Dragon Ball Super: Broly (2019) - NoSet
Anime

Dragon Ball Super: Broly (2019)

Salve Nosetmaníacos, eu sou o Marcelo Moura e hoje vamos falar da melhor franquia de animes de todos os tempos que finalmente migrou para os cinemas criando uma ótima franquia e seu próprio universo, revisitando vários personagens dos clássico anime e mangá.

Dragon Ball Super: Broly

Direção Tatsuya Nagamine, Naohiro Shintani (diretor animada) e Kazuo Ogura (diretor artístico), roteiro Akira Toriyama, música Norihito Sumitomo, distribuição e licenciamento JP Toei Company, nos EUA 20th Century Fox, Funimation, BR 20th Century Fox e Estúdio Toei Animation. Lançamento no Japão em 14 de dezembro de 2018, no Brasil em 3 de janeiro de 2019. Dragon Ball Super: Broly é uma animação, a vigésima da série do mangá Dragon Ball, e a primeira baseada na série Dragon Ball Super e é o terceiro filme de Dragon Ball, pessoalmente supervisionado pelo criador Akira Toriyama, sucedido pelo Dragon Ball Z: O Renascimento de Freeza, em 2015. Este é a primeira animação tradicional a apresentar o Broly do filme de 1993, Dragon Ball Z: Broly second coming e o primeiro a caracterizar o personagem em um filme escrito pessoalmente pelo criador da série, Akira Toriyama.

Sinopse:

O filme acontece após a Saga Sobrevivência do Universo retratado em Dragon Ball Super. Sob o slogan “o maior inimigo, Saiyajin”, o filme apresenta o destino da série pelos protagonistas Goku e Vegeta ao encontrarem um novo saiyajin chamado Broly, com conexão do exército Freeza e a história dos saiyajins. Na época, há quarenta e um anos, o planeta dos Saiyajins, conhecido exatamente como planeta Vegeta, passa a funcionar sob o comando do exército de Freeza. Devido ao poder de luta anormal de Broly ainda enquanto bebê, Rei Vegeta condena Broly e seu pai, Paragus, ao exílio a um planeta chamado Vampa, um lugar distante e inóspito. Lá, apesar da vida ser dura e ser repleto de animais exóticos, Broly e seu pai sobrevivem. Enquanto isso, é revelado que ambos foram exilados devido a Broly representar uma forte ameaça ao príncipe Vegeta, filho de Rei Vegeta e membro da classe de elite. O rei então percebe orgulhosamente seu filho como um prodígio para salvar seu povo e, como tal, negligencia o poder de Broly, enquanto o orgulho de Paragus em seu filho se transforma em um desejo de vingança e usa seu filho como uma ferramenta para realizá-lo. Do outro lado, cinco anos depois, Bardock, um guerreiro de classe baixa, suspeita das ordens de Freeza e, por isso, decide mandar seu filho Kakarotto, mais tarde chamado Goku, para o planeta Terra. Suas suspeitas se tornam uma realidade quando Freeza destrói o Planeta Vegeta após ouvir sobre a lenda do Super Saiyajin que poderia derrotá-lo. Todos os Saiyajins, com exceção de Broly, Paragus, Son Goku, Vegeta, Nappa e Raditz, morrem no cataclismo.

No presente, Goku e Vegeta estão treinando no deserto com seus amigos quando de repente são informados de que seis das sete esferas do dragão foram roubadas pelos soldados de Freeza. Nesse meio tempo, Broly e Paragus são encontrados e resgatados no planeta Vampa por Cheelai e Lemo, soldados de baixa classe das forças de Freeza, que procuravam por recrutas. Enquanto isso, Goku e Vegeta correm para o Ártico a fim de impedir Freeza de coletar a sétima esfera. Em meio àquele frio polar, eles são repentinamente encarados por Broly com seu pai, que chega com as forças de Freeza. Paragus fez uma aliança com Freeza para se vingar de Vegeta e, como tal, ordena que Broly o ataque. Isso resulta em Broly lutando contra Vegeta e Goku, constantemente alcançando-os no poder, e quando Freeza assassina o Paragus por curiosidade para ver sua reação de raiva, ele se transforma em uma forma Super Saiyajin cuja força os subjuga. Eventualmente, Goku e Vegeta se fundem em Gogeta e correm de volta ao campo de batalha para salvar Freeza. No entanto, quando na forma fundida eles estavam sendo capazes de destruir Broly, Cheelai e Lemo, que simpatizam com ele, usam as esferas do dragão para invocar o dragão Shenron no último momento para salvá-lo da morte. No final, Goku faz contato com Broly desejando serem amigos, bem como finalmente aceita sua herança e nome Saiyajin.

Crítica: A Franquia de Dragon Ball cresceu tanto que agora existem universos diferentes que bebem da mesma água de referência que é o mangá. Temos a animação para a TV, que é imensa e grandiosa, com cenas de lutas épicas e evoluções surpreendentes, você só tem que assistir a mais de uma centena de capítulos, típico de animes, tem o anime direto para o cinema, que é maravilhoso, tem sua vida própria e sagas também, e temos o filme Dragon Ball Evolution, mas esse nem vamos comentar.

Broly foi aquele tipo de vilão, um pouco simplório e do tipo B, que sempre morria nas mãos da família de Goku após uma batalha épica, mas que de alguma maneira retornava para assombrá-los. Trazê-lo de volta para a franquia do cinema mostrou-se bem inteligente, pois voltou a se falar nas origens e se aprofundo na história dos Saiyajins, assim como de Goku, Vedita, Broly e o próprio eterno vilão da franquia Freeza, é possível na animação vermos vários familiares, pais e mães do personagens, além da volta de outros personagens de Dragon Ball que passaram por estas décadas televisão , é uma mistura de saudosismo da TV e a utilização de técnicas e cores computadorizadas que não vemos normalmente. Broly também passa a ter uma personalidade mais complexa, definindo suas necessidades como Saiyajin e como pessoa.

Não dá para não deixar de mencionar que nos primeiros minutos de animação contando a vida do Goku o quanto sua história lembra a de outro alienígena chamado Kal El, o Superman, da DC Comics. O pseudo último sobrevivente do seu povo, sendo mandado a Terra em um foguete antes de seu planeta natal explodir, que adora manter uma relação Vegeta, um quase irmão sisudo, assim como Batman é do Superman, um guerreiro simpático, respeitador, inocente e que não desiste nunca. O que eu não esperava é o Broly lembrar tanto o Hulk da Marvel Comics, um jovem que ao ficar nervoso, perde o controle de sua mente, cresce e fica irracivo ao extremo nesta nova abordagem. Talvez um pouco da influência ocidental nos animes orientais ou apenas uma coincidência mesmo.

Curiosidades:   O anime é produzido pela Toei Animation. Foi originalmente anunciado sob o título provisório de Dragon Ball Super – The Movie, o vigésimo de toda a franquia. Um pôster foi lançado em 13 de março de 2018, 11 dias antes da exibição do episódio final de Dragon Ball Super, apresentando um projeto de animação tradicional inteiramente novo do animador Toei, Naohiro Shintani, trazendo um estilo diferente do veterano designer de personagens Dragon Ball, Tadayoshi Yamamuro. Uma semana depois, o primeiro trailer do filme foi lançado publicamente através da Toei Animation, apresentando os novos designs de personagens e um novo e vilão enigmático. O filme inclui elementos do mangá Dragon Ball Minus: The Departure of the Fated Child, escrito e desenhado por Akira Toriyama e é considerado parte do cânone da série. Em 9 de julho de 2018, o título do filme foi divulgado: Dragon Ball Super: Broly, revelando o vilão desconhecido como sendo o personagem titular Broly, que apareceu pela primeira vez no filme Dragon Ball Z: Burn Up!! A Close Fight – A Violent Fight – A Super Fierce Fight de 1993. Toriyama declarou o personagem e sua origem será retrabalhada, mas com sua imagem clássica em mente. Com este filme, o personagem se tornará parte do cânone oficial da série. Outros novos personagens introduzidos no filme são Gine, a mãe de Goku, Kikono, Berryblue, Cheelai e Lemo servindo no exército do Freeza e o sayajin Beets. Em 13 de setembro de 2018, uma declaração do animador Yashihiko Umakoshi, em participação em transmissão do Niko Niko, pode ter confirmado a aparição do icônico personagem. A transmissão nas palavras do animador, que disse que ele “está trabalhando em Dragon Ball no momento e focando seu tempo em Gogeta”, uma das fuzões de Goku e Vegeta.

Em seu final de semana de estréia, o filme foi exibida em 467 salas de cinema no Japão e conseguiu superar o recorde de Dragon Ball Z: Fukkatsu no F como a melhor estréia em um final de semana para a franquia. Dragon Ball Super: Broly ficou em primeiro lugar nas bilheterias do Japão durante o fim de semana de 14 a 16 de dezembro, vendendo mais de 820.000 ingressos e arrecadando mais de 1,05 bilhão ienes (cerca de 9,26 milhões de dólares) em seu primeiro três dias. Onze dias após sua estréia, o filme adicionou uma coleção total de mais de 2 bilhões de ienes (cerca de 18 milhões de dólares), consolidando seu lugar como a melhor estréia da franquia.

 

Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo