A Liga Extraordinária de Alan Moore (das HQs para o Cinema). - NoSet
Cinema

A Liga Extraordinária de Alan Moore (das HQs para o Cinema).

Salve Nosetmaníacos. Noset assistiu a fraca adaptação.

The League of Extraordinary Gentlemen 4

The League of Extraordinary Gentlemen (2003):

The League of Extraordinary Gentlemen ou A Liga Extraordinária é um filme norte-americano baseado na graphic novel de Alan Moore, dirigido por Stephen Norrington, roteiro James Robinson, elenco Sean Connery, Naseeruddin Shah, Peta Wilson, Stuart Townsend, Tony Curran, Shane West e Jason Flemyng. Com um orçamento de US$ 78 milhões, grandes nomes da literatura mundial são reunidos pela Rainha Vitória para combater um homem que deseja dominar o planeta, resultando na baixíssima bilheteria de apenas US$ 68 milhões em todo mundo.

The League of Extraordinary Gentlemen 2

Sinopse:

Soldados alemães atacam o Banco Nacional da Inglaterra e roubam os mapas de Veneza feitos por Leonardo Da Vinci. Pouco depois, soldados britânicos raptam os melhores cientistas da Alemanha. Os governantes de ambos os países negam as acusações de terem orquestrado os ataques, e a tensão entre eles ameaça iniciar a Primeira Guerra Mundial. Para impedir isso, M, o diretor de uma agência secreta criada pelo governo britânico, decide reunir novamente a Liga Extraordinária, uma equipe de indivíduos com habilidades especiais que é formada de tempos em tempos para salvar o mundo de grandes ameaças. Dessa vez, são recrutados o aventureiro Allan Quartermain, a vampira Mina Hacker, o pirata Capitão Nemo, o médico Henry Jekyll e seu alter-ego, o monstro Edward Hyde, o homem invisível Rodney Skinner, o imortal Dorian Gray e o espião americano Tom Sawyer.

The League of Extraordinary Gentlemen 3

Crítica:

Quando surge o pior do melhor? Sim, às vezes o cinema é cruel com obras de arte e este é o mais puro e singelo exemplo do que há de pior em adaptações para o cinema de hqs. Apesar do elenco e efeitos, o filme é muito ruim, na verdade é uma sombra da grandiosidade que é a HQ de 2002 em roteiro e história. Independente dos personagens adaptados, na HQ de Moore, os personagens são humanos, viciados, problemáticos, ciumentos, egoístas e tem planos próprios o tempo todo, o conceito de bem e mal é muito tênue, dependendo do lado que se está, e o que dita as regras são os interesses particulares movendo poder, cobiça e dinheiro, algo bem comum em nosso universo, mas não ainda nas HQs que estavam na fase do bem maior e do caráter incorrupto dos heróis. Longe de serem perfeitos exemplos para a sociedade, A Liga Extraordinária, assim como em Watchmen, outro trabalho de Morre, não conta a história de um grupo de heróis e sim um grupo de pessoas poderosas e socialmente desajustadas, reunidos por um bem comum. Watchmen apesar de não ser um sucesso de bilheteria, a passagem de leitura aproximou muito mais do resultado inicial do pensamento da Hq, mas A Liga não, e foi bem pior nas bilheteria. Amo todas as atuações de Connery desde sempre, só que o excelente ator nunca poderia ser Allan Quartermain da graphic novel de Moore, já o mega ator tem muito mais porte e menos malícia do que seu personagem e mesmo o fabuloso ator não consegue sozinho carregar a cruz que o filme se tornou. Quartemain era um viciado em drogas e sexo, imagina Connery neste papel? As escolhas foram mal feitas, o filme virou uma sessão da tarde pré Vingadores muito cara e matou simplesmente tudo que se esperava de uma HQ de Moore, muito mais para From Hell (Do Inferno), do gótico e decadente cenário inglês, do que uma cópia da franquia A Múmia com um humor juvenil e a ação despretensiosa, quase, novamente o exemplo atual, um Vingadores do final da era vitoriana. O diretor Stephen Norrington, conhecido pelo ótimo filme Blade (1998), perdeu a grande chance de fazer algo realmente diferente e com qualidade, optando por agradar produtores, talvez por muita pressão em fazer algo muito rentável e sem restrições de idade, perdeu a linha do filme o transformando em uma grande comédia de ação, e não um clássico que talvez nas mãos de um diretor como Tim Burton (Batman) tivesse pelo menos a pegada necessária. E pensar que precisou de vinte tratamentos no roteiro para se chegar nesta obra prima final. Infelizmente este também foi o ultimo filme de Connery no cinema, nosso James Bond preferido após o resultado desastroso se aposentou dos cinemas e vive recluso em seu castelo na Escócia. Queria eu poder ficar recluso no meu castelo e não aturando meu Boss Gama e Jack, mas ele é Bond, além de Harry, pai de Indiana Jones e eu sou apenas Birdmam. Ele pode com louvor.

The League of Extraordinary Gentlemen 5
Curiosidades:

Os personagens literários de A Liga Extraordinária são: Allan Quatermain (As Minas do Rei Salomão, de Henry Rider Haggard), Mina Harker (Drácula, de Bram Stoker), Henry Jekyll e Edward Hyde (Dr. Jekyll e Mr. Hyde, de Robert Louis Stevenson), Rodney Skinner (O Homem Invisível, de H.G. Wells), Capitão Nemo (20.000 Léguas Submarinas, de Julio Verne), Dorian Gray (O Retrato de Dorian Gray, de Oscar Wilde), Tom Sawyer (As Aventuras de Tom Sawyer, de Mark Twain) e Professor James Moriarty (O Problema Final, de Arthur Conan Doyle). O nome correto do Homem Invisível no livro de H.G. Wells é Sr. Griffin, e na graphic novel foi batizado de Hawley Griffin, mas este teve que ser alterado para Rodney Skinner no filme A Liga Extraordinária devido a problemas com direitos autorais. O design da máscara do Fantasma é uma citação a O Fantasma da Ópera, de Gaston Leroux. O personagem M, interpretado por Richard Roxburgh, é uma alusão ao personagem de mesmo nome da série de aventuras de James Bond, escritas por Ian Fleming. O personagem Tom Sawyer não está presente na graphic novel de Alan Moore e Kevin O’Neill que serviu como base para A Liga Extraordinária. Sua inclusão foi decidida pelos produtores do filme, de forma a ter em cena um personagem famoso da literatura norte-americana, que pudesse atrair mais público no mercado interno. Nas versões iniciais do roteiro de A Liga Extraordinária estaria também presente o personagem Campion Bond, integrante do Serviço de Inteligência Britânico, mas ele acabou sendo cortado na versão final do roteiro. Foram escritos cerca de 20 tratamentos até se chegar à versão final do roteiro de A Liga Extraordinária. Este é o 2º filme feito baseado em uma graphic novel de Alan Moore. O anterior fora Do Inferno, de (2001). Inicialmente seria Monica Bellucci a intérprete de Mina Harker em A Liga Extraordinária, mas a atriz teve que desistir do filme devido a conflitos com as filmagens de Lágrimas do Sol. As atrizes Saffron Burrows e Milla Jovovich chegaram a estar cotadas para interpretar Mina Harker. O ator David Thewlis chegou a estar cotado para interpretar os personagens Dr. Jekyll e Mister Hyde. O ator Irfan Khan chegou a estar cotado para interpretar o Capitão Nemo. O ator Eddie Izzard chegou a fazer testes para interpretar o personagem Rodney Skinner. As cenas do filme situadas em Londres foram na verdade rodadas em Praga, na República Tcheca. Diversos sets de filmagens na República Tcheca, orçados em US$ 7 milhões, foram destruídos por enchentes ocorridas no local no verão de 2002, época em que as filmagens estavam sendo realizadas. Devido a este problema as filmagens tiveram que ser transferidas para Malta. Quando a Liga está em Inglaterra seus integrantes passam por um muro onde está um pôster, anunciando a proximidade do Carnaval. Neste pôster são visíveis dois nomes, Dr. Alan Moore e Dr. Terry O’Neill. Ambos são os criadores da graphic novel na qual o filme se baseou. A revista que aparece na mesa de Allan Quatermain é The Strand, onde Arthur Conan Doyle publicou as primeiras histórias de Sherlock Holmes.Tom Sawyer também serviu de inspiração para a música homônima da banda canadense Rush.

The League of Extraordinary Gentlemen 1

 

Att.
Marcelo The Moura.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo