Destacamento Bloods: Da 5 Bloods de Spike Lee e Netflix. - NoSet
Cinema

Destacamento Bloods: Da 5 Bloods de Spike Lee e Netflix.

Salve Nosetmaníacos, eu sou o Marcelo Moura e hoje falamos de mais um genial e polêmico filme do mega diretor Spike Lee.

Da 5 Bloods (2020): Direção Spike Lee, produção Jon Kilik, Spike Lee, Beatriz Levin e Lloyd Levin, roteiro Danny, Bilson, Paul de Meo, Spike Lee e Kevin Willmott, elenco Delroy Lindo, Jonathan Majors, Clarke Peters, Norm Lewis, Isiah Whitlock Jr., Mélanie Thierry, Paul Walter Hauser, Jasper Pääkkönen, Jean Reno e Chadwick Boseman. Distribuição Netflix, lançamento em 12 de junho de 2020 (EUA) e Orçamento de US$ 35–45 milhões.

Da 5 Bloods é um filme de guerra de 2020 dirigido por Spike Lee e produzido por Jon Kilik, Beatriz Levin e Lloyd Levin. A trama conta a história de um grupo de veteranos da Guerra do Vietnã que retornam ao país em busca dos restos mortais do seu comandante e de um tesouro que enterraram enquanto serviam lá.

Originalmente escrito por Danny Bilson e Paul de Meo em 2013, o roteiro foi trabalhado novamente por Lee e Kevin Willmott após o lançamento de BlacKkKlansman em 2018. O elenco foi convocado em fevereiro de 2019 e as filmagens, no sudeste asiático, começaram um mês depois, durando até junho. Com um orçamento entre 30 e 40 milhões de dólares, é um dos filmes mais caros de Lee.

A Netflix lançou mundialmente Da 5 Bloods em 12 de junho de 2020. De acordo com o site Rotten Tomatoes, os críticos consideraram o filme “forte e ambicioso”, e um dos filmes “mais urgentes e impactantes” de Spike Lee.

Sinopse: Destacamento Blood acompanha um grupo de quatro veteranos de guerra afro-americanos que retornam ao Vietnã buscando os restos mortais do líder de seu antigo esquadrão e de um tesouro enterrado, tentando encontrar suas inocentes perdidas pelo caminho.

Crítica: Spike Lee é um gênio do cinema isso ninguém discute, criativo, excêntrico, polêmico, Lee gosta de todos os holofotes direcionados para ele e quer sempre ser o centro das atenções com seus filme de baixo custo mas com um roteiro grandioso, cenas fortes, sem efeitos especiais e com tomadas incríveis. Raramente um filme de Lee deixa de ser o assunto de Hollywood e não tenha o status de cult, sempre associados a movimentos como o recente “Black Lives Matters “ (Vidas Negras Importam) de 2013, até mesmo quando esse nome e jargão não eram nem utilizados, Lee sempre lutou contra a discriminação e a favor da da igualdade social, usando em seus filmes quase 80% de atores negros e lembrando sempre de personalidades históricas que lutaram pela causa como Ali, Malcom X e Luther king. Filmes como o ótimo Faça a Coisa Certa  (1989), Malcom X (1992) e Infiltrados na Klan (2018) são exemplo de suas convicções e até do seu humor ao lidar com tais circunstancias tão repetitivas e que parecem enraizadas na sociedade como um todo.

Seu novo filme, Da 5 Bloods cai como uma bomba em uma momento tão explosivo mundial, com pandemias e mortes, tanto no Brasil como nos EUA, de cidadãos negros e de classe menos favorecidas por policiais, com técnicas questionáveis e motivos torpe, pessoas desarmadas que são violentamente contidas e sufocadas ou baleadas sem um motivo qualquer a não ser, o uso da violência desnecessária. os filmes de Lee já falavam sobre isso no século passado, mas agora com a interação on line das mídias sociais, parece que o mundo acordou para este porblema.

Não é difícil lembrar que esta viagem ao Vietnã feita por Lee já foi feita dezenas de vezes por outros diretores, que de maneira diferente, também levantaram a questão do fracasso e sacrifício da Guerra do Vietnã, como Oliver Stone em Nascido em 4 de Julho e Platoon, dois clássicos do cinema que contam a tragédia humana e americana que foi a guerra do Vietnã, e podemos até citar o ganhador do Oscar Rambo: First Blood nesta lista.

Novamente Lee não é um diretor casual, seu filme tem um propósito e consegue ter 4 atos ou invés do comum 3 atos e em determinado momento, quebra a 4ª parede e inicia um poderoso monólogo com o público sobre o direito da vida e morte, tem mudanças da forma de filmagem para deixar o público desconfortável com que está vendo e trabalha a representação de passado e presente de forma simbólica e metafísica, evitando assim custos com maquiagem e CGI, mas ainda assim sendo genial.

A química do elenco é perfeita e Delroy Lindo como Paul rouba a cena com um aatuação impecável.  Gostei muito de Chadwick Boseman (Pantera Negra e Vingadores) como Norman Earl “Stormin’ Norman” Holloway e Jean Reno, como Desroche, ainda é meu ator anti herói canastrão Frances preferido.

Sei que Da 5 Blood vai incomodar muitos espectadores, mas Spike Lee sabe fazer um cinema de verdade, contando uma verdade, mesmo que esta seja apenas mais uma história.

Curiosidades: O filme era originalmente um roteiro especulativo escrito por Danny Bilson e Paul de Meo entitulado The Last Tour, com a direção de Oliver Stone. Após Stone abandonar o projeto em 2016, Spike Lee e Kevin Willmott reescreveram o roteiro após trabalharem juntos em BlacKkKlansman, de 2018, mudando o enredo para uma perspectiva afro-americana.

Em janeiro de 2019 o filme foi oficialmente anunciado, com Samuel L. Jackson, Giancarlo Esposito e Don Cheadle cotados para os papéis principais. Em fevereiro de 2019, foi anunciado que a Netflix distribuiria o filme, já com Chadwick Boseman, Jean Reno e Delroy Lindo no elenco. Jonathan Majors negociou a sua entrada no filme no mesmo mês. Em março de 2019, Paul Walter Hauser, Clarke Peters, Isiah Whitlock Jr., Norm Lewis, Mélanie Thierry e Jasper Pääkkönen juntaram-se ao elenco. Giancarlo Esposito também havia sido confimado para o elenco, mas posteriormente deixou o filme.

As filmagens começaram em 23 de março de 2019. A produção durou três meses, com gravações principalmente em Ho Chi Minh, Banguecoque e Chiang Mai. Ao contrário de outros filmes, incluindo O Irlandês, da Netflix, Lee fez com que o elenco principal (a maioria tinha em torno de 60 anos) interpretasse suas versões mais jovens em sequências de flashbacks sem o uso de tecnologia de rejuvenescimento ou maquiagem. As cenas ambientadas na década de 1960 foram gravadas em 16 mm, escolha que Lee teve que convencer a Netflix a permitir. As cenas modernas foram gravadas com digitalmente.

A trilha sonora de Da 5 Bloods foi escrita pelo compositor Terence Blanchard. Além da trilha original, o filme apresenta várias músicas do início dos anos 1970. O filme contém seis músicas do álbum de Marvin Gaye de 1971, What’s Going On. “Esse disco foi lançado quando eu era jovem, mas eu consegui sentir o que estava acontecendo no país,” disse Blanchard. “Quando o Spike coloca essas músicas em um filme, ele se torna extremamente poderoso, por muitas razões.” Cada um dos cinco personagens principais possui o mesmo nome que os integrantes do grupo The Temptations e o seu produtor musical, Norman Whitfield. O álbum da trilha sonora do filme foi lançado pela Milan Records em 29 de maio de 2020.

Da 5 Bloods foi lançado em 12 de junho de 2020 pela Netflix. Antes da pandemia de COVID-19, o filme estava programado para estrear no Festival de Cannes 2020, e depois estrear nos cinemas em maio ou junho antes de ser transmitido pela Netflix. Após o lançamento, foi o filme mais assistido em seu primeiro fim de semana.

No site de críticas Rotten Tomatoes, o filme possui uma aprovação de 92% baseado em 197 resenhas, com uma nota média de 7,95/10. No Metacritic, o filme possui uma pontuação média ponderada de 82/100, baseado em 45 críticas e indicando “aclamação universal”.

Escrevendo para o Chicago Sun-Times, Richard Roeper deu nota 4/4 estrelas ao filme, dizendo “A imagem, o roteiro e o diretor Spike Lee merecem ser considerados para uma indicação, assim como a trilha sonora exuberante do colaborador de longa data de Lee, Terence Blanchard… Whitlock, Peters e Boseman também merecem ser citados como atores coadjuvantes, enquanto Delroy Lindo deve ser um candidato instantâneo a melhor ator.” David Rooney do The Hollywood Reporter, disse que o filme é “tão oportuno quanto as notícias de hoje”.

Eric Kohn do IndieWire deu ao filme uma nota “B” e escreveu: “Com um olhar frouxo e cáustico da Guerra do Vietnã através do prisma das experiências negras, Da 5 Bloods luta com o espectro do passado através das lentes de um presente muito confuso, e se instala em uma confusão fascinante, tão bagunçada e complicada quanto o mundo à época do seu lançamento”.

Gostou da matéria, é só seguir o meu instagram para acompanhar lançamentos e opinar: https://www.instagram.com/marcelo.moura.1253/

Topo