In the Name of the King de Uwe Boll (Dos Games a Trilogia Cinematográfica): - NoSet
Cinema

In the Name of the King de Uwe Boll (Dos Games a Trilogia Cinematográfica):

Salve Nosetmaníacos. Moura assistiu a franquia B e indica, com restrições.

Em Nome do Rei (2007):

Direção Uwe Boll, elenco Jason Statham, Leelee Sobieski, John Rhys-Davies, Ron Perlman, Claire Forlani, Kristanna Loken, Matthew Lillard, Ray Liotta e Burt Reynolds. Com orçamento altíssimo para um diretor B de US$ 60 milhões, Em Nome do Rei teve uma receita de apenas US$ 13 milhões em todo mundo.

Sinopse: Uma aventura épica de fantasia, baseada na série de jogos mais conhecida da Microsoft, Dungeon Siege. O Poderoso Rei Konreid (Burt Reynolds) precisa defender seu castelo e seu povo do diabólico Gallian (Ray Liotta), que quer derrubá-lo. Um exército aterrorizante de monstros guerreiros, conhecidos como Krugs, é enviado pelo vilão para invadir o reino em busca do rei. A vida de um homem simples chamado Farner (Jason Statham) muda para sempre quando o Krugs destroem sua pacífica comunidade. Depois de ter seu filho assassinado e sua mulher (Claire Forlani) seqüestrada, ele está determinado a se vingar e parte em busca da esposa. Mas o que ele encontra durante a jornada vai revelar muito mais sobre seu destino do que ele poderia prever.

Crítica: Boll é um diretor de filmes B polêmico e carismático, fã de games, adorado por alguns atores e destestado pela maioria dos críticos, principalmente pelos resultados de seus filmes, seja na qualidade ou mesmo na recita final. Boll consegue neste seu, possivelmente, maior filme, reunir um elenco com Jason Statham, Ron Perlman, Ray Liotta e Burt Reynolds, e ainda assim, com um filme lento, caro e sem tanto emoção, fracassar na bilheteria. Boll não consegue representar um roteiro de época baseado no jogo de RPG de mesmo nome, Dungeon Siege (Square Enix) e novamente cai no erro de não se atentar a um bom roteiro e com sua mão superficial de filmagem, perde a chance de fazer algo grandioso, fracassa na bilheteria e fica no medíocre de sempre que marca sua carreira com na franquia BloodRayne. No elenco Jason Statham, ator e lutador de artes marciais britânico, além de mergulhador profissional, mais conhecido por seus papéis nos filmes de Guy Ritchie, Jogos, Trapaças e Dois Canos Fumegantes, Revolver e Snatch – Porcos e Diamantes e atualmente na franquia de suceesso Os Mercenários, até tenta atuar de maneira convincente, mas está fora de seu estilo de lutador de rua e em um filme de época. Leelee Sobieski é uma atriz americana que tornou-se famosa durante sua adolescência, ao aparecer no filme Deep Impact, e por receber uma indicação ao Emmy para o filme Joan of Arc, de 1999. Não convence no papel principal, bem longe de uma atuação convincente. Ray Liotta é um famoso ator e produtor de cinema americano. Ray é um ótimo ator de filmes policiais, mafiosos e gângster, mas em um filme de magia, como mago vilão, fica mais canastrão do que o normal. Burt Reynolds é um premiado ator norte-americano e famoso dos anos setenta. Aqui só tenta parecer importante como Rei, mas fica tão canastrão quanto Liotta. Ron Perlman é um ator de cinema e televisão e dublador americano.. Famoso por participar de franquias como Conan, Alien, Blade e Hellboy, Perlman só garante seu caixinha no filme. John Rhys-Davies é um ator britânico famoso por sua participação nas Franquias e filmes como Senhor do Anéis, Indiana Jones, James Bond, Anaconda e Helena de Tróia e Kristanna Sommer Loken é uma atriz norte-americana e ex-modelo, mais conhecida como a andróide T-X no filme Terminator 3: Rise of the Machines de 2003 e BloodRayne.

In the Name of the King 2 ou Em Nome do Rei 2 (2011):

Direção Uwe Boll, roteiro Dolph Lundgren e Uwe Boll, elenco Dolph Lundgren e Natassia Malthe. In the Name of the King 2 é um filme de fantasia e ação baseado no videogame Dungeon Siege. É uma sequência do filme de 2007 In the Name of the King: A Dungeon Siege Tale com Jason Statham, mas ao contrário do filme anterior, este é estrelado por Dolph Lundgren.

Sinopse: Granger (Dolph Lundgren) é um ex-militar acaba parando nos tempos medievais para cumprir uma antiga profecia e encontrar redenção por sua própria vivência no campo de batalha. Ele conta com a companhia e a ajuda da bela Manhatten (Natassia Malthe).

Crítica: Com orçamento de US$ 4,5 Milhões, nosso querido diretor Uwe Boll consegue fazer algo pior que seu próprio filme anterior, provando minha Teoria que Boll deve ter muito dinheiro para se manter no mercado cinematográfico, sendo que os principais problemas, além do elenco fraquíssimo, continua sendo o roteiro do filme que me lembrou um pouco o cult filme He-Man, Mestre do Universo, de tão ruim. Do elenco Hans Lundgren, mais conhecido pelo nome artístico de Dolph Lundgren, é um ator, diretor e lutador de artes marciais sueco. Ficou famoso na franquia do filme Rocky e pelo filme He Man e Justiceiro, mas somente agora conseguiu a fama novamente pela franquia geriátrica Os Mercenários. Lundgren está simplesmente péssimo no papel principal e deveria apagar de sua memória esse filme. Linn Natassia Scarlet Malthe é uma atriz norueguesa, conhecida pelo seu papel no filme Elektra e na franquia BloodRayne.

Curiosidades: A fotografia principal começou em 1 de Dezembro de 2010 para uma versão em 2011. Seis pessoas ficaram feridas em uma explosão no set. Em Nome do Rei 2 saiu direto para DVD.

In the Name of the King, A Última Missão (2014):

Direção: Uwe Boll, elenco Dominic Purcell, Ralitsa Paskaleva e Bashar Rahal, distribuidora Imagen Films.

Sinopse: Hazen Kaine (Dominic Purcell) é um matador de aluguel americano, mas atualmente mora na Bulgária. Seu último serviço é assassinar os três filhos de um bilionário da realeza, mas, misteriosamente, ele é enviado para a idade média. Lá ele precisa enfrentar um forte exército e um dragão cuspidor de fogo numa batalha pela sobrevivência.

Crítica: quando você acha que nada pode ser pior. Não dá para falar mais nada que eu já não tenha dito de Boll. Péssimo diretor, não sabe fazer uma adaptação interessante e gosta de games. Do elenco Dominc Pussel, famoso ator da série Prison Break e DC Legends of Tomorrow, sempre teve péssimas atuações no cinema. Papéis como em Blade Trinity descreve bem a dificuldade do ator em atuar na grande tela e olha que ele é um dos melhores de todo o elenco. O filme quase repete a premissa do anterior com viagens no tempo e por aí vai e também cometendo os mesmos erros de roteiro morno. E olha que eu critiquei o primeiro filme, vejam só. Por enquanto esse encerra a franquia.

Att.

Marcelo The Moura.

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo