Velozes e Furiosos de Vin Diesel e Paul Walker adquirido pela Netflix. - NoSet
Cinema

Velozes e Furiosos de Vin Diesel e Paul Walker adquirido pela Netflix.

Salve Nosetmaníacos, eu sou Marcelo Moura e hoje vamos falar de uma das franquias milionárias do cinema que foi adquirido no ano de 2019 pela Netflix nos seus 6 primeiros capítulos.

Vin Diesel: Mark Sinclair Vincent, mais conhecido como Vin Diesel, nascido em Nova York, 18 de Julho de 1967, é um ator, roteirista e produtor de cinema norte-americano. Sua mãe era descendente de holandeses e seu pai africano, matriculou-se na Universidade Hunter College, onde estudava Inglês. Já trabalhou como Operador de Telemarketing e segurança de algumas boates de Nova York. Após 3 anos, o rapaz abandonou os estudos para se dedicar mais à sua carreira de ator, viajou para Los Angeles e, mesmo sendo um respeitado e experiente ator de teatro, não conseguiu impressionar ninguém em Hollywood e, após um ano de tentativas, volta para Nova York. Sua mãe, Silvia Sinclair Halpern, deu-lhe um livro “Filmes ao Preço de Carros Usados”, de Rick Schmidt. O livro demonstrou a Vin que ele poderia controlar a sua carreira, fazendo os seus próprios filmes. Conseguiu três mil dólares, escreveu uma história baseada nas suas próprias experiências e filmou em menos de três dias, a curta-metragem Multi-Facial (1994). O filme de 20 minutos foi escrito, produzido, dirigido e estreado por Diesel e mostra a vida de um aspirante a ator que, para conseguir um papel, finge ter uma nacionalidade diferente a cada teste que comparece, mas acabava sempre se dando mal. O filme acabou por ser exibido no Festival de Cannes e ganhou alguns fãs de peso, entre eles Steven Spielberg, que anotou o nome do ator para, quem sabe, usá-lo num futuro próximo. Feliz com o curta, voltou para Los Angeles e, através de uma campanha de telemarketing, conseguiu quase 50 mil dólares para financiar a sua primeira longa-metragem, “Strays” (1997) e, seis meses após o fim das filmagens, ele foi aceito para o Festival de Cinema de Sundance. Chamou mais uma vez a atenção de Steven Spielberg, que, ainda impressionado com a atuação de Diesel em “Multi-Facial”, queria conhecê-lo. Foi convidado para ser um dos soldados comandados por Tom Hanks no premiado O Resgate do Soldado Ryan (1998), filme que ainda contava com Matt Damon, Edward Burns, Giovanni Ribisi e outros. Em 2000, Vin Diesel interpretou o anti-herói Riddick no clássico filme Pitch Black (primeiro filme a só ser lançado em DVD na época e não em fitas, como costume). Vendo o bom trabalho de Diesel, os produtores do filme Velozes e Furiosos (2001) resolveram dar a Vin Diesel um personagem de destaque na sua nova produção. Diesel Interpretaria Dominic Toretto, o antagonista do personagem interpretado pelo ator Paul Walker. O ator interpretou essa mesma personagem em mais cinco filmes do franchise e, segundo o anunciou o estúdio Universal Pictures em Novembro de 2014, poderá voltar a interpretar essa mesma personagem em mais três filmes. Com o nome em alta, Diesel atuou na comédia de ação Filhos da máfia (2001), ao lado de Barry Pepper, Seth Green e John Malkovich. O seu próximo trabalho realmente colocou-o na elite de Hollywood, sendo o agente secreto Xander Cage de Triplo X (2002), também estreado por Samuel L. Jackson e Asia Argento. Em 2004, Vin Diesel interpretou novamente o anti-herói Riddick no filme The Chronicles of Riddick. Em 2005 interpretou Tenente Shane Wolfe em Operação Babá.Em 2006 estrelou “Sob suspeita” (Find Me Guilty), dirigido por Sidney Lumet, baseado em fatos reais – o julgamento da maior família de mafiosos dos EUA. Vin tem um irmão gêmeo chamado Paul Vincent que é produtor e editor de cinema. O ator e a namorada, a modelo mexicana Paloma Jimenez, têm três filhos: Hania Riley, nascida em 2008, Vincent Sinclair, nascido em 2010 e um filho nascido em março de 2015.

Velozes e Furiosos – O Original (1955):

Direção John Ireland e Edward Sampson, roteiro de Jean Howell e Jerome Odlum e no elenco John Ireland, Dorothy Malone e Larry Thor.

Sinopse: Um homem injustamente preso por assassinato foge da prisão. Ele quer limpar seu nome, mas com a polícia perseguindo-o, ele é forçado a tomar uma bela jovem como refém, dirigindo um rápido carro esporte, ele acaba em uma corrida entre duas fronteiras na tentativa de chegar ao México.

Crítica: Sim, esta é a primeira versão do remake de sucesso Velozes e Furiosos (2001) do todo poderoso ator e produtor Vin Diesel.  Filme de sucesso em 1955, Velozes e Furiosos é um filme bem bem familiar em tudo, tem como diretor e ator o interessante e versatil John Ireland que participou em sua época de épicos famosos como Red River com John Wayne,  Spartacus de Stanley Kubric e Todos os Homens do Rei. No roteiro do filme, Jean Howell, que é esposa do Ator Thor, que também está no filme, juntamente com Jerome Odlum, que usam o velho conceito de que fugir da polícia em qualquer situação é virar para o Leste e ir para o México, mal sabe eles que em 1996 saiu o filme Um Drink no Inferno e Robert Rodriguez mudou tudo isso (piadinha de crítico). VF-1955 não é aquele filme de tirar o folego, muito pelo contrário, é um drama a moda de sua época, com um roteiro denso, lento e com carros normais levados ao extremo apenas através de bons mecânicos, sem as tunadas ou os poderosos turbinados, mas mesmo assim é um filme bem interessante para os fãs de velocidade máxima de 120 km por hora.

The Fast and the Furious – Velozes e Furiosos (2001):

Dirigido por Rob Cohen e estrelado por Vin Diesel, Paul Walker, Michelle Rodriguez e Jordana Brewster.

Sinopse: Brian O’Conner é um policial que, disfarçadamente, se infiltra no mundo das corridas ilegais de carros tunados nas ruas de Los Angeles para capturar o responsável por diversos roubos a caminhões nas estradas próximas à cidade. Mas acaba se envolvendo e se apaixonando por Mia Toretto, irmã de Dominic Toretto, que é o mais famoso e respeitado corredor de rua de Los Angeles.

Crítica: Com um orçamento de US$ 38 milhões e uma estrondosa bilheteria de US$ 207 milhões, VF1 é o que há de melhor em atuação de Vin Diesel. Simplesmente eu adoro esse estilo do ator que se supera em versatilidades em filmes de ação, como em outro filme do mesmo ator na saga Riddick, onde esse jeitão série, sarcástico e de anti herói e cheio de explosão e faz do ator um sucesso enorme. Muito disso vem do bom diretor Cohen que também trabalhou com Diesel (e olha que não me fácil assim) em outro sucesso Triplo X,  mas Cohen também tem no currículo filmes como o ótimo Dragonheart que demonstra que o diretor se preocupa com um bom drama de qualidade em seus filmes.

2 Fast 2 Furious – +Velozes +Furiosos (2003):

Direção John Singleton, elenco Paul Walker, Tyrese Gibson, Eva Mendes, Devon Aoki, Cole Hauser, Chris “Ludacris” Bridges e James Remar.

Sinopse: Após deixar a polícia de Los Angeles, o ex-oficial Brian O’Conner é forçado a participar de uma nova missão: se infiltrar no crime organizado de Miami de forma a investigar sobre o transporte de dinheiro sujo para Carter Verone, o chefe do tráfico local. Para tanto ele recebe a ajuda de seu amigo de infância Roman Pearce e da agente secreta Monica Fuentes.

Crítica: Com o orçamento de US$ 76 milhões e uma bilheteria de US$ 236.350.661, um pouco acima de seu antecessor, o filme só com Paul Walker faz um voo turbulento e em certos momentos inseguro, mas a boa química entre o ator e o hinário Tyrese Gibson é que salvam o filme, que sente muito a falta de Diesel, que em certo momento do filme é lembrado pela polícia, uma boa sacada não simplesmente matando o personagem principal ou o esquecendo.  A direção de Rob Cohen também fez falta em certos momentos, John Singleton, ótimo diretor de filmes como Boys N the Hood e Shaft,  parece mais propenso ao humor negro, principalmente me relacionamentos étnicos, do a dramas em filmes de ação que envolvam carros, mas ainda sim mantendo a boa velocidade do filme e agradando ao público.

Curiosidades: Quando começou a trabalhar em uma sequência para The Fast and the Furious a Universal Pictures encomendou dois roteiros para o novo filme, um com o personagem de Vin Diesel e outro sem o personagem. O ator Vin Diesel resolveu não participar de + Velozes + Furiosos por considerar que o final do primeiro filme não permitia um retorno lógico de seu personagem à trama. Além disso, Rob Cohen, diretor de Velozes e Furiosos, decidiu não trabalhar na sequência para poder dirigir xXx (Triplo X), no qual Vin Diesel também estrelou. Este é o segundo de três filmes em que o diretor John Singleton e o ator Tyrese Gibson trabalharam juntos. As demais foram Baby Boy – O Dono da Rua e Quatro Irmãos. Elenco Especial Tyrese Darnell Gibson, também conhecido como Tyrese Gibson ou apenas Tyrese, (Los Angeles, 30 de dezembro de 1978)1 é um cantor de R&B, rapper e ator americano, é ex-modelo e VJ da MTV. Depois de lançar vários álbuns, ele inicia sua carreira cinematográfica, com papel principais em vários filmes de Hollywood, incluindo Ruas Sangrentas – O Acerto Final, + Velozes + Furiosos, O Voo da Fênix, Quatro Irmãos, Baby Boy, Corrida Mortal, a trilogia Transformers, Velozes e Furiosos 5: Operação Rio e Velozes e Furiosos 6.

The Fast and the Furious: Tokyo Drift – Velozes e Furiosos: Desafio em Tóquio (2006):

Direção Justin Lin, Roteiro Chris Morgan, Elenco    Lucas Black, Bow Wow, Nathalie Kelley, Sung Kang e Brian Tee.

Sinopse: Sean Boswell é um jovem problemático e muda constantemente de cidade junto com sua mãe divorciada. Ao tentar uma nova vida no Arizona, Sean arruma problemas quando é pego falando com a namorada de Clay, um garoto rico do colégio. Sean fica nervoso e o desafia para uma corrida. A corrida acontece num campo de obras de um subúrbio da cidade e na última curva Clay, tenta dar um golpe lateral, mas erra e colide com um tubo de concreto. Sean cruza a linha de chegada, mas perde o controle do carro e capota. Os três acabam na Delegacia de Polícia; o oficial de polícia informa que em decorrer da ficha de infrações graves de transito, Sean pode ser mandado para o reformatório. Sean é enviado a Tóquio para morar com seu pai, um oficial veterano da Marinha Americana. Sean é advertido para ficar longe de confusão e é proibido de dirigir qualquer carro. Na escola conhece Twinkie, um imigrante americano que vende produtos de segunda mão na escola e pela cidade, logo o apresenta ao mundo das corridas de rua de Tóquio onde descobre que seu estilo de corrida (Drag) não se encaixa do outro lado do mundo e que terá de aprender as técnicas do mundo do Drifting.

Crítica: Com orçamento US$ 85 milhões e uma bilheteria US$ 158 milhões, esse filme foi o mais polêmico da série, ganhando tanto elogios como considerado o mais chato sem seu elenco principal. O principal ponto de sucesso é que este Spin Off da série é muito mais um filme Oriental do que um Velozes e Furiosos Original. Carros correndo por estacionamentos claustrofóbicos e adolescentes gritando o tempo todo, mas tem seu mérito. O novato Justin Lin é conhecido como diretor, roteirista e produtor de cinema taiwanês-americano, conhecido por dirigir Better Luck Tomorrow e quatro filmes da série The Fast and the Furious. Nasceu em Taipei e cresceu em Orange County, Califórnia. A seu mérito neste filme, teve a ótima sacada de colocar Diesel no final do filme, deixando todos de queixo caído com a possível volta do mega ator a franquia, e de agradar com um filme novo, de alto risco com elenco oriental e não comprometedor, principalmente pela fraquíssima atuação do ator Lucas Black, que vai ter a chance da sua vida ao voltar a franquia no filme 7 de 2015.

Curiosidades: Ao contrário das críticas negativas, Tokyo Drift arrecadou cerca de $24 milhões na semana de abertura. Seu impacto na cultura pop não foi tão grande quanto o do primeiro filme da série, mas o sucesso foi creditado aos fãs que esperavam o ressurgimento da franquia. Tokyo Drift foi também agraciado com repercussão positiva da comunidade asiática quando comparado com o primeiro filme, já que os personagens asiáticos foram protagonizados mais realisticamente e retratados com mais simpatia. Muitos fãs consideram isto um contraste muito grande com o primeiro filme. Em 13 de agosto de 2006, a Universal Estúdios havia arrecado $62.021.525 nos EUA e $70.305.776 no resto do mundo, totalizando uma receita de $132.327.301 dólares. Embora Tokyo Drift tenha arrecadado menos do que seus filmes antecessores, a Universal o considerou, no entanto, bem sucedido o suficiente para justificar a continuação da série com um quarto filme. A aparição de Vin Diesel no final do longa foi concebida para sinalizar que ele voltaria como protagonista em um quarto filme. Para quem não sabe, Fast & Furious, que foi lançado em 3 de abril de 2009, tem o enredo situado antes dos eventos de Tokyo Drift e foi seguido por duas continuações: Fast Five, lançado em 29 de abril de 2011, e Fast & Furious 6, lançado em 24 de maio de 2013. O próximo filme da série, Fast & Furious 7, com estreia prevista para 10 de abril de 2015, irá finalmente seguir a cronologia após os eventos de Tokyo Drift, com o retorno de Lucas Black.

