The Hunt - A Caçada (2020) - NoSet
Cinema

The Hunt – A Caçada (2020)

Salve Nosetmaníacos, eu sou o Marcelo Moura e hoje vamos falar um pouco do polêmico filme de 2020 The Hunt.

The Hunt: É um filme americano de 2020, descrito de várias formas como horror ou suspense, dirigido por Craig Zobel  e escrito por Nick Cuse e Damon Lindelof. O filme é estrelado por Betty Gilpin , Ike Barinholtz , Amy Madigan , Emma Roberts , Ethan Suplee e Hilary Swank. Jason Blum atua como produtor sob sua bandeira da Blumhouse Productions, junto com Lindelof. Zobel e Lindelof disseram que o filme serve como uma sátira à profunda divisão política entre a esquerda e a direita americanas.  Com um orçamento de US $ 14 milhões, o filme estava originalmente programado para ser lançado em 27 de setembro de 2019. No entanto, após as filmagens em Dayton e El Paso no início de agosto de 2019, a Universal Pictures decidiu adiar o lançamento do filme. O filme foi lançado nos Estados Unidos em 13 de março de 2020. Recebeu críticas mistas dos críticos e arrecadou US $ 6 milhões. Devido à pandemia de coronavírus 2019-2020 de 2019 em todo o mundo, a Universal disponibilizou o filme digitalmente apenas uma semana após seu lançamento no cinema.

Sinopse: Em um texto de grupo, uma mulher chamada Athena celebra uma próxima caçada aos” deploráveis “. Mais tarde, no jato particular de Athena, ela mata um homem que cambaleia para fora do porão de carga. Onze cativos acordam amordaçados em uma floresta. Em uma clareira, eles encontram um esconderijo de armas e chaves para suas mordaças, mas, ao recuperá-las, cinco são mortas por um inimigo invisível e três escapam por uma cerca de arame farpado até um posto de gasolina. Os proprietários da estação, um casal de idosos, identificam sua localização como Arkansas. Os três fugitivos, cada um seqüestrado de uma parte diferente dos Estados Unidos, percebem a semelhança de sua situação com a teoria da conspiração “Manorgate”.

Gostaria de informar que esta é uma crítica cinematográfica do filme e não das tendencias sociais e políticas que o longa apresenta. O que vamos discutir é se o filme funciona como entretenimento ou não. Questões politicas sobre o filme deixei na sessão de Curiosidades da matéria.

Crítica: The Hunt é aquele tipo de filme que te deixa muito perdido no início, e a partir da metade, começa a inserir flashbacks para amarrar a história como um todo. Não que isso seja ruim ou que demonstre falha na continuidade do filme, mas neste caso afetou a proposta do filme e seu andamento, pois não apresentou o conteúdo necessário e deixou a maioria dos envolvidos de fora, criando um grande buraco no roteiro para se concentrar em apenas dois personagens. Com um roteiro até simples depois que o filme se desenrola, The Hunt não tem a pretensão de ser misterioso ou apresentar algo novo, pelo contrário, é recheado de clichês de explosões, tiros, porradas e até flechadas, flertando muito com filmes de ação B, mas sendo pretensioso e incomodo com uma carga de crítica social e política. Só que ai está o problema, com um roteiro raso, reto e sem surpresas, sem oportunidades para alguma atuação além de Betty Gilpin (da série GLOW na Netflix), que chega a ser engraçada com sua falta de expressão em algumas cenas e o excesso em outras, a rápida aparição de Emma Roberts (AHS) e no final para a vencedora do Oscar Hilary Swank (Menina de Ouro), o filme te deixa com a sensação de que a mistura política com explosões não se entendem, causando uma falta de concentração do público sobre o que está sendo dito, como se você não soubesse bem o que está assistindo, causando um incomodo no público.

Não há uma conclusão interessante ou plausível, talvez questões filosóficas ou críticas sociais pertinentes, mas apenas a mensagem, você é responsável pelo que compartilha, assim como um efeito borboleta virtual, como não começar a repassar boatos nas mídias sociais que podem se virar contra você ou talvez não acredite em tudo que lê, ou mesmo os Ricos podem tudo e a Classe Média baixa depende de heróis para salvar o dia. Uma tentativa de se dar um tapa na sociedade, mas que erra o alvo do entretenimento grandiosamente. Existem filmes muito mais polêmicos com atuações ótimas em 2020, que te fazem pensar, como O Poço, que tem muito mais conteúdo social, político e comercial do que este, mas se você gosta de um filme B de massacre, explosões e muita porrada, com direito a um porco criando um simbolismo no filme, The Hunter é uma boa pedida.

A impressão que tenho é que Hollywood força muito a barra em filmes caseiros para dizer que estão criticando a sociedade e a política, como se criassem obras de arte no cinema, como visões de um mundo americano moderno, mas que pode ser visto de várias maneiras, dependendo da sua escolha política social, isso sem falar no modelo de super herói americano que com o exercito de um só, resolve todos os problemas.

Curiosidades: A referência dos caçadores de elite à sua caça como “deploráveis” é uma alusão à frase “cesta de deploráveis “, usada por Hillary Clinton durante a campanha eleitoral presidencial dos EUA em 2016 para se referir aos apoiadores do então candidato presidencial Donald Trump . Um rascunho inicial do roteiro mostrava os conservadores da classe trabalhadora como os heróis do filme. O Hollywood Reporter escreveu que nos testes o filme gerou “reações negativas” quanto ao material apresentado. A segunda exibição foi realizada em 6 de agosto de 2019, em Los Angeles, na qual “os membros da platéia estavam novamente expressando desconforto com a critica social”, uma questão que a Universal não previra (embora outros estúdios tivessem inicialmente aberto mão do roteiro por esse motivo). Em uma declaração à Variety , a Universal informou em um relatório rebatendo que o público-teste estava desconfortável com a inclinação política do filme e também rebateu as alegações de que o script originalmente tinha um título politicamente explosivo. “Enquanto alguns meios de comunicação indicaram que as exibições de testes de The Hunt resultaram em feedback negativo do público; na verdade, o filme foi muito bem recebido e registrou uma das maiores pontuações de testes para um filme original de Blumhouse”, disse um porta-voz da Universal. “Além disso, nenhum público presente na sessão de teste expressou desconforto com qualquer discussão política no filme.

Embora os relatórios também digam que The Hunt era anteriormente intitulado Red State vs. Blue State , isso nunca foi o título de trabalho do filme em nenhum momento. Após sua estreia o filme atraiu críticas de alguns da mídia como um retrato de elitistas liberais que caçavam partidários de Donald Trump. O próprio Trump publicou um tweet em 9 de agosto de 2019, chamando “Liberal Hollywood” “racista do mais alto nível” e escrevendo: “O filme é feito para inflamar e causar o caos”, acrescentando “Eles criam sua própria violência e depois tentam culpar os outros”. Embora Trump não tenha especificado o nome do filme, os veículos de notícias acreditavam que era provavelmente uma referência a The Hunt. Alguns comentaristas, como colunistas da National Review , argumentaram que o filme realmente tinha um tom anti- liberal de direita, que foi mal interpretado por críticos conservadores.

No site agregador de críticas Rotten Tomatoes , o filme possui uma taxa de aprovação de 54% de 194 críticas, com uma classificação média de 5,73 / 10. O consenso dos críticos do site diz: “The Hunt é suficientemente bem-sucedido como um thriller de ação com humor sombrio, mas foge ao alvo quando busca uma sátira social oportuna”. Em Metacritic , o filme tem uma pontuação média ponderada de 50 em 100, com base em 43 críticos, indicando “críticas mistas ou médias”. As audiências consultadas pelo CinemaScore deram ao filme uma nota média de “C +” na escala A + a F.

Gostou da matéria, é só seguir o meu instagram para acompanhar lançamentos e opinar: https://www.instagram.com/marcelo.moura.1253/

Topo