Detetive Pikachu: Quem disse que diversão é parâmetro? - NoSet
Cinema

Detetive Pikachu: Quem disse que diversão é parâmetro?

Antes de começar, não posso deixar de reclamar, que as cabines do filme aqui no Brasil (pelo menos as que eu soube) estavam todas dubladas, fazendo com que eu não possa criticar negativamente ou positivamente as atuações. A dublagem é uma forma de divulgar o filme, assim como as críticas que são feitas dele antes dele sair para o público. Quando vamos trazer uma informação pra vocês, esperamos poder ver a obra em sua totalidade pra tentar exprimir o que gostamos e o que não gostamos, quando se altera o ÁUDIO original de uma obra Audiovisual, perde-se muito do que estamos analisando.

Dito isso, Eu amo Pokémon.

#PraCegoVer Título do filme quando foi feito seu anúncio

 A oportunidade de vê-los muito bem renderizados na tela de um cinema, com essa feições um pouco mais realistas, é meu sonho já faz uns 20 anos.

#PraCegoVer A capa do meu Facebook com o Charmander que eu achei o Pokémon mais lindo de Detetive Pikachu.

Eu não estava esperando um grande filme, pois tirando os inúmeros Pokémon que eu ia ficar caçando na tela, a história não é o que mais importa nesse tipo de filme.

Mas saí decepcionado nos dois aspectos.

Primeiro por que, mesmo se você for esperando um filme ruim, você vai se surpreender, ele consegue ser pior do que você imagina. Se você está esperando uma história bacana com piadas estilo Deadpool vindas do Ryanchu Reynolds, vai sair decepcionado. Por uma ou duas vezes, o Pikachu consegue, no subtexto, fazer alguma piada mais disruptiva durante o filme, mas não passa disso.

O diretor, Rob Letterman, parece não ter assistido nenhum filme nestes últimos anos e se não fossem os tais Pokémon bonitos, realmente pareceria que o filme foi feito no começo dos anos 2000. A história consegue ser mais fraca do que o já esperado, mesmo tendo em vista o público que eles querem atingir. (aliás, abro aqui um adendo pra mais um erro de target da própria Pokémon Company, que não consegue aceitar que o público que consome seus produtos, são em grande parte jovens adultos hoje em dia. Eles estamparam em 2017 com muito orgulho os 20 anos da franquia, mas não parecem entender que muita gente os acompanham desde a criação deste universo maravilhoso. Cada ano que passa parecem que eles perderam o seu público adolescente e tentam se renovar pra atrair novos públicos, algo que todos os envolvidos falham miseravelmente):

#PraCegoVer Audiência de Animes no Japão na última semana de agosto de 2018, Pokémon Sun & Moon aparece na oitava posição com 3,3 pontos de audiência, muito abaixo do primeiro colocado que bate 15 pontos de audiência.

Faz tempo que os animes de Pokémon não tem uma boa audiência e que seus filmes são pouco celebrados, e se Detetive Pikachu está fazendo um certo sucesso, é pelo massivo marketing que a Warner está fazendo em cima do produto. Já que o sucesso de Pokémon GO foi embora tão rápido quanto chegou e a maioria das pessoas adquiriram uma visão pejorativa de quem sai se aventurando por aí atrás de Pokémon com seus rostos enfiados no celular (ou nos celulares)

E em segundo lugar: A fauna (ou seria flora?)… a fauna-flora deste maravilhoso universo Pokémon é mais uma vez subaproveitado aqui. Sinceramente, estava realmente esperançoso pelo que os trailers vinham demonstrando. Estava sentindo um maior cuidado ao apresentar a interação entre os animais com os humanos e em seu próprio ecossistema, como é nos dado um gostinho na ótima série Pokémon Generations (https://youtu.be/Hxe1BfAdHWI). Mas, é uma pena que o filme se limita em nos apresentar uma pouquíssima variedade de monstros, eu chutaria no máximo uns 30 tipos diferentes, e não se justifica, ao colocar a cidade central da história como o lugar onde todos os Pokémon vão para viver pacificamente com os humanos.

Pelo filme mirar o infantil e acertar o infantiloide, e também por não prestar um bom fan service aos fãs da franquia deixo registrado aqui que não gostei, e que provavelmente darei uma nota baixa ao filme, assim que assistí-lo com o áudio original.

Não vou estabelecer uma nota (algo importante para as pessoas que leem, porque, não pude analisar a obra em sua completude, a atuação de Jaden Smith, os efeitos da voz do Mewtwo, que em português estão toscas demais, A atuação do vilão que parece ter um pouco mais de qualidade do que a galhofagem que foi sua dublagem e o mais importante, o Ryan Reynolds dando vida ao Pikachu.)

#PraCegoVer Psyduck realista do filme ainda mais realista

E se você já assistiu ao filme, e acha que estou sendo rigoroso demais pra um filme tão divertido, a conversa é com você agora:

Se questione: Quando o filme ser divertido virou requisito para que ele seja bom.

Não que a diversão não possa ser um dos elementos que compõem um filme bom, mas é incrível como o cinema mainstream vem perdendo a qualidade dia-a-dia, reduzido a filmes que tentam encaixar piadocas a todo momento, e aqueles que acertam uns 30%, já são consideravelmente satisfatórios na opinião de quem assiste.

Várias outras questões compõem um bom filme, e se você notar, aqui em Detetive Pikachu, não tem nenhuma delas.

Só pra deixar registrado que uma parte das pessoas estão enobrecendo a obra com o seguinte título “bom filme-de-game”. Eu, infelizmente, por mais amor que tenha pela franquia, ainda não joguei o jogo de 3DS que inspirou o filme para julgar a qualidade da adaptação, e como crítico de CINEMA e não de CINEMA-DE-GAMES, não consigo os separar neste nicho específico e nem ser mais benevolentes com qualquer filme em específico.

Topo