Eddie Van Halen (1955 a 2020) - NoSet
Geek

Eddie Van Halen (1955 a 2020)

Salve Nosetmaníacos, eu sou o Marcelo Moura e hoje falamos de uma das maiores perdas do Rock, com uma das guitarras mais marcantes de uma geração, faleceu no dia 06 de outubro de 2020 Eddie Van Halen, líder de uma das mais ícones bandas dos anos 80.

Nossa homenagem fala um pouco da história deste guitarrista e sua banda. Edward Lodewijk Van Halen, mais conhecido como Eddie Van Halen, nascido em Nimegue, 26 de janeiro de 1955, falecido em Santa Mônica, 6 de outubro de 2020, foi um guitarrista, compositor e produtor musical norte-americano nascido nos Países Baixos, co-fundador da banda Van Halen. Foi eleito o melhor guitarrista de todos os tempos, por uma votação promovida pela revista Guitar World, que contou com quase 500 mil votos. Foi eleito o 8º melhor guitarrista de todos tempos pela revista Rolling Stone.

Eddie Van Halen:

Nascido em Amsterdã , Holanda, Edward Lodewijk Van Halen é filho de Jan Van Halen e Eugenia Van Halen (née van Beers). Jan Van Halen era um clarinetista, saxofonista e pianista holandês, e Eugenia Van Halen era indonésia (eurasiana) de Rangkasbitung, na ilha de Java, na Indonésia. O nome do meio de Eddie Van Halen, “Lodewijk”, é o equivalente holandês de “Ludwig”; ele foi nomeado em homenagem ao compositor Ludwig Van Beethoven. (Van Halen, mais tarde, continuou a tradição de nomear filhos com nomes de compositores quando nomeou seu filho, Wolfgang Van Halen, em homenagem ao compositor Wolfgang Amadeus Mozart.)

Em fevereiro de 1962, a família Van Halen mudou-se dos Países Baixos para os Estados Unidos, estabelecendo-se em Pasadena, Califórnia . Tanto Eddie quanto seu irmão mais velho, Alex Van Halen, são cidadãos norte-americanos naturalizados. Os irmãos aprenderam a tocar piano quando crianças a partir dos seis anos de idade. Eles se mudaram de Pasadena para San Pedro para estudar com um professor idoso, Stasys (Stanley) Kalvaitis , que lhes ensinou piano clássico. Embora eles odiassem, eles continuaram para evitar o castigo imposto pela mãe caso eles se recusassem a ir.

Van Halen revelou em uma entrevista que ele nunca foi capaz de ler música. Em vez disso, ele aprendeu assistindo e ouvindo. Nos recitais de Bach ou Mozart, ele improvisava. De 1964 a 1967, ele conquistou o primeiro lugar na competição anual de piano realizada no Long Beach City College. Depois, os juízes comentaram que ele tinha uma interpretação interessante da peça clássica. A visão de Van Halen foi: “O quê? Eu pensei que estava tocando corretamente!” No entanto, de acordo com uma entrevista, tocar piano não se mostrou um desafio ou interessante para ele. Consequentemente, enquanto Alex começou a tocar guitarra, Eddie comprou um kit de bateria e começou a praticar por horas todos os dias.

Após Eddie ouvir o desempenho de Alex no solo de bateria de The Surfaris na canção “Wipe Out”, ele decidiu mudar de instrumento e começou a aprender a tocar guitarra. De acordo com Eddie, quando adolescente, ele costumava praticar enquanto passeava em casa com a guitarra amarrada ou sentado em seu quarto por horas com a porta trancada.

Eddie e Alex formaram sua primeira banda com outros três garotos, chamando-se The Broken Combs, tocando na hora do almoço na Hamilton Elementary School em Pasadena, onde Eddie estava na quarta série. Eddie disse mais tarde que foi quando sentiu pela primeira vez o desejo de se tornar um músico profissional.

Eddie descreveu o ” I’m So Glad ” do supergrupo Cream, no Goodbye Cream como “alucinante”. Ele uma vez afirmou ter aprendido quase todos os solos de Eric Clapton na banda Cream: “… nota por nota”. “Eu sempre disse que Eric Clapton era minha principal influência”, disse Van Halen, “mas Jimmy Page era na verdade mais do jeito que eu sou, de uma maneira imprudente e largada”.

Contou com seu filho, Wolfgang Van Halen, como baixista do Van Halen.

No início da carreira, Eddie tocava bateria e teclado e Alex tocava guitarra e estudava teclado. Com o tempo Alex ficou melhor que Eddie na bateria, e Eddie passou a treinar guitarra, o superando.

Eddie é um dos guitarristas mais aclamados da história, recebendo diversas honrarias e menções pelas mais variadas revistas especializadas no assunto. Em 2012, foi eleito o melhor guitarrista de todos os tempos, por uma votação promovida pela revista Guitar World, que contou com quase 500 mil votos. Ele também ocupa a 8ª colocação na lista dos 100 maiores guitarristas de todos os tempos pela revista Rolling Stone e a 7º posição na lista da Gibson dos 50 melhores guitarristas de todos os tempos. Entre suas parcerias com outros músicos, está o solo de guitarra da canção “Beat It”, do álbum Thriller, de Michael Jackson, que gravou juntamente com o guitarrista Steve Lukather (Toto). Também costuma fazer pontas em filmes e seriados.

No final de 1990, Eddie foi hospitalizado e tratado a um cancro na boca. A cirurgia subsequente extirpou-lhe cerca de um terço da língua. Em 2002 foi declarado como curado. No final de 2019, voltou a ser internado para tratamento ao mesmo tipo de cancro. Faleceu, no dia 6 de outubro de 2020, em Santa Mônica, aos 65 anos, dessa mesma patologia.

A guitarra de Eddie Van Halen e a sua harmónica “Frankenstrat”:

A composição das guitarras Frankestrat, construídas por ele mesmo era a seguinte: corpo em madeira de amieiro ou tília (dependendo de cada modelo), braço em madeira de ácer, captador Gibson PAF, retirado de uma Gibson ES-335 e rebobinado à mão por ele mesmo, e ponte Floyd Rose. Inicialmente utilizou amplificadores Peavey modelo 5150, seguido do modelo 5150 II, passando depois para o Marshall Superlead Plexi, modificados por Jose Arredondo, pedais MXR Chorus, Flanger, Delay, Dynacomp e Phase 90. E nunca deixava a sua harmónica em casa.

Depois de um tempo criou, em parceria com a Music Man, as guitarras Music Man Axis EVH signature, passando depois para as guitarras Peavey Wolfgang, com captadores DiMarzio Custom Made. A Fender criou uma réplica exata da frankestein, chamada por Eddie de “My Baby”, além de ainda existirem os modelos Charvel EVH. Eddie usava as EVH Wolfgang criadas por sua própria fábrica, em 2009, e amplificador EVH 5150 III.

Eddie Van Halen utiliza escalas diatônicas e diversos modos como jônio, dórico, eólio, mixólidio, etc. Também utiliza vários arpejos. Sua técnica utiliza bends, ligados, two hands, whammy bar e harmônicos naturais.

Seu primeiro instrumento foi construído por ele mesmo. A Frankenstrat era uma guitarra com corpo Fender Stratocaster 60 e braço em madeira de ácer. Sua primeira pintura foi inteira branca com listras pretas, em 1972. Em 1974 Eddie percebeu que havia muitas guitarras com pinturas parecidas, então pensou: “vou melhorar essa pintura, farei diferente.” Teve, então, a idéia de pintá-la inteira de vermelho e aplicar listras brancas e pretas. O corpo da guitarra custou-lhe uns 80 dólares na época e era usado, e o braço uns 50 dólares. Com os captadores ele não teve dúvidas, usou o captador de uma Gibson Flying V. Surge a a Frankenstrat. Recentemente, a Fender Musical Instruments Corporation juntou-se a Eddie para fazer uma réplica de sua guitarra, incluindo os detalhes de uso. Eddie aceitou e dedicou 2 anos a este trabalho. O resultado foi uma réplica perfeita em cada detalhe, incluindo lascas nos cantos, riscos, queimaduras de cigarros e até mesmo o captador “neck pickup”, que não funciona.

The Van Halen Band: O Van Halen foi uma banda de hard rock norte-americana formada em 1972. Foi fundada pelos irmãos Eddie Van Halen e Alex Van Halen, que mais tarde juntou o cantor David Lee Roth e o baixista Michael Anthony. Van Halen rapidamente chegou à fama com seu primeiro álbum de mesmo nome em 1978, e é amplamente considerada como um marco nas vendas de rock nos EUA, ocupando a 19ª posição na lista dos maiores vendedores de discos nos Estados Unidos, com 56 milhões e meio de vendas. A banda logrou 13 singles a chegarem ao topo do Hot Mainstream Rock Tracks, um recorde que perdurou até 2018. É também uma das cinco bandas de rock a ter dois de seus discos certificados com o Disco de Diamante nos Estados Unidos (Van Halen e 1984, respectivamente). Até o momento, vendeu mais de 90 milhões de cópias de discos mundialmente.

Além de ser reconhecida pelo sucesso, a banda é conhecida pelo drama que cerca a saída de antigos membros. As saídas múltiplas dos vocalistas David Lee Roth, Sammy Hagar e Gary Cherone foram cercadas de controvérsia e cobertura da imprensa, incluindo numerosas declarações conflitantes entre os cantores e a banda. Depois da turnê de 2004 com Hagar, a banda entrou em um hiato do público até Setembro de 2007, quando o baixista Wolfgang Van Halen (filho de Eddie) foi confirmado e rumores de que Roth voltaria a banda, ambos os eventos coincidindo com a indução ao Rock and Roll Hall of Fame em 12 de março de 2007. Após anos de especulações, Van Halen voltou a uma turnê com Roth na América do Norte em 2007 e em 2008.

Em 2012, a banda iniciou nova turnê e lançou seu primeiro disco em 14 anos, (e primeiro com o vocalista Lee Roth desde 1984) A Different Kind of Truth. O canal VH1 colocou-os no 7º lugar em sua lista dos 100 maiores artistas de hard rock de todos os tempos. Em 1992 eles venceram o prêmio Grammy na categoria “Best Hard Rock Performance” com o álbum For Unlawful Carnal Knowledge.

As origens remotas da banda em 1972, quando os irmãos Van Halen formaram uma banda com o baixista Mark Stone (falecido em setembro de 2020 também de câncer) que teve diversos nomes como The Trojan Rubber Company, The Broken Combs, Rat Salad e, finalmente, Genesis. Eddie também fazia os vocais na banda. Contudo, Eddie não se sentia confortável em ocupar-se dos vocais além da guitarra. David Lee Roth era um “amigo” dos irmãos Van Halen, e por eles eventualmente alugarem um sistema de som com o David, para economizar dinheiro, eles decidiram colocar o David como vocalista. Em 1974 a banda decidiu substituir Stone por Michael Anthony, o baixista e vocalista da banda local “Snake”. Após uma jam session que durou toda a noite, ele foi contratado para baixo e backing vocals.

Neste período, descobriram que havia outra banda chamada Genesis, o que os obrigou a mudar rapidamente para Mammoth. Finalmente acabaram optando pelo sobrenome dos irmãos, Van Halen, que Roth acreditava ter a mesma potência de Santana. Sendo assim, a banda Van Halen ficou constituída por David Lee Roth (vocal), Edward Lodewijk Van Halen (guitarra e teclado), Alex Arthur Van Halen (bateria) e Michael Anthony (baixo). A banda começou tocando somente covers e em pouco tempo tornou-se muito conhecida em todos os bares de Los Angeles.

Em 1976, quando tocavam num bar em Los Angeles, Gene Simmons, líder da banda Kiss os descobriu e decidiu fazer uma demo com a banda. A demo, que continha a primeira versão de Runnin’ with the Devil, não deu muito certo, e acabou não sendo aceita por nenhuma gravadora. Em 1977, antes de o grupo lançar seu disco de estreia, o produtor Ted Templeman ainda questionava se os vocais de Dave Lee Roth estariam à altura da banda. Dave inclusive tomou aulas de canto para chegar ao seu melhor. Segundo relatos de Greg Renoff, autor do livro “Van Halen Rising”, que conta a história do grupo, Sammy Hagar, então vocalista da Montrose, já impressionava há algum tempo, e chegou a ser cogitado para o vocal da banda. Contudo, a intensidade de Lee Roth e suas habilidades cômicas convenceram Templeman de que Roth daria conta do recado.

Era David Lee Roth (1974-1985):

Em 1978 foi lançado o primeiro álbum, também chamado Van Halen. O disco foi muito aclamado, especialmente o solo de guitarra “Eruption”. Nos cinco anos decorrentes, a banda lançou mais 5 álbuns, mantendo sua formação original. Em Janeiro de 1983 a banda se apresentou no Brasil (e também na Argentina, Uruguai e Venezuela). A banda não voltou à América do Sul desde então.

Em 1983, Eddie Van Halen construiu seu estúdio caseiro, 5150 Studios – o nome faz referência ao código policial de prisão por insanidade – e participou como convidado da canção “Beat It” ,de Michael Jackson, o que não teria agradado muito o vocalista David Lee Roth. No entanto a canção tornou-se um marco na história da música, onde as barreiras entre a música negra e branca começaram finalmente a ser quebradas. O solo é provavelmente o mais conhecido da década de 80. Michael e Eddie apresentaram a canção ao vivo na turnê dos Jacksons de 1984.

Em sua autobiografia (Crazy From The Heat), Roth conta que ele aprovou sim a participação de Eddie em “Beat It”, pois ele acreditava que a faixa seria um excelente veículo para Eddie mostrar os seus talentos. Roth afirma ainda que o seu problema com a participação de Eddie na música era que Eddie não quis receber pelo trabalho, recebendo apenas uma nota de agradecimento.

Em 1984, a banda lançou seu álbum mais bem-sucedido,1984, que chegou ao segundo lugar da Billboard 200, a parada de discos norte-americana – atrás do disco que continha “Beat It”, Thriller. 1984 também continha o single mais vendido da banda, “Jump”, que ficou em primeiro lugar nos Estados Unidos, segundo na Austrália, e sétimo no Reino Unido. A formação original durou até 1985, quando, por motivos de desentendimento com Edward Van Halen, David Lee Roth decidiu partir para a carreira solo.

Segundo Gene Simmons, vocalista e líder da banda Kiss, em 1982 (três anos antes de David sair da banda), Eddie o procurou para saber da possibilidade de participar do Kiss. Conforme relatos de Simmons, Eddie lhe contou que “estava tão infeliz com a forma como ele e Roth estavam – ou não estavam – se entendendo. Eles não se suportavam. E o uso de drogas era excessivo”.

Era “Van Hagar” (1985-1996): Em meados de 1985, enquanto Eddie buscava um novo cantor, seu mecânico passou-lhe o contato de outro de seus clientes, Sammy Hagar, que nos anos 70 liderara a banda Montrose e estava tendo bem-sucedida carreira solo. Iniciava-se, assim, a Era Sammy Hagar, que ficou conhecida carinhosamente pelos fãs como Van Hagar. Logo no primeiro encontro no estúdio foi composta “Summer Nights”‘. Em 1986 lançaram o disco 5150, que se tornou o primeiro álbum de banda a se tornar o número #1 das paradas norte-americanas, e teve singles bem sucedidos como “Dreams” e “Why Can’t This Be Love?”, que atingiu a 3ª posição na Billboard Hot 100.

Foram lançados mais 4 discos, todos atingindo as primeiras posições nas paradas norte-americanas. Em 1996, em meio a turbulentas gravações de “Humans Being”, para o filme Twister, e Hagar não concordar com a banda fazer uma coletânea, o cantor acabou saindo do Van Halen.

Enquanto a banda planejava uma coletânea, David Lee Roth ligou para Eddie perguntando as canções que seriam incluídas. A discussão amigável levou a um convite para Roth visitar o estúdio caseiro de Eddie. Eventualmente a banda gravou duas músicas, “Can’t Get This Stuff No More” e “Me Wise Magic”, que atingiram a décima segunda e primeira colocações no Hot Mainstream Rock Tracks, respectivamente, e que seriam incluídas na coletânea Best of Volume I (1996). Apesar de rumores sobre uma reunião, a volta de Roth se resumiu às duas canções, já que Roth e Eddie tiveram uma altercação verbal. Dias depois das gravações destas canções, a banda fez uma aparição no MTV Video Music Awards, e David Lee Roth foi preterido novamente (Gary Cherone foi o vocalista na apresentação).

Era Gary Cherone (1996-1998): Ray Danniels, empresário da banda, sugeriu o aclamado Gary Cherone, ex-Extreme, para a vaga de vocalista. Foi marcado um encontro no qual a banda o aceitou de imediato. No início de 1998, foi lançado o álbum Van Halen III que foi um fracasso comercial, sendo o primeiro (e por enquanto único) álbum da banda a não superar o milhão de cópias na América do Norte. Apesar do baixo índice de vendas o álbum atingiu a quarta colocação na Billboard 200 e teve um single, “Without You”, a atingir o topo do Mainstresm Rock. Eddie chegou a tocar bateria e baixo em algumas músicas quando achou necessário e até mesmo a cantar em uma delas. Cherone não ficou muito tempo no novo emprego, deixando a banda logo após a turnê de divulgação do disco.

Eddie passa então por um momento turbulento, separa-se após anos de casamento e recebe o diagnóstico de câncer na língua. O grupo entra em um hiato e Michael Anthony acompanha Sammy Hagar em sua turnê solo.

Em 26 de abril de 2001, Eddie anunciou no site oficial da banda que havia sido examinado por três oncologistas e três neurocirurgiões, que afirmaram que ele estava “mais saudável do que nunca e vencendo o câncer”.

Em 2004, Sammy Hagar volta à banda e grava três faixas novas na coletânea The Best of Both Worlds. A banda se reúne para uma turnê pelos Estados Unidos, embora Michael Anthony só tenha se juntado pela insistência de Hagar. Após a turnê, todos voltam para seus próprios caminhos. Em 2006, a banda revelou que voltaria a tocar com o filho de Eddie, Wolfgang, no baixo. Eventualmente se confirmou o retorno de Roth.

Retorno de David Lee Roth (2007-presente): Em agosto de 2007 a banda Van Halen convoca uma coletiva e anuncia uma turnê norte-americana, agora com a formação: David Lee Roth, Eddie Van Halen, Alex Van Halen e Wolfgang Van Halen, filho de Eddie que entrou no lugar de Michael Anthony para tocar baixo. A turnê durou 74 shows de setembro de 2007 a março de 2008, e se tornou a mais lucrativa da banda com faturamento de US$93 milhões.

Em 2010, o Van Halen foi ao estúdio de gravação para produzir um novo disco com o produtor John Shanks. Seu site oficial foi atualizado em 26 de dezembro de 2011, anunciando que os ingressos para sua turnê de 2012 estariam disponíveis a partir 10 de janeiro de 2012.

Em janeiro de 2012, após 14 anos sem lançar um álbum, a banda anuncia oficialmente o lançamento de A Different Kind of Truth, o primeiro com Roth desde 1984, e o primeiro com a gravadora Interscope Records. O anúncio do álbum foi feito em um show intimista no Cafe Wha, em Nova York. O vídeo clipe do primeiro single do novo álbum, “Tattoo”, foi lançado ainda naquele mês e a canção foi vendida pelo i-Tunes. Foi ainda anunciada uma turnê norte-americana, englobando várias cidades dos Estados Unidos e do Canadá, e algumas datas no Japão. O álbum recebeu boas críticas e chegou em segundo na Billboard 200, atrás apenas de 21, de Adele.

A turnê esgotou a maioria de seus shows e rolou normalmente até maio, quando foi anunciado que os shows seriam adiados. Eventualmente se revelou que a causa da pausa foi que Eddie faria operações para tratar uma diverticulite e a banda só voltaria aos palcos em 2013. Em 31 de março de 2015, lançaram Tokyo Dome Live in Concert, primeiro disco ao vivo com Roth e o segundo da carreira da banda. O álbum foi gravado no dia 21 de junho de 2013 em um show no Japão, e foi disponibilizado em um CD duplo, uma edição de 4 LPs de 180 g, além de formato digital.

Mortes de Eddie Van Halen e Mark Stone: Em 6 de outubro de 2020, aos 65 anos de idade, Eddie Van Halen veio a falecer devido às complicações resultantes de um câncer na garganta, que acredita-se que tenha se espalhado para o cérebro e outros órgãos. O anúncio de sua morte foi feito pelo seu filho, Wolfgang Van Halen, através de sua conta no Twitter, colocando incertezas sobre a continuidade da banda. Eddie trazia estes problemas desde meados do ano 2000, quando precisou remover um terço de sua língua devido a um câncer. Desde então, veio continuamente lutando contra a doença. Sua morte ocorreu apenas 10 dias após Mark Stone, baixista original do Van Halen, também falecer de câncer. Mark Stone esteve na banda entre 1972 e 1974, quando a banda ainda se chamava Mammoth. Stone foi substituído em 1974 por Michael Anthony, o qual se consolidou como baixista do Van Halen até 2006.

David Lee Roth x Van Halen: A conturbada (e até hoje mal explicada) saída de David Lee Roth da banda fez crescer uma rivalidade e as provocações de ambos os lados foram tão intensas que até hoje correm histórias a respeito das alfinetadas indiretas através dos álbuns lançados pelos mesmos. A “guerra” é pública, notória e irremediável — e o assunto domina 90% dos fóruns e sites relativos ao Van Halen na internet.

O primeiro disco do Van Halen sem David saiu em março de 1986 e levou o nome de “5150”. A explicação da banda é que 5150 seria o nome do estúdio do Eddie Van Halen. Porém, dizem as más línguas que 5150 é o código da polícia americana para situações onde existe um louco a solta. Além disso, a própria arte do álbum (capa e contra-capa) traz uma mensagem subliminar que induz a entender que o homem que ali aparece, não conseguindo segurar o logotipo da banda, seria o David.

Em julho de 1986, David lança o primeiro álbum com o seu supergrupo (The David Lee Roth Band), que fora montado para concorrer com o Van Halen, com o curioso nome de Eat ‘Em and Smile (em português, Coma-os e sorria).Ambas as bandas entraram em turnê e disputavam a preferência do público e o espaço na mídia.

Em 1987, The David Lee Roth Band lança o seu segundo álbum, intitulado “Skyscraper” (em português, arranha-céu). Segundo os fãs do David, o nome seria novamente uma provocação, dizendo que ele e sua banda estariam no Topo.

Não obstante, em 1988, David Lee Roth receberia a resposta pelo seu “coma-os e sorria”. Em outubro, o Van Halen lançou um novo álbum com o curioso título “OU812”. Reza a lenda que o código seria um trocadilho e trazia a mensagem subliminar “Oh you ate one too” (em português, Oh você comeu um também).

Uma possível resposta de David viria em abril de 1991 com “A Little Ain’t Enough” (um pouco não é suficiente), e meses depois o Van Halen lançaria “F.U.C.K”, que em inglês é um palavrão.

Era David Lee Roth x Era Van Hagar: A guerra declarada entre David Lee Roth e Sammy Hagar criou uma rivalidade pouco saudável entre a legião de fãs de ambos, que ficou rachada entre “Redheads” (defensores do Hagar) e “Roth Army” (defensores do Roth). Apesar de os álbuns do Van Halen com Sammy Hagar terem sido os únicos da banda a alcançar o número 1 nas paradas americanas, as vendas, em comparação com os da Era David Lee Roth, ficam cerca de dez milhões de cópias abaixo, de acordo com os órgãos oficiais.

O guitarrista Joe Satriani, defende ambos, dizendo que cada um alcançou o sucesso em suas respectivas eras. Ele os define como David Lee Roth “mais vaudeville” e Sammy Hagar “mais rock n roll”.

Eddie Trunk, historiador musical e grande personalidade do rádio nos EUA, em seu livro “Eddie Trunk’s Essential Hard Rock and Heavy Metal”, faz uma comparação entre as duas fases da banda:

“David Lee Roth era um grande Frontman com certeza, porém ninguém certamente o chamaria de um grande cantor ao vivo. Sammy, por outro lado, era um poderoso vocalista, abrindo as possibilidades musicais do Van Halen, deixando Eddie apto a entrar em caminhos musicais que não poderia com as limitações vocais de Roth.”.

Gostou da matéria, é só seguir o meu instagram para acompanhar lançamentos e opinar: https://www.instagram.com/marcelo.moura.1253/

 

Topo