Anime Friends Rio de Janeiro: Tour. Como foi o evento que movimentou o RJ. - NoSet
Anime

Anime Friends Rio de Janeiro: Tour. Como foi o evento que movimentou o RJ.

Uma coisa eu tenho certeza absoluta: há anos que o Anime Friends é sucesso. Mas os fãs de animes e tudo mais relacionado às culturas Geek/Tokusatsu sabem que é preciso mais para alcançar cada vez mais pessoas. Assim, em uma iniciativa inédita, a organização do evento optou por trazer ao Rio de Janeiro uma amostra do que é o AF em São Paulo. Aliás que amostra!

Realizado nos dias 5, 6 e 7 de julho no Riocentro, este foi um dos eventos mais badalados e responsável por agitar ainda mais o cenário cultural do Rio.

Vamos saber como foi?

Antes, preciso esclarecer que o Anime Friends Tour foi um dos eventos mais acessíveis do Rio. Em primeiro lugar, qualquer um poderia pagar meia-entrada (80 reais) ao entregar meio quilo de alimento não perecível. Em segundo lugar, qualquer criança até 12 anos não pagava para ingressar. Em terceiro, cabe citar que o estacionamento estava com o preço bem acessível de 28 reais, apesar da conservação ruim da área de estacionamento (algo fora do raio de ação da organização do AF).

Todos os dias houve um estande da Ativ Plus onde era possível dançar e competir no game Just Dance para depois receber um energético, um copo de Ativ Plus ou até mesmo água. Claro que o que vale é a diversão de dançar ao som das mais fantásticas músicas do game. A peculiaridade está em um fato interessante que ocorreu no terceiro dia. Logo, continue a leitura até o final…

P.S.: Hoje começa o Anime Friends São Paulo. Imperdível!

O primeiro dia.

O carioca não é muito afeto ao frio. Isso piora ainda mais as coisas quando se trata de frio com chuva. E foi assim que começou o primeiro dia do Anime Friends. Infelizmente, neste primeiro dia, o público foi pequeno… mas extremamente participativo.

A organização do AF conseguiu trazer vários estandes, montou um Artist´s Alley, uma área para board games, uma ala com curso de desenho para crianças e adultos, espaço K-Pop, Meet & Greet, área de alimentação e um palco principal onde ocorreram os shows e o concurso de cosplays.

Todas as atrações previstas estavam presentes. Entretanto, o público presente era pouco para aquilo que era esperado de uma primeira edição do AF no Rio. Sendo assim, saí do evento com um grande receio de que os dias seguintes também fossem pouco rentáveis para a organização do evento e, por isso, a possibilidade de não trazer o evento para cá novamente fosse cogitada.

No Anime Auditório tivemos uma interessante conversa com o dublador Charles Emmanuel (Rony Weasley da franquia Harry Potter, Mutano dos Jovens Titãs, Tenma de Pégaso de Os Cavaleiros do Zodíaco: The Lost Canvas, entre outros). Claro que não faltou cosplay, inclusive o destaque internacional, a cosplayer Lady Lemon.

Foi um dia bonito (no quesito atrações) e preocupante (quanto ao público). Destaque para o show da banda Gaijin Sentai que mostrou um repertório baseado em games e outros elementos geeks, assim como um rock de altíssimo nível. Após o show, nada mais justo que uma apresentação sensacional do Ultraman Heroes que será melhor abordada no próximo tópico.

Segundo dia.

Vocês não têm a noção da emoção de chegar ao Riocentro e encontrar o AF como deve ser: cheio e com um público animadíssimo.

Tal como no primeiro dia, algumas atrações estavam programadas de forma fixa: o show Ultraman Heroes (inédito no Brasil), o concurso de cosplays, palestras de alto nível, Meet & Greet e muito mais.

Um dos pontos altos ficou por conta do Ultraman Heroes. Este espetáculo deu muito trabalho para trazê-lo ao Brasil em função de licenciamentos, complexidade da tradução do espetáculo para o português e outros pequenos problemas que, felizmente, foram resolvidos pela organização do evento e em especial a Maru Division. O show ocorreu duas vezes ao dia e contou com dubladores de grande competência, em especial o meu amigo de longa data, Don Ferr que deu vida ao sombrio Ultraman Belial.

E por falar em super-herói japonês, que tal transitar pelo pavilhão e dar de cara com os atores Takumi Tsutsui e Takumi Hashimoto (foto acima), respectivamente o Jiraya e o Manabu da clássica série “Jiraya”. Aliás, eles deram um show de simpatia com o público.

Novamente a banda Gaijin Sentai se apresentou, mas desta vez ao lado da linda cantora Yumi Matsuzawa. O show foi aclamado e agradou até mesmo aqueles que não conheciam o trabalho da galera do Gaijin.

Algumas palestras foram aguardadas com muita ansiedade. Por exemplo, o grande Eduardo Miranda (conhecido como pai dos animes no Brasil) falou sobre sua carreira, o tempo em que esteve na Rede Manchete, como ele trouxe alguns dos mais consagrados animes para a TV aberta e até mesmo sobre sua atual carreira como crítico de cinema. Simpatia pura!

E já que o papo é anime, que tal uma conversa com a galera do Crunchyroll e alguns dubladores? Essa foi uma palestra concorrida e com um conteúdo muito interessante para quem curte anime e para quem é fã de dublagem.

Último dia.

Esse para mim foi o melhor! Além de estar com a família e meu amigo Rodrigo Ribeiro do Classe Nerd, tivemos a oportunidade de falar com vários cosplayers e aproveitar na íntegra tudo que os estandes ofereciam.

Claro que no terceiro e último dia eu já havia visto muita coisa, mas o Anime Friends sempre tem cartas na manga.

Quando cheguei ao evento e vi a reação dos meus filhos, fiquei absolutamente feliz. Eles “surtaram” com a quantidade de cosplayers, compraram vários trabalhos de ilustradores e escritores da Artist´s Alley e não queriam parar um único segundo. Ao vê-los desse jeito, concluí que a missão do AF foi alcançada com sucesso.

Tive o prazer de ouvir uma palestra do dublador Guilherme Briggs, agora mais em pauta do que nunca com o sucesso de Toy Story 4. Seja como for, Briggs é sempre uma pessoa carismática e atenciosa com os fãs, fato comprovado pela presença de um fã pequenino no palco que estava emocionado em ver e ouvir o responsável por dar vida a tantos personagens através da voz. Briggs autografou uma estátua do Superman que passou a ser item de colecionador (foto abaixo).

Vi um crossover que não esperava ao encontrar o Jiraya ao lado do policial de ação Jiban. O ator Shouhei Kusaka também estava acessível em toda a Anime Friends e foi possível ter seu autógrafo e foto não apenas no Meet & Greet.

A banda Snowkel (responsável pela 7ª música de abertura de Naruto e a música tema do Anime Friends) fez uma apresentação que levou à loucura os fãs do K-Pop, além de uma palestra ao lado de Yumi Matsuzawa. Lógico que música foi o forte desse bate-papo top.

E se você gosta de games, então poderia se divertir na Arena Bordgame onde vários jogos foram disponibilizados ou, se preferisse, poderia jogar com seu próprio material.

Minhas crianças passaram momentos divertidos no Workshop Areae, onde aprenderam princípios básicos dos desenhos e

Um fato curioso ficou por conta da área Ativ Plus onde ocorriam as disputas de Just Dance. Assim que começou o jogo de futebol entre Brasil e Peru pela final da Copa América, o game foi pausado e entrou o futebol. Esse foi o espaço preferido por quase duas horas para os papais e mamães mais cansados que queriam curtir um bom jogo. E parabéns à seleção brasileira pelo título!

As lojas e estandes eram uma atração à parte. Produtos importados, alimentação, cards, games, action figures, gorros temáticos (indispensáveis para o frio dos dias), roupas e tudo que vocês possam imaginar. Fica aqui um exemplo de alguns produtos acessíveis ao público em estandes como Flor de Fogo, Komape, Action, Emporium Nerd, Palácio Geek, Zion, Loja do Herói, Épico Miniaturas, Akiba World, Greys Attack e outras.

Cosplayers são um dos pontos altos de qualquer evento geek e claro que isso não poderia ser diferente na Anime Friends. Vejam alguns deles:

 

 

Topo