John Wick: Chad Stahelsk, David Leitchi & Keanu Reeves (2014 e 2017). - NoSet
Cinema

John Wick: Chad Stahelsk, David Leitchi & Keanu Reeves (2014 e 2017).

Salve Nosetmaníacos, eu sou o Marcelo Moura e hoje vamos falar de uma nova franquia que faz muito sucesso de Keanu Reeves.

John Wick De Volta ao Jogo (2014):

Direção Chad Stahelski e David Leitch, produção Basil Iwanyk, David Leitch, Eva Longoria e  Michael Witherill, roteiro Derek Kolstad, elenco Keanu Reeves, Michael Nyqvist, Alfie Allen, Adrianne Palicki, Bridget Moynahan, Dean Winters, Ian McShane, John Leguizamo e Willem Dafoe. Companhia produtora Thunder Road Pictures, 87Eleven Productions, MJW Films e DefyNite Films, distribuição Summit Entertainment.

Sinopse: John Wick, que acaba de perder sua esposa Helen a uma doença não revelada, recebe um presente de seu postumamente sob a forma de um cachorro chamado Daisy, juntamente com uma carta de sua esposa dizendo que ela arranjou-lhe Daisy para ajudá-lo a lidar com sua morte . Inicialmente indiferente a Daisy, ele finalmente se conecta ao cachorro e eles passam o dia dirigindo em torno de sua vintage ’69 Mustang. Ele então encontra um trio de membros de gangues russas em um posto de gasolina. O líder do trio chamado Iosef insiste em comprar seu carro, mas John se recusa a vender e faz um comentário sarcástico a Iosef antes de sair. Os três seguem John para sua casa, quebrar durante a noite, e atacá-John, que assiste indefeso como eles matam Daisy antes de roubar o carro dele. No dia seguinte, Iosef tenta ter o carro modificado por Aurelio, o proprietário de um Chop Shop que se recusa a levá-la e bate Iosef ao realizar a quem pertencia e que Iosef fez para roubá-lo. John posteriormente visita Aurelio, que lhe diz Iosef é o filho de Viggo Tarasov, chefe do sindicato do crime russo em Nova York e ex-empregador de João, antes de emprestar-lhe um outro carro. Aurelio, que trabalha com Viggo, é forçado a explicar o que aconteceu com Viggo, que repreende Iosef e explica que John Wick é: seu melhor assassino, apelidado de Baba Yaga (ou “Boogeyman”), que se aposentou depois de se apaixonar por uma mulher, tinha ajudado Viggo ganhar o controle de seu sindicato, eliminando, sozinho, toda a concorrência, uma tarefa que ele considerou “impossível”.

Viggo, querendo proteger seu filho, tenta falar John fora de buscar vingança, para que John desconsidera abruptamente, fazendo com Viggo para enviar um esquadrão de ataque à casa de John para executá-lo, apenas para John para despachar rapidamente. Viggo em seguida, coloca uma recompensa 2.000 mil dólares em John e primeiro dá a oferta de Marcus, um assassino veterano e mentor de John, que a contragosto aceita. John, posteriormente, busca refúgio no Continental, um hotel que atende exclusivamente aos assassinos, com a regra de que nenhuma empresa pode ser realizada no local. Quando Viggo aprende a isso, ele duplica a recompensa. John aprende a partir de Winston, o dono da Continental, que Viggo tem Iosef protegido em seu clube noite o círculo vermelho. João vai para o clube e mata amigo de Iosef Victor antes de despachar a maioria do pessoal de segurança, mas Iosef escapa após John é subjugada pelo capanga de Viggo Kirill. John escapa de volta para a Continental para tratar suas feridas antes de ser atacado por Ms. Perkins, um assassino e antigo conhecido de John de que tinha tomado o contrato para matá-lo. John Perkins, eventualmente, subjuga e obriga-a a revelar a localização do esconderijo de caixa da Viggo antes de sair dela com um vizinho e amigo Harry para aguardar sua punição por quebrar as regras do hotel. Perkins, eventualmente, se liberta e mata Harry.

João vai para a igreja, que é uma fachada para o esconderijo de caixa, elimina todos os guardas, e queima o dinheiro de Viggo, bem como vários inteligência contra os policiais e funcionários do governo que Viggo usa como alavanca sobre a cidade . Quando Viggo chega à igreja, John embosca-los, eliminando mais capangas antes de ser subjugado por Kirill, que bate em John com um SUV. John é amarrado e Viggo zomba dele por causar problemas ao longo de um cão e pensando que ele poderia deixar sua antiga vida para trás. Ele deixa John para ser torturado e morto por Kirill e outro capanga, mas Marcus, tendo escolhido para proteger John, mata o outro capanga, permitindo que John para se libertar e matar Kirill. John então intercepta o carro de Viggo e obriga-o a revelar a localização de Iosef e puxe a recompensa, que Viggo contragosto faz. João vai para a casa segura onde Iosef está se escondendo e mata todos os guardas antes de matar um Iosef sem remorsos.

Perkins vê que John e Marcus estiveram em contacto e diz Viggo, que tem Marcus torturado e morto em sua casa sobre a sua traição. Viggo contatos John sobre a morte de Marcus, atraindo John para sua casa, onde Perkins está esperando para emboscá-lo. Antes que ela pode, ela é chamada para uma reunião secreta com Winston, que revoga a sua adesão à Continental por quebrar as regras e tem sua execução. Winston chama João para informá-lo de um helicóptero chegando ao porto para transportar Viggo distância. João corridas para o porto e executa restantes capangas de Viggo antes de entrar em uma briga com Viggo no banco dos réus. Viggo puxa uma faca em John e como eles lutam, apunhala John em seu abdômen já ferido. John é ferido, mas é capaz de ganhar a mão superior, tomando a faca de Viggo e esfaqueá-lo no lado do pescoço. Viggo, mortalmente ferido, afunda mais e morre, e John, ferido, mas ainda capaz de corpo, pára para voltar a assistir a um vídeo dele e de sua esposa em seu telefone. Depois de ganhar força, John acaba em um hospital veterinário para tratar seu ferimento antes de tomar um pit-bull para fora de uma das gaiolas para uma caminhada no calçadão, onde teve seu último encontro com Helen.

Crítica: John Wick foi bem recebido pelos críticos e pelo público. O site de criticas agregadas Rotten Tomatoes dá uma aprovação de 85%, baseado em 133 análises, com uma média de 6.9/10. No consenso pode-se ler: “Elegante, emocionante e vertiginosamente cinético, John Wick serve como um regresso satisfatório de Keanu Reeves à ação e parece que pode ser o primeiro de uma série.” O Metacritic, outro site de criticas agregadas, dá ao filme a média de 67/100, baseada em 36 análises, considerando por isso ser “geralmente favorável”. O CinemaScore refere que o público deu ao filme a classe “B”. Moura do Noset assitiu ao filme e o achou mediano para interessante, com boas cenas de luta e ação, com um elenco interessante mas sem um charme de filmes como Busca Implacável ou Carga Explosiva , principalmente pelo roteiro raso e motivações do personagem principal,  que apear de ser romântica e pura, não convence no meio de tanta loucora, mas que no final, se você se desapegar de tudo, até agrada como uma boa história de herói motivado por amor.

Curiosidades: Com orçamento de US$ 20 milhões e uma boa receita US$ 66.8 milhões, John Wick é um filme americano de ação e suspense de 2014 dirigido por Chad Stahelski e David Leitch. O filme é estrelado por Keanu Reeves e a história centra-se em John Wick (Reeves), um ex-assassino, que busca vingança depois de uns assaltantes de lhe terem matado seu cão. Stahelski e Leitch, ambos da 87Eleven Productions, dirigiram o filme como uma equipe, apesar de Leitch não estar nos créditos. Foi escrito por Derek Kolstad que acabou o roteiro em 2012 e completado pela Thunder Road Pictures. O enredo esteve presente no anual The Black List, para argumentos não produzidos de Hollywood. John Wick foi produzido por Basil Iwanyk, da Thunder Road Pictures, Leitch, Eva Longoria e Michael Witherill. O filme marca a estreia de Stahelski e Leitch como equipe de diretores depois de trabalhos como diretores de segundo plano e coordenadores de dublês. Já tinham no entanto trabalhado com Reeves como dublês na trilogia The Matrix.

A abordagem dada por Stahelski e Leitch às cenas de ação vem da admiração de ambos pelo anime e pelos filmes de artes marciais. O uso no filme de coreografias de luta e de técnicas kung fu do cinema de ação de Hong Kong foram também influências na produção. Destaca-se a homenagem que John Wick faz a trabalhos como The Killer de John Woo, Le Cercle Rouge e Le Samouraï de Jean-Pierre Melville, Point Blank de John Boorman e o subgénro spaghetti western dos clássicos filmes western.

John Wick 2: Um Novo Dia para Matar (2017):

Direção Chad Stahelski, produção Basil Iwanyk e Erica Lee, roteiro Derek Kolstad, elenco Keanu Reeves, Common, Laurence Fishburne, Riccardo Scamarcio, Ruby Rose, John Leguizamo e Ian McShane, Companhia produtora Lionsgate, Thunder Road Pictures e 87Eleven Productions, distribuição Summit Entertainment. Com um orçamento de US$ 40 milhões, o dobro do seu original, e uma receita muito boa de US$ 165 milhões, John Wick: Chapter Two é um filme americano neo-noir de ação e suspense e a sequencia direta do filme de 2014 John Wick.

Sinopse: Cerca de quatro dias após os acontecimentos do primeiro filme, o ex-assassino John Wick rastreia seu Ford Mustang Boss 429 roubado em uma shop chop de propriedade de Abram Tarasov, irmão de Viggo e tio de Iosef. John despacha os homens de Tarasov em uma luta violenta que danifica fortemente seu carro. Ele então poupa Tarasov sob os auspícios da paz e retorna para casa.

Depois que Aurelio leva o Mustang de John para reparos, John é visitado pelo senhor do crime italiano Santino D’Antonio. É revelado que para completar sua “tarefa impossível” – o que lhe permitiu se aposentar e se casar com Helen – John pediu ajuda a D’Antonio. Como forma de contrato, D’Antonio jurou a John uma “Promissória”, uma promessa inquebrável simbolizada por um medalhão de “pacto de sangue”. D’Antonio apresenta o medalhão para exigir serviços de John, mas John se recusa, alegando que ele está “aposentado”. Em retaliação, D’Antonio destrói a casa de John com um lançador de granadas.

Winston, o proprietário do hotel Continental em Nova York, lembra a John que se ele rejeitar a Promissória, ele estará violando uma das duas regras inquebrantáveis ​​do submundo: não matar em locais continentais e Promissórias devem ser honradas. John aceita seu compromisso e se reúne com D’Antonio, que o incumbe de assassinar sua irmã Gianna D’Antonio para que ele possa reivindicar seu lugar na “Alta Cúpula”, um conselho de senhores de alto nível do crime. D’Antonio envia Ares, seu guarda-costas pessoal, para seguir e manter o olho em John.

Em Roma, John se infiltra no partido de Gianna e a confronta. Diante de morte certa, Gianna escolhe suicidar-se. Enquanto se retira, John é emboscado pelos homens de D’Antonio, que pretendem “amarrar pontas soltas” matando-o. Depois de matar a maioria deles, John é perseguido pelo guarda-costas de Gianna, Cassian. Sua luta brutal é interrompida quando eles colidem na área de recepção do Roma Continental. Enquanto os dois relutantemente compartilham uma bebida, Cassian promete vingança pela morte de Gianna.

Depois que John retorna a Nova York, D’Antonio abre um contrato de US $ 7 milhões para a morte de John sob o pretexto de vingar sua irmã, levando numerosos assassinos a ataca-lo (sem sucesso). Cassian confronta John mais uma vez no metrô. John ganha a luta que se seguiu, mas poupa a vida de Cassian por respeito profissional. Ferido e desesperado, John procura ajuda do senhor do crime subterrâneo The Bowery King, cujos subordinados tratam seus ferimentos e o guiam para a localização de D’Antonio. John mata os homens de D’Antonio, exceto Ares, que ele deixa imobilizado, mas D’Antonio é capaz de escapar para o Continental. Mas, ao invés de discretamente se esconder dentro de uma das suítes luxuosamente nomeadas até que John Wick finalmente saia, D’Antonio permite que sua arrogância desenfreada se torne sua própria destruição. Supremamente auto-confiante sobre a auto-contenção de John Wick dentro das paredes do Hotel Continental, D’Antonio se permite ser facilmente encontrado. Ele goza de uma refeição da alta cozinha enquanto presunçosamente deixa claro que ele pretende permanecer lá indefinidamente. A raiva de John Wick furta sobre isto e, apesar do aviso de Winston, impulsivamente ele atira e mata D’Antonio bem ali na sala de jantar.

No dia seguinte, Winston vai até John e explica que, de acordo com a Alta Cúpula, a recompensa oferecida por Wick foi dobrada e oferecida globalmente. John é “excomungado” e perde todo o acesso e privilégios aos recursos do submundo. Winston demora a anunciar a excomunhão de John e o posto da recompensa dele globalmente por uma hora para dar-lhe uma vantagem e fornece-lhe uma Promissória para uso futuro. Antes de sair, Wick puxa seu corpo ensanguentado e ferido para um pronunciamento final, que aparece nos trailers, que “… eu vou matá-los, vou matá-los todos!” Suspeitando que todos os assassinos em toda a Nova York colocarão os olhos nele, Wick, em seguida, foge a pé com seu cão fiel ao lado dele.

Crítica: Muito melhor que seu antecessor, John Wick 2 é um daqueles filmes cults de ação que encanta e já me desperta vontade ver mais filmes, lembrando muito o estilo Western americano e italiano,  onde o herói raramente se fere mortalmente, sempre se recuperando para a cena seguinte, tirando armas e golpes certeiros a cada cena, sem piedade de ninguém.  Acho que foi o filme com mais mortes que já assisti.

Chad Stahelski é um novato diretor promissor que assim como seu antecessor e chefe David Leitch, copia mais do que cria, mesmo assim entregando um trabalho interessante para um filme de ação que provavelmente vai gerar uma longinquá franquia. Stahelski, que tem como origem o trabalho de dublê, parece se preocupar mais com o visual e a coreografia de luta do filme do que com um roteiro coeso, e apesar de não ter tantos furos no seu trabalho, tem sequencias de ação com poucos cortes que tiram o folego do espectador e demonstram o talento do diretor.

Do elenco o já cinquentão Keanu Reeves (John Wick) cria uma nova franquia de sucesso após Matrix, e faz no filme o que sabe fazer de melhor ao atuar, falar pouco, demonstrar poucas expressões faciais entre a dureza fria e um espanto de vez em quando, e correr, pular , atirar e matar. Faz tempo que não vejo Reeve em papéis românticos como A Casa do Lago (2006), Doce Novembro (2001), entre outros onde o ator era um pouco mais dramático em seus papéis, mas parce que isso ficou no passado.

Curiosidades: Em fevereiro de 2015, os realizadores Chad Stahelski e David Leitch revelarem que uma sequência de John Wick estava sendo produzida. No mesmo mês, o CEO da Lionsgate Jon Feltheimer, disse: “Vemos John Wick como uma série de ação de vários capítulos”. Adicionalmente, foi dito que Kolstad escreveria de novo o roteiro. Em maio de 2015, foi confirmado que a sequência tinha “luz verde” e que a Lionsgate iria vender o filme no Cannes Film Festival. Foi anunciado que Keanu Reeves, Leitch e Stahelski regressariam para o filme e que as filmagens começariam no final de 2015. Em outubro de 2015, Common juntou-se ao elenco para desempenhar o papel de um chefe da segurança de uma senhora do crime e Ian McShane foi confirmado para novamente fazer o papel de Winston, o proprietário do Continental Hotel.

Em Novembro de 2015, Bridget Moynahan, John Leguizamo, Thomas Sadoski e Lance Reddick confirmaram o regresso, enquanto que Ruby Rose, Riccardo Scamarcio e Peter Stormare foram acrescentados ao elenco. Laurence Fishburne também foi acrescentado ao elenco embora faça apenas uma pequena aparição.A fotografia começou em outubro de 2015, em Nova Iorque. No final da primeira semana, as filmagens ocorreram em Manhattan. As filmagens também tiveram lugar em Itália. John Wick: Chapter Two foi lançado dia 10 de Fevereiro de 2017 pela Summit Entertainment. O Cinema com Crítica considera-o “simultaneamente um ótimo filme de ação e também a melhor paródia do gênero em bastante tempo”.

Gostou da matéria, é só seguir o meu instagram para acompanhar lançamentos e opinar: https://www.instagram.com/marcelo.moura.1253/

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo