Centro de Memória Bunge recupera áudios das rainhas do rádio. - NoSet
Notícias

Centro de Memória Bunge recupera áudios das rainhas do rádio.

A Bunge é uma multinacional que está há décadas no Brasil, mais precisamente desde 1905 quando entrou para atuar com a Moinho Santista. Hoje se destaca como uma influente empresa dos ramos agrário e alimentício, tendo como principais marcas a Soya, Primor e Delícia, entre outras.

A empresa tem um acervo impressionante de sua história. O Centro de Memória Bunge guarda itens raros de todos os tipos, desde fotografias até áudios, com grande destaque para as publicidades da empresa nos vários anos.

O destaque, contudo, fica por conta de propagandas de rádio da década de 50, onde nomes de peso como Dolores Durante, Linda Batista, Dircinha e Elizete Cardoso comprovam que o talento também se estendia para a produção de jingles, aquelas músicas que marcavam nossa memória e que, várias vezes, nos deparávamos cantando. Caso você não saiba do que estou falando, repare bem na sua mãe ou vovó. Elas ainda têm muito disso na memória.

Atualmente o Centro de Memória Bunge recuperou quase mil arquivos de áudio (nem todos jingles), gravados entre as décadas de 1930 e 1960. Mais do que recuperar uma parte da história da empresa, a Bunge recuperou uma parte da própria história da propaganda e da música brasileiras.

E qual a real importância dessa iniciativa?

Comerciais de várias épocas marcaram por sua datação histórica, isto é, cada época tem sua característica própria.

Interessante ver que o uso da música da época (samba e chorinho) era uma constante nos anos 50, apesar de já haver influência estrangeira. Os jingles eram quase compostos com apenas o nome do produto. Esse tipo de propaganda ficava fixado à memória da dona de casa (lembrando que se tratava de outra época onde o cuidado do lar ficava a cargo da esposa) que era quem efetivamente preparava a “lista de compras”. Eis um exemplo de comercial dos anos 50:

Gordura de soja Primorosa. As qualidades do produto eram ressaltadas pela narração que indicava ares de “produto indispensável” em função da forma como era descrito. Esse excesso era fruto da impossibilidade de ver o produto. A divulgação era quase que exclusivamente radiofônica, visto que as mulheres permaneciam muito tempo no lar, enquanto os maridos trabalhavam fora.

Um sambinha ganhava força quando unido à voz de uma cantora famosa na época da propaganda. As rimas bem construídas eram outra ferramenta para destacar as qualidades do produto. Margarina Primor se valia muito desse esquema.

“O seu bom gosto é nosso melhor argumento!”. O marketing era forte na época dos comerciais de rádio. A persistência e a repetição davam força à propaganda, além dos já citados usos de musas do rádio e ótimos narradores.

                                             Lata antiga da margarina Primor

Margarina Primor: gostosa no pão e excelente para cozinhar. As qualidades da embalagem também eram apontadas. Na época, até o aumento da embalagem era motivo de nova propaganda. O destaque está no fato de que o pote era reaproveitável.

Agora em mais uma embalagem. Gostosa como sempre. A nova embalagem e utilidade da margarina Primor é útil, é prática e pode ser servida na própria embalagem plástica. Gostosa no pão, excelente na cozinha.

Alguns jingles lembram as primeiras canções de animações da Disney. Flautas e um chorinho ao fundo eram fundamentais para prender a atenção do ouvinte. As vozes marcantes da rainhas do rádio eram outra jogada de mestre para as propagandas (ou reclames) da época.

Um dos áudios já tem a sonoridade da Jovem Guarda. Baixo ao fundo, vocais femininos e palavras repetidas para marcar a memória do ouvinte.

E qual a importância da recuperação destes áudios de propagandas antigas? Em primeiro lugar, a manutenção da memória de nossa rádio e propaganda. Em uma época onde não havia TV, os rádios eram o elemento agregador de várias famílias que se uniam para ouvir os festivais, as rádio novelas, as músicas e… comerciais. Esses comerciais em questão têm um atrativo a mais: o uso de vozes das rainhas do rádio. Mulheres que eram idolatradas por uma verdadeira legião de fãs.

Entre as divas do rádios que participaram das propagandas da Bunge (em geral a Margarina Primor) estavam Dolores Duran – cantora e compositora que é considerada uma das maiores da MPB – uma mulher cuja voz surpreendia e cujos talentos musicais estavam à frente de seu tempo. Dolores era dona de uma paixão indiscutível pela música e pela vida. Seu talento se expandiu para a composição e ela chegou a compor junto com Tom Jobim.

Entre os áudios restaurados de comerciais de rádio dos anos 50 gravados pelas nossas rainhas do rádio daquela época encontramos, além de Dolores Duran, as cantoras Elizete Cardoso, Dircinha e Linda Batista. São áudios raríssimos e bem preservados sobre comerciais de margarina e óleo de soja das marcas da empresa. Ao todo, o Centro de Memória Bunge recuperou mais de 900 arquivos de áudio gravados entre 1930 e 1960.

Alguns dos documentos são impressionantes por sua pertinência histórica. Entre eles, destaco o alvará concedido pela própria princesa Isabel, disponível no link a seguir: http://www.fundacaobunge.org.br/acervocmb/assets/documentos-historicos/alvara-da-princesa-isabel-1887.pdf

Centro de Memória Bunge

Rua Diogo Moreira, 184 – 5º andar – Pinheiros – São Paulo

Telefone: (11) 3914-0846

Site: www.fundacaobunge.org.br/acervocmb

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo