Batman: A Piada Mortal (Animação 2016): - NoSet
Anime

Batman: A Piada Mortal (Animação 2016):

Salve Nosetmaníacos. Noset assistiu a animação e indica.

batman_the_killing_joke_1280x1024

Batman: The Killing Joke (Animação 2016):

Direção Sam Liu e Bruce Timm, produção Bruce Timm, Alan Burnett e Sam Register, roteiro Brian Azzarello, elenco Kevin Conroy, Mark Hamill, Tara Strong e Ray Wise, produção DC Comics e Warner Bros. Animation, distribuição Warner Home Video.

batgirl-batman-hed

Sinopse: Batman: The Killing Joke conta a história de origem do Coringa, um dos maiores inimigos do Batman, que após se tornar um comediante falido se une a vários criminosos para um grande ato. No presente, para provar sua insanidade ele sequestra Jim Gordon e ataca brutalmente algo que o atormentara para sempre; sua filha Barbara. Batman vê a situação e terá que enfrentar mais uma vez o seu inimigo mais mortal.

batman-the-killing-joke

Batman: The Killing Joke (Graphic Novel -1988):

Batman: The Killing Joke é uma Graphic Novel escrito por Alan Moore e desenhado por Brian Bolland e publicada pela DC Comics em 1988. Batman: The Killing Joke decorre em Gotham e dá uma história de origem para ao Coringa, descrevendo-o como um comediante fracassado que concorda em ajudar um grupo de criminosos e é impedido pelo Batman antes de ficar desfigurado, resultado de sua fuga da fábrica de cartas. Criada como a versão de Moore sobre a psicologia e a fonte do Coringa, esta história se tornou famosa pela origem do Coringa como um personagem trágico, um homem de família que falhou como comediante e protetor, e que “um mau dia” o levou à loucura. Os efeitos da história na continuidade do Batman inclui ainda o tiroteio e paralisia de Barbara Gordon, também conhecida como Batgirl, um evento que criou as fundações para o desenvolvimento da identidade da Oracle. A HQ Ganhou o Prémio Eisner para ‘Melhor Álbum Gráfico’ em 1989 e apareceu na lista dos mais vendidos do The New York Times em Maio de 2009. O IGN colocou-o em terceiro na sua lista dos “25 Melhores Romances Gráficos do Batman”, atrás do Cavaleiro das Trevas Retorna e Batman: Ano Um.

how-deadpool-paved-the-way-for-the-killing-joke-movie-and-the-darkest-joker-yet-854461

Crítica: Sem spoilers, se isto é possível, a animação de The Killing Joke é uma bela homenagem em 2016 ao premiado arco de Alan Moore de 1998, mas com pouco a acrescentar ao trabalho do mega roteirista. Houve uma grande agitação dos fãs quanto ao fato da animação ter cenas de sexo entre Batman e Batgirl, as cenas do possível estupro do Coringa a Barbara Gordon, as imagens projetadas pelo Coringa no parque da Barbara ao Comissário Gordon e o fato da animação ter censura de 18 anos. Tudo perda de tempo, porque a animação segue os mesmo preceitos das outras produções da Warner e DC, além de no máximo aparecer um sutiã e uma sensualização no telhado, tudo continua igual ao de sempre, sem sustos. De qualquer maneira, fiquei muito satisfeito com o que eu vi. A adaptação é muito bem feita e quase 100% fiel a HQ, com um roteiro inteligente que preenche os quase 90 min de uma HQ, mérito realmente para o personagem pré Coringa e a história contando o relacionamento de Batman e Batgirl, um prelúdio a história principal. Simplesmente sensacional a criação do mito do Coringa deixando Batman em segundo plano e para quem reclamar que não apareceu o Robin, preste bem atenção na aparição de Jason Todd (Uma Morte em Família), na tela do computador na Batcaverna, assim como outros momentos e outras referências, dá a entender que está sequência é posterior a Uma Morte em Família. Novamente, gostei muito do roteiro, mostrando a relação de amor e ódio de Batman e Coringa, do respeito, se assim podemos dizer, entre os adversários e quanto o Batman tem medo do caminho que o Coringa o força a trilhar, quase um prelúdio a Graphic Novel Arkham City. Não vou dizer que eu esperava cenas mais fortes e mais reveladoras, foi na medida para quem leu a HQ e saiu satisfeito com o respeito ao trabalho original.

joke-banner-3-15

Curiosidades: Em 2011 durante a San Diego Comic-Con International , o ator Mark Hamill , que queria parar de dublar o Coringa na época, afirmou que ele estaria disposto a voz do Coringa para uma adaptação de A Piada Mortal , encorajando os fãs a fazer campanha para a referida adaptação, mais notavelmente em um Tweet em 24 de outubro de 2011. Desde então, uma pagina no Facebook intitulada como “Petição para obter Mark Hamill duble o Coringa na animação de Piada Mortal” foi criada por seus fãs . Em 2013, Bruce Timm também expressou o desejo de criar o projeto, dizendo que era apenas uma possibilidade. Em 10 de julho de 2015, durante o painel de Liga da Justiça: Deuses e Monstros na San Diego Comic-Con, Timm anunciou que uma animação baseado no romance estava em desenvolvimento e programado para ser lançado em 2016. Sam Liu iria dirigir e Timm seria o produtor executivo. A animação contará com a 15 minutos de prólogo que define a história. Em 17 de julho, Hamill twittou que ele tinha seus “dedos cruzados” na esperança de que iria ser escolhido para reprisar seu papel como o Coringa. Em 27 de julho, o Collider.com informou que Hamill seria o dublador do Coringa no filme e a ComicBook.com falou com Kevin Conroy , que afirmou que ele iria reprisar seu papel de voz como Bruce Wayne / Batman “em um piscar de olhos”. Embora o Collider relatou que Hamill ia reprisar o papel para o filme, o próprio Hamill afirmou que ele ainda tinha seus dedos cruzados. Em 14 de Março, de 2016, foi anunciado oficialmente que Conroy e Hamill iriam reprisar seus papéis como Batman e Coringa, respectivamente, na animação ao lado de Tara Strong voltando com a voz Barbara Gordon e Ray Wise dublando o Comissário Gordon. O resto do elenco de voz foi revelado na da Apple iTunes do lançamento digital do filme. Em janeiro de 2016, Timm revelou que o filme seria exibido na San Diego Comic-Con, em julho. Ele acrescentou que a equipe teve que “acrescentar muito mais história” para o filme devido à duração não ser tempo suficiente para fazer um filme de longa-metragem. Em fevereiro de 2016, o artista conceitual Phil Bourassa revelou que, em 2009, Timm foi programado para produzir uma versão de classificação R-Rated de Piada Mortal, mas o desenvolvimento do filme foi parado depois de duas semanas devido ao baixo desempenho de Watchmen , ao mesmo tempo, mostrando a arte conceitual do Coringa. Em abril, a Warner Home Video confirmou que o filme será o primeiro filme da DC Universe animated filmes originais da série e do primeiro filme Batman animado para receber uma classificação R da MPAA , com a Warner Bros. Animation e o presidente da Warner Series digital Sam Register explicando: “desde o início da produção, nós incentivados o produtor Bruce Timm e nossa equipe da Warner Bros. Animation a permanecer fiel à história original, independentemente da eventual classificação MPAA … Nós sentimos que era nossa responsabilidade de apresentar o nosso público principal com um filme de animação que autenticamente representado o conto que eles sabem muito bem .”

Untitled-28
Att.
Marcelo The Moura.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo