The Evil Dead – Sam Raimi - Cinematográfico (1981 – 2013): - NoSet
Cinema

The Evil Dead – Sam Raimi – Cinematográfico (1981 – 2013):

Salve Nosetmaníaco, eu sou Marcelo Moura, fã de filmes trashes, e hoje vamos falar de uma das melhores franquias de terror de Sam Raimi: Evil Dead!

evil-8

Samuel Marshall Raimi: 

Diretor, produtor, ator, roteirista americano e fãs de HQs, famoso por dirigir e produzir filmes e séries cultuadas como a franquia original e perfeita do Homem-Aranha, a trilogia de terror dos anos 80 “The Evil dead” e as séries Xena e Hércules. Rami é o tipo de diretor que adora trabalhar com a mesma trupe em tudo que faz e em suas produções sempre vemos seus irmãos ou seu amigo de faculdade Campbell trabalhando em conjunto. Sua trilogia Evil Dead virou um Cult que passou pelos quadrinhos, com uma homenagem recente nos Zumbis da Marvel, aos games, livros e um musical de teatro e em todos com Ash e sua moto serra acoplada no seu braço como personagem principal e mitológico. Já houve até menção de um filme de Ash contra Jason e Freddy, mas por enquanto só ficou nos roteiros.

evil-4

The Evil Dead (1981):

The Evil Dead é um filme norte-americano escrito e dirigido por Sam Raimi. O filme teve duas sequências: Evil Dead II e Army of Darkness, além de ser adaptado para um musical de teatro, um remake em 2013 e uma série de tv em 2016.

Sinopse: Casal de amigos vai passar o final de semana em uma casa na montanha, quando inadvertidamente resolvem ouvir a fita de um gravador do antigo do ocupante da casa. Nela eram lidas páginas do Necronomicon, o livro dos mortos. Um antigo mal é liberto e passa a persegui-los sem descanso.

Crítica: Sensacional filme de terror, muito além do seu tempo, já utilizando a câmera de ombro como personagem participante e abusando dos efeitos visuais no cenário, como paredes se mexendo e janelas batendo. A cena do estupro de um pesoangem pela árvore até hoje é clássica e foi muito bem refeita no último remake de 2013. A cena do demônio preso no alçapão contando a música para a filha ainda é de arrepiar, é impressionante como Raimi conseguiu, quase saindo da faculdade, fazer um filme tão criativo com um personagem tão marcante quanto Ash. O filme é quase uma Sessão Pipoca de tão divertido e criou uma geração de fãs transformando esta versão em um filme Cult.

evil-3

Evil Dead II (1987):

Evil Dead 2 é um filme norte-americano dirigido por Sam Raimi. Segundo o diretor, o filme é uma continuação do filme realizado em 1981, mas a reencenação de várias cenas do primeiro filme faz com que pareça um remake de sua primeira obra.

Sinopse: Casal de amigos vai passar o final de semana em uma casa na montanha, quando inadvertidamente resolvem ouvir a fita em um gravador do antigo do ocupante anterior da casa. Nelas eram lidas páginas do Necronomicon. Um antigo mal é liberto e passa a persegui-los. Com pequenas diferenças, principalmente no final, é quase a mesma história, com uma produção melhor.

Crítica: Raimi consegue refazer o clássico de maneira sóbria e mantém a mesma pegada, agora com um pouco mais de dinheiro e efeitos especiais, consegue, com a mesma classe, recontar seu filme B sem dever nada ao primeiro. Bom, não é verdade, a cena do estupro da árvore foi tirada do segundo filme e o final mudado exclusivamente para ter uma continuação. Campbell se imortaliza no papel de Ash o transforma em um mito no nível de Jason e Freddy.

evil-7

Army of Darkness (1992):

Army of Darkness é o terceiro filme da série The Evil Dead, sequência de Evil Dead II, dirigido e escrito novamente por Sam Raimi.

Sinopse: Nosso herói Ash, desta vez volta ao tempo através do portal aberto no final do segundo filme e vai para o século XIV, onde enfrenta um exército de mortos-vivos para tentar destruir o Necronomicon de vez e acabar com sua maldição.

Crítica: O pior filme da trilogia, Army of Darkness é uma perda de tempo e não acrescenta nada a história original. O filme está mais para uma comédia do que um filme de terror e na minha opinião, foi um erro de Raimi produzir desta maneira medieval uma péssima continuação de uma franquia de sucesso, que parece na verdade uma homenagem ao personagem Ash e ao amigo Campbell do que ao filme Evil Dead, encerrando assim, para o cinema, a trilogia de Ash. O personagem principal só voltou 24 anos após na série para tv Ash vs Evil Dead.

Elenco da franquia original: Bruce Campbell é ator norte-americano. Dentre seus trabalhos estão a trilogia The Evil Dead e inúmeras aparições nas séries Xena: Warrior Princess e Hercules: The Legendary Journeys e na trilogia original do Homem Aranha de Raimi. Ellen Sandweiss é uma atriz norte-americana de filmes B. Ela também se apresentou no Teatro musical como dançarina e cantora pop. Ted Raimi é um ator mais conhecido por seu papel nas séries de Xena: Warrior Princess, Hercules: The Legendary Journeys e SeaQuest DSV. Também é irmão de Sam Raimi. Embeth Jean Davidtz é uma atriz sul-africana nascida nos Estados Unidos. Bridget Fonda é uma famosa atriz norte-americana mais conhecida pela franquia Nikita. Ian Abercrombie foi um ator inglês, mais conhecido por interpretar Alfred Pennyworth em Birds of Prey. Ele apareceu como Sr. Pitt, o chefe de Elaine Benes durante a sexta temporada de Seinfeld, e como um mordomo exigente em Desperate Housewives. Ivan M. Raimi é ator e mais um irmão dos Raimi´s.

 evil-2

Evil Dead (2013):

Evil Dead, é um filme de terror norte-americano dirigido por Fede Alvarez. É o remake do filme The Evil Dead, lançado em 1981, escrito, produzido e dirigido por Sam Raimi, que também escreveu e produziu o remake juntamente com Campbell.

Sinopse: Casal de amigos vai passar o final de semana em uma casa na montanha, quando inadvertidamente resolvem ouvir a fita em um gravador do antigo do ocupante anterior da casa. Nelas eram lidas páginas do Necronomicon. Um antigo mal é liberto e passa a persegui-los.

Crítica: O diretor Fede Alvarez se supera ao recontar um clássico a sua maneira, mas com um conteúdo maior a onde interessa, no elenco, dando o bagagem que cada personagem merece acrescentando volume a história e mantendo o terror no nível esperado sem inventar. O mito The Evil Dead é respeitado e seu conteúdo revisto de maneira perfeita. As cenas na floresta e da casa, muito mais exploradas agora, são de um nível que faz jus ao clássico. Minha única reclamação, e já adianto que faz falta, é a opção do personagem clássico Ash não aparecer no filme, nem em uma ponta. Sempre fui fã do ator, produtor e diretor Sam Raimi (Samuel Marshall Raimi), desde que vi o seu primeiro filme Evil Dead (1981) com Bruce Campbell no elenco. Eu sabia que era um diretor ousado e que com pouco orçamento fazia milagres em criatividade. Reencontrei-o novamente nos seriados Xena e Hércules (1995), a Trilogia do Homem Aranha (2002), a ótima série Spartacus (2011) e Oz (2013). Assisti Evil Dead (1981), assim como seu primeiro remake (1991) que já abriu portas para um terceiro filme chamado Army of Darkness ou Evil Dead 2 (1993), que não é tão bom, mas mantém aquela qualidade do diretor de fazer com pouco, muito. Todos os antigos Evil Dead são protagonizados pelo ator Bruce Campbell, apelidado por muitos em Hollywood como o ator mais azarado do cinema, de tantos papéis que perdeu para atuar por mudanças de elenco. Sua amizade desde a faculdade com Sam Raimi garantiu sempre pontas em quase todos os seus filmes. O filme sempre foi um projeto para remake, tanto a pedido dos fãs, que queriam muito ver uma reedição do clássico, quanto dos próprios produtores Bruce Campbell e Sam Raimi, mas por um problema de agenda, isso não acontecia até quem finalmente o diretor uruguaio Fede Alvarez foi escolhido para refazer o filme, mantendo no roteiro Raimi. O filme não decepciona, mantém o universo de Evil Dead e acrescenta ótimas sequencias sem perder as referências tão clássicas até representadas bem nos quadrinhos e vídeo games da série. Gosto de roteiros com críticas sócias, tão escasso em filmes de hoje em dia, mas felizmente o filme é munido dessa particularidade, sem que se torne exageradamente o foco do filme. O elenco esta perfeito no papel, nada que impressione, mas mantém aquelas sequencias tão assustadoras, deliciosas e maliciosas dos filmes originais. A única crítica está no desaparecimento do personagem Ash (Bruce Campbell), nem mesmo como ponta. Mas pode ficar tranquilo que ele é lembrado, você só precisa entender como, “sem se cortar!”

evil-6

Elenco do Remake: Jane Colburn Levy é uma atriz norte-americana. Ela é mais conhecida por seu papel, Tessa Altman no seriado Suburgatory, série de comédia da ABC. Shiloh Thomas Fernandez é um ator americano e é conhecido por seus papéis na série de televisão Jericho e United States of Tara, e os filmes Deadgirl, Red Riding Hood, eo 2013 de remake de Evil Dead, no papel principal. Lou Taylor Pucci é um ator estadunidense que apareceu pela primeira vez no filme de Rebecca Miller no bem-recebido Personal Velocity: Three Portraits em 2002. Jessica Lucas é uma atriz canadense. Jessica começou a atuar quando tinha apenas sete anos e começou a treinar profissionalmente no Children’s Theater Arts, onde estudou de 1992 até 1994. Ellen Sandweiss é uma atriz norte-americana de filmes B. Ela também se apresentou no Teatro musical como dançarina e cantora pop, e em uma mostra de uma mulher de música judaíca. É a única do elenco original a participar do Remake.

evil-9

Gostou da matéria, é só seguir o meu instagram para acompanhar lançamentos e opinar: https://www.instagram.com/marcelo.moura.1253/

evil-5

2 Avaliações

2 Comments

  1. Aldir Silva Configurações

    13 de novembro de 2016 em 22:33

    cara, de onde vd tirou que o remake do clássico é bom? péssimo em todos os sentidos e foi um fiasco nas bilheterias assim como o Robocop do padilha, fica pálido quando comparado com o original e já foram esquecidos, nem chegou perto da impressão no imaginário popular que ainda hj o primeiro carrega na história dos filmes de horror. Ainda por cima conta com a mudança de protagonista ser uma mulher (empoderamento feminino). A cena de estupro é uma piada comparada com a forte cena do original. o que mais me decepcionou, além do sangue em CGI e a a maquiagem fraca, foi que a produção era do próprio Raimi. Lamentável.

    • Marcelo Moura

      Marcelo Moura Configurações

      14 de novembro de 2016 em 08:15

      Aldair, concordo com você e a intenção não foi de comparar ao primeiro, mas apenas fazer uma crítica ao estilo e roteiro do filme que foi apresentado. Como fã de Raimi, também achei que faltou o humor negro do clássico filme, mas realmente gostei da produção e estilo do diretor. Gostaria de lembrar que The Evil Dead original também foi um fiasco de bilheteria, sendo que quando saiu em fita cassete se tornou um filme Cult. Assim é a vida >:)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo