Bloodshot: Das HQs ao Cinema. - NoSet
Livros & HQs

Bloodshot: Das HQs ao Cinema.

Salve Nosetmaniacos, eu sou o Marcelo Moura e hoje vamos falar de Bloodshot, um super-herói das HQs da editora americana Valiant Comics que promete concorrer com as Grandes DC Comics (Warner Bros) e Marvel Comics (Disney).

Bloodshot: Bloodshot foi criado por Kevin VanHook , Don Perlin e Bob Layton durante uma onda de popularidade da Valiant Comics.  O nome do personagem foi sugerido pelo artista David Chlystek  e apareceu pela primeira vez nas HQs da Eternal Warrior número 4 (novembro de 1992 ), antes de fazer sua primeira aparição completa no Rai número 0 (novembro de 1992), uma semana depois. Bloodshot é um ex-soldado com poderes de regeneração e metamorfose possibilitado através de nanites injetadas em seu sangue, daí o nome Bloodshot. Depois de ter sua memória apagada várias vezes, Bloodshot tenta descobrir quem ele realmente é e se vingar daqueles que fizeram isso com ele. Uma mistura de franquias milionárias como Robocop, Wolverine, Soldado Universal e Bourne, teremos esse novo super herói praticamente imortal e sem memória. A corrente sanguínea de Bloodshot contém um bilhão de nanobots, permitindo que ele se cure de lesões rapidamente, faça interface com a tecnologia e modifique sua massa. O programa do Project Rising Spirit para criar o melhor soldado remonta décadas e alcançou seu maior ponto na Segunda Guerra Mundial. Embora resultados iniciais do programa tenham sido grosseiramente aprimorados e soldados de infantaria altamente dispensáveis, adequados apenas para os cenários mais simples, esses soldados foram capazes de concluir missões de alta dificuldade, independentemente de quaisquer obstáculos. Ao longo das décadas, esses resultados garantiram que o programa “Bloodshot” fosse consistentemente destinado ao desenvolvimento futuro e continuasse a abrir novos caminhos.

Ao longo das décadas de 1970, 1980 e 1990, o PRS redefiniu a nanotecnologia que alimentaria o Bloodshot e desenvolveu um novo sistema de inteligência artificial que lhe permitiu ser implantado em uma ampla gama de missões de contra-inteligência e espionagem fora do campo de batalha. Enquanto Bloodshot era autoconsciente até certo ponto, ainda se considerava que o híbrido homem-máquina infligia inaceitavelmente altos níveis de danos colaterais. Em 2007, outro cientista do PRS, Dr. Emmanuel Kuretich, descobriu a intenção de seus empregadores de redirecionar o programa Bloodshot para uma nova área: o direcionamento e a captura das crianças extremamente raras e psionicamente chamadas “psiots”. Alarmado, Kuretich fugiu do PRS para a Harbinger Foundation de Toyo Harada, onde secretamente começou a elaborar um plano para desfazer o PRS. Vários anos depois, durante uma missão de rotina no Afeganistão, Bloodshot é capturado por Kuretich, que extrai à força os registros das suas missões com a intenção de expor o Project Rising Spirit ao mundo. O processo, no entanto, desbloqueia todas as falsas memórias, que foram usadas para motivá-lo em zonas de guerra em todo o mundo, de uma só vez. O PRS, temendo que Bloodshot finalmente tenha se tornado um inimigo, decide controlá-lo, mas ele escapa com a ajuda de um motorista de ambulância chamado Kara Murphy antes de finalmente retornar ao PRS para descobrir a verdade por trás de sua identidade. Apresentado por Kuretich, Bloodshot ataca uma instalação de PRS em Nevada, mas encontra apenas a seção conhecida como Creche construído para abrigar as crianças. Para libertar os cativos do berçário, o verdadeiro objetivo de Kuretich e Harada o tempo todo, Bloodshot é forçado a combater o sádico psi carcereiro do Nursery, Gamma, e o esquadrão de cyborg. Bloodshot liberta as crianças em cativeiro, incluindo a geração Zero, uma ação que desencadeia inadvertidamente uma reação em cadeia de eventos que culminariam nas Guerras Harbinger na Las Vegas Strip.

Bloodshot: adaptação certeira que une tecnologia a um bom roteiro.

Curiosidades: Bloodshot é um dos personagens mais vendidos da Valiant, com vendas totais em todos os idiomas, chegando a sete milhões de HQs. Pouco antes da estréia da série Bloodshot, o personagem-título fez duas aparições introdutórias nos títulos populares Rai e Eternal Warrior. Com base nessas aparências, houve uma onda de demanda para o personagem retornar e grande expectativa para a edição principal. Bloodshot número 1 (fevereiro de 1993) foi uma HQs muito esperada que se tornou uma edição mais vendida e acabou vendendo aproximadamente um milhão de cópias. A série original foi escrita por Kevin VanHook e desenhada por Don Perlin. A edição de estréia apresentava a primeira capa de quadrinhos “Chromium”.  O Bloodshot número 1 (julho de 2012) foi premiado com “Melhor HQ” pela Diamond Comic Distributors (principal distribuidor da indústria de quadrinhos americana) e “Melhor Inovação” por sua capa de cromo. Bloodshot foi nomeado uma das dez melhores séries de quadrinhos de 2012 por Nerdage. Um filme baseado em Bloodshot, estrelado por Vin Diesel, está programado para ser lançado nos Estados Unidos em 13 de março de 2020 pela Sony Pictures Releasing . Ele pretende ser a primeira parcela de uma série de filmes ambientados em um universo cinematográfico compartilhado da Valiant Comics. Dirigido por David SF Wilson (em sua estréia na direção de cinema) a partir de um roteiro de Jeff Wadlow e Eric Heisserer e uma história de Wadlow, o filme é estrelado por Vin Diesel , Eiza González , Sam Heughan , Toby Kebbell e Guy. Pearce .

A crítica do filme no Noset será lançado por um fã de HQs, o mestre dos magos do cinema, o escritor, critico e meu melhor amigo, Mrs. Franz Lima. Gostou da matéria, é só seguir o meu instagram para acompanhar lançamentos e opinar!

Para comemorar a estreia nos cinemas de “Bloodshot”, novo filme estrelado por Vin Diesel, a Sony Pictures e a Social Comics, que possui em sua plataforma a HQ Bloodshot, fizeram uma parceria para liberar de forma gratuita as edições 0 e 1 da HQ junto com um dossiê completo de informações sobre o personagem. As publicações estarão disponíveis por um mês, sem a necessidade de inscrição.

Topo