Abraço em família – “10 Dates Surpresa” - NoSet
Livros & HQs

Abraço em família – “10 Dates Surpresa”

Família grande é sinônimo tanto de muitas alegria quanto de momentos inusitados, quando essa família tem descendência italiana esses momentos podem acontecer com muito mais frequência, um exemplo é a família de Soph, em “10 Dates Surpresas”, da escritora Ashley Elston e trazido para o Brasil pela Alt, braço da Globo Livros.

Soph tem 17 anos, está enfrentando o último ano de colégio e com todas aquelas dúvidas comuns sobre o futuro, a única certeza era de que queria que os pais a dessem mais liberdade e que amava o namorado, Griffen.

Todos os anos Soph e os pais passam os feriados do final do ano na casa da Nonna, avó materna dela, que mora em uma cidade a uma hora de distância, exceto esse ano, porque a irmã, Margot, está enfrentando uma gravidez de risco e mora em outra cidade.

Vendo que seria uma oportunidade de ter mais liberdade, Soph decide não ir ver Margot e ir para casa da Nonna sozinha, pensando em poder fugir um pouquinho nesse período para ver Griffen. Antes de o plano dar certo ela termina com Griffen, ela o escutou falar que queria terminar, então ela terminou logo.

Isso a fez chegar na casa da Nonna arrasada. A avó até consolou, mas acabou espalhando para a família inteira e é uma daquelas família gigantes, em torno de 06 filhos e uns 10 netos das mais diversas idades, que todos conversam ao mesmo tempo (“se metendo” nos assuntos de todos) e se reúnem quase sempre para as refeições.

Sabe as aglomerações que não estão podendo acontecer? Nesta família seria um desafio quase impossível, só a família já é a aglomeração!

Soph sempre teve contato próximo com a família, mas se afastou um pouco nos últimos anos, por isso a presença dela ali significou muito para todos. Dois primos sentiram mais o afastamento dela, Olívia e Charlie, que eram os companheiros das aventuras infantis, junto com o vizinho deles, Wes. Eles eram o “Quarteto Fantástico”.

Bom, todos sabiam a situação amorosa de Soph, então a própria Nonna sugeriu que ela deveria ter encontros nessas férias de Natal e aí a família interviu seriamente. Seriam duas semanas até o Ano Novo, tirando o Natal, que seria em família, ela deveria ter 10 encontros e cada membro “adulto” escolheria o date e o programa que iria fazer, Soph só teria direito a desistir de um.

Teve de um tudo, noite agradável em mini-cidade de Natal com neve, presépio vivo com cabra comendo figurino, bebê chorão e date juvenil tarado, cinema drive-in com filme pornô, festa exclusiva para universitários com um brasileiro (tinha que ser brasileiro), jogo de hóquei em camarote com a família inteira (e que o date se apaixonou por um prima dela), um festival de música.

Nesse meio termo, Griffen ficou sabendo e começou com crise existencial (querendo DR sempre), Margot piorou e acabou tendo a filhinha prematura e Soph descobriu algo interessante, ou melhor, lembrou.

No começo da adolescência ela tinha um crush em Wes, mas Olivia disse que tinha crush maior, então ela abriu mão. As coisas não saíram muito bem na época, o que fez Soph ter medo de admitir que o crush em Wes tinha voltado com tudo e ele também quase não admitia que sentia o mesmo por ela.

Essas negações acabaram na última noite de date, no Ano Novo, quando Nonna deixou Soph livre para escolher o seu date. Lógico que ela escolheu Wes e absolutamente ninguém ficou surpreso com isso.

Para além das loucuras dos dates, das brigas e do bolão clandestino entre os tios e primos, essa história louca mostrou o amor familiar e o quão é importante essa relação. As cenas narradas com a família espalhada pela casa da Nonna, deu para sentir o amor e o carinho que tem ali, dá para sentir a canela dos bolinhos da Nonna, visualizar o quadro de avisos e sentir o calor humano dos abraços dados ali.

Em tempos de distanciamento social, em que eu mesma não estou podendo visitar minha avó e minhas tias, foi muito bom ter essa leitura leve e carinhosa, deu muita vontade de reunir todo mundo, mesmo com a possibilidade de algumas briguinhas, que é normal, família.

A relação entre Margot e Soph também é um elemento importante neste momento, porque elas estão longe fisicamente, mas nunca se afastaram de verdade. Mesmo Margot não querendo assustar e, por isso, não falou da piora para a irmã, Soph sabia que tinha algo mais grave acontecendo. Essa ligação é poderosa!

Uma “cena” marcante é no dia date que acabou sendo com Griffen, mas acaba virando apenas uma carona para ir até o hospital onde Margot está internada e a filhinha está na incubadora. Mais ou menos uma hora depois de ela chegar lá toda a família chega e a justificativa é a mais bonita: “você precisava ver sua irmã e nós precisamos ver a nossa”.

Deu vontade de tomar café da manhã com essa família, mesmo se não tiver onde sentar, só pegar uma caneca de café e um bolinha de canela da Nonna ouvindo as conversas dos tios e primos.

Por enquanto não podemos fazer aglomeração e abraçar nossas famílias, vamos tomar café em nossas casas e ler “10 Dates Surpresas”.

 

Até mais e #FiquemEmCasa

Topo