Fast & Furious – Velozes e Furiosos 4 (2009):

Direção Justin Lin, Produção Neal H. Moritz, Vin Diesel e Ricardo Del Río, Roteiro Chris Morgan, elenco Vin Diesel, Paul Walker, Michelle Rodriguez, Jordana Brewster, John Ortiz, Laz Alonso e Gal Gadot.

Sinopse: Cinco anos após deixar Los Angeles, Dominic Toretto e sua nova equipe, Leticia “Letty” Ortiz, “Teddy”, Omar Santos, Cara Mirtha e Han Seoul-Oh, estão roubando tanques de combustível na República Dominicana. Dominic começa a suspeitar das investigações do FBI e deixa Letty com Mia Toretto, a fim de protegê-la do perigo. Várias semanas depois, na Cidade do Panamá, Dominic recebe um telefonema de Mia, dizendo que Letty havia sofrido um acidente de carro, e logo após isso, foi assassinada por Fenix Calderon. Dominic volta para Los Angeles para o velório de Letty (onde teve de ficar escondido por causa da polícia), e a noite, ele e Mia vão ao local do acidente de Letty. Dominic encontra vestígios de nitrometano. Ele então vai ao encontro do mecânico para força-lo a lhe dar o nome de David Park, o homem que ordenou o nitrometano. Enquanto isso, o agente do FBI Brian O’Conner  está tentando rastrear o traficante Arturo Braga, e sua busca o leva a David Park. Dominic corre atrás de Park até o seu apartamento, e chegando lá, o trava para fora da janela por seus tornozelos antes de deixa-lo cair. Brian salva Park antes que Dominic o deixe cair e se torna o novo informante do FBI.

Crítica: Com um orçamento de US$ 85 milhões, com Diesel produzindo e atuando e com o resultado de bilheteria em US$ 363 milhões em todo mundo, ainda não foi neste que a volta de Diesel ao elenco e todas as propagandas fizeram deste o grande filme da franquia. Ainda muito preso ao roteiro inicial de Velocidade por roubo, o filme manteve seu padrão sem ousar algo novo e inédito, muito pelo contrário, apesar da abertura incrível com o roubo do caminhão de gasolina na ladeira na auto estarada, todo o resto do roteiro é por demais burocrático. US$ 363 milhões ainda estava longe do que uma franquia de sucesso pode trazer e principalmente Diesel estava ciente disso. De qualquer maneira a química entre Diesel e Walker, agora amigos inseparáveis na vida real, faz com que os personagens fiquem ótimos na tela e torna este filme interessante de se ver, mas não mais que isso.

Fast Five – Velozes e Furiosos 5: Operação Rio (2011):

Direção Justin Lin, Produção Neal H. Moritz, Vin Diesel, Michael Fottrell, Roteiro Chris Morgan, elenco Vin Diesel, Paul Walker, Jordana Brewster, Tyrese Gibson, Chris “Ludacris” Bridges, Matt Schulze, Gal Gadot, Sung Kang, Joaquim de Almeida e Dwayne Johnson.

Sinopse: Depois de resgatarem Dominic Toretto da prisão após baterem no ônibus que o transportava, Brian O’Conner e Mia Toretto fogem para o Rio de Janeiro, Brasil, onde encontram Vince, amigo de infância de Dom e desafeto de Brian desde o primeiro filme da franquia. Vince comenta sobre um trabalho que aceitou sobre roubar três carros esportivos de um trem, porém quando o assalto dá errado, Dom, Brian e Mia são responsabilizados pela morte de três agentes do Departamento de Justiça Norte-americano. Neste momento eles percebem que o empresário corrupto que comanda o Rio, Hernan Reyes (Joaquim de Almeida), quer silenciá-los.

Crítica: Com um orçamento o maior orçamento da franquia até aqui, cerca de US$ 125 milhões, com Diesel na produção, um elenco de primeira e um dos melhores roteiros de filmes de ação de todos os tempos, é claro que esta tinha que ser a redescoberta da franquia e o resultados não poderia ser melhor, em torno de US$ 626.milhões em todo mundo. O filme é uma obra de arte pois consegue reunir quase todos elenco principal da franquia, menos Lucas Black (e existe um motivo para isso), além de unir ao grupo o ator Dwayne “The Rock” Johnson, que diferente de G.I. Joe, aqui seu papel tem uma importância incrível e a química entre ele e Diesel é impressionante. A cena de perseguição em cima dos telhados da favela e a luta que se segue é de tirar o fôlego da plateia. O filme é perfeito, e muito disso vem do diretor Justin Lin, que impressiona com um ótimo resultado, superando a expectativa.

