Host (2020): O Filme de Terror da Pandemia. - NoSet
Cinema

Host (2020): O Filme de Terror da Pandemia.

Salve Nosetmaníacos, eu sou o Marcelo Moura e hoje falamos do primeiro filme de terror adaptado dentro da pandemia de 2020.  Host, apesar de ter o mesmo nome, não deve ser confundido com The Host (filme de 2006) ou The Host (filme de 2013). Host é um filme britânico de terror de 2020 dirigido por Rob Savage e baseado em um roteiro escrito por Savage, Gemma Hurley e Jed Shepherd.

Host (2020)

Dirigido por Rob Savage, produzido por Douglas Cox, Craig Engler, Emily Gotto, Rob Savage, Jed Shepherd e Samuel Zimmerman, escrito por Gemma Hurley, Rob Savage e Jed Shepherd. Estrelando Haley Bispo, Jemma Moore, Emma Louise Webb, Radina Drandova, Caroline Ward, Teddy Linard e Seylan Baxter. Produção Shadowhouse Films e distribuído por Shudder. Data de lançamento em 30 de julho de 2020 e tempo de execução 57 minutos.

Sinopse: Enquanto estava em quarentena devido à pandemia de COVID-19, um grupo de amigos decidiu realizar ligações semanais da Zoom para manter contato. Para a ligação desta semana, Haley contratou uma médium chamada Seylan para liderá-los em uma sessão espírita. Um amigo, Teddy, deixa intencionalmente o bate-papo porque sua namorada Jinny continua o interrompendo. Durante a sessão espírita, um dos membros, Jemma, afirma ter feito contato com um amigo que cometeu suicídio, Jack, apenas para admitir mais tarde que tudo era falso depois que Seylan desistiu da ligação. O restante das pessoas começa a experimentar fenômenos estranhos e aterrorizantes; O vidro de Emma quebra, a cadeira de Haley é puxada por uma força invisível e Caroline vê um cadáver pendurado em seu sótão.

Haley recebe uma ligação de Seylan e a informa de tudo o que aconteceu. Seylan acredita que a brincadeira de Jemma pode ter convocado um espírito demoníaco, que assumiu o aspecto de ‘Jack’, e começa a dar-lhes instruções sobre como encerrar a sessão espírita. O espírito interrompe isso causando mais fenômenos e a vídeo chamada com Seylan desaparece mais uma vez. O espírito mata Caroline, repetidamente esmagando seu rosto contra a mesa, e então Radina e seu namorado Alan, derrubando os dois de uma grande altura. Haley e Jemma discutem, jogando a culpa entre si, apenas para Haley ser puxada para fora da tela. Assustada, Jemma sai imediatamente de casa para checar Haley pessoalmente. Teddy então retorna à chamada, apenas para o espírito atacá-lo (agora na forma de um demônio zumbificado semelhante a um cadáver) e matar Jinny, quebrando seu pescoço. Teddy então fica inconsciente e queimado vivo. Emma é morta em seguida, depois de ser jogada de sua varanda para a mesa de seu quintal.

Jemma chega à casa de Haley, mas é atacada pelo espírito enquanto outros fenômenos sobrenaturais ocorrem ao seu redor. Ela consegue encontrar Haley escondida sob sua mesa, e os dois tentam escapar da casa (iluminando o caminho com os flashes da câmera Polaroid de Haley ), apenas para o espírito demoníaco atacar os dois quando o cronômetro de chamada do Zoom expira.

O filme termina percorrendo a lista de Haley de participantes do Zoom, revelando os créditos de todos os que trabalharam nele.

Crítica: Host poderia ser um dos melhores filmes de terror de 2020, é inteligente na sua construção, enxuto no seu tamanho com apenas 57 min, tem personagens bem intrigantes com uma química ótima, sem enrolar demais na apresentação, usa ferramentas como o Zoom na filmagem, um enquadramento e um acerto de vídeo e fala dos personagens excelente, sem se sobressair e cativa com a expectativa do que está por vir no primeiro arco.

O diretor Rob Savage usa a pandemia para recriar um estilo de filmagem que vai além do Found Footage (estilo de filmagem de mão que ficou famoso principalmente pelo filme Bruxa de Blair), com ótimos enquadramentos e ritmo preciso. Demorei pouco para me acostumar essa mudança de estilo de filmagem e logo embarquei na proposta apresentada. O elenco entrega uma credibilidade única nos dois primeiros arcos, com uma atuação impecável, sendo que os próprios criaram todos os “efeitos especiais” enquanto precisavam atuar nos seus papéis. O efeito físico aqui em Host é a grande arma para que funcione em um “timming” perfeito até o final do segundo arco.

Infelizmente, não é só disso que um filme sobrevive e a produção peca no mais importante, com um roteiro simples, sem pretensões e repetitivo, não consegue cativar da metade para o final (terceiro arco), sendo uma repetição de sustos que chegam a cansar, entregando um final óbvio, sem nenhuma surpresa a não ser o mesmo fim de todo filme de terror. Os roteiristas Gemma Hurley, Rob Savage e Jed Shepherd parecem ter copiado filmes como Amizade Desfeita (2014) e Atividade Paranormal (2007), passado tudo no liquidificador e peneirado para gerar o Host.

Curiosidades: O filme tem como base um pequeno vídeo criado por Rob Savage no início de 2020. O curta apresentava Savage investigando sons estranhos em seu sótão, enquanto fazia um vídeo chat em grupo com outras pessoas. A intenção inicial era ser uma brincadeira, já que os outros não sabiam que um rosto assustador iria aparecer na câmera, e Savage colocou o vídeo online, onde se tornou viral. Savage achou o formato fácil de assistir e decidiu aplicá-lo a um longa-metragem. Ele afirmou que o sucesso do curta lhe permitiu criar o Host.

Host foi filmado enquanto as restrições de quarentena estavam em vigor devido à pandemia COVID-19 e Savage teve que dirigir os atores remotamente enquanto eles tinham que configurar suas próprias câmeras, iluminação e acrobacias. Efeitos práticos também foram manipulados pelos atores e um workshop virtual foi realizado sobre como configurar efeitos como “mover portas, fazer coisas voarem das prateleiras”. Savage afirmou que o filme levou doze semanas para ser concluído, desde a concepção até sua entrega a Shudder.

Host foi lançado como um Shudder exclusivo em 30 de julho de 2020.

A recepção crítica para o Host tem sido geralmente positiva. O filme detém uma classificação de 100% no Rotten Tomatoes com base em 50 avaliações, com uma classificação média de 7.9 / 10. O consenso dos críticos do site afirma: “Enxuto, cheio de suspense e assustador, Host usa sua premissa oportuna para oferecer uma recompensa terrivelmente eficaz para os entusiastas do terror.” Elogios comuns para Host centrados em seus temas de separação social e ansiedade. Comparações foram feitas entre o filme de 2020 e o filme de terror de 2014 Unfriended (Amizade Desfeita), que também apresentava atividades sobrenaturais ocorrendo durante um chat de vídeo em grupo, por meios de comunicação como o New York Times e Rue Morgue. Simon Abrams do RogerEbert.com avaliou o filme com 2 estrelas e meia, comparando Host desfavoravelmente com filmes com o mesmo formato, afirmando que “Savage e os co-roteiristas Gemma Hurley e Jed Shepherd fazem um bom trabalho preparando os melhores cenários de seu filme, mas é difícil ignorar alguns prenúncios óbvios aqui, e algum simbolismo desajeitado ali. ”

Gostou da matéria, é só seguir o meu instagram para acompanhar lançamentos e opinar: https://www.instagram.com/marcelo.moura.1253/

 

Topo