão semanais a partir da edição #124.

– A Coleção do Homem-Aranha será descontinuada, sendo a #40 a última entrega para as bancas, e as entregas para as praças de Fase 2 estão com periodicidade semanal.

– A Coleção Marvel Red seguirá o planejamento inicial e encerrará na #100, conforme previsto. As entregas para as bancas serão semanais a partir da edição #84.

Assinaturas:

– A Coleção do Homem-Aranha será descontinuada, sendo a #40 a última edição inédita.

– A Coleção Marvel Red seguirá o planejamento inicial e encerrará na #100, conforme previsto.

Todos os assinantes receberão com o seu último pacote os próximos passos para solucionar a pendência referente ao saldo financeiro da sua assinatura, e poderão entrar em contato com a central do assinante em caso de dúvidas referentes ao status do seu pacote.

Entendemos o quanto essas notícias podem ser frustrantes, e sentimos muito pelo inconveniente.

Desde já agradecemos pela compreensão de todos e nos colocamos à disposição para atendê-los.

Claro que a Salvat e a Eaglemoss/Planeta DeAgostini são editoras diferentes, mas é válido lembrar que a Eaglemoss não apresenta boa reputação conforme o Reclame Aqui e talvez por isso tenha usado a DeAgostini como distribuidora de seus produtos. Atualmente a Planeta DeAgostini está com boa reputação no Reclame Aqui e até mesmo com os colecionadores, o que não apaga um passado de coleções interrompidas. E o que isso tudo quer dizer? Simplesmente que o histórico de coleções de HQ de luxo no Brasil não é digno de confiança por parte dos consumidores. Acrescento a isso o fato de que a Abril cancelou coleções inteiras da Disney há pouco tempo (Biblioteca Don Rosa e Coleção Carl Barks, Os Anos de Ouro de Mickey, entre outras) e, tal como a Salvat (cancelou A coleção definitiva do Homem-Aranha, A coleção oficial de graphic novels Marvel e Tex Gold – vide aviso acima) não apresentou qualquer explicação prévia.

Outro fator preocupante é a famosa lombada pôster (a coleção completa forma uma imagem relativamente simples). As coleções Salvat que se propuseram a isso, exceto a coleção Marvel Red, foram uma decepção e o colecionador ficou com a imagem incompleta e a insatisfação por isso.

Esses fatores são suficientes para condenar a iniciativa da Eaglemoss/Planeta DeAgostini? Não! Foi por isso que comprei o primeiro volume da coleção do Batman e analisei a estrutura da mesma para comparar com outras edições lançadas por editoras como a Pipoca & Nanquim, Darkside e a Panini (atuais líderes de venda no mercado de quadrinhos de luxo. Afinal, graphic novels em capa dura no país são um luxo, principalmente se levarmos em conta a baixa renda do brasileiro (no geral) e os aumentos de preço ao longo das coleções (a primeira edição começa com atrativos R$ 9,90, a segunda salta para R$ 29,90 e da terceira em diante o preço chega a R$ 44,90) é sempre algo difícil de sustentar. Algumas coleções deste gênero já chegaram a absurdos R$ 69,90 e outras foram estendidas sem consulta prévia ao consumidor.

Então, já com a edição número 1 – são 100 números no total – iniciei a leitura do material. O primeiro volume é o encadernado da história Batman e Filho, a trama onde Bruce Wayne conhece seu filho Damian, treinado pela Liga dos Assassinos. A história é muito interessante e conta com roteiro de Grant Morrison e arte de Andy Kubert. Um começo promissor, certo? Acrescentemos a isso um valor atrativo de menos de 10 reais. Pronto, eis uma fórmula de sucesso.

Mas…

Fui obrigado a analisar com muito mais afinco essa edição, já que pagaremos ao menos R$ 4.395,10 (quatro mil, trezentos e noventa e cinco reais e dez centavos) ao final das 100 edições (quinzenais!). Isso sem contar com um único centavo de aumento. É um investimento pesado e precisa ter muita qualidade para valer o esforço.

O primeiro ponto negativo está no acabamento da edição 1. Não houve um corte correto na Guarda (vide fotos 1 e 2). O segundo está na gramatura baixa do papel couché, o que deveria tornar o produto mais barato. A seguir é possível notar que não há quaisquer extras na edição (sketchs, capas alternativas ou artes adicionais, por exemplo), mas há 10 páginas idênticas em marca d’água que são absolutamente desnecessárias (foto 3). Essa primeira edição também é constituída de uma história relativamente curta e não finalizada. Ainda que a coleção da Salvat capa preta tenha acabado, esta apresentava uma qualidade bem superior. Também encontrei um pequeno erro de grafia (foto 4), o que me levou a questionar – novamente – a qualidade das revistas nacionais que quase sempre apresentam erros brutais de português e revisão de texto.

                                                                                                                                          Foto 1: falha no acabamento.

                                                                                                                                                Foto 2: acabamento correto.

                                                                                                Foto 3: repetição de uma marca d’água ao invés de inserção de extras.

 

                                                                                                                                                                            Foto 4: erro de grafia.

Caso você esteja pensando em formar a coleção por conta de histórias nunca publicadas, a boa notícia é que A Queda do Batman e arcos como Batman – Chuva Rubra estarão presentes. Em contrapartida, arcos como Cataclismo, Terra de Ninguém, A Piada Mortal, Ano Um, O Cavaleiro das TrevasO Longo dia das Bruxas, Silêncio, Batman: O Que Aconteceu ao Cavaleiro das Trevas?, Morte em Família, Gotham City: 1889, Batman: Terra Um, A Corte das Corujas, Guerra ao Crime, Asilo Arkham: Uma Séria Casa em um Sério Mundo, Batman: Preto & Branco, O Homem que não estava lá, Gotham DPGC, entre outras, já foram publicadas, inclusive em versões “definitivas”. Isso significa que teremos muitas edições repetidas ou algumas das melhores histórias e arcos estarão fora da coleção. Eu não acredito que valha investir tanto dinheiro por causa de uma lombada ou só para ter a coleção. Edições como as acima citadas são verdadeiras obras de arte e têm qualidade superior às edições desta coleção Batman.

A Eaglemoss oferece aos assinantes alguns brindes para incentivar a compra. Quem curte isso certamente receberá bons brindes, o que não implica em minimizar nenhum dos argumentos já apresentados quanto à qualidade e ao preço final da coleção. Cuidado para não ser seduzido por esse brindes, pois para receber todos eles é preciso permanecer como assinante. A lista de brindes e benefícios ao se tornar assinante da coleção contém informações falsas que conduzem o consumidor a adquirir o pacote com base em dados errados, conforme quadro abaixo presente no próprio site da coleção…

Enfim, por mais argumentos que eu apresente, a escolha final ficará a cargo do comprador, do colecionador. Relembro que apesar da aparente beleza da coleção, a qualidade no geral é mediana, já encontrei erros ortográficos e a primeira edição foi, no mínimo, decepcionante nos quesitos qualidade e edição (isto é, compilar a trama de forma a manter a coesão da narrativa). Ao juntarmos isso ao passado das duas editoras, ficará cada vez mais difícil acreditar que essa não é uma coleção voltada apenas ao lucro bruto, outro caça-níquel em pleno ano de comemoração dos 80 anos do Batman.

Make your choice…

Topo