Capitão Harlock: Pirata do Espaço (Do Mangá a Animação na Netflix) - NoSet
Anime

Capitão Harlock: Pirata do Espaço (Do Mangá a Animação na Netflix)

Salve Nosetmanícos: Noset assistiu a animação e achou interessante.

c1

Capitão Harlock: Pirata do Espaço (2013): Direção Shinji Aramaki, roteiro Harutoshi Fukui e Kiyoto Takeuchi, história Harutoshi Fukui, baseado em Capitão Harlock e a Nave Arcádia de Leiji Matsumoto, produzido pela companhia e produtora Toei Animation.

c4

Produção: Em 2010, a Toei Animation anunciou um piloto para a refilmagem em computação gráfica e apresentou-o na feira de exposição Tokyo International Anime Fair, no mesmo ano. No ano seguinte foi apresentada um trailer do filme no Festival de cinema de animação de Annecy. Este foi o segundo maior orçamento de produção da Toei Animation, equivalente a mais de 30 milhões de dólares. A história foi reconstruída pelo roteirista Harutoshi Fukui para refletir os temas da sociedade moderna, desde a mais recente tecnologia de produção de filmes da Toei para o cinema. Um teaser narrado em inglês foi lançado para promover o filme. O filme foi exibido no 70º Festival de Veneza e também no 33º Festival Internacional de Cinema de Havaí. Apesar da resposta negativa dos críticos, o filme foi nomeado para o Prêmio da Academia Japonesa de Melhor Animação do Ano e ganhou o prêmio Lumière pela Melhor Longa-Metragem Internacional em 3D – na categoria Animação e o Prêmio de Artes Criativas em 3D, em 2014.

c11

Enredo: Num futuro distante, a Terra se torna um “Planeta Proibido” para os seres humanos espalhados no espaço. O planeta não tem recursos suficientes para acomodar toda a humanidade. O comandante da nave espacial Arcádia, o Capitão Harlock, é um pirata espacial que ama a liberdade. Condenado à morte, ele começa a viver escondido. Harlock escolheu enfrentar a Coalizão GAIA. O jovem Yama, que é o irmão do almirante chefe das forças espaciais da Terra, é enviado à GAIA para se infiltrar no grupo, destruir a nave e matar Harlock. Yama não demorou muito para descobrir o objetivo de Harlock, que é implantar a 99ª, a bomba espaço-tempo para cortar as relações temporais do universo. Enquanto Arcádia está indo para a Terra, os terráqueos chamam as principais forças espaciais para destruírem a nave Arcádia. Foi então que Yama entra em contato com seu irmão para explicar que ele está convencido de que Harlock quer o bem da humanidade e decide não matá-lo. O almirante revela a seu irmão sobre o século passado, que o Capitão Harlock tinha destruído a Terra com a “matéria negra” (fornecida pela misteriosa Mîmé), tornando a Terra um planeta morto e estéril. E hoje Harlock busca reparar seu erro por acabar connosco na época.

c2

Recepção: O filme recebeu críticas mistas. Em 29 de setembro de 2013, o filme arrecadou ¥437,326,416 na bilheteira japonesa. O filme é um dos maiores sucessos exibidos na Itália, arrecadando US$6.8 milhões em janeiro de 2014.O filme foi reconhecido como o melhor filme internacional de animação na quinta anual Premiação de Artes Criativas em 3D realizada no Warner Bros. Studios em Los Angeles em 28 de janeiro de 2014. Foi nomeado para o Prêmio da Academia Japonesa de Melhor Animação do Ano no 37º Prêmio da Academia Japonesa.

c3

Toei Animation: A Tōei Animation é um estúdio de animação que faz parte da Toei Company. A Toei Animation é o maior estudio Anime do mundo. Hayao Miyazaki, Isao Takahata e Yoichi Kotabe já trabalharam na Toei Animation.

c6

Animes Produzidos (1960 – 2016):
Década 60:
Ken, o Menino Lobo (1963-1965), o Menino Ninja (1964-1965), Patrulha Espacial Hopper (1965-1996), Hustle Punch (1965-1966), Esquadrão Arco-Íris (1966-1967), A Princesa Pirata (1966-1966), Sally, a Bruxa (1966 – 1968), Pyunpyunmaru (1967-1967), Ge Ge Ge no Kitaro (1968-1969), Cyborg 009 (1968-1968), Akane-chan (1968-1968), O segredo de Akko-chan (1969-1970, 1988-1989, 1998-1999), Mohretsu Atarou(1969-1970) e Tiger Mask (1969-1971).

c8

Década 70:
Demon Kick (1070-1971), A mágia de Mako-chan (1970-1971), Sarutobi Ecchan (1971-1972), Apacchi Baseball Team (1971-1972), Ge Ge Ge no Kitaro (1971-1972), Genshi Shonen Ryu (1971 – 1972), Mahou Tsukai Chappy (1972-1972), Devilman (1972-1973), Mazinger Z (1972-1974), Babel Ni-Sei (Babel II “O Segundo” e OVA: 1973-1973), Microid S (1973-1973), Miracle Shoujo Limit-chan (1973-1974), Dororon Enma-kun (1973-1974), Cutey Honey (1973 – 1974), Majokko megu chan (Little Witch Meg) (1974-1975), Getter Robo (1974-1975), Calimero (1974-1994), Great Mazinger (1974-1975), A Casa Pacifica do Jovem Tokugawa (1975-1975), Getter Robo G (1975-1976), Koutetsu Jiigu (Steel Jeeg de 1975-1976), UFO Robo Grendizer (1975-1977), Ikyuu-san (1975-1982), Daikuu Maryuu Gaiking (1976-1977), Machine Hayabusa (1976-1976), Chou Denjin Robo Combattler V (1976-1977), Magne-Robo Ga-kin (Magnetic Robot Ga-kin) (1976-1977), Candy Candy (1976 – 1979), Jetter Marusu (1977-1977), Wakusei Robo Danguard Ace (Planetery Robot Danguard Ace) (1977-1978), Cho Denjin Machine Voltes v (1977-1978), Choujin Sentai Baratack (1977-1978), Arrow Emblem Grand Prix Taka (Hawk) (1977-1978), Captain Harlock (1978 – 1979), Bravo Comandante Daimos (1978-1979), SF Saiyuki Starzinger (1978-1979), Galaxy Express 999 (1978-1981), Captain Future (1978 – 1979), Lunlun a Garota das Flores (1979-1980), Cyborg 009 versão colorida (1979-1980), O Robo do Futuro Dartanius (1979-1980) e Arthur: A História dos Cavaleiros da Távola Redonda (1979-1980).

c10

Década de 80: Mahou Shoujo Lalabel (1980-1981), Arthur: O Principe do Cavalo Branco (1980-1980), Ganbare Genki (1980-1981), Hello! Sandibel (1981-1981), Dr. Slump and Arale-chan (1981 – 1986), A Rainha de mil anos (1981-1982), Tiger Mask Segunda Geração (1981-1982), Asari-chan (1982-1983), Pataliro (1982-1983), O Vinho de Abobora (1982-1984), Captain Harlock Endless Road SSX (1982 – 1983), Ai Shite Night (1983-1984), Kinnikuman (1983-1986), Stop!! Hibari-kun! (1983-1984), Bemu Bemu Hunter: Gotengu Tenmaru (1983-1983), Voltron series (1984-1989), Lion Voltron (1981 – 1982), Vehicle Voltron (1982 – 1983), Gladiator Voltron (1983 – 1984), The Transformers (sequencia japonesa após o termino da série americana) (1984-1986), Dream Warrior Wingman (1984-1985), Tongari Boushi no Memoru (1984-1984), Video Senshi (Warrior) Laserian (1984-1985), GU-GU Ganmu (1984-1985), Fist of the North Star (1984-1988), Yeah! Step Jun (1985-1986), Konpora Kid (1985-1985), Ge Ge Ge no Kitaro (1985-1988), Histórias de Maple Town (1986-1987), Ginga: Nagareboshi Gin (1986-1986), Fastball Superboy Ikkiman (1986-1986), Dragon Ball (1986 – 1989), Dragon Ball Z (1989 – 1996), Dragon Ball GT (1996 – 1997), Cavaleiros do Zodiaco (1986 – 1989), Saint Seiya Hades Saga do Santuário & Inferno, As novas Histórias de Maple Town: Palm Town Saga (1987-1987), Bikkuriman (1987-1989), Ninja mascarado Sombra Vermelha (1987-1988), Lady Lady!! (1987-1988), Toushou!! Ramen Man (1988-1988), Sakigake!! Otoko Juku (1988-1988), Hello! Lady Lin (1988-1989), Shin (New) Bikkuriman (1989-1990), Akuma-kun (1989-1990), Mahoutsukai Sally (2) (1989-1991), Karioge-kun (1989-1990), Mohretsu Atarou (1990-1990), Aoki Densetsu Shoot! (1990-1991), Magical Taruruuto-kun (1990-1992), Kingyo Chuuihou (1991-1992), Getter Robo Gou (1991-1992), Kinnikuman: Kinnikusei Oui Zoudatsu Hen (1991-1992), Fantastic Science World Gulliver Boy (1992-1992), Fly, O pequeno Guerreiro (1992-1993), Sailor Moon (1992-1997), Bishoujo Senshi Sailor Moon (1992 – 1993), Ge Ge Ge no Kitaro (1993-1995), Sailor Moon R (1993-1994), Sailor Moon S (1994-1995), Sailor Moon Super S (1995-1996), Sailor Moon Sailor Stars (1996-1997), Super Bikkuriman (1992-1993), Ghost Sweeper Mikami (1993-1994), Slam Dunk (1993-1996), Marmalade Boy (1994-1995), Shinken Densetsu Tight Road (1994-1994), Marchen Oukoku (Kingdom) (1995-1995), Gokinjo Monogatari (1995-1996), Digimon Adventure (1996-1999), Jigoku Sensei Nube (1996-1997), Hana Yori Dango (1996-1997), Cutey Honey Flash (1997-1998), Kindaichi Shounen no Jikenbo (1997-2000), Digimon Adventure 02 (1997-1998), Azumi: Mamma Mia! (1997-1997), Yume no Crayon Oukoku (1997-1999), Hanitarou Desu (1997-1998), Dr. Slump (1997-1999), Digimon Tamers (1998-1999), One Piece (1999 -2016), Digimon Frontier (1999-2000) e Yu-Gi-Oh! (anime) (1998).

c12

Década 2000: Kirby: Right Back at Ya! (2001-2003), Kinnikuman II Sei (2002-2002), Digimon X-Evolution (TV Movie 2002), Tsuri Baka Nisshi (2002-2003), Digimon Data Squad (2003-2004), Ashita no Nadja (2003-2004), Air Master (2003-2003), Bobobo-bo Bo-bobo (2003-2016), Pretty Cure (2004-2005), Kinnikuman II Sei: Ultimate Muscle (2004), Konjiki no Gash Bell! (2004-2007), Ring ni Kakero 1 (2004-2004), Ring ni Kakero 2 (2004-2004), Beet the Vandel Buster (2004-2005), Iriya no Sora, UFO no Natsu (OVA 2005-2005), Xenosaga: The Animation (2005-2005), Pretty Cure: Max Heart (2005-2006), Beet the Vandel Buster: Excelion (2005-2006), Gaiking: Legend of Daiku-Maryu (2005-2016), Ayakashi: Classic Japanese Horror (2006-2006), Pretty Cure: Splash Star (2006-2007), Air Gear (2006- 2006), Ring ni Kakero 1: Nichi-Bei Kessen Hen (2006-2016), Kami-sama Kazoku (Maio de 2006 – 2016), Binbou Shimai Monogatari (2006-2006), As Meninas Super Poderosas Geração Z (2006-2007), Dragon Ball Kai (2009 – 2014) e Lovely Complex (2007).

c13

Década 2010: Marie and Gali 2.0 (2010–2011), Toriko (2011–2014), Kyousogiga (2011–2012), Tanken Driland (Exploration Driland) (2012 – 2013), Saint Seiya Omega (2012-2014), Tanken Driland: Sennen no Mahō (2013-2016), Ladybug (2014), Robot Girls Z. (2014), Abarenbou Kishi!! Matsutarou (2014), Sailor Moon Crystal (2014), Digimon Fusion (2010-2012), Digimon Adventure Tri (2015), World Trigger (2015) e Dragon Ball Super.

c0

Animações para o Cinema e TV: Horus: Prince of the Sun (1968), The Little Mermaid (1975), Taro the Dragon Boy (1979), Galaxy Express 999 (1981), Dragon Ball (1986), Cavaleiros do Zodíaco, Os Cavaleiros do Zodíaco: O Prólogo do Céu, Interstella 5555: The 5tory of the 5ecret 5tar 5ystem (2003), Capitain Harlock 3D (2013), Saint Seiya: Legend of Sanctuary (2014), Saint Seiya: Soul Of Gold (2015) e Dragon Ball Z – O Renascimento de Freeza (2015).

c7

Crítica: Toda adaptação corre riscos de ser mal produzida, muitas vezes por não ter tempo de se contar uma boa história ou por criar novos rumos e percepções para os personagens clássicos. Na adaptação atual de Capitão Harlock: Pirata do Espaço é justamente o contrário. Se você já assistiu ao polêmico Final Fantasy Movie (2001) e gostou ou se nunca leu o mangá, mas conhece a clássica série animada Patrulha Estelar (anime de 1974), você vai amar esta versão, mas com paciência, muita paciência e café. Capitão Harlock: Pirata do Espaço (2013) é um excelente CGI, marca registrada da Toei Animation, nos mesmos princípios de Cavaleiros do Zodiaco: A Lenda do santuário (2014), mas um filme extremamente grande e lento, igual ao lentíssimo Titan A.E. (2000). O roteiro é bem construído, lembrando até de leve o bom Wall –E (2008), mas fica só nisso através de muitas explosões e algumas boas sacadas. O estilo japonês de mangá, bem trabalhado aqui, é gostoso, ainda que haja um tendência no filme parecida com o Game Halo, mas ver aqueles exageros do Capitão escapando de balas e matando todos a sua volta com apenas uma espada me lembrou muito de onde a trilogia Matrix se inspirou. Existe uma versão também animada em desenho de 1982 chamada Space Pirate Captain Harlock: Arcadia of My Youth, se você gostou daqui e quer conferir mais um pouco, é só procurar.

c9

Att. Marcelo The Moura

 

 

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo