The Fate of the Furious: Velozes e Furiosos 8 - NoSet
Cinema

The Fate of the Furious: Velozes e Furiosos 8

Salve Nosetmaníacos, eu sou o Marcelo Moura e hoje falamos de mais uma franquia super rentável dos cinemas. 

Velozes e Furiosos 8 (2017):

Direção F. Gary Gray, produção Neal H. Moritz, Vin Diesel, Michael Fottrell e Chris Morgan, roteiro Chris Morgan, baseado nos personagens de Gary Scott Thompson. Elenco Vin Diesel, Dwayne Johnson, Jason Statham, Michelle Rodriguez, Tyrese Gibson, Chris “Ludacris” Bridges, Nathalie Emmanuel, Scott Eastwood, Kurt Russell e Charlize Theron. Companhia produtora Original Film, One Race Films e Perfect World Pictures, distribuição Universal Studios.

Com orçamento US$ 250 milhões e uma grandiosa bilheteria US$ 1,101 bilhões, The Fate of the Furious é um filme americano de ação e o oitavo da franquia Velozes e Furiosos. Velozes e Furiosos 8 marca o primeiro episódio da franquia desde Velozes e Furiosos: Desafio em Toquio (2006), que não estrelou Paul Walker, que morreu em um acidente de carro em 30 de novembro de 2013, e Jordana Brewster.

As críticas foram favoráveis e o filme atualmente detém o recorde de maior abertura da história, com US$ 540 milhões, apenas no primeiro final de semana, superando Star Wars: O Despertar da Força com US$ 529 milhões. É a segunda maior bilheteria da franquia, com mais de US$ 1,1 bilhão, atrás apenas de Velozes e Furiosos 7. Velozes e Furiosos 8 estreou no dia 13 de abril de 2017 no Brasil e em 14 de abril de 2017 nos EUA, e sua sequência, Velozes e Furiosos 9, está marcada para abril de 2019.

Sinopse: Agora que Dom e Letty estão em lua de mel e Brian e Mia se retiraram do jogo, e o resto da equipe foi exonerada, o time segue com uma vida normal. Mas, quando uma mulher misteriosa seduz Dom para o mundo do crime, ele parece não conseguir escapar e a traição das pessoas próximas a ele fará com que todos sejam testados de uma forma como nunca foram antes. Das margens de Cuba e ruas de Nova York para as planícies geladas do mar do Ártico, nossa tropa de elite cruzará o globo para impedir que uma anarquista desencadeie o caos. E tentará trazer para casa o homem que os tornou uma família.

Crítica: Velozes e Furiosos 8 e um reinício da franquia, voltando a elementos do primeiro filme, sem deixar de ter 100% de adrenalina e muita tecnologia, mas com um roteiro mais simples e com um elenco mais arrojado. Muito disso vem do bom diretor F. Gary Gray, que fez filmes como Código de Conduta, Be Cool, O Negociador, e já tinha trabalhado com Diesel em O Vingador de 2003. Gary soube dar a medida certa entre tecnologia, roteiro, ação e atuação entre os antigos e novos elementos do filme, se preocupando em manter a mitologia de V&F intacta, mesmo com muitos exageros tecnológicos e visuais.

Do elenco Charlize Theron (Mad Max e O Caçador e a Rainha de Gelo) como Cipher, prova que é uma grande atriz que é capaz de qualquer papel, mas de vilã é única. Ela faz uma ótima parceria com Diesel e mostra do que é capaz como uma vilã fria e calculista. Vin Diesel, como Dominic Toretto, parece após a morte do seu amigo Paul Walker, estar cansado da franquia e do personagem. Tem poucas cenas interpretando, as melhores com Theron, mas está praticamente apagado do filme. Sua briga dom Johnson também afetou sua atuação.

Dwayne Johnson como Luke Hobbs, parece estar se despedindo da franquia, principalmente pela sua briga com Diesel por causa dos atrasos do ator para as gravações. Uma pena porque a franquia é a cara do ator, que trabalha muito bem a ação e seu estilo bem humorado de atuar. Jason Statham como Deckard Shaw, mudou praticamente tudo em seu personagem, transformando o assassino e mercenário do filme anterior, em uma bom cara que esteva em uma situação adversa que colocou ele contra Toretto e Hobbs, mas agora são parceiros. Provavelmente para substituir Johnson nos próximos filmes.

Kurt Russell, como Frank Petty ou o Sr. Ninguém, é a redescoberta do ator em papéis mais sênior, em filmes de ação, onde sua participação da um tom mais hilários e ao mesmo tempo instrutivo para que o roteiro se desenvolva. Gostei mais de sua atuação aqui do que no Guardiões da Galaxai vol. 2. A briga entre Johnson e Diesel fica claríssimo na cena final, no almoço no terraço, onde os atores não aparecem em nenhuma cena juntos, mesmo na mesa.

Curiosidades: Vin Diesel falou sobre uma possível sequência de Furious 7: “Eu estava tentando mantê-la perto de mim durante todo o lançamento do sétimo filme. Paul Walker costumava dizer que um oitavo filme estava garantido, e de certa forma, quando seu irmão garante algo, você sente que tem que certificar de que isso venha a acontecer. Por isso, se o destino tem isso, então você vai ter isso. Furious 7 foi para o Paul Walker, assim como o oitavo filme é de Paul Walker.

Gostou da matéria, é só seguir o meu instagram para acompanhar lançamentos e opinar: https://www.instagram.com/marcelo.moura.1253/

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo