Tudo que desaparece um dia volta – “Dente por Dente” - NoSet
Cinema

Tudo que desaparece um dia volta – “Dente por Dente”

A justiça feita pelas próprias mãos é um conceito que vem do passado, mas que não esmorece, especialmente quando alguém se vê no meio de uma situação delicada e precisa se posicionar de alguma forma.

O thriller brasileiro “Dente por Dente”, escrito por Michel Laub e Arthur Warren, dirigido por Pedro Arantes e Júlio Taubkin, com distribuição da Vitrine Filmes, chega hoje, dia 28 de janeiro de 2021, no circuito nacional de cinema.

A trama acompanha Ademar em uma investigação que é guiada mais pelo místico do que pelo real, mas que o faz descobrir muitas informações ocultas sobre seu antigo sócio, Teixeira.

Ademar e Teixeira são sócios de uma empresa privada de segurança, eles têm parceria com vários empresários de São Paulo, mas o principal contrato é com uma construtora, liderada por Meirelles e Cristina.

Certo dia coisas estranhas começam a acontecer, Teixeira some e o mestre obras da construtora tem surto (eventos relativamente sem conexão). Ademar é quem teve que lidar com o mestre de obras e quem teve que ir atrás do sócio, descobrindo que ele estava em um hotel de uma cidade vizinha.

Ele vai até o hotel, consegue entrar lá e é o primeiro a ver que Teixeira foi assassinado, mas o que o deixou mais intrigado foi a mala de dinheiro jogada no chão e o fato de o assassino ter tirado todos os dentes do sócio, como se aquilo fosse um recado.

A partir daí Ademar tenta se colocar como substituto de Teixeira nos negócios ocultos, não para ter lucros, mas para entender onde sua empresa e seus sócios estavam metidos.

Ele acredita que teria um aliado, o delegado Valadares, que sempre ajudava em casos mais sérios da empresa e que era sogro de Teixeira. Outra pessoa que Ademar acreditou que poderia ajudar era a viúva do sócio, a filha de Valadares, Joana.

Joana acaba não ajudando muito, até porque Ademar parece ter sido apaixonado por ela e, naquele momento, misturar as coisas não iria adiantar. A maior decepção foi Valadares, que, depois de muito se atrever a investigar, descobre que ele está mais envolvido no esquema do que ele imaginava.

Bom, Meirelles e Cristina escondiam negócios exclusos na construtora, Teixeira e Valadades ajudavam a despistar as autoridades sobre possíveis desaparecimentos. Não fica claro, mas aparentemente, no alicerce dos prédios da construtora tinha muitos corpos de pessoas que se atreveram no esquema e acabaram sendo mortas.

Qual o elemento místico?

Ademar começa a ter sonhos estranhos desde antes de saber do desaparecimento de Teixeira, eram tão reais que, por vezes, parecia que realmente estava acontecendo. Era sempre envolvendo alguém arrancando um dente dele, mas em momentos diferentes.

O que era mais assustador é que quando ele acordava desses sonhos ficava sabendo que alguém estava morto e que o assassino tinha tirado os dentes da vítima, sempre nos lugares que apareciam nos sonhos de Ademar, como o hotel em que Teixeira estava ou na construção do prédio novo de Meirelles.

O objetivo da investigação de Ademar era descobri o esquema, ele quase morre no processo e não descobre tudo, mas descobre o envolvimento de Valadares, resolvendo a questão do jeito mais brutal possível, com as próprias mãos.

O filme todo é narrado por Ademar, tentando entender tudo e repetindo a frase “tudo que desaparece um dia volta”, isso porque as pessoas que estavam desparecendo estavam o ajudando a encontrar as pistas de alguma forma.

O título do filme, “Dente por Dente”, tanto pode ser justificado pela assinatura do assassino, tirando os dentes das vítimas e usando-os como recado para as próximas (mas que serviram de provas para Ademar), quanto pela velha lei do rei babilônico Hamurabi, “olho por olho, dente por dente”.

Essa lei antiga significa que a punição por algum crime teria que ser com a mesma intensidade, ou seja, se lhe arrancam um dente você teria o direito de arrancar o dente do seu agressor. Esse era o senso de justiça da época, que parece mais vingança.

Com cenas agonizantes, fotografia escura e uma narrativa levemente confusa, “Dente por Dente” realmente pode ser chamado de thriller, mas não é agradável de se assistir (se você não gosta de assistir thriller), embora seja rápido, com duração de 1h25m.

No elenco estão Juliano Cazarré (Ademar), Aderbal Freire Filho (Valadares), Paulo Tiefenthaler (Texeira), Paolla Oliveira (Joana), Renata Sorrah (Meirelles), Paula Cohen (Cristina) e grande elenco.

Quando eu vi que Cazarré iria contracenar com Paolla Oliveira me animei, porque os dois já deram show juntos em novelas globais, mas a personagem dela não tem o peso que parecia que teria, eles pouco aparecem juntos. A mesma “decepção” tive com Renata Sorrah, pensei que ela iria aparecer mais, fiquei ansiosa para a ver, mas ela só aparece em 02 cenas, faltando 10min para o filme terminar.

Sinceramente, com essas duas atrizes no elenco era para ter personagem com mais força (mesmo que aparecessem pouco).

Até mais!

Topo