Salvando o Mundo de Cílios Postiços e Salto Alto – “Super Drags” - NoSet
Notícias

Salvando o Mundo de Cílios Postiços e Salto Alto – “Super Drags”

Animação é coisa só de criança? NEVER!!!

O projeto “Super Drags” deixa claro que animação também é coisa de adulto, que super herói não tem que seguir os padrões, que a homofobia tem aumentado severamente, mas que o humor e a união podem combater as consequências deste mal.

Esta é a nova produção original brasileira, trazendo três heroínas: Lemon Chiffon, Safira Cyon e Scarlet Carmesim.

Porém essas identidades são das divas montadas que salvam as manas, na verdade eles são três rapazes, Patrick, Ralph e Donizete. Eles trabalham o dia em uma loja de departamento, cada um em uma função diferente, mas se unem quando há alguma ameaça para a comunidade LGBTQ, comandadas por Vedete Champagne, que ativa os gaydares deles.

Lemon Chiffon é tida como a líder, sempre com uma estratégia em mente, embora Patrick seja subestimado, até por ele mesmo, uma vez que tem problemas de autoestima. Safira Cyon é a meiguinha que sempre sabe o que fazer na hora H, isso enquanto Ralph se vicia na cultura oriental dos animes. Scarlet Carmesim é o sarcasmo em pessoa, salvando o mundo com o humor ácido, bem como Donizete, que sempre tem uma resposta atrevida na ponta da língua.

Quando são chamados eles três (ainda como rapazes) são sugados de alguma forma, seja por um buraco que surge do nada ou por uma bunda que aparece na TV da loja, bem ao estilo “Três Espiãs Demais”.

Eles recebem a missão e daí vem mais um batalhão de referências, mas destaco duas: eles gritam “É HORA DE MONTAR” para poderem se transformar, lembrando o “HORA DE MORFAR” dos Power Rangers; A transformação também lembra os Power Rangers, menos o de Ralph em Safira, que parece uma bela mistura entre Sailor Moon (ele fica com o cabelo azul longo, com o mesmo penteado dela) e Sakura (tem um cedro no mesmo estilo).

Junto com elas está a cantora pop Goldiva, a diva adorada por toda a comunidade, quem faz o highlight brilhar mais forte, mas também alvo de todos os conservadores, afinal representa tudo o que eles querem acabar. Ela é um resultado da inspiração da RuPal e é dublada por Pablo Vittar, que já emplacou sucesso com a música tema “Highlight” (ainda não tem no Spotify, infelizmente).

Com diálogos cheios de duplo sentido, objetos sempre com o formato de pênis e aquele humor ácido, munido de críticas sociais da atualidade, as Super Drags mostram a importância da representatividade em todos os meios de comunicação e entretenimento.

Os vilões apresentam dois pontos diferentes. A Lady Elza é alguém que deseja ter o sucesso de Goldiva, roubando o highlight para ficar cada vez mais poderosa, mas de forma artificial. Já Sandoval é o líder religioso que quer pregar a cura gay (inclusive, um episódio mostra um acampamento que seria para curar os gays da cidade), sempre demonizando tudo aquilo que não está dentro dos padrões conservadores.

Além da questão da representatividade, essa série animada é marco para o país, é uma das primeiras séries animadas de produção genuinamente brasileira, com a assinatura da Combo Estúdio (a mesma do Canal “O (Sur)real Mundo de Any Malu”, com distribuição da Netflix.

A direção é de Anderson Mahanski, o produtor geral e executivo é Marcelo Pereira, com as vozes de Guilherme Briggs, Fernando Mendonça, Sergio Cantú, Wagner Follare, Sylvia Salustti, Silvetty Montilla, Suzy Brasil, Rapha Vélez, Lucas Gama, Patrícia Garcia, além de Pablo Vittar.

E sabe por quê precisamos valorizar essa obra? Porque tem tanta qualidade quanto obras do exterior, mas com a realidade e cultura brasileira. O Brasil sabe fazer animação sim, dublagem também, sendo considerada uma das melhores do mundo. Vamos celebrar a conquista de um grupo nacional que conseguiu atingir a camada internacional e ser notado pela Netflix.

E tem mais: é uma delícia de assistir!!!!

Para quem cresceu assistindo animações de super heróis, animes e afins, a cada referência reconhecida é uma crise de riso e de emoção.

A primeira temporada já está disponível lá no Netflix, são apenas 05 episódios, cada um com uma média de 25 minutos e que deixam um gostinho de quero mais. Ainda não tem previsão para a segunda temporada, especialmente por causa das controvérsias e polêmicas, mas tudo indica que haverá sim.

Algo bem interessante são as opções de dublagem e de legenda. Além do português, a produção está disponível para o francês, o italiano, o alemão e o inglês. Há versão de descrição de áudio tanto para o português quanto para o inglês.

A dublagem em inglês foi feita por famosas drag gueens: Trixie Mattel, Ginger Minj, Willam Belli e Shangela Laquifa Wadley.

Já assisti os cinco episódios e tenho só um crítica, acho o áudio baixo (talvez seja alguma coisa da minha televisão só, mas precisei colocar legendas). Mas minha primeira impressão foi: se tivesse disso liberado antes do ENEM ninguém tinha reclamado das questões de língua portuguesa. Eles mesmos tiraram onda com o Pajubá, publicando um vídeo na página do Facebook oficial com música “ABC das Super Drags”.

À propósito, sigam as redes sociais da série, eles sempre publicam vídeos neste estilo, sendo uma extensão dos episódios da temporada (enquanto a nova não chega).

Querem um gostinho? Confira o trailer aqui:

Vamos lá aprender a salvar nosso hightlight? Confira o clipe de “Highlight”, de Pablo Vittar:

Viva as Super Drags!

Até mais.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo