Uma Família de Dois: Um filme para rir e chorar. - NoSet
Cinema

Uma Família de Dois: Um filme para rir e chorar.

Uma Família de Dois [em francês: Demain Tout Commence] é a refilmagem francesa do filme Não Aceitamos Devoluções [em espanhol: No Se Aceptan Devoluciones], de 2013, que teve a maior bilheteria da história no México e foi um grande sucesso em sua carreira comercial nos Estados Unidos.

Sinopse – Uma Família de Dois: Samuel (Omar Sy) vive uma vida sem laços ou responsabilidades à beira-mar no sul ensolarado da França, perto das pessoas que ama.Até que uma ex-namorada o procura e deixa sob sua responsabilidade sua filha Glória, um bebê de poucos meses. Incapaz de cuidar de um bebê e determinado a devolver a criança à sua mãe, Samuel corre para Londres para tentar encontrá-la, sem sucesso. Oito anos depois, enquanto Samuel e Glória vivem em Londres e tornaram-se inseparáveis, a mãe de Glória volta em suas vidas para recuperar sua filha.

A refilmagem, realizado apenas três anos depois do original, insere-se em um conjunto de filmes que aborda o relacionamento entre o pai e seu filho(a). São histórias que exploram a família sem a figura da mãe e brincam com os estereótipos do homem irresponsável e ou com a ideia de que pai não consegue substituir a mãe na função de criar e educar uma criança.

Grandes filmes utilizaram este modelo. Basta citar A Vida é Bela [em italiano: La vita è bela], de Roberto Benigni, que ganhou o Oscar de melhor filme em língua estrangeira, além dos de melhor ator, com Roberto Benigni, e de trilha sonora original, em 1999. Outro, mais recente, foi À Procura da Felicidade [em inglês: The Pursuit of Happyness], de 2006, baseado na vida de Chris Gardner e estrelado por Will Smith.

Como se vê, Uma Família de Dois está em excelente companhia, tanto pelo filme e roteiro do qual se origina quanto pelo grupo no qual se enquadra. O problema é que o padrão de comparação é alto. A solução? Fazer um filme à altura. E o diretor Hugo Gélin conseguiu.

A história começa com um panorama da vida feliz e irresponsável de Samuel (Omar Sy) em um balneário no sul da França. Um bon-vivant que tem a sua tranquilidade interrompida quando Kristin (Clémence Poésy), alguém com quem teve um caso de verão, aparece em uma manhã, deposita um bebê em suas mãos, retorna para o táxi e desaparece.

Samuel parte para Londres atrás de Kristin, sabendo apenas as informações que obteve pelo Facebook, para devolver o bebê. Na Inglaterra, não encontra a mãe e se vê desempregado, sem dinheiro e sem local para ficar. Por sorte, conta com a ajuda de Bernie (Antoine Bertrand), um produtor de filmes que conheceu por acaso no metrô e que lhe dá abrigo, além de o contratar como dublê para suas produções.

Dito assim, parece que estamos frente a um drama. A primeira parte do filme (o que se costuma chamar de primeiro ato ou abertura), contudo, é claramente uma comédia, conduzida de forma leve para angariar a simpatia do público. Embora o tom cômico nunca seja totalmente abandonado, ele vai perdendo força enquanto a história caminha para dentro do drama, até o final inesperado e oculto de forma inteligente pelo roteiro.

O filme ganha força e funciona graças à ótima atuação de Omar Sy, que já havia mostrado o seu talento no excelente Os Intocáveis, [em francês: Intouchables], de 2011, filme francês com a melhor carreira comercial da história. Omar alterna com naturalidade entre a alegria e a tristeza, conduzindo o expectador com ele. Antoine Bertrand é o coadjuvante que faz o alívio cômico, enquanto Clémence Poésy é a contraposição dramática. Ambos estão perfeitos nos seus papeis. Um pouco abaixo está Gloria Colston, cujas reações em determinadas cenas parecem superficiais, embora não comprometam a filme como um todo.

A trilha sonora de Rob Simonsen é alegre, variada e inteligente, utilizando além de músicas originais, a soul music, o pop e o dancing. Aliás, o filme tem uma bela abertura ao som de People Get Up And Drive Your Funky Soul de James Brown.

Uma Família de Dois é um filme que dificilmente desagradará alguém. Ele o conduzirá para cima e para baixo; o fará ficar triste e alegre; o fará rir e chorar. E você vai gostar de cada riso e lágrima.

Ficha técnica
Direção: Hugo Gélin
Roteiro: Guillermo Rios, Eugenio Derbez, Leticia Lopez Margalli
Elenco: Omar Sy, Clémence Poésy, Antoine Bertrand, Gloria Colston, Ashley Walters
Gênero: Comédia dramática
Classificação: 12 anos

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo