Análise do livro "A arte de Neil Gaiman". - NoSet
Livros & HQs

Análise do livro “A arte de Neil Gaiman”.

Por: Franz Lima 
 
Publicado pela Mythos EditoraA Arte de Neil Gaiman é uma obra indispensável para os fãs do escritor e para quem conhecer um pouco mais de suas obras. Além disso, esse livro tem como ponto forte a abordagem de todo o processo criativo das principais obras de Gaiman no cinema, literatura e quadrinhos.

O livro do Cemitério

Desde os primórdios da carreira de Gaiman até sua mais recente obra, tudo é esmiuçado em detalhes. A autora, Hayley Campbell, teve acesso a quase todos os rascunhos, anotações e bastidores dos livros e roteiros do escritor, incluindo suas memórias. Narrações do processo criativo estão registradas através de depoimento de Neil e ainda há uma infinidade de fotografias com suas anotações, correções e apontamentos para quase todas as obras que escreveu. 

Orquídea Negra

Os fãs também irão gostar de descobrir quais foram as participações do autor em roteiros cinematográficos, incluindo a produção de desenhos animados. Outro ponto muito interessante fica por conta da transparência que Hayley conseguiu extrair de Gaiman, principalmente quando o assunto é a produção de textos para a indústria cinematográfica. 


Sandman, Deuses Americanos, A viagem de Chihiro, Violent Cases, Orquídea Negra, O Oceano no fim do Caminho, Stardust, Os livros da magia, Coraline, Doctor Who, Belas Maldições, O Livro do Cemitério e outras obras estão ao dispor do leitor em seus mínimos detalhes de construção.


Especial atenção é dada às parcerias que Neil Gaiman estabelece ao longo dos anos. De Dave McKean a Charles Vess, passando por inúmeros outros, a autora da biografia frisa a importância dessa simbiose entre o escritor e seus “comparsas”.

Neil Gaiman e Alan Moore

Enfim, uma obra que servirá de ponto de partida para novos e antigos escritores. Não esperem encontrar um livro de “receita” para escrever bem, pois A Arte de Neil Gaiman é um livro com ensinamentos embutidos nas experiências boas e más dele. Cabe ao leitor filtrar as lições que os anos de escrita – nem sempre bem sucedidos – proporcionam. 

Repito: esta é uma obra que todo apreciador da boa leitura deverá ter em sua estante… e mente. 
 

Topo