Quando o clichê funciona – “Aprendiz de Espiã” - NoSet
Cinema

Quando o clichê funciona – “Aprendiz de Espiã”

O trabalho de um agente secreto é extremamente sério, requer muito treinamento e aparatos tecnológicos, além de habilidades em interrogatório e em luta. Por isso mesmo é uma opção para ex-soldados, como é o caso de JJ, em “Aprendiz de Espiã”.

Esse é uma das novas apostas da Amazon Prime Video, dirigido por Peter Segal e com roteiro dos irmãos Erich e Jon Hoeber.

JJ é aquele típico ex-soldado, cara grande, cheio de músculos e tatuagens, durão, mas ele não é o agente secreto/espião perfeito para CIA. Quais defeitos? Usa mais a força do que a inteligência e trabalha sozinho, não aceita parceiros.

Depois de falhar gravemente em uma missão, JJ é enviado para uma missão mais simples, de vigilância, junto com Bobbi, expert em tecnologia e responsável pelos aparatos que serão essenciais para o caso. Essa missão é em Chicago e o “alvo” é Kate e a filhinha dela, Sophie.

Elas acabaram se mudar para a cidade, moravam na França, mas o pai de Sophie morreu um ano antes e, infelizmente, seu nome estava envolvido em esquemas criminosos do irmão, logo mãe e filha poderiam estar em sério risco. A vigilância nelas tinha o objetivo de saber mais sobre esse tio de Sophie e descobrir onde o pai havia escondido um pen-drive com informações relevantes.

A ideia foi se instalar no mesmo prédio delas, um andar abaixo, instalar todo o aparato enquanto elas estivessem fora e depois vigiar do apartamento em que alugaram. Só que JJ deixou amostra uma câmera e Sophie é mais esperta do que aparentava, descobriu o que era e descobriu todo o esquema dele e de Bobbi.

Dave Bautista and Chloe Coleman star in MY SPY.

Ela denunciou? Não, ela sabia que poderia ganhar muito com essa informação e usou isso.

Sophie não tem consigo se enturmar na nova cidade, não tem amigos na escola ainda e sente muita falta de ter companhia. Ela viu em JJ a figura de um amigo e, talvez, uma figura paterna, já que também sentia falta do pai, só que ele não é tão amigável. Só aceitou ser chantageado por ela porque sabia que estaria demitido se a missão desse errado.

As chantagens de Sophie se resumem, basicamente, em a acompanhar em eventos de escola, ajudando-a no se enturmar, além de a ensinar a como ser uma espiã. Ele começa a fazer isso e a se envolver não só com Sophie, mas também com Kate, por quem aos poucos foi se apaixonando de verdade.

Sim, é um clichê de filme infanto-juvenil, um carão durão que amolece por causa de uma garotinha e, no final, ainda arranja uma namorada a altura, mas é o tipo de clichê que funciona, nem que seja para assistir naqueles dias que a mente precisa de certo descanso.

E por que digo que é clichê? Porque podemos ver isso em Schwarzenegger em “Um Tira no Jardim de Infância”, Vin Diesel em “Operação Babá”, The Rock em “Treinando o Papai”… Vi alguém falando sobre isso no TikTok um dia desses (não lembro quem foi, se alguém souber deixe nos comentários, por favor).

De toda forma, não é só de grandes filmes de drama, amor, suspense e terror que vivemos, às veze filmes assim valem a pena assistir. Esse é bem feito e a atriz mirim dá conta do recado, até porque quase sempre são as crianças que chamam mais atenção em filmes assim.

Falando dela, Sophie é vivida por Chloe Coleman, famosa por fazer parte do elenco de grandes produções como “Big Little Lies” e “Upload”. Ela é muito carismática e tem time de comédia, me fez lembrar de Madison Pettis, de “Treinando o Papai”.

JJ é interpretado por Dave Bautista, o Drax dos filmes de “Guardiões da Galáxia” e “Vingadores”. Eu só o conhecia por causa de Drax, então fiquei curiosa para assistir algo em que ele não usasse a maquiagem. Ele foi perfeito para o papel, desde a aparência física até a postura e a forma de falar, mas senti que talvez ele não seja tão versátil.

Lógico que eu preciso assistir mais filmes com ele sem ser Drax, o que farei, porque até agora ele deixou boa impressão.

Bobbi, a expert em tecnologia, que virou a parceira de JJ, é vivida pela comediante Kristen Schaal. Ele é bem conhecida por programas de comédia e pelo trabalho como dubladora, cujo título mais famoso é “Gravity Falls”. Embora eu não seja fã do tipo de humor que ela faz (escrachado), adorei a personagem dela, foi essencial para toda a trama, não foi só o alívio cômico.

Kate foi interpretada por Parisa Fitz-Henley, dentre os títulos em que trabalhou está “Harry & Meghan: A Royal Romance”, onde deu vida a própria Meghan Markle. Além disso, esteve no elenco de “Jessica Jones” e está em “The Sinner”.

O longa ainda conta com a participação de Ken Jeong, ele faz o chefe de JJ e Bobbi, e é famoso por filmes e séries de humor, como “Se Beber Não Case” e “Community”, fez até aparição em “Vingadores: Ultimato”.

Ah, o filme é classificado como sendo para toda família, mas tem cenas de ação, com luta e explosão (nada demais). É bom avisar, caso queiram assistir com os pequenos.

Até Mais!

Topo