Review: Katana Zero - NoSet
Games

Review: Katana Zero

A história se passa no terceiro distrito de uma cidade que vive o trauma pós guerra e tenta se reconstruir depois de uns anos. O protagonista, um samurai de nome “zero” vestido em seu kimono sujo de sangue, veterano de guerra, não tem qualquer lembrança do passado ou sabe seu nome verdadeiro, e trabalha como um assassino para o que seria seu psiquiatra à mando do governo, que a cada sessão o medica com a misteriosa droga “Chronos” que lhe concede domínio do tempo e reflexos que o permite desviar de balas e aumento de suas habilidades humanas, e além dos diálogos entre doutor e paciente é entregado documentos confidências, com a missão de eliminar alvos específicos sem chamar atenção ou deixar rastros.

Narrativa e diálogos

É importante destacar a narrativa do jogo, que funciona de uma maneira abertamente única sendo importante chave na história, contendo muitas interpretações, e isso é algo que o jogador terá o dever de descobrir por conta própria. Também é interessante notar a dinâmica entre os diálogos, onde o jogador pode interromper a conversa com uma resposta curta ou esperar ate que termine para obter mais opções de resposta para a conversa em questão, e claro, dependerá de si mesmo para aprender ou até mesmo descobrir algo desconhecido até então sobre o passado do samurai, que é de grande importância e contextualiza com a trama.

Jogabilidade

O sucesso da missão baseia-se no controle do tempo, diminua o tempo e esquive de qualquer coisa no seu campo de visão, os combates são calculados e muitas vezes o desafio pode ser uma combinação estratégica para passar os obstáculos a frente, nem sempre com sucesso e a fase podendo ser rebobinada automaticamente, repetindo a fase até que o jogador obtenha êxito na missão e no final é possível ver o replay. Mesmo com limitações de jogabilidade, para um jogo de gênero plataforma, é impressionante o quanto é capaz de seduzir e surpreender de maneira satisfatória.

Cenário e Trilha sonora

A ambientação onde a história e os eventos se passam, é construída em uma cidade de cenário obscuro e uma pegada filme policial, com ação, suspense, investigação, violência e o drama sobre crimes. Tem um visual estiloso que cativa os olhos, com cores fortes e um contraste melancólico, que casa perfeitamente com sua trilha sonora cyberpunk, que é embalada em todas as fases com momentos de adrenalina, e também há espaço para um jazz mais relaxante com piano e saxofone, quando o samurai esta em seu apartamento de ponta-cabeça ou em um diálogo com personagens por onde passa.

Conclusões Finais

Vivemos uma época de remakes e sequencias, mas á também espaço para jogos independentes. Askiisoft cria um jogo que permite não só entreter, mas mergulhar dentro uma história repletas de mistérios, reviravoltas e ação do começo ao fim. É um jogo que me surpreendeu com a direção de arte, e também com os movimentos acrobáticos no jogo e sua trilha sonora que me ganhou por completo. Apesar de parecer frustrante para muitos em decorrência das dificuldades que os jogadores enfrentam durante o jogo morrendo por diversas vezes até que passe a fase, e muitas vezes mortes tão bobas que te fará ranger os dentes com a falta de paciência ou apertar o controle com força, mas respire fundo e aprecie cada fase e momento. Katana zero cativa com sua explosão de cores, elementos noir e momentos de ação intensa e sua história e mixagem eletrizante que prende a atenção de quem joga sem desgrudar os olhos da tela.

Katana zero é um jogo do genero side-scrolling, jogo eletrônico de ação, e esta disponível nas plataformas: Microsoft Windows, Nintendo Switch, Mac OS Classic.

Assista o Trailer:

 

 

 

 

 

 

 

 

Topo