Fraude do Amor? – “Amor Garantido” - NoSet
Cinema

Fraude do Amor? – “Amor Garantido”

Sites de relacionamento, agora transformados até em aplicativos específicos, têm sido buscados por pessoas que querem ter diversos tipo de encontrou, desde relacionamentos casuais até (para os mais românticos) o amor verdadeiro.

Mas sabe o que não podem fazer? Garantir que todos os assinantes encontrem esse tão esperado e superestimado amor garantido. No longa com o sugestivo nome de “Amor Garantido” isso acontece e o caso vai parar na justiça!

Essa é a nova comédia romântica original Netflix, lançada no mês passado (setembro de 2020), dirigida por Mark Steven Johnson e com roteiro de Elizabeth Hackett e Hilary Galanoy.

A trama começa mostrando a advogada Susan Whitaker, o objetivo dela na profissão é ajudar o próximo, por isso a maior parte dos casos dela é pro bono, ou seja, ela atua em casos em que os clientes não podem pagar. O que faz bem para a sociedade e para sua consciência, mas não tem ajudado a manter as custas de seu escritório, contando aí com seus dois assistentes, Denise e Roberto.

Daí surge, milagrosamente, Nick Evans, um cliente pagante com um caso que pode trazer lucros reais, salvando o escritório. Só que esse caso não é tão claro e não é nem de perto simples, na verdade, Susan até duvida que realmente se trate de algo que possa sustentar um processo judicial.

O que é?

Nick quer processar o site de relacionamentos Amor Garantido, criado e mantido pela blogueira e guru do amor Tamara Taylor. Ele disse que foi a quase mil encontros com parceiras indicadas pelo site, pagando uma mensalidade de U$ 29,50 (dólares) e todos os custos de todos os encontros, mas, ainda assim, não encontrou o seu amor verdadeiro. A alegação principal é de fraude.

Como era um cliente pagante e ele iria pagar mesmo se perdesse o processo, Susan aceitou o caso e começou a investigar. Primeiro ela teve que conhecer a estrutura dos encontros online, então criou o seu perfil (depois de os assistentes insistirem muito), foi aos encontrou dela. Além disso, tentou conversar com as mulheres com quem Nick se encontrou, para saber como foram os encontrou, detalhes que pudessem interessar.

O pressuposto inicial era seu slogan, “Você vai encontrar o amor, nós garantimos”, além do que está escrito nas letras pequenas do contrato do site (aquele que se assina eletronicamente e ninguém lê), lá dizia que o usuário deveria ir a mil encontros para tornar a garantia válida. E Nick estava determinado a completar os mil encontros.

Para ganhar o processo Susan teria que comprovar que o caso não era um golpe, Nick realmente estava empenhado em encontrar o amor, dedicando seu melhor em cada encontro. Também deveria mostrar que o site estava errado em fazer esse tipo de garantia.

Com as provas certas em jogo, Susan tinha tudo para vencer o caso, mas ela e Nick acabaram se aproximando demais. Os dois estavam solteiros e não tinham pretensões nenhuma em seus encontros, era simplesmente para discutir o caso, ela recolher o máximo de informações possíveis.

É uma comédia romântica e aqui está o clichê: eles se apaixonaram.

Não seria um problema, a essa altura isso não iria interferir no processo, o julgamento estava próximo. Só que eles foram flagrados juntos e os advogados de Tamara Taylor (e do site) descobriram o perfil de Susan, logo tinham a brecha que precisavam, Nick havia encontrado o amor por causa do site.

Aqui vai alguns esclarecimentos jurídicos, que servem tanto para o ordenamento jurídico brasileiro quanto para o estadunidense e fizeram parte do desfecho do filme … Um dos grandes motivos para eu ter gostado da produção.

Embora a maioria das pessoas não levem a sério, palavras precisam ser bem escolhidas tanto nos contratos quanto nos slogans. A palavra “garantido(a)” pode ser um excelente chamativo para o marketing, mas o produto ou serviço precisa ser aquilo que foi prometido, caso contrário o consumidor/usuário pode sim reivindicar seus direitos.

Esse era o trunfo de Susan na defesa do caso de Nick, mas os advogados de Tamara também usaram a interpretação das palavras para encontrarem o seu.

No mesmo contrato que garantia o amor verdadeiro em mil encontros dizia que os encontros deveriam ser com outros usuários do site, o casal se encontrou por causo do site. Não havia a necessidade terem sido recomendados um para o outro nem terem se dato match, o que os liga é o site, não especificando a razão.

Nick conheceu Susan por causa do site, foi para processar o site, mas foi por causa dele, senão eles não teriam se encontrado. Além do mais, ela também tinha um perfil lá, dando força ao argumento.

Esse argumento não era tão forte quanto a questão da garantia, mas eventualmente Nick desiste do processo, ele entende essa ligação e concorda, o processo termina aí, sem perdedores. A melhor parte é que Susan impressiona o corpo jurídico de Tamara e ganha uma proposta de trabalho.

Ainda dentro do lado jurídico, é possível ver algo interessante, os resultados de um trabalho bem feito, mesmo que pro bono. Foi um cliente não pagante e muito querido que indicou os serviços de advogada de Susan a Nick.

Esse filme é despretensioso. Surgiu na Netflix de forma muito sutil, poucas pessoas comentam sobre ele, tinha tudo para ser só uma comédia escrachada, especialmente pela presença de Damon Wayans Jr., mas se transforma em uma história muito bonita e algumas lições jurídicas, para advogados e não advogados.

Mais uma vez lembro, é uma comédia romântica, tem clichês, tem momentos desconfortáveis, tem coisas que provavelmente nunca ocorreriam na vida real. Mas é por isso mesmo que é gostoso de assistir, tem um equilíbrio entre o lado sério, lições e drama, e a comédia.

Quanto ao elenco …

Nick Evans, um fisioterapeuta com um passado amoroso sofrido, batalhando contra um site de namoro, é vivido por Damon Wayans Jr., famoso pelas séries “Happy Endings” e “New Girl”. Ele vem de um clã de grandes comediantes dos EUA, filho de Damon Wayans, o eterno Michael Kyle de “Eu, a Patroa e as Crianças”, e sobrinho de, dentro outros nomes da comédia, Dwayne Wayans e Shwan Wayans, de “As Branquelas”.

Entenderam o porquê o filme poderia chegar a ser escrachado? Mas o estilo desse Wayans é mais leve, realmente lembra mais o pai do que os tios (pelo menos nas produções que eu assisti). Ele carrega o humor, o talento e o charme da família.

Susan, essa advogada inteligente e idealista, é vivida por Rachel Leigh Cook, que também ficou conhecida por comédia escrachada, uma em específico, “Ela é Demais”, de 1999. Nesse caso, ela ficou com o lado mais dramático da trama e funcionou muito bem.

Tamara Taylor é interpretada por Heather Graham, conhecida por produções como, “Pânico 2”, “Austin Powers: O Agente que Não Sabia de Nada”, “Se Beber Não Case” (ela está no primeiro e no terceiro), “Boogie Woogie”, “Amaldiçoado” e “Desperados”.

Por mais comédias românticas com clichês que funcionam!

Até mais.

Topo