Curiosidades: Ao desenvolver Fast Five, Universal Studios deliberadamente deixou o tema de corrida de rua, do qual era predominante nos filmes anteriores da série, para transformar a franquia em uma série de ação envolvendo roubos de carros. Esperavam atrair audiências mais amplas. Fast Five é considerado o filme de transição na série, com apenas um carro de corrida e dar mais atenção ao conjunto de cenas de ação, tais como tiroteios, brigas e roubos de U$ 100 milhões de dólares. A produção montou uma campanha de marketing, através de mídias sociais, jogos virtuais, redes de cinema e fabricantes de automóveis. Fast Five alcançou o sucesso financeiro, quebrando recordes de bilheteria, sendo a segunda maior bilheteria da primavera nos Estados Unidos, e superando Fast & Furious (2009), se tornando o filme de maior bilheteria da franquia. Fast Five arrecadou mais de U$ 625 milhões em todo o mundo, tornando-se o número 66 na lista de filme de maior bilheteria de todos os tempos, em dólares não ajustados, e o sétimo filme de maior bilheteria de 2011. O filme foi elogiado pela crítica, que gostaram da combinação de comédia com ação; alguns críticos rotularam o filme até mesmo como o melhor filme da série. Johnson foi escolhido por sua performance, pelos críticos, como “a melhor coisa, de longe, em Fast Five”, cenas envolvendo Johnson e Diesel, segundo críticos especializados foram, muitas vezes, os “melhores momentos do filme”. Apesar da resposta positiva, outros criticaram o tempo de execução do filme, considerando-o demasiadamente longo. Revisores sul-americanos criticaram o retrato que o filme deu ao Rio de Janeiro, como um refúgio para o tráfico de drogas e corrupção, rotulando-o um “estereótipo”, como se não fosse verdade. A cena de briga entre os personagens de Johnson e do Diesel foi considerada difícil coreografar. Os personagens foram escritos para ser igualmente formidáveis. A cena exigiu várias semanas de ensaio e mais de uma semana de filmagens pelos atores e seus dublês, que sofreu várias pequenas lesões.

Fast & Furious 6 – Velozes e Furiosos 6 (2013):

Direção Justin Lin, Produção Neal H. Moritz, Vin Diesel, Clayton Townsend, Roteiro Chris Morgan, elenco  Vin Diesel, Paul Walker, Dwayne Johnson, Michelle Rodriguez, Jordana Brewster, Tyrese Gibson, Chris Bridges, Gal Gadot, Sung Kang, Luke Evans, Gina Carano e John Ortiz.

Sinopse: O filme começa com Dominic Toretto e Brian O’Conner apostando uma corrida em estradas com repletas curvas estreitas e fechadas. (É a continuação dos créditos finais de Fast Five, onde Brian desafia Dominic para uma corrida a sós), o criminoso profissional Dominic Toretto e sua equipe se tornam ricos, porém, os seus antecedentes criminais os impedem de voltar para seu país de origem. Depois de várias tentativas de capturá-los, o agente Luke Hobbs  do DSS (Serviço de Segurança Diplomática), oferece um acordo, o DSS vai limpar a ficha criminal de todos da equipe, se a equipe ajudar a derrubar uma organização criminosa habilidosa e mercenária.

Crítica: Ainda sob efeito do ótimo Operação Rio, com um orçamento de US$ 160 milhões, VF6 é um ótimo filme e teve a melhor receita até o momento de todos os filmes VF, faturou em torno de US$ 788 milhões e mostrou que a franquia tem vida longa e pode durar pelo menos mais 3 filmes garantidos. O único problema da franquia não está no ótimo carisma de todo a equipe, ou da química entre o elenco, que parecem estar bem a vontade em seus papéis, mas em roteiros ousados que atraiam a atenção do público, Depois de Operação Rio, eu fui ao filme 6 com a expectativa muito alta e isso, com certeza, em certos momentos atrapalhou, pois o 5 com certeza nunca mais se repetirá. Mesmo assim, VF6 é fantástico de se ver e bate facilmente seus concorrentes diretos como Missão Impossível de Tom Cruise, Red do Bruce Willis, Mercenários do Stallone e o fraco filme Need for Speed.

Curiosidades: O filme entrou em desenvolvimento em fevereiro de 2010, como o primeiro filme de Fast and Furious a afastar-se do tema de carros de corridas, estilo underground, do qual pertenceu a filmes anteriores da série, tema do qual, também foi considerado como tendo colocado uma barreira em números de audiência. A pré-produção começou em abril de 2011, e fotografia principal começou em Londres, Inglaterra, em julho de 2012. Locações de filmagem também incluiu as Ilhas Canárias, na Escócia, e Los Angeles. Furious 6 foi lançado pela primeira vez no Reino Unido, em 17 de maio de 2013, em Portugal a 23 de Maio de 2013, seguido por um lançamento internacional em 24 de maio de 2013. O filme arrecadou mais de $ 780.000.000 em todo o mundo, tornando-se a quadragésima sexta maior bilheteria de todos tempos, em dólares desajustados, e a sexta maior bilheteria de 2013. Um jogo eletrônico de corrida cooperativo, intitulado Fast & Furious: Showdown, foi lançado em 21 de maio de 2013. Desenvolvido pela Firebrand Games e publicado pela Activision para Microsoft Windows, PlayStation 3, Wii U, Xbox 360 e Nintendo 3DS, a história do jogo tem ligações com os eventos de Fast & Furious 6, bem como a história dos outros filmes da franquia. Um jogo para celular, Fast & Furious 6: The Game, foi desenvolvido pela Exploding Barrel Games e publicado pelo estúdio Kabam. Foi lançado em 16 de maio de 2013, para os dispositivos iPhone, iPod touch, iPad e Android. A história de Fast & Furious 6: The Game é paralela à do filme, permitindo aos jogadores correr e personalizar veículos ao lado dos personagens.

Velozes & Furiosos 7 – Versão Estendida (2015):

Furious 7 é um filme de ação escrito por Chris Morgan e dirigido por James Wan. É estrelado por Vin Diesel, Paul Walker, Dwayne Johnson, Michelle Rodriguez, Jordana Brewster, Tyrese Gibson, Ludacris, Ronda Rousey, Kurt Russell, Lucas Black, Djimon Hounson e Jason Statham. Na cronologia da série, Furious 7 se posiciona depois de Fast and the Furious: Tokyo, e juntamente com 2 Fast 2 Furious é o terceiro filme que se ambienta também na cidade. Para você entender e não ficar com dúvidas, após o sexto filme da série, cronologicamente passaria Tokyo, aí após viria o sértimo, simples, não?  Com um orçamento de US$ 190 milhões, foi o primeiro filme de 2015 alcançar a marca de 1 bilhão de dólares arrecadados em bilheteria, o 20º da história, e o filme mais rápido a alcançar a marca, em 17 dias de exibição, até ser ultrapassado por Jurassic World (13 dias). Atualmente, é a quinta maior bilheteria da história do cinema. O longa-metragem marca a última aparição de Paul Walker, que morreu em 30 de novembro de 2013, com metade das suas cenas filmadas. Após a morte de Paul, as filmagens foram adiadas para reescrever o roteiro. Seus irmãos, Caleb e Cody Walker foram utilizados como dublês para completar cenas restantes e o rosto foi substituído por computação gráfica na pós-produção. Furious 7 foi lançado nos cinemas em 2 de abril de 2015. Também lançado internacionalmente em 3D.

Filmagens: As filmagens começaram no início de setembro de 2013, em Atlanta, Georgia. Abu Dhabi foi um local de filmagem onde a produção recebeu um desconto de 30%. A iniciativa financeira foi lançada em setembro de 2012, como um incentivo pelo governo de Abu Dhabi para atrair produções cinematográficas e televisivas internacionais para o Emirado.Estradas de Pikes Peak no Colorado foram fechadas em setembro para filmar algumas sequências de corridas.A cena de carros soltando de uma avião foi chefiada pelo dublê, Spiro Razatos, que supervisionou algumas cenas em Fast Five e Fast & Furious 6. Razatos disse ao Business Insider que ele preferia acrobacias reais do que CGI porquê ele queria que toda a sequência “soasse real” e satisfizesse as expectativas do público. Para esta cena que levou meses de preparação, precisavam de câmeras para serem montadas em carros de uma maneira que não seriam destruídas quando o carro chegasse ao solo. E a equipe precisava de uma forma segura de jogar os carros para fora do avião. Durante a tomada final, as filmagens ocorreram em Colorado com dois aviões, voando a 12 mil pés, deixando cair dois carros cada. Mais de 10 câmaras foram usadas para a sequência. Além de câmaras em solo, outras foram operadas remotamente dentro do avião, e outras três montadas no exterior de cada veiculo. Câmeras adicionais estavam em um helicóptero, onde Razatos estava em uma distância considerável comandando tudo por monitores. Três paraquedistas foram utilizados nas filmagens usando câmeras no capacete. Eles mergulharam para fora antes que os carros ou depois deles. Razatos admitiu que foi a cena mais difícil comandada por ele na franquia. Em 30 de novembro de 2013, enquanto fez uma pausa para o feriado de Ação de Graças, Paul Walker que retratou Brian O’Conner, morreu em um acidente de carro. No dia seguinte, a Universal anunciou juntamente com as condolências a família que a produção do filme continuaria, agora em caráter de homenagem ao ator. Também foi informado que seria adiado a estreia, com um intervalo que permitiria aos cineastas refazer o filme. Em 4 de dezembro de 2013 a Universal Pictures colocou a produção em espera indefinidamente. Wan confirmou mais tarde que o filme não tinha sido cancelado.Em 22 de dezembro de 2013, Diesel postou em sua página no Facebook que o filme seria lançado em abril de 2015. Em 27 de fevereiro de 2014, The Hollywood Reporter informou que as filmagens seriam retomadas em 1 de abril, sendo baseadas em um roteiro já reescrito. O elenco e a equipe tinha se dirigido a Atlanta para cerca de oitos semanas de filmagens. As filmagens se encerraram em 11 de julho de 2014, data em que inicialmente tinha sido marcada para o lançamento do filme. Em 6 de janeiro de 2014, foi relatado que o personagem de Walker seria aposentado em vez de morto, e que novas cenas seriam desenvolvidas para aposentar o personagem, permitindo que a franquia continuasse sem furos.Em 21 de março de 2014, o New York Daily News especulou que o estúdio havia contratado quatro atores com corpos semelhantes ao físico de Walker, e que CGI seria usado para o seu rosto e voz ajustada também em computador. Em 15 de abril de 2014, foi anunciado que os irmãos de Walker, Caleb e Cody, seriam usados como dublês. Para recriar os componentes faciais de Walker foram usados cenas inéditas dos filmes anteriores mesclando-as com CGI produzidos pela empresa Weta Digital de Peter Jackson. A empresa de Peter é especialista em captura de movimento, sendo esta técnica aplicada ao rosto dos irmãos de Walker, em conjunto de ângulos de câmeras cuidadosamente escolhidos.

Crítica: Uma Bela homenagem a Paul Walker, é assim que lembraremos do filme Velozes e Furiosos 7, ainda mais se você assistir a versão estendida. Gosto do tom da série, que após a versão Rio acertou perfeitamente elenco e roteiro, principalmente os personagens de Vin Diesel e seu discurso de família, Dwayne Johnson como um ótimo contra ponto de Diesel e o hilário Tyrese Gibson. No filme 7 gostei da quantidade de atores na medida certa, a ótima e empolgante ponta de Ronda Rousey, mas não há como não dizer que o filme é do ator Walker, não há. Cada cena em que aparece, e na versão estendida aparece bem mais, você fica tentando adivinhar se é ele mesmo ou seus irmãos em CGI, cada sequencia como se fosse um adeus a um momento que nunca mais voltará. Não posso dizer que achei o filme nota 10, principalmente na versão estendida, em certos momentos fica tudo bem confuso, com excesso de informações para todo o lado, perdendo da simplicidade que transformou a franquia um sucesso, mas tento entender que esse efeito veio da necessidade de se reescrever o roteiro e não de um erro que acabou sendo salvo pela morte de Walker, que cria este sentimentalismo pelo filme até valorizando bem mais do que merecido. A cena solo de Walker lutando com o ator Tony Jaa e depois correndo por cima do ônibus ao lado do precipício foi muito bem coreografada e bem aproveitada no filme, mas é na sequencia final, com Diesel dirigindo ao lado de Walker que o filme chega a seu ápice e que todos nós percebemos que acabou uma longa jornada do ator. É ali que todos sentem seu coração apertar e não sei se não seria realmente justo uma indicação de Walker a a ator coadjuvante no Oscar, por todo o sentimentalismo que isso gera, como mesmo disse Diesel em entrevista. Eu disse indicação, ok! Apenas para encerrar, gostaria de falar sobre a ótima participação no filme do lendário ator Kurt Russel (O Enigma de Outro Mundo e Fuga de NY) e da participação até restrita de Jason Statham, que não atua, apenas briga o tempo todo.  Velozes e Furiosos 8 já está confirmando e a franquia ficou com um tom da sua concorrente direta Mercenários ou mesmo Red, com a mesma qualidade e quantidade de atores principais no elenco.

Paul Walker:  Paul William Walker nasceu em Glendale, Califórnia e cresceu em San Fernando Valley, arredores de Los Angeles.Filho de Paul Walker III e Cheryl, uma ex-modelo. Possui ascendência inglesa, irlandesa e alemã e foi criado como membro da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, ou Mórmons. Frequentou e formou-se na Village Christian School. Após o colegial, frequentou diversas faculdades da comunidade, buscando uma carreira em biologia marinha. Foi eleito em 2001, pela revista People, como uma das pessoas mais bonitas do mundo.Residia em Santa Bárbara, Califórnia, com seu cachorro da raça Chesapeake bay retriever, chamado Boone. A sua filha, Meadow Walker, que nasceu em 04 de novembro de 1998, vive no Havaí com a mãe, uma ex-namorada de Paul. Ele era um ávido surfista e sempre foi um apaixonado por carros, antes mesmo das filmagens de Velozes e Furiosos, possuindo um Infiniti G35. Paul era praticante de jiu-jitsu, possuindo a graduação de faixa marrom, e usava golpes da luta para contracenar em alguns filmes. Dizia sempre tentar colocar um pouco da “arte suave” nos seus personagens, sua inspiração para a modalidade de luta, segundo ele, era Royce Gracie. Em 2010 Paul criou a fundação Reach Out Worldwide para ajudar as pessoas que haviam sofrido com algum incidente da natureza, sem ajuda do governo e apenas com seu dinheiro. Walker morreu em 30 de novembro de 2013, aos 40 anos, num acidente de carro no sul da Califórnia, nos Estados Unidos, informou o seu publicitário na conta oficial do ator no Twitter e no Facebook. “Lamentamos confirmar que o Paul morreu em um trágico acidente de carro durante um evento benéfico para a sua organização Reach Out Worldwide”, disseram os seus publicitários no Facebook. “Era o passageiro no carro de um amigo, no qual ambos perderam a vida”, acrescentaram. A notícia foi publicada inicialmente pelo site especializado em noticias sobre celebridades TMZ. De acordo com o site, o acidente aconteceu em Santa Clarita, ao norte de Los Angeles. Fontes ligadas a Paul disseram ao site que ele estava num Porsche que bateu num poste ou árvore. Em seguida o carro teria pegado fogo. Segundo o departamento de Polícia do condado de Los Angeles, o acidente aconteceu por volta das 15h30, hora local. A hipótese de que Paul Walker, estivesse participando de um racha antes de morrer foi descartada pelo Departamento de Polícia de Los Angeles. De acordo com a autópsia, o ator morreu em decorrência de lesões traumáticas e queimaduras. Esse resultado foi divulgado no dia 4 de dezembro de 2013. O corpo do ator foi cremado e sepultado no dia 14 de dezembro de 2013 no Forest Lawn Memorial Park, em Glendale, Califórnia e reuniu familiares e amigos. Quando criança, Paul estrelou uma série de comerciais, entre eles o da fralda Pampers. Começou como modelo infantil aos dois anos de idade, logo depois começou a trabalhar na TV, a partir de 1985, aos doze anos, conquistou papeis em séries de TV como, Highway to Heaven, The Young and the Restless e Touched By an Angel. Em 1986, ganhou o seu primeiro papel no cinema, deixando de lado a carreira de modelo, que começou incentivada pela mãe. Depois, participou de Throb, em 1986, Charles in Charge (1990) e Who’s the Boss? (1991). A sua estreia no cinema foi em 1986, no filme O Monstro do Armário. Continuou com papéis em diversos outros filmes sem muito sucesso. Em 1998, veio o filme Os Irmãos Id & Ota. Com esse filme ele ganhou fama. Isso o levou a papéis de apoio nos filmes Pleasantville – A Vida em Preto e Branco, Marcação Cerrada, Ela É Demais e Sociedade Secreta. Em 2001, Walker chegou ao total estrelato ao contracenar com Vin Diesel no bem sucedido filme de ação The Fast and the Furious. O filme deu notoriedade a Walker e levou-o a fazer a sua sequência em 2 Fast 2 Furious. Continuou a sua carreira com os principais papéis em filmes como Perseguição – A Estrada da Morte, Linha do Tempo, Mergulho Radical, e teve também um papel de apoio na adaptação de Clint Eastwood, A Conquista da Honra de 2006. Entre alguns dos seus filmes, destacam-se No Rastro da Bala e Resgate Abaixo de Zero da Walt Disney Pictures, ambos lançados em 2006. Resgate Abaixo de Zero garantiu críticas e elogios, abrindo em primeiro lugar nas bilheterias, ultrapassando a marca dos $20 milhões durante o seu primeiro fim de semana de estreia. Durante as filmagens de No Rastro da Bala, o diretor Wayne Kramer ficou bastante satisfeito com a atuação de Walker no filme. Walker estrelou no filme independente Entre a Vida e a Morte que foi lançado em DVD em 21 de outubro de 2008 e posteriormente retornou à franquia de The Fast and the Furious, retomando o seu papel em Fast & Furious, como Brian O’Conner. O filme foi lançado em 3 de abril de 2009. Walker está no elenco de Takers, filme que trás Matt Dillon e Hayden Christensen. As filmagens começaram no início de setembro de 2008 e o filme teve estreia em 2010. Pouco antes de morrer, Walker tornou-se um cristão não denominacional.

Att.

Marcelo The Moura

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo