Jiu Jitsu: O Filme (Crítica 2020)

Salve pessoal, eu sou o Marcelo Moura do Noset News e hoje falamos de mais um filme de Nicholas Cage de aventura e ficção, que Deus nos proteja. Jiu Jitsu é um filme americano de ação, fantasia e artes marciais de 2020 dirigido e co-escrito por Dimitri Logothetis e estrelado por Alain Moussi, Frank Grillo, JuJu Chan, Tony Jaa e Nicolas Cage. O filme é baseado na HQ homônima de 2017 de Logothetis e Jim McGrath.

Sinopse: De seis em seis anos, uma ordem antiga de lutadores especializados em Jiu Jitsu enfrenta um invasor alienígena em uma batalha pelo destino da Terra. Mas, quando Jake Barnes, um famoso herói de guerra e mestre de Jiu Jitsu, se recusa a enfrentar Brax, o indomável líder dos invasores, o futuro da humanidade fica por um fio. Ferido e com amnésia, Jake é capturado por um esquadrão militar para combater o intruso, sendo resgatado logo depois por Wylie (Nicolas Cage) e uma equipe de companheiros de Jiu Jitsu, que devem ajudá-lo a recuperar a memória e suas forças.

Crítica: Uma mistura de roteiros de filmes como Predador, Alien, Mortal Kombat, Street Fighter, Highlander e muitos outros filmes de baixo orçamento de aventura, ficção , fantasia e luta dos anos 80, Jiu Jitsu tinha tudo para ser uma grata surpresa se não pela delicadeza, mas por ser divertido. Infelizmente o filme falha vergonhosamente em todos os sentidos. não surpreende nas cenas de luta, no roteiro, nem no elenco que não consegue expressar um rosto de tristeza ou de dor, apenas a mesma cara dura o filme todo.

O diretor Dimitri Logothetis, famoso por filmes B como a franquia Kickboxer e Código Mortal, parece a princípio querer fazer uma homenagem a filmes de aventura com protagonistas durões dos anos 80 estrelados principalmente por Van Damme e o mestre das artes marciais Steven Seagal. Além disso, o diretor abusa de recursos cinematográficos no melhor estilo de linguagem de uma HQ e Games, com várias transposições que tornariam até o filme interessante, se tivesse um roteiro intrigante e fosse mais do que apenas isso. Jiu Jitsu é repetitivo e por mais que tenha algo interessante ou bem feito, tudo fica limitada a tentativa criativa de Logothetis de fazer algo divertido, mas ficando longe disso por um elenco ruim, efeitos péssimos e um roteiro longo e chato. Não vou falar do óbvio que o filme se chama Jiu Jitsu mas tem de tudo nele, acho redundante fazermos isso.

Do elenco temos o ator Frank Grillo, mais conhecido por sua boa participação na cena do elevador em Capitão América 2: O Soldado Invernal, e por ai vai uma penca de atores coadjuvantes em um filme sem nenhuma expressão facial. Para terminar temos Nicholas Cage, o que falar de Nicholas Cage em um filme de luta e aventura, parece ridículo, e é. Cage que já fez incríveis filmes como Com Air (1997), A Outra Face (1997), A Rocha (1996), 60 Segundos (2000), Cidade dos Anjos (1998) e 8 Milímetros (1999), mas parece viver uma das suas piores fases em escolhas de roteiros para trabalhar. Seu personagem é ele mesmo, fazendo as mesmas caras de idiota e perdido, repetido exaustivamente em vários filmes dos anos 2000. Então não perca seu tempo a não ser que esteja com insônia.

Gostou da matéria, é só seguir o meu instagram para acompanhar lançamentos e opinar: https://www.instagram.com/marcelo.moura.1253/

Marcelo Moura

Marcelo Moura

http://www.noset.com.br

Moura gosta de Cinema, Tv, Livros, Games, Shows e HQ´s, do moderno ao Cult. Se diverte com o Trash, Clássico e Capitalista. e um pouco de tudo isso você vai encontrar aqui. Muitos dizem que quem escreve é a sua esposa ou mesmo seus três filhos. É ler para crer....