Mulan: Animação e Live Action (1998 A 2020). - NoSet
Cinema

Mulan: Animação e Live Action (1998 A 2020).

Salve Nosetmaníacos, eu sou o Marcelo Moura e hoje falamos de mais uma linda franquia da Disney nos cinemas e suas versões como animações e Live Action.

Mulan (1998)

Direção Tony Bancroft e Barry Cook, produção Pam Coats, roteiro Rita Hsiao, Chris Sanders, Philip LaZebnik, Raymond Singer e Eugenia Bostwick-Singer, história Robert D. San Souci. Elenco Ming-Na, Eddie Murphy, B.D. Wong, Miguel Ferrer, Harvey Fierstein, George Takei, Pat Morita e David Ogden Stiers. Trilha Sonora: Jerry Goldsmith, canções: Matthew Wilder e David Zippel, companhias produtoras Walt Disney Feature Animation e Walt Disney Pictures, distribuição Buena Vista Pictures. Lançamento nos Estados Unidos em 19 de Junho de 1998 e Brasil em 1 de Julho de 1998.

Com um orçamento de US$ 90 milhões e uma boa receita de US$ 304 milhões em todo mundo, Mulan é uma animação americana de 1998 da Walt Disney Feature Animation, baseado na lenda chinesa de Hua Mulan, sendo o trigésimo-sexto filme de animação dos estúdios Disney. Estrelado por Ming-Na, Eddie Murphy, Miguel Ferrer e B.D. Wong na versão em inglês, enquanto Jackie Chan forneceu sua voz para os dubladores chineses do filme. O enredo de Mulan ocorre durante a dinastia Han, onde Fa Mulan, filha do guerreiro Fa Zhou, finge ser um homem para ocupar o lugar de seu pai durante um recrutamento geral para combater uma invasão huno.

Lançado durante o Renascimento da Disney, Mulan foi o primeiro de três animações da Disney produzidos na Disney-MGM Studios, em Orlando, Flórida. O desenvolvimento do filme começou em 1994, quando vários supervisores artísticos foram enviados à China para receber inspiração artística e cultural. Mulan foi bem recebido por críticos e pelo público, arrecadando US$ 304 milhões, obtendo indicações ao Globo de Ouro e ao Prêmio da Academia, e ganhando vários prêmios Annie, incluindo de Melhor Animação. Foi seguido por uma seqüela diretamente em vídeo em 2004, Mulan II.

Enredo: Os Hunos, que são liderados pelo implacável Shan Yu, invadem a China na época da Dinastia Wei do Norte, passando a Grande Muralha. O imperador chinês ordena uma mobilização geral, com notificações de recrutamento exigindo que um homem de cada família se junte ao exército chinês. Quando Fa Mulan ouve que seu pai idoso Fa Zhou, o único homem de sua família e um veterano do exército, está mais uma vez a ir à guerra, ela fica ansiosa e apreensiva devido à sua saúde enfraquecida. Tomando a antiga armadura de seu pai, ela se disfarça de homem para poder se alistar em vez de ser mãe. A família rapidamente descobre sua partida, e a avó de Mulan reza para os antepassados ​​da família pela sua segurança. Os ancestrais ordenam seu “grande dragão de pedra” para proteger Mulan. Um pequeno dragão chamado Mushu, um ex-guardião desonrado, é enviado para despertar o dragão de pedra, mas acidentalmente o destrói durante o processo, que depois esconde dos seus ancestrais e resolve proteger a própria Mulan.

Recrutando-se ao campo de treinamento, Mulan é capaz de passar como homem, embora suas habilidades militares estejam inicialmente ausentes. Mushu fornece orientação desajeitada para Mulan sobre como se comportar como um homem. Sob o comando do Capitão Li Shang, ela e seus colegas recrutas Yao, Ling e Chien-Po gradualmente se tornam guerreiros treinados. Desejando ver Mulan ter sucesso, Mushu cria uma silhueta do pai de Shang (fingindo-se ser ele), o general Li, ordenando que Shang siga o principal exército imperial para as montanhas. Os reforços partem, mas chegam a um acampamento incendiado e descobrem que o general Li e suas tropas foram massacrados pelos hunos.

Quando os reforços deixam as montanhas solenemente, eles são emboscados pelos hunos, mas Mulan habilmente usa um canhão para causar uma avalanche, que enterra a maioria dos invasores. O enfurecido Shan Yu a corta no peito, e sua decepção é revelada quando a ferida é enfaixada. Em vez de executar Mulan como a lei exige, Shang poupa sua vida, mas mesmo assim a expulsa do exército. Mulan é deixada para seguir sozinha enquanto os recrutas partem para a cidade imperial para relatar as notícias da destruição dos hunos. No entanto, descobriu-se que vários guerreiros hunos, incluindo Shan Yu, sobreviveram à avalanche, e Mulan os avista quando eles se dirigem para a cidade, com a intenção de capturar o imperador.

Na cidade imperial, Mulan é incapaz de convencer Shang sobre a sobrevivência de Shan Yu. Os hunos capturam o imperador e tomam o palácio. Com a ajuda de Mulan, Yao, Ling e Chien-Po vestem-se como mulheres e entram no palácio. Com a ajuda de Shang, eles derrotam os homens de Shan Yu. Como Shang impede Shan Yu de assassinar o Imperador, Mulan atrai o líder Huno para o telhado, onde ela o enfrenta em um único combate. Enquanto isso, agindo de acordo com as instruções e sinais de Mulan, Mushu dispara um grande foguete em Shan Yu. O foguete ataca e o lança em uma torre de lançamento de fogos de artifício, onde ele morre na explosão resultante.

Mulan é elogiada pelo Imperador e pelos habitantes reunidos na cidade, que se curvam perante ela em sua honra. Enquanto ela aceita a timbre do Imperador e a espada de Shan Yu como presentes, ela recusou educadamente a oferta de ser seu conselheiro, e pede para retornar à sua família. Mulan volta para casa e apresenta esses presentes para seu pai, que está muito feliz em ter Mulan de volta em segurança. Tendo se apaixonado por Mulan, Shang logo chega sob o pretexto de devolver o capacete, mas aceita o convite da família para jantar. Mushu é reintegrado como um guardião da família Fa pelos antepassados ​​a meio de uma celebração de retorno.

Curiosidades: O longa foi o primeiro de três filmes primeiramente produzidos nos estúdios de animação da Disney no Disney-MGM Studios em Orlando, Florida. O desenvolvimento do filme começou em 1994, quando alguns supervisores artísticos foram enviados a China para receber inspiração cultural e artística.

A Disney tomou algumas liberdades para contar sua versão da história de Mulan, e mesmo cuidando para não ofender a cultura do país, chegou a causar certo descontentamento entre o público chinês. Jackie Chan emprestou sua voz ao personagem Shang na versão dublada em chinês (mandarim e cantonês). Mulan é uma Princesa Disney, mesmo não sendo filha de rei ou rainha e não sendo casada com um príncipe, ela segue a terceira regra da Disney, ser princesa por um ato heroico.

Mulan apresenta trilha sonora de Jerry Goldsmith e cinco canções de Mathew Wilder e David Zippel, com uma sexta originalmente planejada para Mushu, mas foi deixada de lado por causa do envolvimento de Eddie Murphy com o longa. A trilha sonora do filme é creditada por iniciar a carreira da cantora pop Christina Aguilera, cuja primeira canção a ser lançada nos Estados Unidos foi sua rendição de “Reflection”. O sucesso desta lhe rendeu um contrato com a RCA Records, e mais tarde incluída no álbum de estréia da cantora. Outras participações incluem Lea Salonga, que antes fizera a voz de canto da Princesa Jasmine em Aladdin, como Mulan (Salonga era originalmente a dubladora da personagem também, mas os diretores não se convenceram com sua voz para Ping e a substituiram por Ming-Na), Stevie Wonder e a boy band 98 Degrees em “True to Your Heart” e Donny Osmond em “I’ll Make a Man Out of You”, que comentou que seus filhos decidiram que ele finalmente “fizera sucesso” no show business ao participar de um filme da Disney.

“Reflection” tem também três versões em castelhano, «Reflejo»: uma interpretada por Aguilera e inclusa na trilha sonora americana, outra na dublagem da Espanha cantada por Malú, e uma terceira da América Latina, cantada por Lucero. Lucero revelou, em 2020, detalhes da gravação num vídeo em seu canal de YouTube. No Brasil, Sandy & Júnior participam tanto da versão de “Reflection” (“Imagem”), como da de “True To Your Heart” (“Seu Coração”). Jackie Chan, dublador de Shang nas versões chinesas (Mandarim e Cantonês), também canta a versão local de “I’ll Make a Man Out of You”. A música apresentada na cena do corte de cabelo, freqüentemente chamada de Mulan Decision, é diferente na trilha sonora do álbum. A trilha sonora do álbum usa um orquestra enquanto a do filme usa sintetizador. A versão do sintetizador está disponível na edição limitada do CD.

Em VHS, foi lançado em junho de 1999, pela Abril Vídeo, na coleção Buena Vista Home Entertainment, sendo um dos últimos lançamentos em VHS (os outros lançamentos foram apenas em DVD). Em abril de 2013, foi lançado pela primeira vez em Disney Blu-ray, com sua continuação Mulan II, numa ”Coleção com 2 filmes”, sendo os 2 filmes em 1 disco.

Mulan foi um grande sucesso de bilheteria e arrecadou $120,620,254 nos Estados Unidos e $183,700,000 nos outros mercados para um total mundial de $304,320,254, se tornando o sétimo filme mais visto no mundo em 1998.

Mulan 2: A Lenda Continua (2004)

Direção Darrel Rooney e co-direção Lynne Southerland, roteiro Michael Lucker, Chris Parker e Roger S.H. Schulman, elenco Ming-Na, B.D. Wong, Mark Moseley, Lucy Liu, Harvey Fierstein, Sandra Oh, Gedde Watanabe, Lauren Tom, Jerry Tondo, Pat Morita, George Takei, June Forey, Freda Foh Shen, Soon-Tek Oh, Frank Welker, Jillian Henry e Christopher Lloyd. Lançamento no Brasil em 24 de novembro de 2004 e Estados Unidos em 31 de janeiro de 2005.

Mulan II é uma animação da DisneyToon Studios lançado em 2004 e uma sequência direta de Mulan, de 1998. Foi dirigido por Darrell Rooney e Lynne Southerland e apresenta Mulan e seu novo noivo, o General Lee Shang, em uma missão especial: escoltar as três filhas do Imperador por todo o país para atender a seus futuros noivos. O filme lida com casamentos arranjados, lealdade, relacionamentos, fazer escolhas, confiança e encontrar o verdadeiro amor. Todo o elenco do primeiro filme voltou, com exceção de Eddie Murphy (Mushu), Miriam Margolyes (A Casamenteira), Chris Sanders (Irmãozinho) e Matthew Wilder (voz de Ling cantando). Murphy e Margolyes foram substituídos por Mark Moseley e April Winchell, e Gedde Watanabe faz o seu próprio canto nessa sequência.

Enredo: Um mês depois dos acontecimentos do primeiro filme, Mulan a Derrota de Shan Yu e os Soldados Hunos, o General Shang pede a Mulan a sua mão em casamento, o que ela aceita. Escutando sobre o noivado, Mushu está entusiasmado por eles – até que o líder dos antepassados informa-lhe que se Mulan se casar, ele vai perder seu emprego como dragão guarda-costas e terá que deixá-la e seu pedestal, o seu lugar de honra como um guardião. A razão para isso é porque Mulan iria casar-se com Shang, assim ela se torna uma parte da sua família, que exige que ela tenha ancestrais de sua família ou responsáveis.

Querendo manter seu emprego e sua amiga, Mushu tenta separar o casal (especialmente por razões egoístas, mas, oficialmente, porque vê que eles não são muito compatíveis). Enquanto isso, o Imperador convida Mulan e General Shang para acompanhar suas três filhas princesas, Mei, Ting-Ting e Su, por toda a China para se desposarem com três príncipes, de modo que uma aliança possa ser formada com o reino de Qui Gong. Se a tarefa não ser concluída dentro de três dias, a aliança vai se desintegrar, e os mongóis destruirão a China.

Mulan e Shang partem junto com Yao, Ling e Chien-Po (do primeiro filme), para escoltar as princesas com segurança ao seu novo reino. No entanto, devido as interferências de Mushu e o fato de que as três princesas estão revoltadas com seus casamentos arranjados e realmente amam Chien-Po, Ling e Yao, Mulan decide ir contra suas ordens e, apesar dos desejos de Shang, deter a união dos reinos. Uma noite, Chien-Po, Ling e Yao levam as princesas a uma aldeia, onde impressionam as meninas com suas palhaçadas. Enquanto isso, Mushu engana Shang em pensar que Mulan está se aproveitando dele.

Eles então passam por um país de bandido. Pressionado por Gri-Lo, Mushu confessa a Mulan sobre o que ele fez. Esclarecida sobre a notícia (ainda que extremamente irritada com Mushu), Mulan tenta falar com Shang, quando os bandidos atacam. Ao salvar as três princesas, a ponte que eles estão quebra, e General Shang e Mulan são deixados pendurados por uma corda. Como a corda só pode suportar o peso de uma pessoa, Shang sacrifica sua vida para salvar Mulan e solta sua mão, caindo no rio e Mulan se entristece e começa a chorar.

Mulan, em seguida, continua sozinha a Qui Gong. Não querendo que as princesas fossem forçadas a se casar, e porque Shang está morto, ela se oferece para casar com um dos filhos do governante. Shang, que de fato sobreviveu à queda, encontra-se com ela e tenta impedi-la. Mushu decide ajudar, fingindo ser o Grande Dragão Dourado da União, que obriga o governante a deter o casamento. Mulan e Shang se casam e as princesas são liberadas de seus votos, novamente graças a Mushu. No final, Shang combina os templos da família. Isso significa que Mushu consegue manter seu emprego, e na sua felicidade, ele acidentalmente se revela a Shang, embora Mulan já tenha dito a ele sobre Mushu. Mulan, Shang e Mushu vivem felizes para sempre.

Crítica Mulan (1998 e 2004): Apesar de Mulan (1998) ser uma animação épica e uma marco diferencial para as Princesas da Disney, sua continuação é um desperdício que deixa muito a desejar, já que estamos falando da casa de Mickey Mouse. A grandiosidade do primeiro filme cai na galhofada do segundo, que é desnecessário em tudo, provando que as continuações da Disney do início do século eram somente para aumentar sua audiência e cofres nos canais fechados, pura ganância.

Animações como Mulan 2 e Aladdin 2: O Retorno de Jafar são exemplos da dificuldade da transição do cinema para TV, fazendo algo mais barato e prejudicando a qualidade original em tudo, músicas, visual e tramas que é a marca mais poderosa da empresa cinematográfica mais popular do mundo, aqui se torna uma jornada sem graça, onde não há nada de novo para se contar. Graças a algumas mudanças, principalmente com a entrada da Pixxar em frente a grandes franquias animadas junto a Disney, esse conceito de continuações  BBB (boas, bonitas e baratas) foram deixadas para o passado.

Hua Mulan (2009)

Realização Jingle Ma, produção Jingle Ma, Wang Tian-yun, Jeffrey Chan, Ni Ying e Li Li, argumento Zhang Ting, trilha sonora Xiao Ke, Zhang Yadong, Lee Shih Shiong, Paul Lee Wei Shiong, Yee Kar Yeung e Tan Dun. Companhias produtoras Starlight International Media Group, Beijing Galloping Horse Film & TV Production, Hunan TV & Broadcast Intermediary, Shanghai Film Group, PKU Starlight Group e Beijing Polybona Film Publishing.

Hua Mulan é um filme sino-americano de 2009, do género drama histórico-romântico, guerra e aventura, realizado por Jingle Ma e Wei Dong, com roteiro de Zhang Ting baseado na história da guerreira homônima descrita no poema narrativo chinês A Balada de Mulan (chinês: 木蘭辭, pinyin: Mùláncí). Estreou-se na China a 27 de novembro de 2009.

Curiosidades: A canção de encerramento “Mulan Qing” (木蘭情, O Amor de Mulan) foi interpretada por Stefanie Sun, composta por Lee Shih Shiong e escrita por Yee Kar Yeung. Foi nomeada na categoria de melhor canção original na vigésima nona edição do Festival de Cinema de Hong Kong. O cantor russo Vitas interpretou a canção “Beneath the Glory” (Sob a Glória) em inglês.  A canção de inserção “Mulan Xing” (木蘭星, A Estrela de Mulan) foi interpretada por Jane Zhang.

Em 2011, o filme venceu o Prémio das Cinco Melhores Obras, que foi atribuído pelo governo da província de Henan.

Crítica: Mulan (2009) é um belo e limitado filme, totalmente diferente das animações da Disney e do cinema ocidental, longe dos musicais e efeitos especiais hollywoodianos, mas que contém seu valor histórico interessante e uma produção que vale a pena se conferir, se você está aberto a propostas ocidentais de baixo custo.

Jingle Ma tem a preocupação de contar a história de uma mulher chamada Mullan que mora em um vilarejo no interior da China e de seu sacrifício em um mundo machista, de proteger seu pai da desonra, e como uma Joana Dark Chinesa, lutar pela seu país. O primeiro arco do filme é perfeito e digno de aplausos, a introdução dos personagens é feita de maneira crível e até podemos fechar os olhos ao fato de que todos aceitem no exército que Mullan é um homem, mesmo não parecendo. Seus amigos de vilarejo que também ingressam no exército, traz tons de humor para a história e relembra sempre a heroína seu passado e realmente quem ela é. A cena em que Mulan dança bêbada para seu comendante é muito bem feita e traz o choque do feminino e masculino apresentada pela atriz principal.

Infelizmente o problema do filme está na entrada o terceiro arco, quando deixamos a vila de lado e passamos a tratar do exército contra os invasores. Não há um vilão a ser temido, a grandeza das cenas principais não acontecem e não se cria o drama necessário para o fechamento da história. Problemas como o excesso de Chroma Key (tela de fundo verde para incluir cenários) ao invés de ambientações reais, combates com poucos soldados representando os lados, coreografias de lutas simples e a demora do fechamento na cena final da muralha para se ter o monólogo motivacional da heroína torna o filme lento e sem uma atração final empolgante.

A primeira adaptação Live Action de Mulan funciona, mas infelizmente a viagem não impressiona e torna o filme uma experiência morna e sem vida, principalmente para quem assistiu a empolgante animação da Disney ou filmes do mesmo estilo como O Tigre e o Dragão, O Clã das Adagas Voadoras ou Samurai X. Mulan tenta ser o mais real dramaticamente e fisicamente possível, mas falha em torná-lo mágico, épico e lendário no esforço de uma mulher para salvar seu mundo.

Mulan (2020)

Direção Niki Caro, produção Chris Bender, Tendo Nagenda, Jason T. Reed e Jake Weiner, roteiro Rick Jaffa, Amanda Silver, Lauren Hynek e Elizabeth Martin, baseado em Mulan por Hua Mulan. Elenco Liu Yifei, Donnie Yen, Jason Scott Lee, Yoson Na, Ron Yuan, Gong Li e Jet Li. Música   Harry Gregson-Williams, companhias produtoras Walt Disney Pictures, Jason T. Reed Productions e Good Fear, distribuição Walt Disney Studios Motion Pictures e Disney+.

Com um altíssimo orçamento de US$ 200 milhões e sem data de lançamento até o momento, apenas especulações devido a pandemia, Mulan é um futuro filme americano de fantasia e aventura de 2020 produzido pela Walt Disney Pictures. É uma adaptação em live-action da animação de mesmo nome da Disney de 1998, que por sua vez é uma adaptação da lenda chinesa de Hua Mulan. O filme é estrelado por Liu Yifei como a personagem título e estava previsto para ser lançado em 26 de março de 2020, mais foi adiado varias vezes pela Disney devido ao surto do coronavírus.

No dia 16 de agosto de 2019, após a atriz Liu Yifei, protagonista do filme, declarar publicamente seu apoio aos policiais acusados de agirem brutalmente contra manifestantes pró-democráticos em Hong Kong, um grupo de pessoas sugeriu que o filme sofresse um boicote. A notícia se espalhou rapidamente pelo twitter e logo tomou conta de toda a internet.

Curiosidades: A Walt Disney Pictures manifestou interesse em uma adaptação live-action e em 3D de Mulan estrelando a estrela internacional Zhang Ziyi, com Chuck Russell escolhido como diretor. O filme foi originalmente planejado para começar a ser filmado em outubro de 2010, mas foi cancelado. Em 30 de março de 2015, o The Hollywood Reporter noticiou que a Disney estava desenvolvendo uma adaptação da animação Mulan, de 1998, com Chris Bender e JC Spink, enquanto Elizabeth Martin e Lauren Hynek estariam escrevendo o roteiro.

Em 4 de outubro de 2016, foi anunciado que Rick Jaffa e Amanda Silver reescreveriam o roteiro, combinando a balada chinesa e o filme de animação de 1998, enquanto Jason Reed estaria produzindo o filme junto com Chris Bender e Jake Weiner. Desde que o roteiro original apresentava caracteres não-chineses, incluindo um homem branco, que conseguiu algumas divergências do povo, a Disney prometeu que Mulan e todos os personagens primários permanecerão chineses no novo roteiro que Rick Jaffa e Amanda Silver reescreveram. Em fevereiro de 2017, Bill Kong foi relatado como um produtor executivo.

A Disney estava tentando encontrar um diretor asiático no começo e considerou Ang Lee, diretor de cinema taiwanês, duas vezes vencedor do Oscar de Melhor Diretor. O Hollywood Reporter mencionou que Lee foi abordado e foi aprovado em 12 de outubro de 2016. De acordo com o relatório do The Hollywood Reporter, publicado em 22 de novembro de 2016, ele disse que ver um diretor asiático comandando o filme seria ótimo, mas ele teve que passar porque ainda era obrigado a promover Long Halftime Walk, de Billy Lynn, um filme que Lee dirigiu. Depois a Disney se encontrou com Jiang Wen antes, em 14 de fevereiro de 2017, Niki Caro foi contratado como diretor do filme, que fez Mulan o segundo filme da Disney dirigido por uma diretora com um orçamento de mais de US $ 100 milhões.

Desde que vários filmes recentes de Hollywood foram acusados ​​de Caça Níqueis, Mulan tem estado sob intenso tratamento desde que o The Hollywood Reporter relatou que a Disney está fazendo uma releitura ao live action da animação. Uma petição online intitulada “Diga à Disney que você não quer um Mulan cheio de brancos!” recebeu mais de 100.000 assinaturas.

Em 4 de outubro de 2016, a Disney anunciou uma busca global por uma atriz chinesa para retratar o papel-título estava em andamento. Em 29 de novembro de 2017, a atriz chinesa-americana Liu Yifei foi escolhida para retratar o papel titular de Mulan. Uma equipe de diretores de elenco visitou cinco continentes e viu quase 1.000 candidatos para o papel com critérios que exigiam habilidades de artes marciais credíveis, a capacidade de falar inglês claro e, por último, a qualidade de uma estrela.

Muitos celebraram isso como uma vitória para a diversidade nos filmes da Disney e mais anúncios de elenco para Donnie Yen, Gong Li, Jet Li e Xana Tang foram feitos em abril de 2018. Utkarsh Ambudkar e Ron Yuan em maio, Yoson An e Chum Ehelepola em junho, Jason Scott Lee em julho, Tzi Ma, Rosalind Chao, Cheng Pei-Pei, Nelson Lee, Jimmy Wong e Doua Moua em agosto e Chen Tang em setembro.

A produção principal começou em 13 de agosto de 2018 em diferentes locais na Nova Zelândia e na China.

Mulan está programado para possivelmente ser lançado ainda em 2020 nos cinemas e na plataforma digital Disney+. Anteriormente tinha sido definido para um lançamento em 2 de novembro de 2018 ,antes de ser enviado para uma data indeterminada, com O Quebra-Nozes e os Quatro Reinos tendo tomado seu espaço. Depois foi programado para o dia 27 de Março de 2020, mas devido a pandemia do coronavírus(COVID-19), o filme live-action seria lançado no dia 23 de Julho de 2020, mas foi adiado para 20 de Agosto de 2020.

Gostou da matéria, é só seguir o meu instagram para acompanhar lançamentos e opinar: https://www.instagram.com/marcelo.moura.1253/

 

Topo